RÁDIO CIDADE MATOSINHOS

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

EM ACERTO DE CALENDÁRIO LEÇA PERDE EM VILA MEÂ


19ªJornada da Divisão D´Elite Pro-Nacional AF Porto
Estádio Municipal de Vila Meâ
Árbitro: Luís Costa
AT VILA MEÂ 1 LEÇA FC 0
Ao intervalo, 0-0, Tony (68 gp)

VILA MEÂ: Vareiro, Tiago, Marinho, Tony, Domingos, Alex, Dani, João (Nani 80) Mica, Jonas (Fabrice 56) e Bessa. Treinador Zamorano

LEÇA FC: Diogo, Micael, Noura, Freitas, Alex, Jair, Hugo, Marcos (Cheta 56) Jota (Álvaro 56/Paulo Lopes 66), Mesquita e Pedras. Treinador Nuno Costa

No jogo em atraso, referente à 19ª Jornada Vila Meâ e Leça FC, subiram ao Municipal de Vila Meâ para entre si acertarem o calendário.

Só que e principalmente o Leça, não contava com outro adversário que não fosse os anfitriões, de facto a partida fica manchada por demasiados erros que prejudicaram nitidamente os leceiros, começando logo pelo golo que definiu o vencedor, pois esse foi apontado através de uma grande penalidade inexistente e ao contrario o árbitro deste encontro, não assinalou uma grande penalidade a favor dos visitantes sobre Mesquita, transformando o lance em falta contra o avançado. Apesar da dualidade de critérios demonstrada ao longo dos noventa minutos, marcando tudo contra o Leça, deixando passar em claro alguns fora de jogo que poderiam por em risco a baliza de Diogo, o Leça teve tudo apesar desta dificuldade para vencer o encontro, mas a sorte nada quis com o conjunto orientado por Nuno Costa.

 Mas vamos ao que de mais importante se passou em futebol jogado: Após uma primeira parte algo frouxa, as equipas apareceram no segundo tempo com outra disponibilidade…Mesquita, avançado leceiro, aos 60 desperdiça soberana oportunidade para abrir o activo, com baliza à merece não foi capaz de bater o guardião da casa, na resposta surge o golo dos visitados obtido, quanto a nós de forma irregular. Até ao final do jogo, o poste da baliza local e a falta de pontaria dos avançados leceiros fizeram o resto, ou seja evitaram que no mínimo o Leça chega-se ao empate.

Foto de David Ferreira

domingo, 28 de fevereiro de 2016

EXIBIÇÃO COM RAÇA E SENTIMENTO POR MIGUEL AMARAL

 
32ª Jornada da Segunda Liga 
Estádio do Mar, em Matosinhos. 
Árbitro: Carlos Xistra (Castelo Branco). 
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Tarcisio(34),Vitor Alves e Alemão (45+3), Bruno China(46), Jander (73), Nélson Pedroso (82 e 90+3). Cartão vermelho por acumulação para Nélson Pedroso (90+3). 
LEIXÕES 3 D AVES 1 
Ao intervalo: 2-1, golos, Ricardo Barros (4 e 45+2) Theo Mendy ( 43') , Bruno Lamas (56') 

LEIXÕES: Ricardo Moura, Rateira, Diogo Nunes (Wellington, 78), Pedro Pinto, João Pedro, Bruno China, Malafaia (Abalo, 80), Bruno Lamas, Pedras, Alemão (Slim, 66) e Ricardo Barros.Treinador: Pedro Miguel 

D AVES: Quim, Vítor Alves, Romaric, Marcos Valente, Nélson Pedroso, Ericsson, Tarcísio (Fernando Silva, 46), Pedró (Serhii, 62), Jander, Theo Mendy e Guedes (Diallo, 62).Treinador: Ulisses Morais. 

Com dois golos de Ricardo Barros e outro de Bruno Lamas o Leixões impôs-se ao Desportivo das Aves, ganhando por 3-1, em jogo da 32.ª jornada da 2ª Liga, uma vitória com sentimento por Miguel Amaral membro da claque MV03, que na véspera terminava a sua vida num estupido acidente de trabalho, no Porto de Leixões

A vencer desde o quarto minuto, depois do poste devolver uma bola batida de livre direto por Bruno Lamas, aproveitada por Ricardo Barros aproveitou para abrir o marcador, o Leixões teve muitas dificuldades em suster o crescimento gradual do Aves. Ainda que só nos minutos derradeiros da primeira parte tenham voltado a haver golos, o Aves mostrou argumentos para chegar antes ao empate, pecando, contudo, no último passe. Até que Jander (43 minutos) arrancou pela esquerda para a área, deixando para trás Rateira, rematou, com a bola a desviar em Ricardo Moura, surgindo então Theo Mendy, com o peito, entre os centrais, a repor a igualdade. A equipa de Matosinhos aproveitou os descontos para recuperar a vantagem, novamente com a dupla Bruno Lamas e Ricardo Barros a combinar para uma finalização do avançado que passou sobre Quim, que saíra para tentar fazer a mancha. 

 No recomeço, Bruno Lamas (56') aumentou a sua influência no jogo, acorrendo ao cruzamento da direita de Alemão para bater Quim com um remate cruzado e em força. E depois de Quim tirar o quarto golo a Slim (56'), outro recém-entrado, Diallo (68'), atirou de longe sobre a barra e Serhii (79') sem oposição na área, atirou cruzado junto ao poste direito. Já nos descontos, Nélson Pedroso viu o segundo cartão amarelo e acabou expulso. 

 Conferência de Imprensa

Pedro Miguel "Em primeiro lugar, quero dar os parabéns aos jogadores do Leixões pela entrega que tiveram num relvado difícil e contra uma equipa difícil. Depois, também quero agradecer aos nossos adeptos, pois desde que aqui cheguei eles incentivam e puxam sempre pela equipa, estando a ganhar ou a perder. Esta vitória é dedicada por todo o grupo de trabalho a dois leixonenses que faleceram nos últimos dias: o senhor Belmiro Galego, sócio do clube e autor de livros importantes sobre o Leixões, e um membro da nossa claque (Miguel Amaral) que faleceu ontem num acidente estúpido; hoje, de certeza, que estaria aqui a puxar pelo Leixões. Quanto ao jogo, o golo cedo foi um bom tónico, porque nos permitiu ganhar avanço no marcador, que era o que pretendíamos. Depois, o Aves criou-nos algumas dificuldades e chegou ao golo, mas conseguimos reagir e voltar a ganhar vantagem antes do intervalo. Na cabina disse aos meus jogadores que, para vencermos, teríamos de fazer um terceiro golo, o que conseguimos. Depois disso, o jogo esteve aberto, pudemos fazer um quarto golo mas o Aves também teve as suas hipóteses de marcar. Soubemos sofrer e conseguimos uma vitória difícil mas muito importante, porque precisávamos destes três pontos." 
Ulisses Morais "Foi um excelente jogo de futebol num relvado difícil, com duas equipas a quererem ganhar. A equipa que errasse menos teria vantagem. Entrámos no jogo a perder, conseguimos equilibrar e chegar ao empate, mas deitamos tudo a perder no segundo golo do Leixões. Na segunda parte, sofremos o terceiro mas nunca desistimos porque o Aves luta sempre pelo melhor resultado. Encontrámos pela frente uma equipa competente, que foi capaz de marcar golos com muito mérito."

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

HUMBERTO " Existe um sonho! Mas quase impossível de alcançar..."

Humberto Ricardo Novo Pereira da Silva, 34 anos natural de Matosinhos, é guarda redes de futebol e defende a baliza do Padroense. Em 1992 vestiu-se a rigor como Keeper pela primeira vez ao serviço do Leixões (sub 13). Daí para cá não mais parou e SC Senhora da Hora, GD Aldeia Nova, FC Perafita, FC Pedras Rubras e Padroense fazem parte da vida futebolística de Humberto. 

MITCHFOOT - Humberto, como nasceu esse teu gosto pelo futebol, pretendes contar-nos um pouco dessa história? 

HUMBERTO - Em 1º lugar agradecer ao sr. Mário por vir ao meu encontro e me proporcionar mais uma agradável conversa para o Seu blog...quanto ao gosto pelo futebol, venho de uma família de jogadores, o meu avô, o Macarrão que jogou muitos anos no Leixoes, e como não poderia deixar de ser, o meu irmão Ze António, que começou no Leixoes, e como Guarda Redes, e levou-me por arrasto para essa paixão que ainda hoje tenho, a baliza e o futebol...depois foi só alimentar essa paixão 

M - Como não podia deixar de ser, conta-nos um pouco sobre o teu relacionamento com teu irmão, Zé António, esse brioso atleta que por motivos de doença teve de deixar o futebol mais cedo. 

H - O meu irmão...o que dizer...para mim desde miúdo sempre foi o meu ídolo...via e vejo nele o meu maior exemplo, quer como jogador, pois como profissional penso que existiam poucos como ele, mas como homem afirmo aqui que é o maior exemplo que eu conheço. Como todos sabem, uma grave doença acabou com a carreira dele, carreira essa da qual eu muito me orgulhava, seguia-o para todo o lado e para mim ele era o melhor jogador do mundo, mais que não fosse pela raça, caráter e profissionalismo que deixava em cada treino e cada jogo...como disse anteriormente, a vida pregou-nos essa partida, mas ele continua como sempre foi, um guerreiro, e posso dizer que continuamos com uma relação como sempre tivemos, de dois irmãos que se adoram...volto aqui a dizer, o meu irmão foi, é e será sempre o meu ídolo...

M – Como homem do futebol, por certo tens o teu clube de eleição, aquele que de facto mexe com os teus sentimentos, queres dizer-nos qual é ? 

H - O meu clube de coração é o Leixoes, clube da terra, no qual me formei para o futebol...obviamente que os clubes por onde passei ganharam um espaço tb no meu coração, são eles o Perafita, o FC Pedras Rubras e agora o Padroense...quanto aos Grds...o Benfica... 

M – Na difícil e inigualável posição de guarda redes, por certo também tens o teu preferido, em qual GR tu te revês ou encontra mais semelhanças? 

H - Na baliza a minha referência foi sempre o Vitor Baia...não havia como ele...da actualidade, destaco o Casillas, Julio César e Buffon (este um senhor)...quanto ao melhor do mundo nesta posição...Neuer, certamente o GR mais completo que existe...e todos eles servem de fonte de inspiração por assim dizer.. 

M – Na tua já longa carreira desportiva, qual o momento, o jogo que mais te marcou? 

H - Tenho dois jogos inesquecíveis (pela positiva) para mim... Um FC Pedras Rubras vs Vila Real em que foi um jogo perfeito individualmente, e o S. Martinho vs Padroense da época passada...esse para mim foi a melhor exibição que fiz em toda a minha carreira até ao momento...

   
M - Depois de 6 épocas a jogar fora do concelho de Matosinhos, todos vividos com a camisola do FC Pedras Rubras, regressaste à nossa terra para defender as cores do Padroense FC, sentes que foi acertada essa decisão? 

H - Bem...depois de 6 épocas no FC Pedras Rubras, clube que me marcou muito onde tive duas subidas de divisão, uma delas aos CNS, num momento em que estava a ser pouco utilizado, surgiu o convite do Padroense por parte do Presidente, sr. Germano Pinho, e em boa hora aceitei esse desafio. Sabia que o clube estava numa situação delicada, e o que me pediram foi para vir ajudar com alguma experiência, e graças a Deus chegamos ao final da época com a tão desejada manutenção na divisão de elite, e isso foi o mais importante, para além de ter recuperado a alegria de jogar regularmente. Nunca é demais agradecer a algumas pessoas que muito me ajudaram aquando da chegada ao Padroense, nomeadamente o sr. Germano Pinho, o sr. Jorge Peixoto, o grd Joaquim (massagista) o meu grd amigo Paulinho Ferreira, e toda a direcção, equipa técnica e restantes elementos do plantel da época passada que me fizeram sentir em casa... 

M – Um ano volvido, quase 50 jogos na baliza do Padroense, Humberto é relegado para o banco, diz-me no teu entender a que se deve esse facto? 

H - Sim é verdade que desde que cheguei a meio da época passada fiz quase todos os jogos e inclusive esta época fiz toda a 1ª volta como titular, e penso que a cumprir e a ajudar a equipa, Mas isto é futebol, e o treinador achou por bem trocar, e eu só tenho de aceitar e continuar a trabalhar diariamente com o objetivo de voltar a ser opção...e aqui garanto que não trabalho mais do que aquilo que trabalhava qdo era "titular" pois quem me conhece sabe que cada treino para mim é como um jogo, quer jogue quer não jogue, vou treinar, não "vou ao treino".... 

M– João Matos, é um “puto” da formação padroensista, sei que tem aprendido muito contigo e sei também que tens um otimo relacionamento com ele, revela-nos a tua opinião sobre este jovem valor entre os postes que está agora a começar ao nível sénior? 

H - O Matos é um miúdo fantástico...muito humilde, natural da Guarda, que está aqui no grd Porto à procura de um sonho que é ser GR! O Matos como GR tem um potencial muito grd e sempre que posso tento ajudá-lo em algumas coisas... Ele ainda tem 19 anos, é 1º ano de sênior, mas na minha opinião se mantiver a humildade, com a qualidade que tem, e melhorando um ou outro aspecto (próprio da idade), prevejo um futuro risonho. Obviamente que tb é preciso "sorte" para conseguir ser alguém no futebol. Desejo-lhe tudo de bom na carreira dele sem dúvida. 

M – Aos 34 anos, presumo que ainda te vamos “aturar” por mais algum tempo, sentes que ainda tens algo de importante para acrescentar à tua excelente carreira, para dar ao futebol? 

 H - Sim são 34 a caminho dos 35, mas enquanto sentir que tenho condições físicas para jogar, e desde que algum clube esteja interessado nos meus serviços, conto ainda jogar pelo menos mais 3 ou 4 épocas . Quanto ao acrescentar algo à carreira, uma vez que nunca fui profissional como sempre sonhei, tracei outro objetivo que era o de jogar na taça de Portugal, e esse já o consegui, por isso agora o que quero acrescentar à minha carreira são vitórias, e muitas alegrias, e acima de tudo disfrutar de cada treino e de cada jogo como se fosse o último.

M – Onde gostavas de acabar a tua carreira no futebol, sei que tens ainda um sonho, queres partilha-lo connosco? 

H - Sim esse sonho existe mas é "impossível"...para mim era mesmo um sonho acabar a carreira no meu Leixões, ou pelo menos voltar a vestir aquela camisola num jogo oficial, mas isso será quase impossível mesmo... 

M – Para terminar queres deixar uma mensagem a alguém em especial, aos adeptos que de alguma forma tem acompanhado o teu percurso? 

H - Para terminar...agradecer ao sr. Mário por este "bocadinho" e desejar-lhe todas as felicidades do mundo...deixar uma palavra de grd apreço para aqueles que são sem duvida o meu grd suporte em tudo nesta vida, a minha mulher e os meus filhos que Domingo após Domingo, seja fora ou em casa estão sempre comigo e nunca me deixam ir abaixo nos momentos mais difíceis...uma palavra tb para todos os adeptos do Padroense assim como para toda a direcção, de que tudo farei para defender da melhor forma possível o clube enquanto o representar é sempre com o máximo de profissionalismo... Por fim, uma palavra para todos os que de uma ou outra forma seguem o meu percurso desportivo, agradecer a uns pelo apoio, outros por não gostarem tanto, mas uma coisa é certa, eu não sou mais que ninguém, mas tenho muito orgulho da minha carreira, pois posso dizer que fiz muitos e bons "amigos" neste mundo, e acima de tudo, sou respeitado e respeito todos os intervenientes no jogo, desde árbitros, a adversários... Um forte abraço para si e para todos os que irão ver esta pequena entrevista. Obrigado. 

M - Obrigado Humberto por me concederes esta entrevista, desejo para tua vida civil as maiores felicidades para o que ainda falta no futebol, os maiores sucessos.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

SEABRA FOI O HERÓI QUE SURPREENDEU O BALIO

 
1ª DIVISÃO SERIE 1 A F PORTO, JORNADA 21 
 Complexo Desportivo de Leça do Balio, em Matosinhos. 
 Arbitro: Nelson Pascoal. 
 Vermelho: Duarte (23). 
LEÇA DO BALIO 0 SPORTING S VÍTOR 1 
Ao intervalo: 0-0. Marcadores: Filipe(68). 

LEÇA DO BALIO: Miguel Mota; Carlitos (Braga, 58), Duarte, Cardigos e João Pinto; Guil, Quaresma (Grade, 71), Gonçalo (Félix, 71) e Pedro Gomes; Rafa e Hugo. Treinador: Mário Heitor. 

SP S VÍTOR: Seabra; Rola, Futi, Avelino e Cristiano (Tiago Monteiro, 71); Coelho, Nando (João Nogueira, 62) e Berto; João Fonseca, Caracol e Serginho (Filipe, 62). Treinador: João Coelho. 

 

Surpresa no Complexo do Desportivo Leça do Balio com o líder a perder em casa com o S. Vítor que luta desesperadamente por pontos para fugir aos últimos lugares. A equipa visitante apresentou-se em Leça do Balio, utilizando um sistema ultradefensivo, de futebol de retranca, que se traduz em meter o autocarro à frente da baliza. A estratégia visitante resultou, porque os comandados de Mário Heitor sentiram dificuldades para penetrar no último reduto adversário. Para complicar mais a tarefa aos Balienses aos 23 minutos Duarte foi mal expulso por acumulação de amarelos. Mesmo a jogar com dez elementos o líder do campeonato teve sempre mais bola mas sem criar perigo verdadeiro junto da baliza visitante.

   

No segundo tempo a história do jogo manteve-se entrando o Leça do Balio, mesmo em inferioridade numérica, determinado em chegar à vantagem no marcador, mas aos 68 minutos o golo do entrado Filipe do S. Vítor foi uma machadada nas aspirações Balienses. Os da casa arriscaram tudo no ataque, mas foram esbarrando na organizada muralha defensiva dos portuenses. Aos 94 minutos, já nos descontos Braga que esteve em bom plano, é derrubado claramente na área e na marcação da grande penalidade Rafa permitiu a defesa do guarda redes visitante que se tornou no herói da partida. Resultado injusto para os comandados do técnico Mário Heitor, que apesar da derrota continua no primeiro posto da classificação com mais 5 pontos que o segundo classificado estando a fazer uma época notável. Na próxima jornada os Balienses deslocam-se a Custoias num jogo que se prevê bastante emotivo pela rivalidade existente entre as duas freguesias vizinhas.

EM LAVRA HÁ UM CANDIDATO!

Dani fez o único golo da partida 

AF Porto Divisão Honra-Jornada 21 
Complexo Desportivo de Lavra 
Árbitro Armando Mendes
Cartão Vermelho a Zé Ferreira (90) 
UD LAVRENSE 1 SC CANIDELO 0 
Ao intervalo, 1-0 golo Dani (35) 

UD LAVRENSE: Bruno Monteiro, Fradinho, João Campos, Palheira, Nuno Costa, Gonçalo (João Luís 68/Amílcar 87), André Grilo, Tiago Carvalho, Dani, Postiga (Kaká 62) e Abílio. Treinador Leandro Cunha. 

SC CANIDELO: Lima, Rui Sousa, Hélder, Amaral (Fábio 85), Ivo (Joel 46), Medeiros, Gustavo (Cardoso 78), Nuno Sousa (Rui Gomes 46) Zé Ferreira, Luís e Azevedo. Treinador Ricardo Jorge. 

Melhor na primeira parte a equipa Lavrense dominou em todos os capítulos do jogo, desperdiçando soberanas oportunidades de marcar, Fradinho e Dani estiveram em destaque neste particular. Mas ao 35 minutos Dani redimiu-se e conseguiu bater o guarda redes Lima com o pleno de oportunidade. 

Na etapa complementar os gaienses equilibraram a partida, com tudo não criaram grande sobressaltos ao último reduto Lavrense, excelentemente comandado pelo seu guarda redes Bruno monteiro. 

Com esta vitória a equipa matosinhense posiciona-se no 3º posto, a apenas três pontos do 2º Gondim-Maia, último lugar de acesso à Divisão d´Elite. A verdade é que a equipa orientada por Leandro Cunha, tem vindo a fazer um campeonato de trás para frente e paulatinamente tem vindo a aproximar-se dos lugares cimeiros, passando a ser muito justamente um sério candidato.

PADROENSE COM DEZ CEDE NOS DESCONTOS

AF Porto Divisão de Elite - Jornada 25 
Estádio do Azevido – Rebordosa Paredes Árbitro: João Gonçalves 
REBORDOSA 2 PADROENSE 0 
Ao intervalo, 0-0, Marcadores Ricardo Teixeira (90, e 90+7) 

REBORDOSA: Vasco Viana, Rui Alves, Ramalho, Dani (Raul Leão 46 ) Paulo Monteiro, Bruno Amaro(Oliveira 46) João Dias (Raji 80) Hélder, Bruno Almeida, Silvério e Ricardo Teixeira. Treinador Calica. 

PADROENSE: Matos, Pedro, Pereira, Miranda, Rui Carvalho (Jonas 86), Káká (Chico 79) Renato (Simão 46), André, Paulinho e Taipa. Treinador Augusto Mata. 

Num jogo bastante equilibrado, com oportunidades repartidas por ambos os conjuntos, foi preciso esperar 90 minutos para se encontrar o vencedor do encontro. 
Uma grande penalidade que deixou bastantes duvidas, em cima do minuto 90, valeu o primeiro golo do encontro e consequente expulsão do jovem guarda redes Matos. Tendo esgotadas as substituições, o técnico Augusto Mata teve de recorrer a um jogador de campo, e foi já com Pereira defesa central do Padroense, na baliza que a equipa de Matosinhos sofreu o 1º e 2º golo, marcado aos 90+7 outra vez por Ricardo Teixeira (Camião) que outrora vestiu as cores do Leça FC.

domingo, 21 de fevereiro de 2016

LEIXÕES PERDE PELA MARGEM MINÍMA

 
31ª Jornada Ledman LigaPro. 
Estádio Municipal de Mafra 
Árbitro João Mendes (Santarém) 
Ao intervalo, 0-0 Marcador, Jules Diouf, (63') 

CD MAFRA: Filipe Leão, Joel Ferreira, Ivan Fidalgo, Kaká (Laurindo 72), Luís Carlos (Abou 60), Kiki Ballack , André Teixeira, Jorginho (Sandro 82), Leo Tomé, João Afonso, Jules Diouf. Treinador Jorge Paixão

 LEIXÕES: Ricardo Moura, Gonçalo Graça (Slim 66), Pedro Pinto, Diogo Nunes, João Pedro, Bruno China, Abalo (Cássio 80), Cadinha, Pedras (Rateira 56), Alemão e Ricardo Barros. Treinador Pedro Miguel
   

Um golo solitário, apontado pouco depois da hora de jogo, significou hoje uma derrota tangencial do Leixões em Mafra, na 31.ª jornada da Ledman LigaPro. A formação treinada por Pedro Miguel entrou muito bem no encontro e dominou a parte inicial do jogo, mas a falta de eficácia ofensiva (Pedras e Ricardo Barros desperdiçaram duas excelentes ocasiões de golo) impediu o Leixões de se adiantar no marcador. Do lado contrário, os mafrenses foram equilibrando a partida e acabaram por chegar ao golo que viria a ser decisivo, após um pontapé de canto, com o defesa-central francês Jules Diouf a introduzir a bola na baliza à guarda de Ricardo Moura. 

 

Com este desaire, o Leixões perdeu um lugar na classificação (do 16.º para o 17.º posto) e ficou agora com apenas um ponto de vantagem para os lugares perigosos da classificação. Tudo continua em aberto na luta pela permanência, como se vê pelo facto de haver somente seis pontos de diferença entre o 12.º e o 22.º lugar, e a próxima batalha do Leixões está marcada para o próximo sábado, no Estádio do Mar, frente ao Desportivo das Aves.

leixoessc.pt 
fotos facebook cdmafra

sábado, 20 de fevereiro de 2016

SENHORA DA HORA VENCE E SONHA AINDA...

 
Estádio do Sport Clube Senhora da Hora 
Árbitro João Afonso 
SC S HORA 3 GERVIDE 0
 Golos: Branco (21) Cesário (59) e Estrela (90+1) 

SCS HORA: Correia, Pinhal, Rocha, Portilho, Patrick; Paulinho (Joãozinho 77), Isaías, Branco (Pedro 63); Cesário (Estrela 77), Pedro Carvalho (Lucas 63) e Edmilson (Artur 63). Treinador João Rosas. 

GERVIDE: Rui, Caracol, Mendes, Tiago e Fábio; Rui Martins (Zuco 60), Carvalho, Mário, Ricardo; Guilherme e Campos (Vilaça 69). Treinador João Mendonça.

   

Jogo em que o resultado final não espelha bem as dificuldades que a equipa senhorense encontrou para levar de vencida esta aguerrida equipa, facto que valoriza a vitória justa senhorense, embora por números exagerados. 

Começou por cima, tal como se imponha, a equipa comandada por João Rosas, que viu o seu central Rocha, aos 11 minutos atirar ao poste esquerdo da baliza à guarda de Rui. Dez minutos, na sequencia de tanto profiar no ataque, a equipa senhorenses chega ao golo por intermédio de Branco, que na cara de Rui não perdoou. A partir do golo, a equipa senhorenses, baixou o ritmo de jogo e tirando partido desse abrandamento, os visitantes criaram bastante perigo e por duas vezes estiveram à beira do golo do empate. 

No segundo tempo e aos 59 minutos, a equipa senhorenses quase sentencia o jogo com um golo de cabeça do ponta de lança Cesário na sequência de um pontapé de canto. Dai até ao fim os senhorenses geriram o resultado e quase em cima do apito final, marcam o terceiro por Estrela que entretanto tinha entrado nojo, o médio isolado, só à segunda foi capaz de bater o desamparado guarda-redes Rui. Resultado final de 3-0 teve um vencedor justo, mas a jovem equipa do Gervide podia muito bem ter concretizado uma das suas investidas no ataque

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

EXIBIÇÃO QUE AQUECEU CORAÇÕES LEIXONENSES

 
30ª Jornada da Segunda Liga 
Estádio do Mar, em Matosinhos. 
Árbitro: Manuel Oliveira (Porto). 
 Ação disciplinar: Cartão amarelo para Betinho (45+2). 
LEIXÕES 3 SPORTING B 1 
Ao intervalo: 2-1.Marcadores: Slim, (13) Pedras, (20 e 66) Betinho, (41) 

 LEIXÕES: Ricardo Moura, Rateira, Pedro Pinto, Diogo Nunes, João Pedro, Bruno China, Malafaia (Caio, 78), Cadinha (Cássio, 63), Slim (Abalo, 55), Pedras e Alemão. Treinador: Pedro Miguel. 

SPORTING B: Pedro Silva, Jorge Silva, Domingos Duarte, Tomás Rukas, Mica, Bubacar Djaló, Ryan Gauld, Podence (Cristian Ponde, 57), Francisco Geraldes (Mama Baldé, 46), Chaby (Kikas, 67) e Betinho. Treinador: João de Deus. 

 O Leixões entrou melhor na partida, a dominar em diversos aspetos a equipa leonina e as oportunidades que a formação de Matosinhos criou nos primeiros minutos do encontro acabaram por se traduzir em golo aos 13 minutos. O estreante Slim, num cruzamento direto, surpreendeu o guardião leonino, que não teve qualquer hipótese de defesa. 
 Em vantagem, o Leixões aumentou a pressão e, aos 20 minutos, Pedras aumentou a contagem. Após um corte de João Pedro, a bola acabou por sobrar para Alemão, que isolou Pedras, tendo o avançado leixonense feito um chapéu a Pedro Silva, carimbando o segundo golo para a equipa da casa. 
 Depois disso, o grupo comandado por Pedro Miguel recuou no terreno, permitindo ao Sporting B criar mais situações de perigo junto à baliza de Ricardo Moura. Aos 33 minutos, Francisco Geraldes fez a primeira ameaça, mas atirou a bola ao lado, com o golo a acabar por surgir ainda antes do intervalo por intermédio de Betinho. Após um cruzamento para a área leixonense, Diogo Nunes fez um mau corte com a cabeça não conseguindo afastar o perigo, tendo a bola sobrado para Betinho, que apenas teve de encostar para o golo. 
No segundo tempo, e com a chuva a tornar o terreno cada vez mais pesado e difícil, o Leixões voltou a crescer e cedo matou o jogo. Aos 66 minutos, depois de um livre de Malafaia, Pedras rematou para o terceiro. Depois disso, o Sporting B não teve grandes oportunidades para reduzir, à exceção de uma bola ao poste, atirada por Baldé, aos 75 minutos. 

 Com este resultado, o Leixões deixou a zona de despromoção, sendo provisoriamente 16.º, com 36 pontos, enquanto o Sporting B é 13.º, com 39. 

Conferência de imprensa 

Pedro Miguel "Tivemos uma entrada muito forte no jogo e conseguimos ficar com dois golos de vantagem. Tivemos uma boa eficácia nos primeiros vinte minutos, mas depois o Sporting criou-nos algumas dificuldades. Sofremos um golo caricato, porque ficamos à espera que o Sporting colocasse a bola fora para o nosso jogador ser assistido. Na segunda parte, conseguimos adaptar-nos melhor às condições do terreno e soubemos gerir o jogo. O Sporting teve oportunidades, mas nós também e conseguimos fazer mais um golo, acabando por conseguir uma vitória justa. Com o terreno assim tínhamos de ser práticos e jogar simples, que foi o que pedi ao intervalo. Temos recuperado algumas posições, mas o atraso era grande, e, apesar de termos melhoramos, ainda há muito campeonato pela frente. Vai ser uma grande luta até ao final e espero que consigamos o nosso grande objetivo. Quero agradecer aos nossos sócios, por nos terem apoiado mais uma vez, e dar os parabéns aos jogadores pelo empenho. A finalizar, gostava de dedicar esta vitória a um grande amigo meu, o Pina, que por esta hora estará a ser enterrado. De três amigos próximos desde sempre, já só resto eu. O outro era o Rui Filipe (ex-jogador do FC Porto), que, tal como o Pina, também teve uma morte estúpida." 

 João de Deus "Perdi 3-1 e tive sete oportunidades claras de golo. Parabéns ao Leixões pela eficácia. O jogo foi isto: eficácia de um lado, ineficácia de outro. É muito complicado jogar nesta condições, mas o futebol é um desporto de inverno e, quando chove desta maneira, nada há a fazer."

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

FUTEBOL FEMININO SOB FORTE VENTO, CHUVA E SARAIVA

 
Futebol Feminino 

Campeonato Feminino fut/9 serie A da Associação de Futebol do Porto. Vilaverdense FC e Casa Povo Martim teimam em não largar o comando da a sua serie com 31 pontos e a expectativa aumenta de quem será o campeão da seria A, já na serie B, Dragon Force, e Boavista FC repartem o comando da sua serie com 30 pontos. Custóias FC viajou até o Minho para defrontar o Vilaverdense FC, um jogo muito difícil, tanto pela ordem classificativa, como também pela motivação das meninas de Vila Verde cujo objectivo era ganhar para manter-se no comando da prova. Vitória do Vilaverdense FC por 4 bolas a 0. SC Srª da Hora recebeu no seu terreno, o Ramaldense/BFC, envergando nova derrota por 2 x 4 foi notório em termos futebolísticos um melhoramento por parte das meninas do SRª da Hora. 

Campeonato de Promoção Os Sandinenses ao folgarem deram o comando da serie ao Casa Povo Martim na serie A do Campeonato de Promoção, Boavista e Freamunde continuam á espera de qualquer deslize dos lideres para se juntar á corrida do titulo. SC Srª da definitivamente não consegue encontrar o caminho da vitória, a sua deslocação ao Bessa não foi nada feliz, sendo goleado por 9 bolas a 0. Leixões SC e Custóias FC foram protagonistas de mais um dérbi de Matosinhos, um Domingo para esquecer não em termos futebolísticos mas sim em termos climatéricos, muita chuva, com forte rajadas de vento e boa saraivada, fizeram com que o jogo passe a 2º plano, o que justificou a pouca assistência no jogo. Vitória do Leixões SC por 2 bolas a 0. 
 Na serie B, o titulo de campeão de serie esta longe de ser definido com Vila FC, Murtoense, D. Sandinenses e Ovarense a lutar pelo pódio. 

 Manuel Sà

HATTRICK DE HUGO NUM DL BALIO DESLUMBRANTE

1ª Div. A F Do Porto, jornada 20 . 
Complexo Desportivo de São Félix da Marinha, em Vila Nova de Gaia. 
Arbitro: Carlos Silva. 
SÃO FÉLIX 1 D L BALIO 4 
Ao intervalo: 1-2. Marcadores: Hugo (8, 26 e 50), Serginho (21) e Carlos Diogo (85). 

SÃO FÉLIX DA MARINHA: Vítor Melo; Becas, André Couto (Serafim, 81), Quintão e Zé Nuno (Kuka, 50), Rafa, Sandro e Ricardo Reis; César Rocha, Miguel Reis (Alex, 81) e Serginho. Treinador: José Oliveira. 

LEÇA DO BALIO: Miguel Mota; Carlitos (Gabi, 76), Gonçalo, Cardigos e João Pinto; Guil (Rafa, 76), Quaresma , Carlos Diogo, Malta (Braga, 63), Pedro Gomes (Brás, 76) e Hugo. Treinador: Mário Heitor. 

O Desportivo Leça do Balio deslocou-se ao terreno do aflito São Félix da Marinha e sem surpresa conquistou os três pontos, reforçando a liderança da série 1, da 1ª divisão de associação de futebol do Porto. Numa tarde de temporal intenso, os guerreiros Balienses entraram determinados na partida e o triunfo da equipa de Mário Heitor começou logo a ser desenhado aos 8 minutos quando o avançado Hugo isola-se e com classe faz o primeiro da partida. Os gaienses responderam para tentar contrariar o favoritismo do líder, aproveitando o forte vento que se fez sentir a seu favor. Aos 21 minutos o jogador Gaiense Serginho num remate fabuloso de fora de área bateu Miguel Mota e empatou a partida. Após o empate, o Leça do Balio não perdeu o controlo da partida porque passados cinco minutos o matador Hugo fez o segundo, chegando ao intervalo em vantagem. 

 O segundo tempo começou praticamente com o terceiro golo Baliense e o terceiro da conta pessoal do avançado Hugo, fazendo o hat-trick, arrumando com a partida e tornando-se na figura da tarde. O São Félix tentou minimizar estragos mas na verdade nunca conseguiu no segundo tempo incomodar o guardião Miguel Mota. Ainda antes do fim da partida numa bela jogada colectiva o entrado Gabi assistiu o médio Carlos Diogo para o quarto golo da partida, fechando as contas da partida. Os Balienses continuam no topo da classificação com 50 pontos, aumenta a distância para o segundo classificado Leverense que não conseguiu vencer o Crestuma no seu reduto. 

Na próxima jornada o Desportivo Leça do Balio recebe no seu estádio a equipa do São Vítor. 

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

GRÃO A GRÃO…PERAFITA EMPATA FORA!


24ª jornada da Divisão d´Elite AF Porto 
Complexo Desportivo de Prenho em Baião 
Árbitro Tiago Barbosa 

BAIÃO: Ernesto, Perry (Mesquita 61) Seixas, Rui Batata, Miranda, João Pereia, Márcio, Flávio, Ricardinho (Carlos Pereia 61) Pedro Vieira e Pedro Oliveira (Rodrigo 75). Treinador Renato Coimbra. 

PERAFITA: Luís Mata (Guilherme 80), Moura, Tiago Silva (Queimado 57), André Rocha, Tiga, Marco, Couto (Coutinho 80), Morgado, Ricardo, Nandinho e João Paulo. Treinador Paulo Gentil 

 Em encontro antecipado da jornada 24 da Divisão d´Elite, Baião e Perafita, protagonizaram um jogo de fraca qualidade, muito por culpa do estado o terreno por causa da intempere que se fez sentir, levando mesmo a tempo de espera por 15 minutos para se reunir condições para prosseguir o jogo. 
O perafita começou o jogo numa boa toada, tentando chegar a vantagem na 1ª parte e beneficiando da ajuda do vento, dispôs de algumas situações para o fazer mas a trave e o redes adversário não deixaram. Os matosinhenses apresentaram-se com a habitual estrutura, bem organizados defensivamente, aproveitando em transições levar perigo ao último reduto baiense. 

No segundo tempo foi a vez da equipa da casa tomar o comando do jogo, aproveitando o vento a favor, chegando mesmo a criar um lance bastante perigoso para abrir o marcador, mas Luís Mata e o poste evitaram golo certo Perto do final do jogo, João Paulo quando se preparava para encostar para o fundo das redes, é derrubado, ficando a sensação clara que existiria falta passível de grande penalidade

Com este ponto alcançado a equipa de Matosinhos continua a ocupar o último posto na tabela, encurtando distancia para algumas equipas que se debatem em conjunto pela luta da permanencia

domingo, 14 de fevereiro de 2016

EM MODO BALANÇO, ASSIM VAI O FUTEBOL DE MATOSINHOS

 
Ponto de situação em relação à prestação e objectivos dos emblemas de Matosinhos ao nível sénior 

Na segunda Liga, o Leixões ao perder esta tarde em Guimarães, cai de novo para a zona de despromoção com 33 pontos, é certo que ainda falta muitos pontos para se disputar (51) tudo se mantem em aberto, apesar da total confusão na cauda da tabela, os leixonenses estão apenas a 6 pontos do 9º classificado S Braga B. 

Na divisão maior da AF Porto, Divisão D´Elite, tudo está mais claro em relação aos clubes matosinhenses, Padroense e Leça, separados apenas por um ponto, estão tranquilos em termos classificativos, posicionados no meio da tabela, têm em comum a disputa da melhor classificada entre os matosinhenses, para já Padroense leva vantagem. O FC Perafita, apesar de ter vindo a realizar uma excelente 2ª volta, não tem visto reconhecido o bom momento na tabela classificativa, ocupa a última posição, a 4 pontos do Baião, mas também é certo que ainda vai a tempo de inverter a situação, quando ainda faltam disputar 42 pontos. 

Na Divisão de Honra, A UD Lavrense está a fazer uma recuperação notável, posicionada na 4ª posição, está a apenas a 6 pontos do 2º lugar que dá direito à subida. O FC Infesta, parece ter acertado de uma vez por todas, e já está acima da linha d´água 4 pontos 

Na 1ª Divisão, o D Leça do Balio, vem dominando a seu belo prazer e já falta pouco para que os balienses encomendem as faixas de campeão e rumem à Divisão de Honra. Lusitanos e Custóias, a salvo de qualquer imprevisto, só precisam mesmo de gerir a tabela até ao fim da competição. 

Na 2ª Divisão, o SC Senhora da Hora, único representante de Matosinhos nesta divisão, hipotecou praticamente o objectivo inicial, ao empatar esta tarde a zero frente ao Ramaldense, ficando mais longe da subida que dista agora 9/8 pontos sendo que os senherenses tem menos um jogo.

LEIXÕES DE PONTARIA DESAFINADA CEDE NA CIDADE BERÇO


Apoio não faltou aos matosihenses. 

Segunda Liga 29ª jornada 
Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães. 
Árbitro: Hélder Malheiro (Santarém). 
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Ricardo Barros (51), Arrondel (68), Gonçalo Graça (71), Phete (73), Cadinha (90+6) e Palha (90+6). Cartão vermelho direto para Shihao Wei (90+5). 
Ao intervalo: 1-0. Marcador: Dénis Duarte, (21 gp) 

 V. Guimarães B: Palha, Arrondel, Lima Pereira, Dénis Duarte, Dabo, Phete, João Pedro (Helinho, 85), Castro (Fábio Vieira, 69), Vigário, Tyler Boyd e Areias (Xavier, 77). Treinador: Vítor Campelos. 

Leixões: Ricardo Moura, Gonçalo Graça, Diogo Nunes, Pedro Pinto, Max, Bruno China, Abalo (Shihao Wei, 83), Bruno Lamas (Pedras, 62), Rateira (Cadinha, 75), Alemão e Ricardo Barros. Treinador: Pedro Miguel. 

V. Guimarães B e Leixões, em situação delicada na tabela classificativa, protagonizaram um início de jogo lento e disputado a meio-campo, sendo que apenas Vigário, no lado direito do ataque vitoriano, imprimiu alguma velocidade ao jogo. A equipa anfitriã dispôs da primeira ocasião ao minuto 17 num cabeceamento de Areias ao lado, após cruzamento do extremo português, e pouco depois beneficiou de uma grande penalidade a punir mão na bola de Diogo Nunes. 

Chamado a converter o castigo máximo, Dénis Duarte atirou ao ângulo superior direito da baliza de Ricardo Moura, apontando o seu oitavo golo na 2.ª Liga, aos 21 minutos. Em desvantagem, a formação de Matosinhos subiu no terreno, encostando os vitorianos ao seu último terço do terreno, e dispôs de uma ocasião clara para empatar o encontro, quando Ricardo Barros, solto na grande área, cabeceou ligeiramente ao lado da baliza (28 minutos). 

Após a equipa de Vítor Campelos ter controlado a iniciativa leixonense no fim da primeira parte e no início da segunda, a turma de Pedro Miguel só esteve perto do empate nos 20 minutos finais, mas Ricardo Barros desperdiçou o golo num remate aos 74 minutos, e num cabeceamento por cima, aos 77. Shihao Wei, já nos descontos, aos 90+5 minutos, foi expulso por agressão a Vigário. 

 Foto de Catarina Carvalho

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

BRUNO MONTEIRO HERÓI POR UM DIA


Aos 21 anos, Bruno Monteiro já se pode gabar de ter sentido esse prazer. No sábado, o guardião do Lavrense inspirou-se na época carnavalesca e vestiu a pele de herói, ao abrir caminho à vitória frente ao Alfenense, por 4-1, na 19.ª jornada da Divisão de Honra. 

Com dez minutos de jogo, Bruno Monteiro surpreendeu tudo e todos, inclusive ele próprio. "Na marcação de um livre, tentei colocar a bola no ponta de lança, mas ela saiu longa e, com a ajuda do vento forte, marquei golo. Nunca me passou pela cabeça que tal aconteceria", reconhece, sorridente, Bruno Monteiro, que ficou incrédulo e sem saber como festejar. "Não estou habituado a marcar golos e fiquei sem reação. Na época passada, contra o Pedrouços, também estive num lance de golo, mas ficou a dúvida se fui eu que o marquei. Desta vez, não houve dúvidas", explica o novo herói de Lavra.

 "Só mais tarde me apercebi da dimensão do feito. O vídeo começou a ser partilhado nas redes sociais e não parei de receber felicitações. Tem sido bonito", reconhece Bruno Monteiro, que dedicou o golo à família. "Dediquei-o à minha mãe e ao meu irmão. Infelizmente, o meu pai já faleceu, mas sei que ficaria orgulhoso", explica o guarda-redes, que não perde a esperança de ser profissional de futebol. "É um sonho que espero concretizar". Por enquanto, trabalha num centro de lavagem de automóveis. "É complicado conciliar o futebol com o trabalho. Levanto-me para ir trabalhar às 6.45 horas e só chego a casa do treino depois das 22 horas. Há dias em que só me apetece ir para a cama descansar, mas a paixão pela bola supera o cansaço", justifica Bruno Monteiro. 

 Natural de Matosinhos, Bruno Monteiro iniciou a formação no Leixões e foi no Estádio do Mar que encontrou a referência no futebol: Beto. O internacional português, do Sevilha, é fonte de inspiração para o guarda-redes do Lavrense, que não desperdiçava nenhuma oportunidade para estar junto do ídolo. "Cheguei a ser apanha-bolas do Leixões para falar com ele. Deu-me alguns conselhos, força e motivação para trabalhar nos limites e nunca desistir. É o que faço", garante Bruno Monteiro, que, tal como Beto, tenta "compensar a baixa estatura com maior rapidez e agilidade". Enquanto persegue o sonho de ser profissional, ajuda os jovens do Lavrense. "Treino os guarda-redes de todos os escalões do clube. É um orgulho poder ajudá-los. Na minha altura não havia metade dos recursos", lamenta Bruno Monteiro. 

By Jornal de Noticias

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

À CONVERSA COM MARTA COSTA JOGADORA DE FUTEBOL

Futebol de formação é uma máquina enorme com a capacidade de alimentar SONHOS e a abundância de matéria-prima é tanta que se dá ao luxo de não olha a meios para alcançar o seu fim. Geralmente só os melhores são recompensados após a transição, formação – sénior. Mas também há os casos que por mero azar da vida ficam de fora da corrida ou se tiver sorte, o processo é só retardado, que o diga Marta Costa, jovem atleta do SC Srª da Hora, que se lesionou na pré época, mas que teve e têm o discernimento de nunca abandonar o seu sonho. 

Manuel Sá – Como atleta do Srª da Hora, o que te levou a trocar as bonecas pela bola e chuteiras? 

Marta Costa - O gosto pelo futebol em si já vem desde pequenina, sempre preferi a bola nos pés em vez de bonecas. Sempre gostei de jogar futebol com o meu irmão e com os amigos tanto na escola como na rua. A paixão pela bola foi cada vez evoluindo mais a partir do momento em que tive a oportunidade de me integrar pela primeira vez numa equipa de futebol, sendo ela apenas feminina. 

 MS – Lesionada desde o início da época, a espera de intervenção cirúrgica, sentes que o teu sonho como futebolista abalou ou a esperança mantens forte e firme? 

MC - Infelizmente lesionei me demasiado cedo, o que me impediu de poder dar o meu contributo à equipa dentro de campo, mas mesmo assim não me impediu, nem impede de continuar a dar o meu contributo mesmo fora das 4 linhas nos treinos e nos jogos. Não é fácil confesso, estar tanto tempo parada ter aquela vontade de vestir o equipamento calçar as chuteiras e entrar para o campo, de sentir aquele nervoso miudinho antes de entrar em campo, de disputar cada jogo como se fosse o último, no fundo sentir falta daquilo que realmente sempre me fez feliz! O meu sonho como futebolista mantém se forte e firme, mesmo com as minhas limitações tento continuar a trabalhar sempre para a minha evolução e crescimento como atleta! 

MS – Como defines o atual momento do futebol feminino em geral? 

MC - O futebol feminino está em fase de crescimento, já se vê algumas melhorias significativas para o seu desenvolvimento, mas ainda há um grande caminho pela frente. O "investimento" feito pelo SJFP (Sindicato de Jogadores de Futebol Profissional) ao criar a APJA (Associação Portuguesa de Jogadores Amadores) deu um grande passo no sentido de ajudar e dar apoio no percurso futebolístico das atletas. A meu ver a parceria feita com a Allianz e o acordo feito com a TVI para a transmissão de jogos do futebol feminino demonstra mais uma vez que, o trabalho feito por todos nos tem contribuído de todas as formas para o seu crescimento a todos os níveis. Assim como lutar pelos mesmos direitos que o futebol masculino. 

MS - Como atleta, quais são os teus objectivos? 

MC - Como atleta o meu principal objectivo é continuar a trabalhar, cada vez mais para poder aprender e evoluir a cada dia que passa, não para me tornar melhor que os outros, mas sim que eu mesma. Poder passar alem das minhas próprias metas e objectivos. Tal como qualquer outra atleta que queira e se dedique ao futebol ambicionou um dia poder representar o nosso país a nível internacional. 

Entrevista de Manuel Sá 
Editada por Mário Mitch

PERAFITA E PADROENSE DIVIDEM OS PONTOS

 
23ª Jornada da Divisão D´Elite AF Porto 
Estádio do Futebol Clube de Perafita 
Árbitro, Fábio Melo 
FC PERAFITA 1 PADROENSE 1 
Ao intervalo, 1-1 golos André (15) João Paulo (45 +1) 

PERAFITA: Mata, moura, André Rocha e Tiga, Morgado, Marco (Areias 64), Couto, Ricardo, João Paulo e Nandinho (Queimado 76). Treinador Paulo Gentil 

PADROENSE: Matos, Renato (China 64), Pedro, Pereira, Taipa, Paulinho, Miranda, Toninho , André (Jonas 64), Kaká (Rui Carvalho 88) e Hélder (Chico 88) Treinador Augusto Mata 

 Jogo muito equilibrado em que o resultado final espelha o que se jogou em Perafita. 
Padroense entra melhor na partida, fruto da mais tranquilidade vivida em termos de classificação. Mata guarda-redes perafitense tem um intervenção que faz adiar o marcador, pois só com André pela frente foi capaz de evitar o pior para a sua baliza, mas aos 15 minutos os forasteiros abrem o marcador por André finalizando uma jogada de transição. 
À passagem dos 20 minutos jogados já o Perafita equilibra a contenda, aparecendo mais vezes no ataque, mas só de bola parada fazia com que o perigo ronda-se a baliza de Matos. Fábio Melo teve necessidade de intervenção do fisioterapeuta da casa por ter sofrido um entorse e o jogo esteve parado durante 4 minutos. 
Aos 42 minutos, Tiga ganha alinha de fundo pelo lado esquerdo, cruza ao primeiro poste e João Paulo fica a centímetros do golo. Estava dado o mote para que viria a seguir, o empate perafitense com um golo de livre direto, soberbamente marcado pelo capitão João Paulo. 

 O segundo tempo, ao cariz do jogo não se alterou, com predominância, ora por parte do Padroense, ora por parte do Perafita, o perigo escasseava em ambas as balizas. 
O Perafita com Ricardo muito mexido lá na frente ia dando água pela barba aos defensores visitantes, ganhando faltas sucessivas, algumas delas bem perigosas que os perafitenses aproveitavam para manter os padroensistas em alerta constante. O Padroense respondia com kaká, sozinho na frente, não chegava para os defensores dos azuis e brancos. 
Minuto 77, Areias é amarelado por, no entender do árbitro, simular um falta, que nos pareceu existente e passível de grande penalidade. O jogo encaminhava-se para o final sem grandes lances dignos de registo. E já em período de compensação dados por Fábio Melo, Areias é expulso por acumulação, mas Fábio Melo esteve francamente mal em expulsar o avançado, logo a seguir dá por terminado o encontro com uma igualdade registada que nos parece justa.

SEGUNDA PARTE MERECIA OUTRO RESULTADO

 
28ª JORNADA SEGUNDA LIGA
Estádio do Mar, em Matosinhos. 

Árbitro: Fábio Veríssimo (Leiria). 
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Stéphane (12), Barry (28), Edu (45 +1), Pedras (47), Gonçalo Graça (68), Luís Silva (70), Sandro Lima (75) e João Pedro (87). 

LEIXÕES 1 D. CHAVES 2 
Ao intervalo: 0-2.Marcadores: Diogo Cunha, (11) Barry,( 37) Abalo,( 48)

 LEIXÕES: Ricardo Moura, Gonçalo Graça, Diogo Nunes, Pedro Pinto, João Pedro, Bruno China, Abalo (Cadinha, 73), Bruno Lamas (Cássio, 82), Pedras (Shihao Wei,67), Alemão e Ricardo Barros. Treinador: Pedro Miguel. 

CHAVES: Paulo Ribeiro, Edu, Miguel Oliveira, Miguel Ângelo, Stephane, Assis, Luís Silva, Diogo Cunha (Patrão, 81), Braga, Perdigão (João Mário, 66) e Barry (Sandro Lima, 66). Treinador: Vítor Oliveira.

 

Os transmontanos adiantaram-se no marcador com dois golos na primeira parte de Diogo Cunha e Barry, respondendo após o intervalo os locais por intermédio de Abalo. 
 Os flavienses começaram o jogo com a intenção de dominar e colocaram-se a vencer aos 11 minutos, quando Diogo Cunha, na área, encheu o pé na recarga a uma defesa de Ricardo Moura a desvio e Perdigão. 
Sem conseguir incomodar a área flaviense, o Leixões via-se obrigado a jogar longe da baliza contrária e só de fora da área foi tentando o remate. Barry, aos 37 minutos, fez o segundo dos transmontanos, num remate que desviou no corpo de Bruno China mas que, apesar de fraco, entrou junto ao poste esquerdo da baliza anfitriã. 

 Os locais recomeçaram em grande, com Alemão (46) a obrigar Paulo Ribeiro a defesa difícil, antes de Abalo (48) acorrer a um cruzamento da direita de Ricardo Barros e, de cabeça, reduzir. 
Quatro minutos volvidos, o empate quase aconteceu, numa cabeçada de Pedras, mas a bola saiu junto ao poste esquerdo. 
 Ilusão de golo (ou não pois em nosso entender a gorducha entrou mesmo) ao minuto 85, numa cabeçada de Bruno China que o guarda-redes desviou para o poste, num lance que os locais alegaram que a bola teria entrado e que Paulo Ribeiro teve de receber assistência por causa da confusão então gerada na pequena área flaviense. 

 

 Conferência de Imprensa 

Pedro Miguel "Estamos tristes pelo que não fizemos na primeira parte. Foi muito mau, porque praticamente não jogámos, andámos apenas dentro do relvado. Ao intervalo tentámos retificar e fomos claramente melhores. Fizemos um golo, podíamos ter empatado pelo Pedras logo a seguir e estivemos perto do empate em diversas situações. Arriscámos tudo na parte final, mas não conseguimos o que pretendíamos. Foi um jogo com duas partes distintas. O Chaves aproveitou dois erros nossos para se adiantar, mas temos que nos agarrar àquilo que de bom fizemos na segunda parte. Estamos numa posição difícil mas acreditamos que vamos sair desta posição. Sobre o lande de dúvida, pareceu-me golo, mas não posso dizer que tenha sido, porque, do sítio onde estou, não dá para ver se a bola entrou ou não. Quero dar os parabéns ao Chaves pela vitória, mas também quero dar os parabéns aos meus jogadores pelo que fizeram na segunda parte e, obviamente, dar os parabéns aos nossos adeptos, que têm estado sempre ao nosso lado e sabem que vai ser uma grande luta até ao final. Mas, todos juntos, vamos conseguir ser felizes." 

 Vítor Oliveira "Como se costuma dizer, foi um jogo com duas partes distintas. Na primeira parte fomos melhores e conseguimos dois golos, mas, na segunda, o Leixões foi melhor, e só com muita dificuldade conseguimos o objetivo de ganhar. O Leixões é uma equipa que está a jogar muito bem, tem muita alma. Não é por acaso que têm cinco vitórias nos últimos sete jogos. As vitórias são sempre justas, porque ganha quem faz mais golos, mas, de qualquer das formas, o empate não escandalizava. Daí ter que valorizar a nossa vitória contra um grande Leixões."

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

HÉLDER SOUSA (ex Trofense) AOS 38 ANOS VAI JOGAR NO FC PEDRAS RUBRAS

Aos 38 anos o matosinhense Hélder Sousa, deixa o Trofense e vai jogar no FC Pedras Rubras (Campeonato de Portugal Prio). 

Com uma carreira invejável, o médio de excelente qualidade técnica, foi formado no SC Senhora da Hora, chegou ao  S C Braga, pelo meio representou o Vizela, mas foi lá fora que atingiu o seu mais alto nível, jogando no Apoel Nicosia (Chipre) quando atingiu a Champions League, jogou frente ao FC Porto de amarelo cipriota vestido e foi protagonista em Santiago de Bernabeu casa do Real Madrid, defrontando Ronaldo e seu pares galácticos. 

Um exemplo de longevidade, humilde com ninguém retracta fielmente o modelo a seguir por qualquer jovem que pretenda seguir a carreira de futebolista.

BOBÓ MEDIO DEFENSIVO EX CANELAS 2010 ESTÁ LIVRE!

Bruno Alexandre Cunha Faria Barbosa 34 anos, conhecido no mundo do futebol por Bobó, o médio termina o vínculo com o Canelas 2010. “coloquei um ponto final à minha bonita história no C.F Canelas 2010” 

Jogador versátil, faz qualquer posição do meio do terreno, apesar de nas últimas 4 épocas ter alinhado na posição 6 (médio defensivo). Tendo vestido a camisola do Inter de Milheirós, já passou também pelo Futebol de Matosinhos jogando no FC Perafita orientado por Manuel Matias. 

Bobó está disponível para dar continuidade à sua já longínqua carreira de futebolista, esperando algum contacto por parte das equipas interessadas no seu contributo.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

FUTEBOL FEMININO DE MATOSINHOS


Futebol Feminino 

Campeonato Feminino fut/9 serie A da Associação de Futebol do Porto. Vilaverdense FC e Casa Povo Martim continuam a comandar a sua serie com 25 pontos e a manter a expectativa de quem será o campeão da seria A, já na serie B, Dragon Force, apesar de ter perdido este fim de semana com o Boavista FC continua isolado em 1º lugar. Custóias FC deslocou-se até Barcelos, mais concretamente, até Martim para defrontar o líder da serie, Casa Povo Martim. Derrota por 6 bolas a 1 mostra o porquê das respectivas classificações. 

Nova equipa técnica do Srª da Hora aproveitou a folga para trabalhar e incutir nova mentalidade nas jovens atletas do SC Srª da Hora 

Campeonato de Promoção 
Casa Povo Martim e Os Sandinenses comandam a serie A do Campeonato de Promoção, com Boavista e Freamunde á espera de qualquer escorregadela dos lideres para se juntar á corrida do titulo. SC Srª da Hora deu-se mal com os ares Poveiros e foi derrotado pelo Amorim por 3 bolas a 1, igual sorte teve o Custóias FC que saiu de Paredes com uma derrota por 4 x 2. Leixões SC teve direito a folga. 

Manuel Sà

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

LEÇA BALIO DÁ MAIS UM PASSO RUMO À HONRA


1ª Divisão AF Porto, jornada 18 . 
Estádio Municipal de Nogueira, na Maia. 
Arbitro:Tiago Loureiro. 
Vermelho: Tiago Silva (44). 
NOGUEIRENSE 1 DL BALIO 3 
Ao intervalo: 0-1. Marcadores: Pedro Gomes (12), Rafa (63), Fabinho (74) e Carlos Diogo (76). 

NOGUEIRENSE: Vasconcelos; Pedrão, Tiago Silva, Suiço e Zé Tó; Vitor (João Paulo, 46),Gil e Guerra (Paulo Miguel, 68);Pinto (Fabinho, 66), João Pedro (Pacheco, 46) e Thiago Jesus. Treinador: Hugo Reis. 

LEÇA DO BALIO: Miguel Mota; Carlitos, Miguel Cunha (Duarte, 78), Cardigos e João Pinto; Gonçalo (Carlos Diogo, 60), Guil, Quaresma e Rafa (Braga, 78); Hugo e Gomes (Diogo Malta, 78). Treinador: Mário Heitor. 

O Desportivo Leça do Balio soma e segue na liderança da série 1, da 1ª divisão da associação de futebol do Porto. 
Nesta jornada a equipa de Mário Heitor sabia perfeitamente da responsabilidade do jogo frente a uma valiosa equipa que também tem como objectivo a subida de divisão, que queria encurtar distância para o líder do campeonato. Mas a qualidade da equipa aurinegra fez se notar e não acusou qualquer tipo de pressão, entrando logo na partida a todo o gás. Logo aos 12 minutos o inevitável Pedro Gomes isola-se, bem lançado pelo meio campo Baliense, e na cara do guarda redes visitante fez o primeiro golo da partida. Em grande forma Pedro Gomes a demonstrar belos pormenores e a ser determinante na partida. O meio campo do Nogueirense não teve andamento para o meio campo Baliense e foi submetido a uma pressão constante. A posse de bola e o bom futebol levavam o pânico à defesa da casa, mas o intervalo chegou apenas com a margem mínima a favor da melhor equipa do primeiro tempo. Ainda antes do intervalo Tiago Silva do Nogueirense é expulso pelo arbitro da partida, após uma dura falta sobre Rafa, deixando a sua equipa reduzida a dez elementos. 

Após o intervalo o técnico Hugo Reis mexeu na equipa da casa para arriscar tudo, mesmo jogando com dez elementos, pois a derrota não servia. Nos minutos inicias deste segundo tempo a equipa da casa carregou sobre o último reduto Baliense e ainda incomodou Miguel Mota que se mostrou seguríssimo. Em contra ataque os de Matosinhos, com uma circulação de bola rápida, aproveitando os espaços concedidos, andavam sempre perto do golo. Aos 63 minutos numa boa jogada coletiva, finalizada por Rafa, premiou a qualidade dos Balienses que dilataram a vantagem para dois golos. Destaque para Rafa que para além do golo, as melhores jogadas Balienses passaram sempre pelos seus pés. O esforço do Nogueirense no segundo tempo, deu frutos aos 74 minutos, que reduziu a desvantagem numa desatenção defensiva dos visitantes. Reagiu imediatamente o líder do campeonato, dando uma nova demonstração de força, através do médio Carlos Diogo lançado por Mário Heitor no segundo tempo, fazendo o terceiro golo e arrumando com a discussão da partida, para grande contentamento dos adeptos Balienses que se deslocaram em bom numero a Nogueira da Maia. Mesmo com o jogo decidido o Nogueirense nunca baixou os braços tentando sempre reduzir a desvantagem o que proporcionou um excelente tarde de futebol. 

Na próxima jornada o líder Desportivo Leça do Balio recebe o Foz no seu estádio.

VITÓRIA DO PERAFITA COM GRANDE CORAÇÃO

 
AF Porto Divisão de Elite - Jornada 22 
Estádio Cidade Desportiva de Paredes 
Árbitro Edgar Batista 
Cartão Vermelho a Nuno Moreira (65) e Passos (80) 
 PAREDES 2 PERAFITA 3 
Ao intervalo, 2-1, golos Ricardo (1 e 55) Joel (23 gp), Tó jó (40) e Tiga (75) 

 PAREDES: Cristino, Pedro Duarte, Nuno Moreira, Gustavo, Faneca, Sousa, Joel (Alex 77), Tó Jó (Passo 77), Tózé (Dani 70) Iamael e Madureira. Treinador Eurico Couto 

FC PERAFITA: Mata, Rocha, Morgado, Tiago Silva (Telinho 70) e Tiga; Moura (Areias 65) Marco Fafiães, Couto, Ricardo, Nandinho e João Paulo. Treinador Paulo Gentil.

   

O Perafita foi a Paredes mostrar que podem contar com ele na luta pela manutenção, conseguindo um vitória com grande coração num terreno que muitos julgavam impossível O paredes pela posição que ocupa na tabela e pelo facto de ser anfitrião era á partida o grande favorito para este jogo. Só não contava com uma equipa que pretendia dar continuidade ao bom trabalho desenvolvido nas últimas semanas Perafita surpreende logo no primeiro minuto com um golaço de Ricardo (Um bom jogador, dos melhores que vimos actuar nesta divisão, parecendo-nos um miúdo bastante humilde e trabalhador) com um remate de primeira a entrada da área forte e colocado que só parou no fundo das malhas de Cristiano. Como seria de espera o Paredes a jogar em casa não demorou muito a responder à surpreendente desvantagem tentando investir, mas a defensiva perafitense ia respondendo com competência adiando o golo até ao minuto 23, mas com a mãozinha de terceiro lá empatou de grande penalidade. Ainda antes do fim do primeiro tempo o Paredes cola-se pela primeira vez em vantagem com um golo de Tó Jó 

No segundo, mais do mesmo, Perafita entra forte e de novo Ricardo a marcar fazendo o empate concluindo uma boa jogada de envolvimento ofensivo da equipa que viajou de Matosinhos. O Paredes com lhe competia tenta de novo chegar ao golo, só que esbarra na excelente organização defensiva da equipa de Paulo Gentil. Um pouco confusos com a teia montada pelos perafitenses, os homens da casa entram num jogo agressivo que lhes valem uma expulsão do central Nuno Moreira, facto que facilitou muito os perafitenses que viriam a obter a vantagem pela segunda vez neste encontro por intermédio do lateral esquerdo Tiga, que de cabeça responde afirmativamente a um livre apontado por Luciano do lado direito, repondo de alguma forma justiça no marcador. Até ao fim fica o registo de mais uma expulsão para a turma da casa e o cerrar fileiras com grande coração da equipa perafitense para no final exaltar de satisfação pelo precioso triunfo.

LEIXÕES REFORÇA-SE COM SLIM E WELLINGTON


No último dia de mercado, o Leixões 16.º classificado da II Liga, reforçou-se com o extremo tunisino Slim ex-Angers, da segunda liga francesa e o central brasileiro Wellington emprestado pelo FC Porto, até final da temporada.. 
O plantel de Pedro Miguel conheceu também duas saídas: Guou Yi e Pan Ximing que regressam à China. 

Mohamed Ben-Othman Slim, 26 anos, estava no clube francês desde 2013, pelo qual realizou 16 jogos esta temporada. Antes de se mudar para o Angeres, o extremo representou o Metalurgh Zaporizhzhya, da Ucrânia. 

Wellington Ferreira Nascimento, 20 anos, pertence aos quadros do FC Porto B , pelo qual não fez qualquer jogo esta temporada.

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

D LEÇA DO BALIO

D LEÇA DO BALIO

OS LUSITANOS SCFC

OS LUSITANOS SCFC