RÁDIO CIDADE MATOSINHOS

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

GDAN ESTREIA ABSOLUTA DOS INFANTIS EM JOGOS OFICIAIS


GD Aldeia Nova 25 de Outubro de 2015, uma data que seguramente ficará na história do GD Aldeia Nova, simpática colectividade de Perafita-Matosinhos, com a estreia absoluta dos infantis em provas oficiais da AF Porto. 
 Jogando em casa emprestada (Stª Cruz do Bispo) contra o D. Leça de Balio, a formação do Aldeia Nova não teve uma estreia feliz, foi derrotada pelos jovens de Leça do Balio por 1 x 6. 
Citando as palavras do seu director Fernando Gomes “neste momento os resultados são o menos importante, há mais valores a dignificar”, sem dúvida nenhuma o resultado do empenho e trabalho realizado pela boa gente do Aldeia Nova irá dar os seus frutos a muito curto prazo. 

Manuel Sá

LAVRENSE DEIXA FUGIR OS TRÊS PONTOS

 
Divisão de Honra da AF Porto Jornada 5 
Complexo Desportivo de Lavra 
Árbitro Vitor Costa 
LAVRENSE 3 VALONGUENSE 3 
Ao intervalo, 1-0, marcadores Miguel Fradinho (33) João Nuno (55 e 90), Xaira (64) Nuno (73) e Costa (90) 

LAVRENSE, Bruno Monteiro, João Magalhaes, Miguel Fradinho, Amilcar (Nuno Campos 77), João Luis, Palheira, Nuno (Grilo 80), Tiago Carvalho (Diego 80), Wendel, Xaira (Kasquer 80) Nogueira (Kaká 55). Treinador Leandro Cunha. 

VALONGUENSE: João Dias, César, Vital, David, Matos (Costa 77) Nuno (Leandro 77), Sané, João Nuno, João Monteiro (Moreira 69), Pinho (Palheira 69) e Barros. Treinador Amaro Rodrigues.

Determinados a conquistar os três pontos a equipa Lavrense, não começou da forma desejada, entrando um pouco passivo, permitiu que o Valonguense cria-se alguns problemas á equipa anfitriã. 
Contra o que era espectável os matosinhenses chegaram à vantagem por Miguel Fradinho, golo que serviu de tónico para que os lavrenses melhorassem a sua produção de jogo, podendo mesmo chegar ao intervalo com uma vantagem mais confortável, Nogueira desperdiçou uma grande oportunidade na cara de João Dias Guarda redes forasteiro. 
Antes mesmo do apito para o descanso, golo mal anulado a turma da casa árbitro anula um cabeceamento certeiro que só parou nas redes do Valonguense por pertença falta ao guarda-redes. 

Segundo tempo, mais do mesmo, Lavrense entra de novo meio apático, e permite a igualdade aos forasteiros. A turma orientada por Leandro Cunha, reage de imediato e com relativa facilidade chega ao 3-1, Xaira e Nuno foram os autores dos golos. 
Tiago Carvalho ainda chega ao 4-1, mas este golo foi muito mal invalidado por pertenço fora de jogo. Este lance é daqueles que não oferece dúvidas a ninguém tal foi a sua percepção no local. 
Contudo a partir deste momento, o Valonguense arrisca em busca de melhor resultado e é premiado com dois golos, o do empate a 3-3 em cima do apito final obtido por Costa. Resultado final empate a três bolas que castiga o melhor futebol dos locais

PADROENSE EM CASA, FOI SURPREENDIDO…

 
AF Porto Divisão de Elite - Jornada 8 Estádio do Padroense FC 
 Árbitro, Armando Mendes 
Cartão vermelho a Jorge Lopes aos 90 minutos 
PADROENSE 1 AD GRIJÓ 2 
 Ao intervalo, 0-1, Marcadores Jorge Lopes (33) Kaká (70) Filipe Machado (80). 

PADROENSE: Humberto, Simão, Paulinho (Carlitos 88), Pereira, Taipa; Miranda, Toninho (Chico 57), André (Cristiano 88), Hélder (China 57), Kaká e Jonas. Treinador Augusto Mata. 

AD GRIJÓ: Borges, Cuca, Jorge Lopes, Filipe Machado, Vando, Miguel Pinto, Sérgio (Reis 83) Artur (Fábio 65) Flávio, Diogo e César. Treinador José Pedro.

Jogo muito bem disputado. Eficácia do Grijó e alguns erros de arbitragem, 2º golo visitante obtido em fora de jogo, anular o golo do empate à equipa do Padroense sem motivos para tal, condicionou e muito o resultado que se verificou no final. 

Mas isto não justifica tudo, a equipa da casa, praticando melhor futebol, conseguiu superiorizar-se aos gaienses, criando mesmo mais e melhores oportunidades de golo, mas mostrou-se muito perdulário na hora de rematar à baliza forasteira. Aos 80 minutos dez minutos depois de ter sofrido à igualdade (Kaká empata aos 70 minutos), Filipe Machado dá de novo vantagem a sua equipa, mas desta vez através de um golo irregular (jogador encontrava-se em fora de jogo). Duro castigo para a jovem equipa do Padroense, que veria a ser-lhe negado o golo do empate, pela equipa de arbitragem.

domingo, 25 de outubro de 2015

LEIXÕES SEM PERNAS PERMITE REVIRAVOLTA NO MAR


12.ª jornada da Liga Estádio do Mar 
(Jogo despido de publico, com transmissão na Sport TV) 
Arbitro: Bruno Jesus (Lisboa) 
LEIXÕES 2 BRAGA B 2 
Ao intervalo 2-1, marcadores Ricardo Barros (11) Joca (13) Rateira (gp 43) Carlos Fortes (48) Piqueti (61) 

LEIXÕES: Ricardo Moura, Diogo Nunes , João Pedro, Gonçalo Graça (Pedras 66) Cadinha (Bruno Lamas 66), Pedro Pinto, Yuanyi Li, Caio, Tandjigora, Ricardo Barros e Rateira (Miguel Ângelo 56) Treinador Manuel Monteiro. 

SP BRAGA B: Tiago Sá, Artur Jorge , Agdon (Carlos Fortes 46), Joca (Nené 78), Núrio, Monteiro, Simão, Piqueti (Thales 66), D'Alberto, Gamboa, Osuchukwu. Treinador Abel Ferreira.

 A equipa do Sp . Braga B, aproveitou bem o desgaste físico da equipa leixonense (4 jogos (Campeonato, Taça de Portugal e Taça da Liga) nos últimos 14 dias) Jogo despido de público, com transmissão na Sport TV Os leixonenses até começaram melhor, Ricardo Barros aos 11 minutos abriu o marcador, mas equipa arsenalista (já não vencia há 5 jornadas) chega ao empate por Joca aproveitando um brinde da defensiva leixonense. Ao minuto 42, quando o jogo se encontrava numa toda de parada e resposta sem que o perigo ronda-se ambas as balizas, Rateira na transformação de uma grande penalidade clara e sem margem de dúvidas, faz o 2-1, resultado com que se atingiu o período de descanso. 

Segundo tempo abre praticamente com o tento de nova igualdade apontado por Carlos Fortes que tinha entrado na partida. O jogo continua sem grande velocidade o perigo escasseia em redor das balizas. Minuto 60, lance que beneficia os arsenalista, segundo amarelo perdoado claramente a Artur Jorge, Braga deveria ter ficado a jogar com dez, no minuto seguinte, surge o tento que viria a ditar o resultado final, Piquete foi o seu autor. Até ao Final o leixões bem tentou chegar ao golo que lhe daria um ponto somado, mas o resultado não se alterou e o Leixões soma mais uma derrota no seu reduto e é 22.º com nove pontos. 

 Conferencia de imprensa 

Manuel Monteiro "Uma vez mais, fizemos o mais difícil, que foi conseguir a vantagem, e depois brindamos os adversários com golos. Em quase todos os 12 jogos que já disputámos para o campeonato, é isto que tem acontecido. Sei que o problema do Leixões não é o Manuel Monteiro, mas se tiver que ser, será. Vou refletir e falar com a administração. Sou leixonense, quero que o Leixões ganhe mais do que ninguém, tenho trabalhado imenso mas também sinto que a sorte não tem estado comigo. Vamos ver o que vai acontecer." 

Abel Ferreira "Esta vitória chega com 3 ou 4 jogos de atraso. A nossa filosofia passa por valorizar jogadores e incutir-lhes mentalidade ganhadora. Ao intervalo, tive que chamar os jogadores à atenção."

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

O QUE FAZ UM TREINADOR CAMPEÃO FORA DO FUTEBOL?

 
MITCHFOOT - O que faz no conforto do seu lar um treinador, campeão e que conta no seu palmarés, nos últimos quatro anos, duas subidas ao Campeonato Nacional de Seniores? 

ANTÓNIO GAITEIRO - Como disseste e bem, no conforto do meu lar, onde tenho uma companheira maravilhosa e que disfruta e partilha comigo todos os momentos da vida e já lá vão 40 anos. 

M – Mister não me respondeu concretamente à pergunta?

AG – (risos…) Tenho participado como espectador atento em vários jogos, procurando fazer um prospecção de atletas e identificar-me com algumas equipas, para no caso de surgir, a oportunidade de “pegar” em alguma delas, não ficar desprevenido e arrancar consciente das dificuldades ou não das mesmas. Em relação às duas subidas que referiste, suponho que falas do FC Perafita e do São Martinho, sinto-me orgulhoso pelo meu recente passado pois em ambas tive um prazer enorme em ter defendido as suas cores. 

M – A passagem pelo São Martinho, deixo-lhe marcas…foi uma experiencia positiva? 

AG – Posso te dizer sem qualquer tipo de demagogia, que foi uma experiencia muito positiva, um prazer ter treinado o SM durante ano e meio, apesar de surpreendido com a minha saída, recordo-te que estava-mos na liderança, guardo a melhor recordação do clube e das suas gentes, posso confessar-te que até passei a ficar um bocadinho campense. 

M – Que tipo de treinador é? 

AG – Mais maduro e experiente que ama os clubes por onde passa.

M - Sente-se obcecado por não ter treinado no CNS? 

Não tenho obsessão por isso, prefiro um projecto sólido e sério, seja ele na Elite, D. Honra, 1ª divisão AF Porto…mas acho muito curioso, sempre que chego ao CNS acabo por sair, há treinadores que treinam no CNS, eu levo as equipas ao CNS (risos…) 

M – O Telefone já tocou? 

AG – Sinceramente já! Inclusive, posso te dizer que o meu nome esteve em cima da mesa antes da época arrancar, em vários clubes de Matosinhos e de fora do concelho, mas para além disso nada de concreto existiu. Sabes tenho feito uma carreira a pulso, tenho feito um trajecto que fala pelo que consegui até esta altura, não tenho padrinhos no futebol, não estou no futebol para atrapalhar quem quer que seja, tenho muito respeito pela classe de treinadores e espero serenamente pela oportunidade. 

 M – Saudades do balneário? 

AG – Apesar de estar há relativamente pouco tempo fora, sim tenho saudade do balneário de facto, saudade de me preparar para mais um treino, saudade de jantar ás 23 horas, saudade de me deitar a pensar no trabalho do dia seguinte, sinto falta do futebol, como de um miúdo, que espera ansiosamente pela hora do recreio. Mas sinceramente o que mais sinto falta, é da empatia existente entre a minha equipa técnica e os jogadores, a envolvência criada que mais parece a de uma família. 

M – Nunca lhe passou pela cabeça abraçar o futebol como profissional? 

AG – Sinceramente não! Inclusive tive um convite de uma Academia de futebol da Irlanda e recusei. Sabes apesar de ser ambicioso, sempre tive os pés bem assentes no chão, prefiro o pouco e certo do que promessas que não venham a ser cumpridas, fiz um trajecto do qual muito me orgulho, sempre em equipas de menor dimensão mas com compromissos sérios e assumidos. 

M – Mister, conta já no seu curriculum para alem do recorde de vitorias consecutivas, com direito a registo no Guinnesse book, quatro subidas de divisão, destas, qual a que sentiu mais dificuldade qual que lhe deu mais prazer? 


AG – A mais difícil de conseguir foi de facto a que alcancei no Custóias em 2008, por tudo o que envolveu essa época, completamente atípica, pois como sabes o Custóias, em virtude da construção do seu bonito e funcional estádio, fez toda a época com a casa às costas, treinando fora (Padroense sintético e Leça do Balio pelado, jogando no sintético bailense na condição de visitado. A que mais me marcou e mais prazer me deu foi a do FC Perafita, sagrando-me campeão da 1ª Divisão, mais me marcou por tudo o que se disse a quando do meu ingresso no clube (risos..) ainda me lembro do que se dizia no inicio “Gaiteiro não vai permanecer aqui mais de dois meses” foi um prazer de facto figurar na melhor fase e histórica do FC Perafita. 

M – Mister perspectivas, para quando o regresso? 

AG – Perspectivas são de facto treinar quanto antes uma equipa de futebol, tenho constituída uma equipa técnica que esta pronta para seguir comigo, estamos prontos! Não desespero por isso e quando os clubes acharem que precisam do meu contributo, analisarei em conjunto com os meus adjuntos para tomar a decisão de acordo com a ambição dos clubes. 

Obrigado mister foi um prazer ter conversado consigo, espero sinceramente vê-lo muito próximo sentado num banco de suplentes a orientar e bem as equipas que lidera.

terça-feira, 20 de outubro de 2015

LEIXÕES VENCE DERBI NO FUTEBOL FEMININO

 
Custóias FC 2 x 4 Leixões SC 
A 3ª jornada do campeonato de promoção feminino Serie A, proporcionou um dérbi inédito, Custóias FC versus Leixões SC, uma data que ficara para sempre registada em ambos os clubes e no futebol feminino de Matosinhos. 
Foi um jogo agradável de seguir com as duas equipas a proporcionar um bom espetáculo com momentos de bom futebol. Custóias FC, equipa novata, aguerrida, e determinada a mostrar o seu valor, a nível coletivo como individual, contudo hoje por castigos e lesão foi incapaz de apresentar o seu melhor 11 e foi notória a falta de algumas atletas influentes no seu esquema tático, caso mais notório foi a falta da centro campista, Renata, peça influente na equipa. 
Seguramente com o andamento do campeonato esta equipa irá demostra o seu real valor. Leixões SC, mostrou ser uma equipa com maior maturidade coletiva e mais coesa em termos de jogo jogado. Ao praticar um futebol simples, eficaz e procurando circular mais a bola fez com que eliminasse o futebol aguerrido mas mais individual da equipa do Custóias FC.
   
Complexo desportivo do Custóias 

Custóias FC - Inês Loureiro, Ana Silva, Rita Coelho, Catarina Santos; Mariana Frias; Ana Cerqueira; Salomé Silva; Mafalda Oliveira; Mariana Neves; Filipa Cascais; Joana Ferreira Suplentes: Rita Lima (sub M. Frias); Ana Duarte; Diana Maia; Marisa Oliveira; Raquel Carneiro (Sub M. Neves); Bárbara Sousa; Catarina Nascimento (sub. Filipa C.) Golos: Salomé; Catarina Nascimento 
Equipa técnica: Tiago Silva - Vítor Fonseca – Delg; Iris Sereno 

Leixões – Sara Vieira, Andreia Morato, Sofia Santos, Mafalda Matias, Ana Pereira, Filipa Lima, Tatiana Silveira, Elisabeth Parente, Carina, Patrícia, Rita, Diana Pereira, Mariana Sousa, Patricia Gomes, Paula, Mónica, Patrícia e Joana Costa Equipa técnica: João Cunha – Luís Oliveira – Ricardo – Delg: 

Ana Alexandra Marcadores; Custóias FC – Salomé (1) gp ; Catarina Nascimento (1) Marcadores Leixões SC – Carina (1) – Rita (1) – Patrícia (2) 

Manuel Sà

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

PADROENSE JÁ É SEGUNDO NA TABELA


AF Porto Divisão de Elite - Jornada 7 
Estádio do São Pedro da Cova - Gondomar 
Árbitro, João Guimarães 
S PEDRO COVA 0 PADROENSE 3 
Ao intervalo, 0-1, André (39) Kaká (53) Jonas (84) 

S P DA COVA: Artur Micha, Ruizinho, Carlão, Moreira e David (André 59) Xoura (Lico 45) João Lindo, Paulo Oliveira, Rui Gomes (Alex 45) vitinha (Tozé 67) e Mira. Treinador Hélder Pereira. 

PADROENSE: Humberto, Simão, Paulinho, Pereira e Taipa; Miranda, Hélder e Toninho (Jonas 45), André (Cristiano 85), Carlitos (China 45) e Kaká (Chico 89) Treinador Augusto Mata 

Jogo totalmente dominado pelos Bravos de Matosinhos, contando com forte oposição, a equipa mineira bem tentou com garra e entrega, contrariar o melhor futebol praticado pelos matosinhenses, a equipa do Padrão da Légua protagonizou uma exibição segura, criando mesmo oportunidades para dilatar ainda mais o resultado que se veio a verificar. Augusto Mata, com poucos recursos, tem vindo a fazer um trabalho notável, dando consistência e estabilidade ao conjunto, guindando-o mesmo para a segunda posição na tabela a apenas um ponto do primeiro agora o Aliança da Gandra.

NIXON GUYLHERME FOI O HERÓI DA TARDE


AF Porto Divisão de Elite - Jornada 7 
Estádio do Leça FC em Leça da Palmeira 
Árbitro, Carlos Ribeiro 
LEÇA 0 CANDAL 1 
Ao intervalo, 0-1, Marcador Nixon Guylherme (35) 

LEÇA FC: Diogo, Joel (Mika 46), Noura (Caldas 80) Touré e Alex; Jair, Hugo e Pedras, Mesquita, Fábio Loureiro (Jota 89), Marcos (Paulo Lopes 46) Treinador Nuno Costa 

CANDAL: Bruno Beleza, Paraty, Álvaro, Nuno Miguel e Cláudio, Hugo Almeida, Cambota e Renato (Diogo 70), Rodrigão, Nixon Guylherme (Miguelito 70) Ricardinho (Russo 70). Treinador Tóze Madureira.

Um golo de Nixon Guylherme, serviu para impor a primeira derrota caseira da equipa do Leça
Nixon Guylherme cometeu a proeza de marcar um golo que derrotou a sua anterior equipa, recorde-se que o brasileiro que também passou pelos sub 19 leixonenses, representou os leceiros a época passada. 
Um golpe de cabeça foi letal para a baliza à guarda de Diogo. Num encontro que serviu para a presentação da Academia do Leça aos seus associados, com uma moldura humana a fazer lembrar outros tempos em Leça da Palmeira, não teve o desfecho desejado pelos verde e brancos, que tudo fizeram para inverter a situação, desperdiçando algumas boas oportunidades, inclusive, o goleador Pedras permitiu a defesa a Bruno Beleza, na transformação de uma grande penalidade.

domingo, 18 de outubro de 2015

LEIXÕES CAÍ DE PÉ NA TAÇA

 
3ª Eliminatória da Taça de Portugal 
Estádio do Mar, em Matosinhos. 
Árbitro: Cosme Machado (Braga) 
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Tandjigora (09), Nuno Coelho (33), João Pedro (38), Jose Velasquez (43 e 114), Max (45), Rateira (53), Nuno Valente (60), Bruno Lamas (62), Caio (63), Vuletich (64), Ricardo Barros (74) e Pedras (86). Cartão vermelho por acumulação de amarelos para Jose Velasquez (114). 

LEIXÕES-AROUCA, 1-2 (após prolongamento). 
Ao intervalo: 0-0.No final do tempo regulamentar: 1-1. No final da primeira parte do prolongamento: 1-2. Marcadores:Nuno Valente, (54) João Pedro (80).Ivo Rodrigues, (102) 

LEIXÕES: Ricardo Moura, Yuanyi Li, Pedro Pinto, Diogo Nunes, João Pedro, Tandjigora, Caio (Niang, 77), Rateira (Pedras, 73), Bruno Lamas, Max (Jorginho, 57) e Ricardo Barros.Treinador: Manuel Monteiro. 

AROUCA: Rafael Bracali, Dabó, José Velasquez, Hugo Basto, Lucas Lima, Nuno Coelho, Nuno Valente (David Simão 106), Artur Moreira (Adilson, 46), Zequinha, Ivo Rodrigues e Vuletich (Maurides, 66).Treinador: Lito Vidigal. 

Ivo Rodrigues, com um golo aos 102 minutos, materializou o apuramento do conjunto comandado por Lito Vidigal, depois de, aos 80, João Pedro ‘anular’ o golo de Nuno Valente, aos 54, e forçar tempo extra em Matosinhos. A formação do Arouca nunca conseguiu superiorizar-se na primeira parte e criou apenas uma oportunidade para marcar, num cabeceamento de Ivo Rodrigues, na sequência de um livre lateral apontado por Artur. Já o Leixões, foi melhor na etapa inicial, tendo mais bola, ainda que apenas tivesse ameaçado a baliza contrária em remates de meia distância. Num desses lances, aos 16 minutos, Caio disparou do meio da rua e valeu uma defesa espantosa do guarda-redes Rafael Bracali a segurar o nulo. 
O intervalo foi benéfico para a equipa orientada por Lito Vidigal, que apareceu mais determinada e marcou no primeiro remate efetuado à baliza, numa jogada em que Nuno Valente aproveitou uma desatenção defensiva e, sem oposição, fez um bom golo à entrada da grande área. No lado do Leixões, o técnico Manuel Monteiro arriscou tudo com as entradas de Pedras e Niang, mas o foi o defesa João Pedro que conseguiu o empate, apontando um golo de belo efeito numa jogada de insistência, após um pontapé de canto, levando o jogo para prolongamento. Nesse período extra, a maior rodagem e eficácia do Arouca acabou por fazer a diferença e, na marcação de um pontapé de canto, Nuno Valente assistiu e Ivo Rodrigues, de cabeça, apontou o golo que decidiu a eliminatória. Os visitantes ainda acabaram reduzidos a 10, com a expulsão de Velasquez, mas os leixonenses já não tiveram discernimento para chegar às grandes penalidades. 

 Foto Duarte Rodrigues

Conferência de Imprensa
Manuel Monteiro
"Pelo que fizemos merecíamos ter passado esta eliminatória. Quero dar os parabéns aos jogadores. Foram uns grandes campeões com uma grande atitude. Se fizermos isto no campeonato rapidamente vamos sair da zona em que estamos. Uma palavra também para os adeptos, que estiveram sempre ao lado da equipa. Controlámos o jogo, criámos mais oportunidades de golo mas o nosso esforço foi inglório. Sabíamos que seria um jogo difícil, contra uma equipa de primeira liga, com outros argumentos, mas não nos intimidamos. O Arouca não criou uma única situação evidente de golo e fez dois golos numa segunda bola e num canto. Arriscámos tudo e acabámos com quatro pontas de lança. Conseguimos empatar, mas depois, num pormenor, perdemos o jogo. Num jogo correto de parte a parte, não compreendo o motivo para tantos cartões."
Lito Vidigal
"Jogámos contra um clube com muita tradição, que já ganhou esta prova e que chegou a outra final. São jogos sempre difíceis e sabendo disso o nosso objetivo era ganhar. Tivemos uma equipa muito organizada pela frente e quando tivemos as nossas oportunidades concretizámos Estamos cada vez mais fortes. Continuamos em todas as competições, com uma qualidade assinalável, e ainda só perdemos um jogo esta época."

sábado, 17 de outubro de 2015

GDAN ENGALANOU-SE PARA APRESENTAR A SUA ACADEMIA


Academia de formação de futebol do Grupo Desportivo Aldeia Nova 

SEJA BEM VINDO! 
A vida é como um jogo de futebol, cada lance pode definir o sucesso. 
Chegou a hora de te inscreveres na ACADEMIA FORMAÇÃO DE FUTEBOL DO GDAN 

Hoje tive a oportunidade, a convite do coordenador (mister Flávio Silva) da Academia de assistir à apresentação dos “putos” que integram este projecto, não é inovador mas está ao nível do que de melhor se faz no concelho de Matosinhos, ao nível de formação de jovens futebolistas. 
As instalações são do melhor nível possível, os prolectores tem o conhecimento exigido, estão por isso, reunidas todas as condições para a formação de jovens atletas, com a vertente social e com o devido acompanhamento escolar. 
Para o evento foi convidado o Leixões SC, e como pode constar, foi um regalo à vista ver estes “putos”, saltarem de alegria, praticando uma modalidade, que os apaixona e aqui e ali, já apresentavam níveis de qualidade futebolista bem aceitável e alguns mesmo com sentido de responsabilidade que lhes adverte um futuro risonho.

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

DERBI BEM DISPUTADO COM EMOÇÃO E GOLOS

AF Porto Divisão Honra Jornada 3 
Complexo desportivo de Lavra 
Árbitro: Tiago Loureiro 
Cartão vermelho José Campos (65) e Rafael (90+2) 
LAVRENSE 2 INFESTA 2 Ao intervalo, 0-0, marcadores, Moreira (83), Tiago Carvalho (88), Rafael (90+2) e Kaká (90+3) 

 LAVRENSE: José Santos, João Magalhães (Nogueira 80), Fradinho, José Campos, Amilcar, João Luís (Postiga 67), Kaká, Palheira, Abilio, Wendel e Tiago Carvalho. Treinador Leandro Cunha. 

INFESTA: Miguel, Jean (Soares 79), Tiago, André Ribeiro, Estrela, Teixeira, Rafael, Lúcio, Rui Ferreira, Moreira e João Rodrigues (Kaká 65). Treinador Jorginho


Derbi bastante emotivo, com golos e muita emoção. No primeiro tempo assistiu-se a um jogo de parada e resposta, com as equipas a proporcionar um bom espectáculo, com jogadas de envolvimento colectivo bem gizadas, mas pertenceu ao FC Infesta a melhor oportunidade de inaugurar o marcador, quando Moreira na transformação de uma grande penalidade permitiu a que José Santos (na época passada estava do outro lado) defende-se.


No segundo tempo mais do mesmo, jogo de parada e resposta, mas os golos só surgiriam nos últimos dez minutos da partida, primeiro Moreira (83) redimiu-se do penalti desperdiçado, depois Tiago Carvalho a empatar (88), o brasileiro Rafael, dá vantagem novamente ao Infesta aos (90+2) e recebe ordem de expulsão por duplo amarelo, nos festejos do golo, e por último o empate final a dois, por Kaká aos (90+3), repondo a justiça e dando um colorido mais consentâneo com o desenrolar do encontro.

HUMBERTO SEGURA O EMPATE

 
6ª Jornada da Divisão d´Elite Pro-Nacional 
Estádio do Padroense FC – Senhora da Hora 
Árbitro João Pereira 
PADROENSE 0 REBORDOSA 0 

 PADROENSE: Humberto, Simão, Paulinho, Pereira, Taipa, Toninho (China 64), Miranda, André (Marcos 87), Carlitos (Jonas 67), André e Chico. Treinador Augusto Mata 

REBORDOSA: Vasco Viana, Serginho, Batista, Rui Alves, Paulo Monteiro, Silvério, João Dias (Dani 67), Artur, Rui Miguel (Oliveira 80), Hélder (Brandão 67) e Ricardo Teixeira. Treinador Calica.

Acabou tal como começou o confronto entre o Padroense e o Rebordosa (0-0) 
Resultado que satisfaz mais a equipa comandada por Augusto Mata, que tiveram no guarda redes Humberto a garantia da soma de um ponto na tabela classificativa, 
Humberto aos 70 minutos defendeu uma grande penalidade apontada por Silvério Não deixando os créditos por mãos alheias, a turma visitante entrou melhor no jogo, e Ricardo Teixeira esteve perto do golo. 
No segundo tempo o equilíbrio foi a nota a registar, as equipas defronta-se olhos nos olhos e criam oportunidades de golo em ambas as balizas, Jonas foi o primeiro a ameaçar o desfazer do nulo verificado, depois Taipa comete falta para penalti sobre Dani, Humberto é chamado a garantir o nulo, lance que galvanizou a turma da casa que cresceu no jogo, ficando muito perto de vencer a partida.

domingo, 11 de outubro de 2015

NO CAIR DO PANO…

 
Segunda Liga (encontro referente à 9ª jornada) 
Estádio do CD Aves, na Vila das Aves. 
Árbitro: Jorge Ferreira (Braga). 
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Max (12), Anton (22), Joel Silva (39), Marcos Valente (50), Nélson Pedroso (55), Tarcísio (77), Pan Ximing (90+1) e Caio (90+3). Cartão vermelho direto para Romaric (86) e Gonçalo Graça (86). 
AVES 1 LEIXÕES 0 
Ao intervalo: 0-0.Marcador:Theo Mendy, (84) 

 AVES: Quim, Vítor Alves, Romaric, Marcos Valente, Nélson Pedroso, Anton (Tarcísio, 29), Perdigão (Felipe Martins, 61) Pedró, João Amorim, Theo Mendy e Joel Silva (Renato Reis, 72).Treinador: Ulisses Morais. 
 LEIXÕES: Ricardo Moura, Gonçalo Graça, Banjai (Pan Ximing, 69), Pedro Pinto, Max (João Pedro, 46), Rui André, Caio, Bruno Lamas, Yuanyi Li, Guo Yi (Pedras, 62) e Ricardo Barros.Treinador: Manuel Monteiro. 

 Dia em que o treinador leixonense soprava 48 velas, a sua equipa é traída por um erro que se tornou fatal
   
Num frente a frente entre equipas que vinham de séries vencedoras (quatro e três triunfos, respetivamente), a primeira parte deixou um pouco a desejar, fruto da incapacidade de ambas as equipas para se superiorizarem ao bloco contrário. Ainda assim, os primeiros dez minutos revelaram-se prometedores, com o perigo a rondar as duas balizas, mas sem efeitos práticos. Com o Aves ao ataque desde o recomeço, João Amorim teve dez segundos depois o golo nos pés, mas no primeiro remate Ricardo Moura defendeu e a recarga saiu por alto. 
 Numa segunda parte em que o Aves esteve sempre mais perigoso e perto de marcar, o golo surgiu apenas aos 84 minutos, através de Theo Mendy, que aproveitou da melhor maneira um desentendimento entre Pedro Pinto e Ricardo Moura.

Conferência de Imprensa
Manuel Monteiro
"Depois de uma primeira parte de grande nível da nossa parte e de um segundo tempo com mais Aves, perdemos o jogo com um golo inacreditável. No ‘Só Vídeo’ seria candidato a golo do ano. Nas Aves acontecem sempre coisas incríveis. Já a época passada foi a mesma coisa. Arbitragem? Nunca comento."
Ulisses Morais
"O Leixões esteve melhor na primeira parte e, se estivesse em vantagem ao intervalo, aceitaria o resultado. Depois do intervalo corrigimos processos, assumimos o controlo da partida e, depois de várias oportunidades desperdiçadas, acabámos por ganhar o jogo com um golo um pouco aos trambolhões. Penso que ganhámos com justiça a um Leixões que nos causou muito mais dificuldades, por exemplo, do que o Benfica B, o último adversário que nos visitou."

sábado, 3 de outubro de 2015

QUEM TEM PEDRAS TEM TUDO…

 
5ª JORNADA D. ELITE A F PORTO 
Estádio do Leça FC em Leça da Palmeira 
Árbitro Diogo Oliveira 
LEÇA 3 OLIVEIRA DO DOURO 1 
Ao intervalo, 0-0 Golos Ivandro (10), Pedras (25, 67 e 76) 

LEÇA: Tiago oliveira, Joel, Turé, Noura e Alex (87); Marcos (Cheta 79), Hugo (87) e Jair, Mesquita (Álvaro 79), Pedras e Fábio Loureiro (Paulo Santos 79). Treinador Nuno Costa 

OLIVEIRA DO DOURO: Hélder (Moita 74), H. Duarte, Zé Soares, Careca, Lutchindo, Óscar (Bruno Duarte 74), Bruno Faria (Edgar 68), Pedro Sá, Tiago Veiga, Daniel Pinto, Ivandro. Treinador Rui França 

 Bom jogo de futebol foi este que assistiu em Leça da Palmeira. Os visitantes até começaram melhor e cedo se acercaram da baliza à guarda de Tiago Oliveira, minuto 10, golo forasteiro apontado por Ivandro, finalizando na cara de Tiago Oliveira uma joga de transição. Aos 15 minutos Hugo de fora da área remata sem direcção sendo este o clique para a excelente exibição da equipa do Leça. 25 minutos Pedras, aproveita um desentendimento entre Zé Soares e o guarda redes Hélder, fazendo o empate. Aos 27 minutos, Jair de fora da área remata forte mas Hélder defende com segurança.

No segundo tempo a equipa do Leça partiu para uma excelente exibição, com Pedras no comando os verde e brancos justificaram o triunfo, jogando com raça, velocidade explorando bem os corredores. Minuto 67 Fábio loureiro assiste Pedras para o seu segundo da tarde e a consequente reviravolta no marcador. Do outro lado os visitantes não viravam a cara à luta, Ivandro e Lutchindo com este a desperdiçar a hipótese e empatar na cara de Tiago Oliveira. Ao minuto 76 Pedras goleador de serviço (6 remates certeiros no campeonato) faz o hattrick com um golo de bandeira acabando com o jogo. Seguindo-se depois mais dois ou três lances de perigo junto à baliza de Moita (substitui Hélder lesionado) acabando o jogo com Pedras muito perto de fazer o poker.

PEDRAS COMPROMETEU E DEPOIS RESOLVEU…


10.ª jornada da II Liga portuguesa . 
Estádio do Mar, em Matosinhos. 
Árbitro: Bruno Esteves (Setúbal). 
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Renan (27'), Max (31') e Kiki (52'). 
LEIXÕES 2 GIL VICENTE 1 
Ao intervalo: 0-0.Marcadores: Paulinho, (68) Gonçalo Graça, (74) Pedras,(85) 

LEIXÕES: Ricardo Moura, Gonçalo Graça, Pedro Pinto, Diogo Nunes (Banjai, 46'), Max, Tandjigora, Rateira (Pedras, 56'), Bruno Lamas, Malafaia (Cadinha, 72'), Guo Yi e Ricardo Barros.Treinador: Manuel Monteiro. 

GIL VICENTE: Serginho, Pedro Lemos, Renan, Cadú, Kiki, Djamal (Yeo, 61'), Yartey, Alphonse, Vítor Gonçalves (Ricardinho, 81'), Avto e Paulinho.Treinador: Nandinho. 

Pedras, primeiro vilão e por fim herói, desfez-se em lágrimas em pleno relvado, após o apito final de Bruno Esteves. A vitória foi um balão de oxigénio para o Leixões, que anda pela cauda da tabela classificativa e tem agora nove pontos. 

Depois de uma primeira parte muito mal jogada e em que só houve uma situação clara de perigo, para os gilistas, numa ação individual de Yartey, o segundo tempo foi bem mais interessante e rendeu três golos. Pedras chegou ao jogo quando estavam decorridos 56 minutos, tendo substituído o apagadíssimo Rateira, e acabou por ser o grande protagonista. Com a bola em seu poder e sem olhar, o goleador leixonense decidiu atrasar a bola para o seu guarda-redes. Paulinho estava perto, adivinhou o que Pedras queria fazer, intercetou o passe, ultrapassou Ricardo Moura e fez o 1-0 (68).

O Leixões respondeu com alma, lançou-se deliberadamente ao ataque e correu alguns riscos. Ricardo Moura evitou o segundo golo gilistas com uma grande intervenção, após remate colocado de Yartey em que defesa leixonense se mostrou apática. A reação do conjunto de Matosinhos deu frutos aos 74 minutos. Depois de um despique intenso de Ricardo Barros com a defesa adversária, a bola sobrou para Gonçalo Graça e este, com um remate colocado, obteve o 1-1 (74). O golo animou o Leixões, que acentuou a sua pressão ofensiva e acabou por chegar ao 2-1 final (85). Numa transição defesa-ataque rápida, Cadinha, também vindo do banco, serviu Pedras este isolou-se e, com o pé direito, marcou, corrigindo assim o seu erro. Pedras voltou a estar perto do golo nos instantes finais 

 Conferência de Imprensa 

Manuel Monteiro "Foi uma vitória à Leixões num jogo bem conseguido da nossa parte. Uma vitória com o sangue do Bruno, o suor da minha equipa e as lágrimas do nosso capitão. Há três jogos no campeonato que merecíamos a vitória e hoje conseguimos o nosso objetivo com uma atitude tremenda. Depois de uma primeira parte dividida, fomos bem melhores na segunda. Tivemos uma grande reação após o golo sofrido, empatámos e quem mais merecia decidiu. O Pedras tem sido, nos últimos tempos, um jogador talismã. Teve aquela infelicidade, que acontece a qualquer um, mas acabou por fazer o golo que nos deu a vitória. Mas todos os jogadores estão de parabéns, pois tiveram uma reação excelente ao golo do Gil. Nunca comento arbitragens e já tive razões para o fazer, mas prefiro não entrar por aí." 

 Nandinho "Houve alguém que trouxe o Leixões para o jogo, após termos feito o golo. Não me quero alongar muito, pois nós também cometemos erros. O segundo golo do Leixões é um erro primário que não pode acontecer. Na primeira parte tivemos o jogo controlado. Na segunda parte, o Leixões entrou mais pressionante e num erro do Leixões chegamos à vantagem. Depois faltou-nos alguma frescura física. Fomos claramente prejudicados, houve alguém hoje que foi tendencioso. Mas o Leixões não tem nenhuma culpa nisso."

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

D LEÇA DO BALIO

D LEÇA DO BALIO

OS LUSITANOS SCFC

OS LUSITANOS SCFC