RÁDIO CIDADE MATOSINHOS

domingo, 10 de março de 2013

INFESTA SAI GOLEADO EM CASA FRENTE AO BOAVISTA


Digas esteve pouco inspirado esta tarde.
 
No jogo desta tarde, em que o Infesta recebeu e perdeu com o "histórico" Boavista por 0-4, a equipa de José Manuel Ribeiro demonstrou pouca agressividade, frente a um adversário que faz disso mesmo o seu jogo, um pouco à imagem do seu treinador.
 
INFESTA: Isac, Carlos Pinto, Rui Jorge, Tiago Jonas, Carlão (Jorginho, 3'), Dany (Tiago Veiga, 52'), João Reis, Pedro Nuno, Bruninho (Vitinha II, 52'), Digas e Serge.
 
O Infesta iniciou o jogo logo com um contratempo, que foi a lesão do lateral esquerdo Carlão, num lance em que caiu mal e ficou agarrado à coxa esquerda. Foi o Boavista a primeira equipa a criar perigo aos 6 minutos, num remate de Carraça que Isac defendeu com uma palmada para canto. Aos 14 minutos, o Infesta cria perigo por Pedro Nuno que numa jogada de insistência, rematou por cima da baliza de Ricardo Campos. Pouco depois foi Miguel Cid, que esteve perto do golo ao rematar com alguma sorte, à barra da baliza de Isac. O Boavista, mais agressivo na abordagem aos lances, chega ao golo à passagem do minuto 18 por Wellington Cris que numa jogada rápida de contra-ataque, leva a melhor sobre Jorginho e fez o golo inaugural. Aos 20 minutos, Pedro Navas de livre, obriga Isac a aplicar-se para boa defesa. Pouco depois, aos 27 minutos, o Boavista chega ao segundo golo. Numa falta inexistente junto à quina da área, Paulo Campos cruzou e Frechaut, antecipa-se a Jonas e faz de cabeça, o segundo golo.
 
  Na segunda parte, esperava-se outra reacção do Infesta, que em desvantagem, teria de procurar reduzir, mas foi o Boavista que logo a abrir, fez o terceiro golo. Numa fífia da defensiva do Infesta, Fary já dentro da área não perdoou e aumentou a vantagem. Se havia alguma estratégia para a segunda parte, ela acabou por desmoronar-se com a obtenção do terceiro golo dos axadrezados. O Boavista passou a jogar mais em contenção e o Infesta, procura a espaços, o golo de honra. Aos 68 minutos, Vitinha II cruza da esquerda e Serge não chega de cabeça à bola. Poucos minutos depois, Digas marca de livre e Serge, à boca da baliza, não consegue desfeitear Ricardo Campos. Aos 74', João Reis remata com força, mas ao lado da baliza do Boavista e aos 77' Digas tenta de livre, mas a bola sai por cima. O Boavista, numa das poucas oportunidades que teve na segunda parte, fez o quarto e último golo da partida. Pedrinho pela direita, cruza e Paulo Campos de cabeça, rematou colocado, sem hipóteses de defesa para Isac. Apesar da derrota, tudo se manteve nos últimos lugares do campeonato.
 
O Padroense perdeu em casa com o Vizela (1-2) e mantém-se a um ponto do Infesta e o Joane, perdeu em Ribeirão por 2-1 e mantém-se com mais três pontos e em zona de manutenção. O árbitro da partida, Pedro Vilaça da A.F.Porto, esteve mal em algumas decisões, nomeadamente no critério com que assinalou algumas faltas a favor do Boavista e que não eram assinaladas se fosse a favor do Infesta.
Na próxima jornada, o Infesta tem uma deslocação complicada a Gondomar. in FC INFESTA

LAVRENSE PROTAGONIZA UMA REMONTADA


AF Porto - 1ª Divisão Série 1 2012/13 | Jornada 25
Árbitro – Sílvia Silva
LAVRENSE 2 PROGRESSO 1
Ao intervalo, 0-1, Auto golo e Tiago Carvalho marcaram para os Lavrenses
 
LAVRENSE: Telmo, João, Filipe Sousa, João Jesus, Tiago Pinto (Nandinho); Ricardo, Grilo, Couto (Postiga), Joel (Káka), Tiago Carvalho e Cardoso. Treinador José Pacheco
 
Antevia-se um jogo particularmente difícil para equipa de Lavra que vinha de uma derrota por 3-1 em casa do líder Gulpilhares.
 
Este também não começou da melhor maneira, depois de uma primeira parte dominadora, a equipa Lavrense, não conseguiu traduzir em golos o seu maior domínio ofensivo e, em cima do minuto 44`, sofre duro golpe nas sua pretensões, pois o adversário chega á vantagem no único remate digno desse nome à baliza da equipa da casa.
 
No segundo tempo foi um correr atrás do prejuízo, num jogo que se tornou em para e resposta a equipa Lavrense foi mais feliz e de virada conseguiu a vitória, primeiro num auto-golo, à resposta de um livre marcado por Ricardo, apesar da excelente réplica que os forasteiros foram capazes de responder, o Lavrense chega á vitória por intermédio do inevitável Tiago Carvalho.
 
Em suma um triunfo justo mas muito difícil de obter. O Destaque nesta partida vai inteirinho para o jovem João, lateral direito, ainda júnior do Lavrense

LUÍS SILVA PÕE MATOSINHOS A SONHAR!


31.ª Jornada da Segunda Liga,
Estádio do Mar, em Matosinhos.
Árbitro: Marco Ferreira (Madeira).
LEIXÕES 1 AROUCA 0
Ao intervalo: 0-0. Marcadores: 1-0, Luís Silva, 56 minutos
 
LEIXÕES: Rui Sacramento, Gonçalo Graça, Nuno Silva, Zé Pedro, Sequeira, Fábio Santos, Hernâni (Tiago Borges, 88), Malafaia (Cadinha, 68), Calé (Nelson, 90+2), Luís Silva e Mailo. Treinador: Pedro Correia.
 
AROUCA: Serginho, Dani, Zarabi, Mika, Stephane, Bijou (Rui Gomes, 75), Laurindo (Clemente, 58), Soares, Kovacevic (Hugo Monteiro, 82), Luís Pinto e Joeano. Treinador: Vítor Oliveira.
 
 
A Turma do Mar venceu com toda a justiça este difícil confronto, sem margem para qualquer dúvida, dando um passo firme no seu objectivo inicial que passa pela manutenção, no entanto tudo pode acontecer! Apesar de manter o quarto lugar da tabela, tem apenas um ponto de diferença para o terceiro (Sporting B, que não pode subir de divisão) e três do Arouca. A subida pode ser já ali! Apesar de ter sido a equipa mais dominadora ao longo da primeira parte, a equipa leixonense, que nesse período esbarrou no guarda-redes contrário, Sérginho, não conseguiu traduzir em golos o seu melhor futebol.
 
O domínio anfitrião deu os seus frutos aos 56 minutos, numa saída rápida para o ataque. Hernâni serviu Luís Silva, que se isolou e rematou, fazendo a bola passar entre as pernas de Serginho e seguir para baliza deserta. O 1-0 premiou a equipa que mais fez pela vitória. Recorde-se que o adversário (sério candidato à subida) e, que já não perdia desde a 25.ª jornada, em 30 de Janeiro, quando caiu em Oliveira de Azeméis, por 3-2, só deu um ar da sua graça, já depois da desvantagem, mas ai esteve intransponível o guardião Rui Sacramento, que se cotou com mais uma excelente exibição.
 
para a história fica:
 
O Leixões, tem já no próximo jogo, uma difícil deslocação ao Restelo, onde mora um líder tranquilo que tem a subida mais do que garantida.
 
Conferência de Imprensa
 
Pedro Correia treinador do Leixões - "Nós sabíamos que íamos atingir os 50 pontos. Com a qualidade e o trabalho que temos vindo a desenvolver, conseguimos chegar a essa meta. Hoje tivemos uma vitória merecidíssima. Os jogadores estão completamente de parabéns. Estou apaixonado por esta equipa. Orçamentos não ganham jogos. Tivemos oportunidades para ganhar por mais. Conquistámos o direito a sonhar. Queríamos ganhar para isso mesmo. A partir de agora vamos pensar jogo a jogo. Temos uma partida muito difícil já no próximo fim-de-semana. Queria dar os parabéns a toda a estrutura do Leixões. Gostaria de ter sempre esta casa. Tivemos mais um jogador em campo com o apoio dos nossos adeptos. Espero, de uma vez por todas, que todos acreditem nesta equipa, em todos os momentos. Não sabemos o que vai acontecer, mas queremos continuar a sonhar. Foi um jogo especial, pois do outro lado estava um treinador que admiro bastante."
 
Vítor Oliveira treinador do Arouca - "Não estava nas nossas perspectivas perder este jogo, sem tirar o mérito à vitória do Leixões. Devo constatar que demos 60 minutos de avanço. Não fizemos nada de significativo nesse período. Estávamos avisados que podíamos sofrer. Depois do golo do Leixões fomos melhores mas sempre em desespero. O Leixões bateu-se bem. Fomos penalizados por nos esquecermos que os jogos duram 90 minutos e não 30. Não nos devemos preocupar com os adversários. Dependemos apenas de nós. Hoje não fizemos uma boa exibição e espero que isto não se repita nos próximos jogos."

DERBI MATOSINHENSE TERMINA EMPATADO

AF Porto - 1ª Divisão Série 1 2012/13 | Jornada 25
Complexo Desportivo SCS Hora
Árbitro Sérgio Ferreira
SENHORA DA HORA 1 CUSTÓIAS 1
Ao intervalo, 0-0, golos, Andrade (56`) Medeiros (90+5 gp)
Cartão vermelho a Rafael Rezende (80`)
 
SC HORA: Cândido, Gandarela (Fábinho 87`), Tiago Costa, Ramalho e Joel; Jordan, Marcos e Rafael Rezende (Bruno Silva 86`), Serrão (Martins 46), Andrade e Ivo. Treinador Joca.
CUSTÓIAS FC: Luís, Danny, Flávio, Leandro e Batista (Gualter), Tozé, Renato e Medeiros; Santa Cruz, Ferrer e Alan (Heldinho). Treinador Mário Rui.
 
Jogo intenso que não defraudou as espectativas (um autentico derbi, com resultado imprevisível do inicio até ao fim), assistido por bastante publico, bancada central, praticamente cheia e, com algumas caras conhecidas, Albino Guerra treinador dos Lusitanos, equipa que folgou este fim-de-semana, Paulão, Arménio, equipa técnica que recentemente saiu do Leça do Balio, em fim muita cara conhecida mesmo.
Começou melhor a equipa visitante, mais pressionante e, com sinal mais em termos ofensivos, aos 10`minutos num lance de bola parada, Leandro está perto do golo, ao falhar um cabeceamento quase em cima da linha. Respondem os senhorenses em transição rápida, Serrão isola-se pela esquerda do ataque, mas na hora de alvejar a baliza à guarda de Luís, atira fraquinho ao lado. Em mais uma jogada de transição a equipa do Senhora da Hora, desta vez por Ivo, que assiste para a pequena área, mas Andrade e Serrão, apáticos, perdem o lance. Estava passado o primeiro quarto de hora do encontro, altura e desde em tão a equipa do Custóias, superioriza-se ofensivamente e os lances para marcar são desperdiçados consequentemente. Alan atira com estrondo à trave da baliza de Cândido, depois o mesmo Alan, depois de passar o guarda-redes senhorense, descaído pelo lado esquerdo, quis fazer o mais difícil, marcar golo dali, em vez de endossar a bola para o coração da desprotegida área senhorenses, a seguir é a vez de Fábio de cabeça proporcionar a defesa da tarde a Cândido, que fez o segundo jogo esta época, que galvanizado com as excelentes intervenções, nega também o golo, num remate forte e colocado de Ferrer. O nulo verificado ao intervalo, era lisonjeiro para os senhorenses.
Na segunda parte, tudo foi diferente, a equipa da casa entra melhor no encontro, Gandarela pela direita cruza para o coração da área custóiense, Ivo toca de cabeça, levemente na bola que sobra para Andrade, que na cara de Luís, desperdiça soberano oportunidade de concretizar em golo. A equipa do Custóias, em lances de bola parada, cantos consecutivos, esteve também a beira de marcar, mas os seus dianteiros não acertavam com abaliza, neste particular destaque, está Leandro que teve o golo na cabeça por algumas vezes. Os senhorense começam a acreditar que é possível chegar ao golo, e numa jogada de insistência, a bola sobra para Andrade que entra na área com a bola controlada e com tranquilidade bate o guarda-redes Luís. Estava aberto o marcador para a equipa da casa, que passa a jogar com as linhas mais baixas e em bloco pressionava o seu adversário, desferindo perigosos ataques à baliza forasteira. Até que o árbitro (gritante a sua dualidade de critérios) decidiu chamar a si o protagonismo do jogo, quando expulsa do jogo Rafael Rezende, quando este se preparava para sair (excesso de rigor deste senhor que prejudicou necessariamente os senhorenses), A equipa do Custóias, que nada tem a haver com isto, tira proveito disso mesmo e lança-se em definitivo em busca da igualdade, que diga-se justa, mas por caminhos travessos. Nos cinco minutos de descontos dados pelo árbitro, os senhorense foram empurrados autenticamente para o seu último reduto. Os erros de apreciação por parte do árbitro, foram-se acumulando, Ferrer é derrubado na área senhorense mas aqui, esteve bem o árbitro, a não dar penalti, pois o avançado cometeu primeiro falta atacante. Há uma mão na área senhorense, que nos pareceu mais clara e, nada marca, depois inventa uma falta perigosa, zona frontal à baliza senhorense, para em cima do apito final marcar um penalti inexistente, que Medeiros não desperdiçou, fazendo o empate.
Em suma um grande jogo de futebol, com divisão de pontos a ser o mais justo. De assinalar, apesar da intempérie, nada favorável, a excelente adesão do púbico, amante do desporto Rei.

RESULTADOS DE 10 DE MARÇO 2013


Resultados dos clubes de Matosinhos

LEIXÕES 1 AROUCA 0

PADROENSE 1 VIZELA 2
INFESTA 0 BOAVISTA 4

PAREDES 4 LEÇA 0

PERAFITA 3 SERZEDO 1

SENHORA DA HORA 1 CUSTÓIAS 1
LEÇA DO BALIO 1 LEVERENSE 0
LAVRENSE 2 PROGRESSO 1

TORRÃO 3 ALDEIA NOVA 0

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

D LEÇA DO BALIO

D LEÇA DO BALIO

OS LUSITANOS SCFC

OS LUSITANOS SCFC