RÁDIO CIDADE MATOSINHOS

domingo, 31 de janeiro de 2016

EMPATE COM SABOR AMARGO PARA OS LECEIROS

 
22ª Jornada da Divisão D´Elite AF Porto 
Estádio do Padroense - Padrão da Légua 
Árbitro, João Martins 
PADROENSE 0 LEÇA FC 0

PADROENSE: Matos, Renato, Pedro, Pereira, Cristiano (Simão 74), Paulinho, Miranda, Toninho (Chico 79), Pedro Freitas (China 79), André (Jonas 46) e Hélder (Rui Carvalho 46). Treinador Augusto Mata
   

LEÇA: Diogo, Micael, João Paulo Noura, Bruno Freitas e Alex, Hugo, Jair e Pedras, Cheta, Álvaro (Mesquita 70) e Paulo Lopes. Treinador Nuno Costa 
 

 A equipa do Leça, posicionada atrás do Padroense na tabela classificativa, tinha mais a perder neste confronto, e não se fez rogada e entrou mais pressionante com mais insistência no ataque sendo aquela que mais fez para merecer outro resultado que não o empate verificado ao fim dos 90 minutos. Os primeiros 10 minutos do encontro o equilíbrio foi dominante sem grande lances de perigo, até que ao minuto 13` começou o festival de golos perdidos pelo avançado Pedras (numa tarde particularmente infeliz), ou aparece Matos, jovem guardião formado no Padroense, e que vem substituindo o experiente Humberto na baliza do Padrão. Aos 17`minutos é a vez de Álvaro que fica muito perto do golo. Melhor sobre o terreno a equipa do Leça vai pautando o jogo na procura do golo. 24 minutos outra vez o capitão Pedras em boa posição atira por cima. Só á passagem da meia hora de jogo é que o Padroense responde com bastante perigo, por Pedro Freitas (ainda júnior) que faz um chapéu a Diogo que sai a centímetros do poste direito do guarda redes leceiro. Bem perto do final do primeiro tempo, Cristiano atrasa mal o esférico, e isola Pedras que volta a não ser feliz indo o placard sem funcionar para o intervalo.

   

Segundo tempo mais do mesmo, Leça com sinal mais, aos 50 minutos, Álvaro dispara por cima em boa posição para marcar. Padroense que apresentou no onze 6 jogadores da sua formação, não conseguia responder, não conseguia ligar uma jogada ofensiva. Leça instala-se definitivamente no meio campo da turma da casa, cruzamentos perigosos vão surgindo na área dos da casa, Padroense bem organizado defensivamente lá vai sacudindo a pressão. Minuto 75, o canto do cisne para os leceiros, desta vez Pedras isolado permite a Matos grande defesa, defesa que vale pontos. Estava destinado hoje não era o dia de Pedras, muito por culpa do guardião Matos, para nós o melhor em campo. Quase em cima do apito final, Renato outro produto da formação da casa, pelo lado direito consegue isolar-se e na cara de Diogo não consegue o golo que diga-se seria injusto para o que as equipas produziram em termos ofensivos. Arbitragem bem conduzida, num jogo em que o Leça merecia ficar com os três pontos.

VITÓRIA DA HUMILDADE E DA ENTREAJUDA

 
27ª Jornada da Segunda Liga 
 Estádio Dr. Jorge Sampaio, em Vila Nova de Gaia 
Árbitro: Pedro Campos (Porto) 
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Chidozie (9'), Abalo (34'), Alemão (52'), Rateira (64'), João Pedro (79'), Pedras (84'), Malafaia (86') e Gonçalo Graça (90'+1)
FC PORTO B 0 LEIXÕES 2 
Ao intervalo: 0-1- Marcadores (Bruno Lamas 40) Rateira (84') 

FC Porto B: Gudiño, Victor Garcia, Chidozie, Maurício, Pité (Rui Moreira, 22'), Omar (Sérgio Ribeiro, 72'), Gleison, Fede Varela (Ruben Macedo, 46'), Francisco Ramos, Ismael e André Silva Treinador: Luís Castro. 

Leixões: Ricardo Moura, Gonçalo Graça, Pedro Pinto, Diogo Nunes, João Pedro, Bruno China, Rateira, Abalo (Malafaia, 64'), Bruno Lamas (Cadinha, 89'), Alemão (Pedras, 75') e Ricardo Barros. Treinador Pedro Miguel 

 Vindo de uma serie de resultados que ponham a nu algumas deficiências por parte da turma do Leixões, os Matosinhenses deram uma resposta frente ao líder, simplesmente espectacular, conseguindo com toda a justiça os três pontos que muita falta fazem na luta pela manutenção. Foi a vitoria de uma equipa que se revelou eficaz e muito solidária na hora de defender. 
Os golos foram marcados por Bruno Lamas (40') de livre direto superiormente marcado e Rateira (84') numa transição que se impunha, que, por sinal, foram igualmente os autores dos golos com que o Leixões bateu os portistas em Matosinhos. 
 O Leixões bateu-se sempre com grande determinação e mostrou-se seguro na defesa, com Diogo Nunes em bom plano, e soube resistir à pressão que os portistas fizeram na reta final, ainda que sem grande esclarecimento. 
 
Conferência de imprensa 

Pedro Miguel "O segredo da vitória esteve na organização, na união e na humildade da minha equipa. Estivemos muito bem como equipa e fizemos um jogo muito inteligente, frente a um Porto B que sido a melhor equipa do campeonato. Mas soubemos sofrer, quando foi necessário, e aproveitar as ocasiões de que dispusemos. Demos uma bela resposta ao último resultado e recuperámos o que perdemos. Conseguimos uma vitória importante, mas ainda faltam muitos pontos até atingirmos o nosso objetivo. Mas conseguimos mais três pontos e estamos satisfeitos por isso. Todos juntos vamos conseguir sair desta situação aflitiva em que ainda nos encontramos. Parabéns aos meus jogadores e parabéns à nossa massa associativa, que tem sido extremamente importante em todos os jogos e nos resultados que temos obtido. Mercado? Até amanhã espero por mais jogadores. Vamos ver se conseguimos o que pretendemos. O Leixões é um clube que não paga muito, mas tem sido extremamente cumpridor esta época e tem tudo em dia." 

Luís Castro "Falhámos golos na primeira parte, que, a terem entrado, fariam com que tudo tivesse sido diferente. O Leixões marcou numa bola parada e depois voltou a ser muito eficaz. A minha equipa esteve sempre muito desligada, fruto da semana de trabalho que tivemos."

sábado, 30 de janeiro de 2016

ANTEVISÃO DO PADROENSE VS LEÇA FC (DERBI CONCELHIO)

 
Padroense e Leça, vão medir forças no próximo domingo em jogo referente à 22ª jornada da Divisão d´ Elite A F Porto. Pertencentes ao mesmo Concelho separados apenas por escassos 3 km, fazem deste confronto um verdadeiro dérbi, um dérbi que já ten alguns anos de história e o próximo vem com certeza acrescentar mais episódios ao já longo historial das duas equipas. Confrontos entre ambos, já vai em 14 jogos realizados, sendo que equilíbrio é a nota dominante, tendo porem uma ligeira supremacia da equipa leceira, que já venceu por 5 vezes, tendo empatado por 6 ocasiões consentido 3 derrotas. O último confronto entre ambos registou-se no final uma igualdade a duas bolas em Leça da Palmeira, mas o resultado verificado que se encontra ainda nas mentes dos adeptos e que deixou algumas marcas de desalento nas hostes Padroensistas foi alcançado no início desta época quando os leceiros venceram no Padrão da Légua por 0-4 Amanha outro jogo se seguirá, outra história ficará para contar.

 
O Padroense que já viveu melhores dias nesta competição, encontra-se posicionado na 9ª posição da tabela com 29 pontos, fruto de 6 vitórias e 11 empates neste capitulo é a par do Barrosas a equipa que mais vezes empatou. A fazer um campeonato tranquilo, sem a pressão positiva da subida e sem pressão negativa da descida, a equipa de Augusto Mata tem reunidas as condições para protagonizar um excelente espectáculo a quem se dirigir ao estádio do Padroense. 

No lado Leceiro a situação é um pouco diferente, estando a equipa de Nuno Costa, posicionada em 14º lugar, com 24 pontos, fruto de 5 vitórias e 9 empates, longe de estar a salvo de qualquer percalço no que concerne à descida de divisão, revelando-se muito inconstante no nível da qualidade futebolística apresentada jornada após jornada, no entanto a qualidade técnica dos seus jogadores permite pensar-se de que estão reunidas as condições necessárias para que se assista a um dérbi de futebol Concelhio que se espera disputado com muito fair play.

PEDRO FREITAS TEM 17 ANOS E MARCA GOLOS QUE SE FARTA

PEDRO FREITAS Goleador de 17 anos natural de Custóias marca se farta nos Sub 19 do Padroense só esta época em 18 jogos já fez o gosto ao pé por 19 ocasiões, 1 golo pelos seniores em Oliveira do Douro para o campeonato da Divisão d´Elite e logo na estreia. Mitchfoot foi ao encontro do jovem avançado que aceitou de pronto fazer esta pequena entrevista, que visa dar a conhecer um jovem que marca golos que se farta com a camisola do Padroense 

 MITCHFOOT - Pedro à imagem de outros jovens como tu, por certo tens um motivo que te levou a gostar de futebol? 

PEDRO FREITAS- Comecei a jogar à bola com 5 anos na escolinha João Faneco (Leixões), até porque acompanhava o meu pai por todo lado, ele que também jogava à bola e isso levou a com que eu amasse o futebol. 

M - Ao longo do teu percurso de formação, sempre foste avançado? 

PF - Sim, sempre tive aptidão para jogar perto da baliza adversária. 

M - É um facto que tens uma veia goleadora que se destaca dos demais, conta-nos qual o teu segredo para estares sempre de pé afinado? 

PF - Muito trabalho, muita dedicação, e muita humildade que é o que se mais pede a um jogador de futebol 
 

M - Já tiveste a tua oportunidade de envergar a principal camisola do Padroense, estreia que veio a revelar-se histórica, diz-me qual a sensação que tiveste ao marcares o 1º golo como sénior? 

PF - Não consigo expressar muito bem aquilo que senti, é um momento inesquecível que vai ficar guardado na minha memória para sempre, sigo o caminho futebolístico que seguir isto vai ficar na história como jogador 

M - Como todos os jovens, tens objectivos, queres contar-nos por onde passa ou perspectivar o teu futuro? 

PF - O meu maior sonho era jogar numa equipa de topo do futebol, num grande do futebol europeu e chegar à internacionalização pela nossa Seleçao 

M - Qual o teu clube do coração, qual o teu ídolo, se é que o tens? 

PF - O clube do meu coração é o clube que eu estou a representar, é um clube fantástico com uma organização de top, e é um orgulho vestir a camisola do Padroense para alem disso, foi o clube que fez me trouxe a este patamar e será sempre a minha segunda casa(...) o meu jogador favorito é o Ronaldo (Fenómeno) o avançado mais completo que eu já vi a jogar. 

M - Queres dizer algo aos teus colegas de equipa, aos teus apoiantes, pretendes agradecer a alguém especial? 

PF - Quero agradecer todos os meus colegas de equipa que tem sido fantásticos comigo e sem eles eu não conseguia atingir este nível, ou seja a chamada à equipa senior do Padroense, e quero agradecer também a todos que me apoiam, e que continue porque sem eles não conseguia chegar onde estou, e quero agradecer ao Mitchfoot por me ter dado esta oportunidade de me dar a conhecer melhor

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

DIVISÃO DE HONRA DA F PORTO


Mitchfoot sabe que a AF Porto tem tentado tudo para que os supostos ofícios dos clubes que deram entrada nos serviços administrativos a dar conta da intenção de não comparecerem aos jogos agendados com o Canela 2010, sejam demovidos de tal intenção. 

Ainda há bem pouco tempo, 15 presidentes, 1 (Gondim Maia) não pode marcar presença em virtude de ausência no estrangeiro, de clubes inscritos no campeonato da Divisão De honra, estiveram reunidos com os responsáveis da AF Porto, tendo reafirmado a intenção de não comparecerem aos jogos, excepto um clube (Ermesinde) que não se revê nesta decisão. 

Mitchfoot sabe também que um clube (Lavrense) mostrou interesse em ceder nessa pretensão, exigindo algumas garantias à AF Porto, ou seja subirão ao relvado na presença do presidente da Associação, do presidente do Conselho de Arbitragem, e do Presidente do Conselho disciplinar, exigindo também que o jogo seja arbitrado com 5 juízes de jogo, à imagem do que se pratica nas Competições Europeias.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

EM JUVENIS CUSTÓIAS 3 SENHORA DA HORA 1


Custóias FC (Juvenis) vence derby Matosinhense 
O campeonato de Juvenis da associação de Futebol do Porto, serie 3 ditou Custóias FC x SC Srª da Hora, alem de um tradicional derby, o jogo revestia-se de grande importância para as duas equipas, mas mais vital para as pretensões do Srª da Hora, que em caso de derrota, era equivalente ao afastamento do lugar de acesso á subida de divisão. 
 Em circunstancias normais, as equipas entram em campo com respeito mutuo e nos minutos iniciais estudam a reacção do seu adversário, contudo a pouco minutos do seu inicio, o Custóias FC em Livre directo inaugurou o marcador e faz com que as opções táctica e estratégicas pré estabelecidas caíssem por terra. 
Srª da Hora tenta reagir ao golo, e passa a jogar mais com o coração do que com a cabeça, o que em futebol geralmente é mau sinal, simplesmente porque encontrou um Custóias mais organizado e colectivo que teve a sabedoria de controlar e de esperar pelo erro do adversário, acabando por controlar o jogo e como o que conta é o resultado final, a vitória por 3 bolas a 1 é um justo prémio para os jovens de Custóias. 

Maria Isabel Costa directora desportiva do Custóias FC 
"Foi um jogo disputado entre duas equipas, que aspiram subir de divisão, onde o Custóias pela forma que encarou o jogo, e como entrou em campo foi superior em todos os momentos, a vitória por 3 a 1 é justa embora o resultado pudesse ter sido mais dilatado tal foi o domínio e as oportunidades de golo iminente criadas pela equipa do Custóias, principalmente na segunda parte onde houve um domínio absoluto da equipa da casa". 

André Alves Ferreira director desportivo do SC Srª da Hora 
"Posso dizer que foi um jogo entre duas boas equipas...que tivemos uma primeira parte em que o SCSH foi superior apesar de sofrer um golo de bola parada aos 3 minutos de jogo e ter perdido alguns lances de golo ainda na 1 parte. Uma segunda parte em que o Custóias entrou muito pressiona-te sobre a bola e num contra ataque fez um belo golo pelo seu avançado, Marcelo Mussumesci...A equipa do scsh reagiu ao golo e voltou a ter um controlo do jogo mas sem resultados práticos com um dia muito negativo da linha avançada, aos 65 minutos o jogo ficou resolvido apos uma falta e expulsão do nosso atleta que deu origem a um livre muito bem marcado.De destacar o fair-play de maioria dos atletas, e com um grande jogo do gr do Custóias, Vasco Gavina com 4 ou 5 defesas de grau elevado e do avançado Marcelo Mussumesci do Custóias com dois golos e um grande jogo. Pelo SCSH grande jogo do capitão, Ricardo Ferreira, dos defesas centrais Fábio Sousa e Cardoso e defesa direito, João Meireles atletas que apesar das dificuldades nunca deitaram a toalha ao chão e deixaram todo em campo." 

Manuel Sà

LEÇA DO BALIO CONSENTE EMPATE CASEIRO

 
1ª Divisão Serie 1 A F Porto, jornada 17 . 
Complexo Desportivo de Leça do Balio, em Matosinhos. 
Arbitro: Fábio Silva. 
LEÇA DO BALIO 1 CRESTUMA 1 
Ao intervalo: 1-0. Marcadores: Pedro Gomes (6) e Bruninho (51,gp). 

LEÇA DO BALIO: Miguel Mota; Carlitos, Duarte, Cardigos e João Pinto; Guil, Quaresma (Malta, 71), e Pedro Gomes; Félix (Brás, 82), Hugo e Machado (Gonçalo, 46) Treinador: Mário Heitor. 

CRESTUMA: Rui Leite; Samuel, Tiago Teixeira, Lázaro e Vitinha; Bruninho, Jorge e Ricardinho (Macedo, 81); Chiquinho, (Pedro, 54), Lola e Viza (Rooney, 54). Treinador: Vítor Moreira. 

 

O Desportivo de Leça do Balio não conseguiu alcançar os três pontos nesta jornada, mas mantém se na liderança da sua série. O treinador Mário Heitor teve de apresentar um onze diferente da equipa tipo habitual, devido às várias lesões no plantel aurinegro. Mesmo com estas alterações os Balienses entraram fortes no jogo como tem sido habitual nesta temporada e logo aos 6 minutos chegaram à vantagem num remate fabuloso fora de área de Pedro Gomes. O Crestuma que mostrou bons argumentos, mostrando o motivo de ocupar os lugares cimeiros da tabela classificativa, reagiu ao golo e equilibrou a partida embora só criasse verdadeiro perigo ao último reduto Baliense essencialmente em lances de bola parada. Ainda antes do intervalo os da casa tiveram uma oportunidade flagrante de golo através do jovem Machado, que se estreou esta época a titular em jogos oficiais. Mérito também neste lance para o guarda redes visitante Rui Leite. 

 

No segundo tempo, mais concretamente aos 55 minutos é assinalada grande penalidade pelo arbitro da partida contra a equipa do Leça do Balio. Um tremendo erro do arbitro que converteu um livre à entrada da área numa grande penalidade. O central Duarte derruba o avançado gaiense fora da área, tendo este caído dentro, o que originou o erro grave do juiz da partida, penalizando fortemente a equipa líder do campeonato. Bruninho na conversão não desperdiçou empatando a partida. A partir deste momento só deu Leça do Balio, onde a equipa de Mário Heitor carregou no acelerador criando várias oportunidades de golo, mas sem sucesso. Apesar da boa réplica Gaiense, e de uma exibição menos conseguida por parte dos Baliense, fizeram o suficiente para conquistar os três pontos na partida. O Desportivo Leça do Balio soma agora 41 pontos, mantendo a distância de dois pontos para o segundo classificado.

domingo, 24 de janeiro de 2016

CICLO VITORIOSO QUEBRADO COM GOLEADA SOFRIDA EM CASA

 
26.ª jornada da Segunda Liga 
Árbitro: Nuno Almeida (Algarve). 
Leixões 0 Varzim 4 
Ao intervalo 0-1, Golos: Elísio Esteves (20), Stanley (56 e 83), Gil Dias (75) 

Leixões: Ricardo Moura, Gonçalo Graça, Diogo Nunes, Pedro Pinto, João Pedro, Malafaia (Abalo, 64), Caio (Bruno China, 51), Bruno Lamas (Rateira, 65), Pedras, Alemão e Ricardo Barros. Treinador: Pedro Miguel. 

Varzim: Pedro Soares, Adilson, Sandro, Nélson Agra, Rui Coentrão (Raul, 53), Pedro Sá, Stanley, Nelsinho, Manafa (João Carneiro, 58), Elísio (José Postiga, 67) e Gil Dias.Treinador: Nuno Capucho.  
A perder ao intervalo devido ao golo madrugador de Nelsinho, o Leixões viu-se cedo reduzido a dez jogadores por expulsão de Pedro Pinto e acabou por encaixar mais três tentos, da autoria de Stanley (dois) e de Gil Dias, resultado que permitiu aos visitantes afastarem-se da zona de despromoção. Com a luta pela fuga aos lugares de despromoção no horizonte de ambas as equipas, foram os poveiros a começar melhor, tendo Nelsinho, aos 20, servido Elisío, que, sem marcação na área, atirou cruzado para o golo inaugural. O cenário agravou-se para o Leixões logo no recomeço, depois de Pedro Pinto ver o segundo cartão amarelo por mão na bola e pior ficou aos 56, quando Ricardo Moura (56) deixou que Stanley se antecipasse e, de cabeça, fizesse o 2-0. Gil Dias (75), desmarcado por Nelsinho, ampliou para 3-0, após o que Stanley, a aproveitar um perda de bola de Diogo Nunes (83), bisou na partida, fazendo o 4-0 e selando o marcador. 

 

Conferência de Imprensa 

Pedro Miguel "Muito sinceramente, não fiquei surpreendido com a atitude dos nos adeptos. Desde que cá estou, eles têm-nos apoiado sempre e isso motiva-nos. Depois de uma derrota destas, ficámos muito tristes, mas temos de levantar a cabeça e dar o máximo para, nos próximos jogos, conquistarmos as vitórias que os adeptos merecem. Hoje foi um dia mau mas apenas perdemos 3 pontos. O Varzim foi melhor e mereceu ganhar. Eles entraram fortes, marcaram e depois nós equilibrámos e poderíamos ter chegado à igualdade nos descontos da primeira parte. Depois houve um lance que marcou o jogo, em que o critério do árbitro não foi uniforme ao tido no lance que, minutos antes, valeu a expulsão ao Pedro Pinto. O árbitro auxiliar levantou a bandeira, mas a jogada prosseguiu e ficámos à espera do segundo amarelo para o jogador do Varzim quando o jogo parasse. Até o Capucho ficou surpreendido pelo que, para não correr riscos, retirou logo o seu jogador do campo. Esta decisão do árbitro foi determinante para o resto do jogo. Depois do segundo golo deles, arriscámos porque ou fazíamos o 1-2 e voltávamos ao jogo ou sofríamos mais um e tudo acabava ali, como infelizmente aconteceu." 

 Nuno Capucho "O jogo correu como eu esperava. O Leixões é uma equipa difícil, bem organizada e criou-nos muitas dificuldades no espaço defensivo. Mas o Varzim entrou muito bem, teve 30 minutos muito bons, criou oportunidades e chegou ao intervalo a vencer. Na segunda parte, a partir da expulsão do jogador do Leixões, comandámos o jogo e vencemos com toda a justiça."

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

ÂNGELO SILVA "ajudar a potenciar GR é para mim gratificante"

Ângelo Silva, 34 anos, natural de Folgosa-Maia, Treinador GR no Desportivo Leça do Balio, operador de máquinas na empresa Socitrel é hoje o nosso convidado, para falar sobre o significado “treinador de guarda-redes “ 

MANUEL SÁ - Pergunta típica, o que o levou a ser treinador de guarda-redes? 

ÂNGELO SILVA- Porque a minha grande paixão é a baliza! Fui GR e nunca tive treino especifico o que me prejudicou imenso na minha formação e nesta perspectiva poder ajudar a formar e potenciar GR para mim é gratificante. Ainda estou a dar os primeiros passos como treinador GR mas tenho aprendido muito com pessoas mais experientes na área e claro com todos os meus GR´s. 

MS - Como define um treinador de guarda-redes? 

 AS - O treinador de GR é alguém que revela acima de tudo paixão pela posição GR, que domine toda parte técnica e táctica que se impõe à posição. Também assumimos uma certa faceta de psicólogos pois o segredo do sucesso de um GR depende muito do seu estado emocional. O nosso trabalho não é muito valorizado pelos clubes mas penso que esse estigma tende a desaparecer face ás exigências do futebol moderno. 

MS - Como treinador de guarda-redes, como pensar e executar um treino de guarda-redes de formação? 

AS - Na formação os treinos são planeados em função da idade. Entre os 6 e os 12 o treino requer que o GR aprenda agarrar a bola, a cair ao chão e pouco mais que isso, daí em diante intensifica-se de forma gradual os aspectos técnicos e tácticos tendo sempre em conta as limitações de cada GR´s. 

MS - Em termo de guarda-redes, entre a formação e sénior existe grandes diferenças, quais as mais relevantes? 

AS - Existe claro grandes diferenças, se na formação tens sempre a preocupação de trabalhar com vários níveis de intensidade, com exercícios variados para que todos possam superar as suas dificuldades, no escalão sénior a intensidade é só uma embora também existam também algumas limitações a trabalhar só que a maturidade permite resultados a curto prazo. Porém no escalão de juniores os grs já trabalham quase com a intensidade de um sénior 

MS - Um guarda-redes passa de herói a vilão em escassos minutos, o facto de ter evitado 5 golos e fazer grandes defesas, cai por terra se sofre um “frango” o que geralmente faz num caso destes? 

AS - Eu costumo dizer aos meus gr no momento para levantarem a cabeça e esquecerem o que é difícil porém naquela hora temos que os apoiar e incentivá-los para o que resta do jogo. Posteriormente ao jogo apelo a que reflictam no lance e que tentem detectar o que falhou e como melhorar. Quanto ao facto de passarem de bestiais a bestas em segundos isso não me incomoda e para eles a única opinião que conta é a dos seus treinadores. Os ditos frangos não são mais que más decisões, com os jogadores as más decisões são bem mais frequentes seja em que posição for. 

MS – Que conselho quer deixar aos jovens guarda-redes? 

AS - Aos guarda-redes aconselho-os a viverem e desfrutarem da genialidade que são. Nem todos tem este dom por isso tentem ser mais e melhores e nunca se deixem vencer pelas adversidades. Somos sempre guarda-redes em qualquer área da nossa vida pois os valores éticos e morais permanecem connosco! 

Entrevista conduzida por Manuel Sá 
Editada por Mário Mitch

PERAFITA COM DEZ TRAZ UM PONTO DE VILA MEÃ


Divisão d´Elite 20ª jornada 
Estádio Municipal de Vila Meâ 
Árbitro, David Silva. 
Acção disciplinar, expulsão de Tiago Moura aos 31 minutos 
VILA MEÂ 1 PERAFITA 1 
Ao intervalo 0-1, golos Couto (28) e Toni (75)

VILA: Barroco, Pedro Sousa, Marinho (Jonas 67), Toni, Domingos, Dani, Manuel Luís (Parreco 46), Mika, Bessa, Alex, Fabrice (Tiago 77). Treinador Paulo Amor

PERAFITA: Mata, Morgado, Tiago Moura, Tiga, Tiago Silva, Coutinho, Marco Fafiães, Ricardo, João Paulo (Pedro Areis 67), Couto e Nandinho (Queimado 65). Treinador Paulo Gentil

Três equipas em campo, só uma quis assumir o protagonismo
Jogo bem disputado com um inicio por parte da equipa da casa a tentar desde logo assumir as despesas do jogo, Perafita mais na espectativa, jogando com o bloco baixo, tapando as investidas atacantes por parte do Vila Meâ e partindo em transições ameaçando com perigo o ultimo reduto defensivo dos anfitriões.
Perafita lá ia mantendo o jogo de certa forma controlado e consegue chegar à vantagem através de um livre direto superiormente marcado por Luciano Couto aos 28 minutos de jogo.
A partir deste momento a terceira equipa resolve aparecer em jogo, usando de uma dualidade de critérios em que a equipa comandada por Paulo Gentil saí nitidamente prejudicada, ficando mesmo reduzida a dez (expulsão de Tiago Moura que se estreava nos perafitenses vindo da UD Lavrense) num lance em que mais uma vez foi mal ajuizado pelo juiz da partida

Na etapa complementar, como era espectável o Vila Meâ acentua mais o seu jogo ofensivo em busca da igualdade, forçando mesmo o ultimo reduto defensivo do Perafita, mas sem criar grande lances de aflição pois as suas investidas esbarravam sempre na bem organizada defensiva perafitense. Aos 75 minutos o Vila Meâ chega à igualdade, de grande penalidade, lance que gera algumas dúvidas.
Até ao fim do jogo o Perafita cerra linhas e com espirito bastante solidário consegue arrancar um ponto fora de portas, num terreno particularmente difícil, fazendo transparecer que podem contar com eles nesta luta de fugida à despromoção.

LEÇA SAI VITORIOSO DO SR. DO AMPARO (Estádio em que é particularmente feliz)


20ª Jornada da Divisão d´Elite 
 Estádio Sr. do Amparo na Lixa 
Árbitro Valter Gouveia. 
Acção disciplinar Jair (69) expulso por acumulação 
LIXA 2 LEÇA FC 3 
Ao intervalo, 1-1, golos Jair (gp 2`) Ruben (24`) Cheta (56`) Pedras (61`) e Quinzinho (80`). 

LIXA: David, Samuel, Maicon, Costa Pinto e Nandinho (Rebertinho 75) Ruben, Andrézinho, Henrique, Mauro (Quinzinho 65) Bock, (Raul 65), Pedro Moreira. Treinador Filipe Coimbra. 

LEÇA FC : Diogo, Micael, Noura, Bruno Freitas e Alex, Hugo (Mesquita 86), Jair, Paulo Lopes (Turé 73), Álvaro (Rocha 86), Pedras (Crista 86) e Cheta (Marcos 73). Treinador Nuno Costa. 

Num estádio que tradicionalmente é feliz para o Leça 
...Entrada de rompante da equipa do Leça, que foi culminada com obtenção do primeiro golo, muito cedo (2`) Jair de penalti a castigar falta sobre Álvaro dentro da área de rigor (ficou um vermelho por mostrar ao defesa lixense) Seguiu se uma reação natural e normal do Lixa culminada com o golo do empate aos 24 minutos por Ruben. 

 Na segunda parte o Leça volta a entrar com a corda toda e chega de novo à vantagem merecida através de Cheta (56`) assistido por Paulo Lopes. Melhor sobre o terreno em todos os capítulos do jogo, com naturalidade a turma leceira chega ao terceiro golo por intermédio do goleador da equipa, Pedras (61`) desta vez com Cheta na assistência. Jogo estava perfeitamente controlado pelos leceiros, até o árbitro decidir ser o protagonista (ele que tinha perdoado a expulsão logo aos 2 minutos a um jogador da casa) expulsando por acumulação de amarelos o brasileiro Jair. Aproveitando a superioridade numérica o Lixa “atira-se” desenfreadamente para cima do Leça na esperança de chegar a igualdade, mas o forcing só valeu para reduzir a vantagem aos 80`por Quinzinho. Vitória inteiramente justa da equipa que viajou de Leça da Palmeira. 

 No final do jogo gerou-se uma confusão entre o treinador do Leça e a claque leceira (ver peça a parte neste blog)

NUNO COSTA TRAVA-SE DE RAZÕES COM A CLAQUE DO LEÇA

Ânimos exaltados no final do jogo Lixa 2 Leça FC 3
Nuno Costa trava-se de razões com os adeptos leceiros, tendo existido uma troca de "mimos". 
Por certo e dado a campanha que o Leça vem fazendo, a insatisfação daqueles que acompanham os verde e brancos em todos os jogos, é por demais evidente e têm-se manifestado sobre isso mesmo. 
Nuno Costa treinador leceiro, mal acabou o jogo (vitoria do Leça por 2-3) no Estádio Sr. do Amparo na Lixa, dirigiu-se ao sector onde estavam os adeptos (claque) do Leça, travando-se de razões, talvez pelo desagrado de alguns que se insurgiam contra o treinador, e os ânimos aqueceram. 

 Facto que leva o técnico a retratar-se publicamente, em comunicado, usando a página 
 (facebook oficial) do clube, que transcrevo na integra. 

COMUNICADO 
" Venho por este meio pedir desculpa a todos os sócios e simpatizantes do Leça assim como aos elementos da claque que apoiam o clube em todos os campos em que este joga, pela situação que criei no fim do jogo. 
Tinha por intenção festejar a vitória com todos os que se deslocaram à Lixa para apoiar a equipa. 
Não queria que a situação ficasse daquela forma mais agitada mas sim que todos juntos pudéssemos festejar a conquista dos 3 pontos. 
Gosto do Leça Futebol Clube e só tenho a agradecer pelo apoio que as pessoas me têm dado ao longo do tempo. 
Tenho a consciência que sou jovem e que na vida estamos sempre a aprender e esta foi uma situação que me serviu também como uma lição. 
Queria também transmitir que nos momentos bons e menos bons que vou passando no Leça os adeptos me fazem crescer enquanto pessoa e treinador e só tenho a agradecer eternamente por isso. Conto convosco e com o vosso apoio e podem também contar com o meu respeito perante vocês que apoiam e querem o melhor para o clube. Dentro do que me for possível irei dar o meu melhor para que o Leça alcance o maior número de vitórias possível. "
Os melhores cumprimentos, 
Nuno Costa

domingo, 17 de janeiro de 2016

LEIXÕES METE A 4ª COM PEDRAS A CONDUZIR

25ª jornada da Segunda Liga 
Estádio da Tapadinha, em Lisboa. 
Árbitro: Rui Costa (Porto). 
Ação disciplinar: cartão amarelo para Pedro Pinto (22), Jorge Ribeiro (27), Celestino (41) e Rateira (80). 

ATLÉTICO CP 0 LEIXÕES SC 1 
Ao intervalo: 0-1.Golo Pedras (18) 

 ATLÉTICO: Danilo Lerda, Duarte Machado, Mbemba, Jefferson, Rui Maurício (Nádson, 74), Jorge Ribeiro, Celestino (Hélio Cruz, 78), Djikiné, Regula (Minor López, 64), Vouho e Malele.Treinador: Pedro Hipólito. 

LEIXÕES: Ricardo Moura, Gonçalo Graça, Pedro Pinto, Diogo Nunes, João Pedro, Caio, Malafaia, Alemão (Rateira, 73), Bruno Lamas (Cadinha, 90+2), Pedras (Niang, 87) e Ricardo Barros. Treinador: Pedro Miguel. 

 O golo do capitão leixonense, aos 18 minutos, foi o expoente máximo da eficácia dos visitantes, que confirmaram o melhor momento da temporada, diante de um Atlético que apenas somou uma vitória nos últimos 10 jogos em casa. De resto, no final da partida, os adeptos alcantarenses contestaram o treinador Pedro Hipólito, na sequência de uma exibição fraca dos lisboetas, que revelaram total ausência de ideias e foram quase sempre inconsequentes no ataque. Ainda assim, à passagem do quarto de hora, Vouho dispôs de uma boa ocasião para o Atlético, mas seria o Leixões a adiantar-se no marcador, por intermédio do experiente Pedras, que capitalizou a única situação criada pelos visitantes em toda a partida. Contudo, aos 23 minutos, os alcantarenses beneficiaram de uma grande penalidade, mas Vouho falhou o castigo máximo, antes de Regula também desperdiçar excelente oportunidade para repor a igualdade. 

 No regresso do descanso, as duas formações não souberam ultrapassar as más condições do relvado e assistiu-se a um segundo tempo de fraca qualidade, com muita luta e pouco discernimento de ambas as equipas. Seria preciso esperar pelos minutos finais para se registar algum perigo junto da baliza do Leixões, mas nem Djikiné, nem Minor López conseguiram anular a vantagem da equipa de Matosinhos, que soube segurar três preciosos pontos nesta visita a Lisboa.

DESPORTIVO LEÇA DO BALIO SOMA E SEGUE NA FRENTE

 
A F Porto 1ª Divisão serie 1 - Jornada 16 
Parque de Jogo Domingos Soares Lopes 
Árbitro Carlos Reis 
 LUSITANOS 1 VS D LEÇA DO BALIO 3 
Ao intervalo 0-2 Golos, Rafa (9) Félix (38) e Guil (54) Sérgio Teixeira (58) 

OS LUSITANOS: Zé Filipe, Rui Dias (Barreira 64), Sérgio Teixeira, Pipo Mesquita e Hugo Tarrelo, Valente (Paulo 64), Miguel, Rui Meneses, David, Suiço (Ricardinho 70) e Jota (Hugo Teixeira 78). Treinador Paulo Silva.
   

DL BALIO: Miguel Mota, João Pinto, Cardigos, Duarte, Carlitos, Guil, Carlos Diogo (Diogo Santos 87), Rafa, Félix (Machado 70), Hugo (Brás 87) e Pedro Gomes (Quaresma 70). Treinador Mário Heitor
   

Jogo bem disputado com duas partes bem distintas. Os lideres entram melhor e realizaram uma excelente exibição durante os primeiros 45 minutos, indo para o intervalo a vencer por duas bolas a zero, ficando a dever si próprio uma margem mais folgada. Os Lusitanos que contaram com Zé Filipe em dia sim, de quando em vez lá iam respondendo como podiam e David bem perto do intervalo, poderia ter reduzido quando aproveitou uma má abordagem ao lance por parte de Cardigos que quase resultava em golo. 

 No segundo tempo, mais do mesmo…os balienses sempre por cima do jogo, e aos 54 minutos Guil de fora da área faz o terceiro de belo efeito. A vencer por três bolas a zero, os visitantes tiraram o pé do acelerador, como que gerindo o resultado alcançado. É ai que a turma visitada reduz por Sérgio Teixeira aproveitando o livre marcado por David pelo lado direito. Praticamente a seguir os Lusitanos estiveram perto do segundo golo, num livre superiormente marcado por David. Até ao fim, o jogo entrou numa toada de equilíbrio com jogas de parada e resposta sem contudo existir alteração no marcador. Vitoria justa dos visitantes que continuam no comando da prova, boa arbitragem. 

 
Mário Heitor treinador baliense 
“Jogo em que dominamos claramente o nosso adversário, praticamos até aos 60 minutos um futebol de grande qualidade e isso traduziu-se em 3 golos sem resposta e onde desperdiçamos mais 3 ou 4 oportunidades só com o GR pela frente. Após o 0-3 a equipa relaxou e o Lusitanos passou a controlar o jogo como boa equipa que é mas apenas nos criou perigo em lances de bola parada. Foi uma vitória justíssima e que premiou o esforço que estes meus jogadores têm feito para conseguirmos os nossos objectivos. Uma palavra de agradecimento a todos eles que têm sido uns autênticos guerreiros.”

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

LEÇA DO BALIO SEGURO NA LIDERANÇA


1ª Divisão A F Porto, jornada 15 . 

Estádio Municipal do Castelo da Maia, na Maia. Arbitro: Fernando Ferreira. 
SC CASTÊLO DA MAIA 1 D LEÇA BALIO 2 Ao intervalo: 1-0. Marcadores: Renato (41), Hugo Ferreira (75), Pedro Cardigos (80). 

CASTÊLO DA MAIA: Eduardo; Rochinha (Bruno Cruz, 85), Paulo Sérgio, Pedro Ferreira e Pedro Teixeira; João Alves, (Pedrinho, 85), Kinando e Renato; Ribeiro, Oliveira (Tiago, 58) e João Duarte (Paulo Carneiro, 58).Treinador: Luciano Simões. 

LEÇA DO BALIO: Miguel Mota; João Pinto, Miguel Cunha, Pedro Cardigos e Carlitos; Carlos Diogo, Guil (Brás, 66) e Rafa; Pedro Gomes, Braga (Félix, 55) e Hugo Ferreira. Treinador: Mário Heitor. 

 O Desportivo Leça do Balio soma e segue na liderança da série 1 da 1ª divisão da Associação de Futebol do Porto. Num jogo muito difícil devido às más condições climatéricas os Balienses souberem sofrer e ser unidos para trazer os três pontos para casa, perante uma adversário exigente. No primeiro tempo a equipa orientada por Mário Heitor, embora controlasse o jogo com maior posse de bola, teve dificuldades para chegar ao último reduto do Castelo da Maia devido a jogar contra o forte vento que se fazia sentir. Os maiatos na única oportunidade de golo flagrante que dispuseram no primeiro tempo fizeram o golo inaugural da partida aos 41 minutos. Num lançamento longo para a área, na confusão entre jogadores pela disputa da bola, a defesa visitante não conseguiu aliviar a bola e Renato do Castelo disparou para o fundo da baliza de Miguel Mota não dando hipótese de defesa ao guardião aurinegro. 

No segundo tempo o Leça do Balio entrou a todo o gás para dar a volta ao marcador, aproveitando a condição determinante de jogar a favor do vento. Num jogo sempre muito emotivo, a equipa maiata bem organizada não conseguiu resistir à qualidade e à grande alma Baliense. Rafa por duas ocasiões, com dois grandes remates em cobrança de livres, teve muito perto de marcar mas apanhou um guardião da casa bastante inspirado. Aos 75 minutos num pontapé de canto bem marcado por Félix aparecer o goleador Hugo Ferreira a puxar dos galões e com um golpe de cabeça fantástico empatou a partida. Passados cinco minutos o central Pedro Cardigos na cobrança de um livre direto, manda uma autêntica bomba para o fundo da baliza Maiata para delírio dos adeptos da equipa de Matosinhos que apesar do mau tempo, estiveram em bom número no estádio municipal do Castelo. A equipa Maiata reagiu e já perto dos 90 minutos teve uma oportunidade soberana para estabelecer a igualdade, mas Kinando assustou-se com o experiente Miguel Mota e mandou a bola para fora. Vitória sofrida da unida e talentosa equipa Baliense num jogo que despertou muita emoção e indefinição do resultado até ao final. 

Na próxima jornada o Desportivo Leça do Balio desloca-se ao terreno dos Lusitanos de Santa Cruz, num dérbi do concelho de Matosinhos onde se prevê uma boa moldura humana num duelo intenso.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

FEMININO DO CUSTÓIAS DE VOLTA ÀS VITORIAS


Custóias regressa ás vitórias 

Com um fim-de-semana impróprio para a prática do futebol derivado à chuva que caiu e responsável pelo adiamento de alguns jogos o Campeonato de promoção feminino Serie A, teve o seu recomeço após as férias natalícias. CP Martim, 
Os Sandinenses, e o Boavista, continuam no topo da tabela, sendo de prever um campeonato emotivo e bem disputado até ao fecho do mesmo. 
As equipas de Matosinhos, Leixões SC, Custóias FC e SC Srª da Hora, encontram-se praticamente fora da corrida ao título, pelo que só lhes resta dignificar as suas cores e alcançar a melhor classificação possível. 
Leixões SC que recebeu a equipa de Paredes, não foi além de um empate a 1 bola. 
Custóias FC a jogar em casa regressou às vitórias tendo batido a equipa do ADJ Mouquim (Famalicão) por 3 bolas a 1. 
SC Srª da Hora a jogar em campo emprestado (UD Lavrense) contra o Freamunde, não conseguir averbar os seus primeiros três pontos, saindo derrotado pelo 1 bola a 0 e consequentemente continua á procura da sua primeira vitória. 
Na serie B, Vila FC distancia-se do D. Sandinenses e do Murtoense e segue isolado em 1º lugar da sua serie.

 Manuel Sà

PERAFITA SOMA MAIS UMA DERROTA

 
AF Porto Divisão de Elite - Jornada 19 
Estádio Cidade de Rio Tinto 
Árbitro Carlos Silva 
RIO TINTO 2 PERAFITA 0 
Ao intervalo 2-0, golos de Bruno Teixeira (22 e 44) 

SC RIO TINTO: Ivo, João Pereira (Rui 9), Vítor Hugo, Jorge Pereira, Macieira, Madja (Dani 78) André Oliveira (Carlitos 87) Bruno Costa, Maga (Jean 87) Pablo e Bruno Teixiera. Treinador Sérgio Machado. 

FC PERAFITA: Mata, Rocha (Couto 29), Morgado, Tiago Silva e Tiga; Coutinho (Queimado 58) Marco Fafiães, Ricardo, Areias (Vinagre 64) Nandinho e João Paulo. Treinador Paulo Gentil.

   

Jogo bem disputado em que a dificuldade encontrada se viu no estado do relvado, praticamente impraticável Devido à forte chuva que se fez sentir particularmente no norte do País o mais espectável seria quem marcasse primeiro saia vitorioso do jogo, e assim foi! 
Não foi um grande espectáculo de futebol como era de esperar, foi um jogo de muita luta e solidariedade de ambas as equipas! 
Na primeira parte o Rio tinto assumiu as despesas do jogo como lhe competia, jogava em casa e tem outros objectivos que não os do Perafita, por isso mesmo os visitantes talvez por estratégia deram iniciativa de jogo ao adversário, e partiam em rápidas jogadas de transição sem contudo fazer grande mossa na defensiva gondomarense. Com mais pendor ofensivo os homens da casa nem sempre levavam perigo à baliza de Mata, mas adaptaram-se melhor ao estado do terreno e por duas vezes, tirando partido do mesmo, chegaram aos golos por Bruno Teixeira (ele que já jogou no Leça FC) que bisa no encontro. 

 Na segunda tempo a equipa do Perafita como lhe competia entrou mais forte indo á procura de amenizar o resultado e até dispôs de algumas oportunidades para fazer golo mas não o conseguiu. A equipa da casa estando em vantagem por dois golos limitou-se a gerir o resultado obtido no primeiro tempo Em suma foi um jogo bem disputado com duas partes distintas que teve um resultado justo. Boa arbitragem

Paulo Gentil treinador do FC Perafita “ Efectivamente o estado do terreno condicionou bastante mas penso que estivemos bem, com confiança, sentido que estamos a melhorar…frente a um adversário muito bom muito experiente, conseguimos ser superiores no segundo tempo, mas o resultado é justo”(…) “ O nosso campeonato vai começar agora, pois tivemos bastantes dificuldades na primeira volta, com a perda por lesão de sete jogadores potencialmente titulares. Temos condições para recuperar em prol do prejuízo e penso que vamos conseguir atingir os objectivos.” 

 fotos Facebook Sp Rio Tinto

3º VITÓRIA CONSECUTIVA VALE SAÍDA DA ZONA DE DESPROMOÇÃO


Segunda Liga - Jornada 24 
 Estádio do Mar, em Matosinhos. 
Árbitro: Jorge Ferreira (Braga).
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Djibril (56). 
LEIXÕES 1 FC PENAFIEL 0 
Ao intervalo: 0-0. Marcador: Alemão, 83 minutos. 

LEIXÕES: Ricardo Moura, Gonçalo Graça, Diogo Nunes, Pedro Pinto, João Pedro, Malafaia, Caio (Niang, 78), Bruno Lamas, Pedras (Rateira, 78), Alemão (Pan Ximing, 90+3) e Ricardo Barros.Treinador: Pedro Miguel. 

 PENAFIEL: Ivo, Kalindi, Amoreirinha, Pedro Ribeiro, Pedro Araújo, Djibril (Mbala, 89), Tiago Barros, Aldair (Vieira, 55), Caetano (César, 76), Gonçalo Abreu e Yero. Treinador: Paulo Alves. 

O Leixões somou, a terceira vitória consecutiva na 2.ª Liga, ao bater o Penafiel por 1-0, resultado que lhe valeu sair da zona de despromoção. Num relvado muito difícil, face à chuva que tem caído na região, as duas equipas procuraram adaptar-se da melhor forma, mas o futebol esteve longe de seduzir. 
Numa meia parte em que se lutou mais do que se jogou, apenas por duas vezes a baliza esteve em perigo: primeiro quando Pedro Ribeiro (oito minutos), sem oposição, atirou na área para a bancada e depois através de Pedras (33), que viu o seu remate desviar num defesa e sair junto ao poste esquerdo. 
O forte assédio com que o Leixões começou a segunda parte trouxe um novo personagem ao jogo: Alemão, por duas vezes, aos 50 minutos, criou perigo, valendo aos forasteiros a oposição do guarda-redes Ivo. Depois, aos 69 minutos, o árbitro Jorge Ferreira, que havia invalidado bem um golo da Ricardo Barros, aos 60, deixou passar impune um derrube de Kalindi a Alemão, quando este se esgueirava para a área. De bola parada, o Penafiel (75 minutos) esteve perto de marcar, com Ricardo Moura a não segurar o livre direto cobrado por Tiago Barros, acabando, à segunda, por deter o esférico em cima do risco da baliza. Num lance em que a infelicidade de Ivo (83 minutos) se aliou ao oportunismo de Alemão, o extremo do Leixões aproveitou o desentendimento entre Kalindi e o guarda-redes para atirar para as redes desertas, após um cruzamento de Rateira da direita, garantindo o triunfo para os locais. 

Conferência de Imprensa 

Pedro Miguel "Vitória justa da melhor equipa, da que teve mais oportunidades e que esteve sempre por cima do jogo. O Penafiel apenas nas bolas paradas tentou criar algum perigo. Queríamos ter chegado ao golo mais cedo, mas parabéns aos jogadores que trabalharam imenso. Sabíamos que ia ser um jogo difícil pelo estado do terreno e trabalhámos durante a semana sabendo disso. Jogar bem nestas condições passa por simplificar o jogo e hoje pedia-se futebol direto. Felizmente conseguimos conquistar três pontos, que eram muito importantes para nós. Estamos contentes com o trabalho que temos vindo a realizar. Em 8 jogos fizemos mais pontos do que o Leixões tinha feito nos anteriores 16. Estamos no caminho certo e encaramos o futuro com otimismo, mas temos de continuar a trabalhar. Mais uma vez, quero deixar uma palavra para os adeptos que nos apoiaram do princípio ao fim. Nos momentos em que a equipa estava por baixo eles ajudaram e empurraram-nos para a vitória. Foram e têm sido muito importantes. O Leixões tem de ser isto. Todos juntos a puxar para o mesmo sítio: grupo de trabalho, adeptos e direção." 

 Paulo Alves "Foi um jogo extremamente difícil e complicado. O Leixões adaptou-se melhor e acabou por ganhar num erro defensivo nosso, embora tenha tido o seu mérito, porque teve sempre muita alma e coração, algo que nos faltou. Perdemos um jogo que era muito importante para nós e temos de repensar o que queremos fazer, porque precisamos de mais atitude para conquistar pontos."

domingo, 10 de janeiro de 2016

ACADEMIA DO LEÇA FC (LANCHE SOLIDÁRIO)



No Pavilhão Custódio Antunes em Leça da Palmeira Decorreu ontem ao final da tarde um lanche solidário da Academia do Leça FC. 
O encontro teve inicio com um jogo de futsal disputado entre treinadores, dirigentes e pais de atletas da academia, seguindo-se depois um lanche solidário que contou para alem dos jovens atletas com figuras do plantel sénior como são os casos do capitão Pedras e do guarda redes Tiago Oliveira. 
Cada atleta (ou pai ou familiar) contribuiu com uma singela oferta (bens alimentares, roupa ou brinquedos) que foram encaminhados para ajunta de freguesia local a fim de serem distribuídos por aqueles mais carenciados.

Fomos ao encontro de quem passava alguma responsabilidade sobre o evento e obtivemos a seguinte declaração. 

DAVIDE FERREIRA (director da Academia) 
“ 102 anos de vida, muitas histórias para contar... " Esta será mais uma... 
 O 1º encontro da Academia do Leça FC foi um sucesso a repetir!! Um dos objetivos passava pela angariação de bens alimentares, vestuário e brinquedos para as famílias mais carenciadas da freguesia, objetivo largamente alcançado, dada a enorme adesão dos pais e familiares dos atletas. 
 A par disso, de realçar o fantástico convívio entre toda a família leceira: um excelente derby entre diretores /treinadores e pais dos atletas, a aula de Fit B do leceiro Ivan, a dança das Atitude e a animação musical do nosso DJ Fernando Festas!! 
 Em suma, uma iniciativa a repetir em que a solidariedade e o convívio serão uma constante na família leceira nomeadamente na Academia de formação. A todos, muito obrigado pela ajuda, empenho e colaboração na organização deste evento, em especial atletas, pais e patrocinadores. Até Breve! “

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

DL BALIO FIRME NA LIDERANÇA GOLEIA ADVERSÁRIO

 
1ª Divisão A F Porto, Serie 1 - jornada 14 . 
Complexo Desportivo de Leça Do Balio, em Matosinhos. 
Arbitro: André Dias . 
LEÇA DO BALIO 6 FC PEDROSO 1 
Ao intervalo: 2-0. 
Marcadores: João Pinto (18), Rafa(24 gp e 78), Guil (60), Quim Zé (63) e Hugo (83 e 90). 

 LEÇA DO BALIO: Miguel Mota; Miguel Cunha, Nelson, Carlitos e João Pinto; Carlos Diogo, Guil (Brás, 67) e Gomes (Félix, 67); Rafa, Hugo e Braga Treinador: Mário Heitor. 

FC PEDROSO: Nuno; Cláudio, Quim Zé,Paito, e Pedro Henriques (Batista, 64); Marcos (Manecas, 67), Fábio Sousa e Neves; Vitor Hugo (Tanaka, 67); Isidro e Cardoso. Treinador: Manuel António.

 
O Desportivo Leça do Balio com mais uma exibição de gala nesta jornada, coroada com uma goleada à moda antiga, somou mais três pontos mantendo-se firme na liderança da 1º divisão de associação de futebol do Porto com 34 pontos. Apesar da chuva e do relvado pesado, os Balienses entraram fortes no jogo determinados a resolver a partida o mais cedo possível, adaptando-se bem às condições climatéricas. Aos 18 minutos o lateral direito João Pinto num fabuloso remate cruzado já dentro da área visitante abriu o marcador para a equipa orientado por Mário Heitor. O Pedroso tentou reagir à desvantagem, mas num rápido contra-ataque aurinegro o central Miguel Cunha muito forte fisicamente foi derrubado com falta na área Gaiense. Rafa com a frieza habitual fez o segundo golo dando tranquilidade à sua equipa para gerir o resultado com maior precisão.

   

No segundo tempo o Pedroso entrou com determinação para poder discutir o resultado com um grande espirito de luta, mas a equipa do Leça do balio mostrou a razão de ocupar a liderança e mostrou-se firme. Aos 60 minutos numa confusão na área gaiense o médio Guil, contratado esta temporada ao Arcozelo, muito oportuno mostrou serviço e marcou o terceiro golo da equipa de Matosinhos. O Pedroso nunca baixou os braços e numa desatenção defensiva da equipa Baliense reduziu a desvantagem por intermédio de Quim Zé que não deu hipótese de defesa ao experiente guardião Miguel Mota. Quando parecia que os visitantes poderiam causar problemas aos da casa apareceu o inevitável Rafa, a fazer uma temporada de grande nível a fazer o quarto golo e a sentenciar praticamente a partida. Mesmo a ganhar confortavelmente os comandados de Mário Heitor, continuaram a não tirar o pé do acelerador na procura de dilatar mais o resultado. E foi o que aconteceu aos 83 e 90 minutos, o avançado Hugo sempre em grande destaque pela sua capacidade de trabalho fez mais dois golos de belo efeito para sua conta pessoal. 

 No próximo domingo o líder Desportivo Leça do Balio desloca-se ao terreno do Castelo da Maia, num jogo que se prevê intenso devido aos bons resultados da equipa maiata nas últimas jornadas.

JORGE COSTA "É PRECISO GOSTAR MUITO PARA SER ÁRBITRO DE FUTEBOL"

No arranque de 2016, fomos conversar com uma figura bem conhecida do futebol jovem de Matosinhos, Jorge Costa 25 anos, natural de Leça do Balio - Matosinhos, exerce a profissão de auxiliar acção medica, é árbitro de futebol da AFPorto, desde 17 Dezembro 2012. 

MANUEL SÁ – Ser árbitro de futebol, não é para qualquer pessoa, é fundamental ter um forte carácter e realmente gostar de arbitrar, como é que o Jorge começou? 

JORGE COSTA – Antes de mais como disse e muito bem ser árbitro é preciso gostar e muito senão é muito complicado. Tudo começou no tempo de escola onde nos intervalos ficava eu como arbitro daquelas brincadeiras de miúdos de 10 anos onde os meus cartões eram umas senhas antigas da stcp e que fazia os cartões. Tudo começou nesse tempo e que neste momento é das coisas que mais orgulho e gosto tenho apesar de cada vez mais ter obstáculos difíceis de ultrapassar. 

MS – Já com larga experiência no futebol jovem, diga-nos como é arbitrar um jogo da formação? 

JC – Arbitrar um jogo seja ele de formação ou não é difícil. Agora confesso que torna se mais difícil a formação não devido aos jogadores muitas vezes mas aos seus pais que estão nas bancadas e infelizmente tornam os jogos muitas vezes mais complicados. Mas também confesso que existe pais que são um orgulho dos 'filhos' porque através dos seus filhos (jogadores) criei amizades que neste momento ate frequentamos a casa uns dos outros por isso também existe pais que ajudam e enriquecem o futebol formação. 

MS- Em termo de arbitragem, o futebol de formação e o futebol sénior são dois mundos diferentes? Existe na verdade diferença ? 

JC - Claro que sim. Existe mentalidades, posturas e qualidades diferentes. Mas na .nossa Associação Futebol.do Porto temos muita qualidade seja.na formação ou em seniores. MS – Como Vê a arbitragem actual na AFPorto ?

   

JC – Arbitragem actual na AF Porto sinceramente é melhor que em outros tempos não querendo ferir ninguém mas este conselho de arbitragem é dos melhores senão o melhor da afporto. Acompanham os árbitros , aconselham e fundamentalmente percebem os árbitros quer o presidente quer ate os restantes membros como por exemplo o Sr.Rui que é o responsável das nomeações. É um orgulho pertencer afporto como arbitro federado. 

MS- O que gostaria de aconselhar aos jovens do futebol de formação? 

JC - O que posso aconselhar? Que respeitem toda a gente dentro como fora de campo e que nao pensem que aqueles que vão de 'preto' são sempre os 'maus ' num jogo de futebol e que especialmente e principalmente a maior parte dos árbitros são isentos em tudo que fazem na vida e na arbitragem ainda mais. Somos homens e iremos errar como toda a gente erra num jogo de futebol. E não se esqueçam que um jogo de futebol é composto por árbitros e jogadores esqueçam durante um X de tempo os pais nas bancadas porque senão os jogos tornam complicados para todos. Em relação a mim despeço-me agradecendo a oportunidade de falar daquilo que realmente gosto e não se esqueçam que sou arbitro mas acima de tudo sou um apaixonado pelo futebol de formação. 
Obrigado a todos e em breve encontramos ai num campo.. 

Jorge Costa Jorge Costa uma referencia no futebol de formação e não só, com enorme competência individual e colectiva, um Homem cujo dedicação á arbitragem é algo fora do normal e no meu caso pessoal um grande amigo que tive o privilégio de conhecer graças ao futebol jovem. 

Entrevista conduzida por Manuel Sá 
Editada por Mário Mitch

PERAFITA CONSEGUE PONTUAR FRENTE AO VALADARES

 
AF Porto Divisão de Elite - Jornada 18
Estádio do FC Perafita - Perafita, Matosinhos
Árbitro Carlos Silva 
FC PERAFITA 0 VALADARES 0 

PERAFITA: Mata, André Rocha, Tiago Silva, Morgado e Tiga, Coutinho, Couto e Marco Fafiães, Nandinho (João Paulo 65), Ricardo e Areias (Maravalhas 80). Treinado Paulo Gentil 

 VALADARES GAIA: Hélder Costa, Tiago Dias, Vítor Lobo, Bruninho (Ruizinho 70), Fábio Rola. Johny, Nuno Pinto, Mansilha, Carlos Pinto, Paulinho e João Rodrigues. Treinador Alexandre Ribeiro.

   

A necessitar de pontuar para fugir ao último lugar da classificação, a equipa do Perafita impôs-se ao Valadares Gaia (candidato a subida) de uma forma surpreendente. Melhorada com a entrada e regresso de alguns jogadores à competição, como são os casos de Tiago Silva, Coutinho regressados de lesões e de Nandinho e Areias, reforços, que vieram acrescentar mais qualidade a turma orientada por Paulo Gentil A equipa do Valadares, puxou dos galões de candidato e tomou conta do jogo sendo quase sempre superior a turma visitada, dispondo mesmo de várias ocasiões para marcar, mas encontraram pela frente um guarda- redes (Luís Mata) experiente e com provas dadas, protagonizando uma das melhores exibições desta época desportiva. Através de rápidos contra ataques os perafitenses conseguiam também por em sentido o último reduto defensivo gaiense, criando alguns lances passiveis de serem concretizados em golo. O empate acaba por ser um resultado justo, sendo que o estado do terreno, devido às más condições climatéricas prejudicou bastante o espectáculo.

   

De referir que o árbitro deste encontro foi a nota negativa, não esteve à altura do mesmo, com lances mal ajuizados para ambos os lados, perdoando inclusive uma grande penalidade logo no início por derrube de Hélder Costa ao avançado Nandinho, prejudicando mais os visitantes que viram ser-lhes anulado dois golos (um deles claramente regular), mantendo uma dualidade de critérios gritante, permitindo por vezes que se jogasse para além das leis de jogo, tendo inclusive entrado em diálogo menos apropriado com os jogadores em campo.

Fotos Domingos Lobo

domingo, 3 de janeiro de 2016

COMEÇAR BEM O ANO COM UMA VITÓRIA PROMETEDORA

 
23.ª jornada da 2.ª Liga Estádio do Mar, em Matosinhos. 
Árbitro: Manuel Mota (Braga). 
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Moedas (04), Zé Pedro Freitas (18), Caio (47), Stephane Madeira (51) e Sérgio (66 e 86). Cartão vermelho por acumulação de amarelos para Sérgio (86). LEIXÕES 3 OLIVEIRENSE 1 
Ao intervalo: 2-0. 
Marcadores: Bruno Lamas (05) Pedras (42) Ricardo Barros, (49) Oliveira (84) 

LEIXÕES: Ricardo Moura, Gonçalo Graça, Diogo Nunes, Pedro Pinto, João Pedro, Tandjigora (Rateira, 90+1), Caio (Malafaia, 62), Bruno Lamas (Cadinha, 74), Pedras, Alemão e Ricardo Barros. Treinador: Pedro Miguel. 

OLIVEIRENSE: João Pinho, Zé Pedro Freitas, Stéphane Madeira (Luís, 62), Sérgio, Mário Mendonça, Guimarães, Moedas (Renan, 56), Babo, Serginho, Carlitos (Oliveira, 46) e Rafa. Treinador: Bruno Sousa. 

Após a derrota na Taça da Liga com o Rio Ave, Bruno Lamas (05), Pedras (42) e Ricardo Barros (49) fizeram os golos da vitória do Leixões, a segunda consecutiva no campeonato, frente a uma Oliveirense que reduziu nos instantes finais, por Oliveira, mas não evitou o desaire, 

 Num jogo de aflitos, a equipa da casa soube potenciar o mau estado do relvado afetado pela chuva intensa que se fazia sentir, adiantando-se cedo no marcador mercê de um livre direto de Bruno Lamas em que João Pinho foi mal batido. Mais práticos na abordagem ao jogo, contra uma Oliveirense que mostrava dificuldade nas transições ofensivas, pese embora a velocidade que tentou meter nos lances , os locais poderiam ter ampliado a diferença num pontapé de bicicleta de Ricardo Barros que saiu à malha lateral (16 minutos). E depois de o Leixões reclamar uma grande penalidade num alegado corte com o braço de Stéphane Madeira (41), o segundo tento surgiu, novamente de bola parada. Alemão bateu um pontapé de canto, Barros desviou de cabeça ao primeiro poste e Pedras surgiu ao segundo, sem oposição, a finalizar do mesmo modo. 

A segunda parte foi também dos locais, que ampliaram a vantagem por Ricardo Barros, a aproveitar um ressalto para correr para a área e atirar para a baliza. Um minuto antes, num lance criado por Tandjigora, o capitão Pedras quis fazer um golo de antologia, mas ao picar a bola sobre João Pinho, esta escapou-se pela linha de fundo junto ao poste mais distante. O recém-entrado Oliveira, aos 69 minutos, pôs Ricardo Moura à prova num remate em força, aos 84, e reduziu a diferença num pontapé que passou sobre o guarda-redes leixonense, alcançando um golo de belo efeito, pouco antes de os visitantes ficarem em inferioridade numérica, depois de Sérgio ter visto o segundo cartão amarelo. 

 Conferência de Imprensa 

Pedro Miguel "Era importante sair na frente do marcador, principalmente devido às condições atmosféricas e do terreno, que favoreciam quem defendia. Estivemos sempre organizados e depois marcámos o segundo golo, novamente de bola parada, que nos deu uma vantagem justa ao intervalo. Na segunda parte, voltámos a entrar bem e conseguimos o terceiro golo, já depois de termos desperdiçado uma bela oportunidade. No resto do jogo, que foi sempre musculado e de muita luta, soubemos deixar correr o tempo, sempre com grande simplicidade de processos que é o que se pede num terreno como o de hoje. Fomos inteligentes e também eficazes. Podíamos ter feito mais golos, mas foi uma vitória justa da melhor equipa em campo. Parabéns aos meus jogadores, que trabalharam muito, e, mais uma vez parabéns aos nossos adeptos e à nossa claque. Apelamos a que continuem connosco, nos bons e nos maus momentos, porque eles vão ser determinantes ao longo da época. Nós continuamos em dívida para com eles, apesar de já termos mais pontos do que jogos. Há uma melhoria mas temos de continuar a ganhar para continuar a recuperar. A segunda volta vai começar agora e acreditamos que todos juntos, grupo de trabalho, direção e massa associativa, vamos dar a volta à situação e atingir os objetivos, pois este clube é muito grande e merece tudo de bom." 

 Bruno Sousa "Entrámos mal no jogo. O Leixões chegou cedo à vantagem, num erro nosso e depois esteve sempre por cima. Num jogo em que devíamos ter tido mais entrega e mais luta, voltámos a permitir um segundo golo, num erro de marcação após um canto. O futebol é isto e o adversário aproveitou os nossos erros. Na segunda parte estivemos melhor, mas, mais uma vez, o Leixões chega ao golo num ressalto e sentenciou a partida. Ainda equilibrámos mas não conseguimos melhor do que um golo. Parabéns ao Leixões, que foi melhor do que nós."

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

D LEÇA DO BALIO

D LEÇA DO BALIO

OS LUSITANOS SCFC

OS LUSITANOS SCFC