RÁDIO CIDADE MATOSINHOS

domingo, 10 de fevereiro de 2013

HERÓIS DO MAR MERECERAM SER FELIZES

 
Jogo no Estádio do Mar, em Matosinhos
Árbitro: Nuno Almeida (Algarve).  

Leixões -Santa Clara, 1-0

Marcadores: 1-0, Luiz Carlos, 15 minutos p.b.

Leixões: Rui Sacramento, Zé Augusto, Nuno Silva, Zé Pedro, Steven, Fábio Santos, Hernâni (Kizito, 69), Malafaia (Moedas, 71), Calé (Gonçalo Graça, 90+1), Luís Silva e Tiago Borges. Treinador: Pedro Correia.

Santa Clara: Hélder Godinho, André Simões Luiz Carlos, Accioly, Serginho, Godinho, Alex, Tony (Platini, 46), Pedro Cervantes (Minhoca, 71), Pacheco e Reguila (Porcellis, 57).

Treinador: Luís Miguel.
 
Ufa! Já se pode respirar de alívio. O Leixões Sport Club continua embalado nesta segunda volta da Segunda Liga, depois de hoje ter vencido o Santa Clara, por 1-0, mas sofreu a bom sofrer no último instante da partida, quando os açorianos desperdiçaram um penálti que daria o empate. No entanto, a nossa Equipa mereceu ser feliz, pelo muito que trabalhou ao longo dos 90 minutos (mais descontos), e continuar a somar pontos importantes que o colocam bem longe dos lugares perigosos da tabela (20 pontos de vantagem para o 20.º classificado).

Estamos agora perto de posições imprevistas mas não há outro objectivo na mente dos nossos jogadores, equipa técnica e restante staff que não seja obter a manutenção, meta que está a 7 pontos de distância. Há que manter os pés bem assentes no solo, conservar a atitude humilde e continuar a trabalhar do mesmo modo para atingir um patamar seguro que muitos julgavam inalcançável no início da época, quando a jovem Equipa Leixonense arrancou com os trabalhos. O Leixões atravessa em definitivo a melhor fase da época, com quatro vitórias (três delas consecutivas) e um empate que permitem ocupar um tranquilo e incrível 5.º lugar da classificação. Em Matosinhos temos sido praticamente perfeitos (um único deslize) e, no geral, temos mostrado uma segurança a todos os títulos elogiável, como se constata, por exemplo, pelo facto de determos a segunda melhor defesa da competição, apenas atrás do líder Belenenses.

O jogo de hoje teve como enorme curiosidade o facto de ter sido um açoriano a marcar o golo que bateu a equipa de Ponta Delgada – Tiago Borges cabeceou (a bola desviou depois em Luiz Carlos e traiu o guarda-redes) um centro de Zé Augusto e apontou o oitavo golo da época, quarto nos últimos quatro jogos, o que o confirma como melhor marcador da nossa Equipa. O golo que haveria de ser decisivo surgiu cedo, aos 15’, como corolário de uma bela entrada em jogo, e hoje apenas faltou obter uma vantagem mais segura para se evitar aquele momento de tensão final. Uma superioridade mínima acarreta sempre riscos como se viu quando o árbitro assinalou um penálti (considerou mão de Zé Augusto, num cabeceamento à queima…) que poderia ter originado o empate. Rui Sacramento adivinhou o lado para onde o adversário atirou a bola e o jogador açoriano quis colocar tanto o remate que não acertou na baliza, causando uma óbvia explosão de alegria nas bancadas e no relvado, pois o árbitro deu por concluído o encontro logo de seguida.

Seria um castigo muito duro para a nossa equipa, pelo que se justificou plenamente aquele momento de felicidade.

  in LEIXÕES SC

INFESTA A MENOS PARA CHAVES CANDIDATO

O momento do jogo foi claramente a expulsão de Jorginho e o penalti do 2-0.
Uma derrota por 3-0 que é justa face ao que se passou dentro das quatro linhas. O Chaves é equipa de outro campeonato, com os seus jogadores a serem maioritariamente profissionais e a lutar pela subida de divisão. O Infesta fez o que pôde, mas a expulsão de Jorginho logo a abrir a segunda parte, acabou com o intuito de sair de Chaves com pontos na bagagem.
 
O Desportivo de Chaves, teve uma entrada muito forte no jogo, assumindo, como lhe competia, o favoritismo da partida. Nos primeiros minutos, Ricardo teve de se aplicar a dois remates dos jogadores flavienses que causaram calafrios à defensiva do Infesta. O Infesta ia defendendo bem, procurando rápidos contra-ataques mas sem criar lances de perigo. Aos 21 minutos, Kuca esteve perto de inaugurar o marcador a favor da equipa da casa ao cabecear por cima, após um cruzamento vindo da direita. Quatro minutos depois, o Chaves inaugura o marcador por Fufuco que ganhou espaço à entrada da área e num remate em jeito, faz o primeiro golo da partida. À passagem da meia hora de jogo, Kuca aproveita uma desatenção da defesa do Infesta e remata, mas muito colocado, acabando por sair ao lado da baliza de Ricardo. O Infesta conseguiu suster a pressão da equipa da casa e aos poucos ia-se acercando da baliza de Paulo Ribeiro, mas até ao intervalo, não criou lances dignos de registo.
 
Na segunda metade, o treinador José Manuel Ribeiro, coloca em campo o ponta-de-lança Pedro Nuno, num claro sinal de que queria mudar o rumo dos acontecimento, mas o Chaves entra praticamente a fazer o segundo golo. Aos 47 minutos, num cruzamento de Eder Diez para a área, Kuca preparava-se para cabecear mas Jorginho desvia a bola com a mão e o árbitro, peremptório, assinala grande penalidade a favor do Chaves, expulsando o lateral direito do Infesta. No castigo máximo, Kuca faz o 2-0 para o Chaves. O Infesta a jogar com dez, ficava com a tarefa de somar pontos, muito mais dificultada. A equipa da casa tem nova oportunidade aos 52 minutos por Eder Diez, que numa jogada individual, atira ao lado. No minuto seguinte, o Infesta tem o seu primeiro lance de perigo por intermédio de Digas que rouba a bola a um adversário e remata já em esforço para boa defesa de Paulo Ribeiro. Aos 61 minutos, Nuninho, acabado de entrar, quase faz o terceiro golo do Chaves ao rematar ao poste após passe de um colega. O Chaves faz o terceiro golo aos 66 minutos. Num livre marcado por Álvaro para a área, Kuca atira de cabeça sem hipótese de defesa para Ricardo, bisando assim na partida. No minuto seguinte, Pedro Nuno tem um remate perigoso já dentro da área, mas a bola bate num defensor do Chaves, ficando Pedro Nuno a reclamar uma grande penalidade por pretensa mão do adversário. O Infesta com apenas 10 unidades, ia fazendo o que podia e a equipa da casa, completamente tranquila na partida, tinha mais posse de bola, criando mais lances de perigo para a baliza do Infesta. Nuninho à passagem dos 75 minutos, quase faz o quarto golo mas Jonas dá o "corpo às balas", passando assim o perigo. Nos últimos minutos, o Infesta equilibrou a contenda mas não conseguiu criar lances perigosos para pelo menos marcar o tento de honra.
 
Uma derrota que mantém o Infesta na 14ª posição, pois o Padroense e o Joane, também perderam os seus encontros. O árbitro da partida, Daniel Cardoso da A.F.Aveiro, teve pouco trabalho, estando bem durante toda a partida. Na próxima jornada, o Infesta joga novamente fora de portas, na deslocação ao terreno do Tirsense.
 
in FC INFESTA

RESULTADOS DE 10 DE FEVEREIRO 2012


Resultados das equipas de Matosinhos

LEIXÕES 1 STA CLARA 0

PADROENSE 0 GONDOMAR 1
CHAVES 3 INFESTA 0

VILA MEÃ 4 LEÇA 1

PERAFITA 0 ALPENDORADA 1

SENHORA HORA 0 CRESTUMA 0
S. FÉLIX 3 CUSTÓIAS 0
LEÇA DO BALIO 2 LAVRENSE 5

RAMALDENSE 0 OS LUSITANOS 1
S. VÍTOR 1 ALDEIA NOVA 1

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

D LEÇA DO BALIO

D LEÇA DO BALIO

OS LUSITANOS SCFC

OS LUSITANOS SCFC