terça-feira, 24 de março de 2015

NUNO GONÇALVES QUEBRA O SILÊNCIO DEPOIS DA SUA SAÍDA DO SCS HORA

 
MITCHFOOT: 
 18 meses de emblema senhorense ao peito, por certo, deixou muitas coisas para contar, as boas e as menos boas recordações. Nuno o que te apetece dizer, depois da tua saída, volvidos 18 meses no SCS Hora? 

NUNO GONÇALVES: 
 “Antes de mais deixa-me te dizer que para mim foi um orgulho enorme ter servido o Senhora da Hora (…) De facto foram 18 meses vividos com grande paixão e com muita intensidade (…) todos os dias me apresentava motivado para orientar os meus meninos (…) para além dos seniores também integrei o quadro de treinadores da formação. Foram momentos indiscritíveis que recordo com muita saudade ainda “ 

“ Nos seniores, no primeiro ano, apesar de um arranque muito difícil (já tinha tido um passagem pelo clube em quanto jogador), não conhecia bem a realidade do clube, e de facto deparei-me com dificuldades de que não estava à espera (…) mas com a ajuda do Presidente Vasco e de algumas pessoas anonimas que sempre me motivaram e me fizeram acreditar que era possível… realizamos uma época que a meu ver, foi fantástica (…) dentro de um corridinho de entrada e saída de jogadores, lá conseguimos acertar e preparar um onze que domingo a domingo lutava para vencer deixando a pele em campo como se costuma dizer…” 

“ A época foi bastante gratificante e particularmente muito especial para mim (risos)…consegui ver o meu trabalho ao serviço do clube e a dedicação aos meus meninos, recompensado no final da mesma com a entrega do galardão de treinador do ano do futebol de Matosinhos.”

 “Na segunda época, as coisas já não correram como espectava (…) aproveito para te dizer que tinha como meu braço direito um homem de H grande, mister Flávio Silva, que sempre esteve do meu lado acompanhando-me nos bons e maus momentos (…) Mas as coisas não corriam bem…lesões de jogadores importantes (Gandarela, que falta me fez…este sim estava comigo até à morte, Gui, Moreira) abandono por motivos profissionais (Virgílio, Isaías), condicionaram bastante o inicio dos trabalhos e a preparação da época…não quero com isto desculpar o que menos bem fizemos, mas que condicionaram bastante isso sim (…) maus resultados e instabilidade vivida no seio do clube, tudo isto somado ditaram o meu afastamento…não podia fazer outra coisa do que colocar o lugar à disposição (…) até porque os candidatos à minha sucessão, apareciam de todos os lados (Senhora da Hora é um clube bastante apetecível), alguns até se faziam de meus amigos, dando-me palmadinhas nas costas dizendo-me que estavam alí para me dar força e que estavam solidários comigo…”

 “ A verdade é que não tinha condições para continuar (…) inclusive até me responsabilizavam, por a bola bater na trave, por um penalti falhado (…) apelidavam-me de desordeiro etc..etc… eu até era responsável por haver Greve Geral no país (risos). Em fim…não tinha condições para continuar…”

MITCHFOOT: O porque de só agora, vires a publico, te pronunciares sobre a tua saída? 

NUNO GONÇALVES: “Bem é assim…só vim agora a terreiro, primeiro porque me convidas-te e segundo por achar a altura certa para de uma forma livre e sem prejudicar o SC Senhora da Hora me pronunciar sobre o meu afastamento total do clube. Longe de mim e ao contrário de alguns prejudicar o andamento da época, tentando minar o trabalho desenvolvido (…) 
Decidi afastar-me por completo, embora com grande sacrifício, do Senhora da Hora, para que não quisessem fazer de mim um sombra negra e prejudicial aquém no momento dirige a equipa (…) embora essa não fosse a minha vontade de coração, pois senti-me atraiçoado e estou bastante revoltado (…) 
Para não prejudicar o clube e também para não ser factor de destabilização dentro do seio da equipa decidi afastamento por completo.” 

MITCHFOOT: Para quando o teu regresso ao banco, tens algum clube pronto para reactivares a tua carreira desportiva? 

NUNO GONÇALVES: “ Estou parado por opção, já tive convites para regressar, tenho inclusive um projecto de formação para abraçar em qualquer momento, assim eu o entenda (…) tive já também um convite para treinar na divisão do Senhora da Hora, entendi não aceitar porque não me estava a ver, pelo menos esta época defrontar o SCS Hora (…) pretendo ficar no meu canto, observando futebol e jogadores, para que no futuro não cometa os mesmos erros do passado (…) aproveito esta paragem para de corpo e alma, acompanhar o meu filho que joga na formação do Boavista FC.”

segunda-feira, 23 de março de 2015

COM JAKSON A ASSISTIR LEÇA EMPATA E AFUNDA-SE NA TABELA

AF Porto Divisão de Elite - Pro-nacional 2014/15 Jornada 27 Estádio do Leça FC em Leça da Palmeira 
Árbitro Pedro Barbosa 
Cartão vermelho, Nando (60) 
 LEÇA 0 ALIANÇA DA GANDRA 0 

LEÇA: Tiago Oliveira, Fernandes (Guylherme 75) Meneses, Noura, Bruno João, Marcos, Marcelo, Lico, Viafara, Pablo e Mesquita. Treinador Óscar Nogueira. 

ALIANÇA DA GANDRA: Rica, Nando, Celso, Marcelo (Barros 46), Ruizinho, Poeira, Carlos (Zé Alberto 46), André (Fábio Guimarães 65), Cerqueira, Pilhas e Manuel Luís. Treinador Mário Rocha 

 Jakson Martinez no camarote o Leça serviu de factor motivacional para os leceiros  conseguir criar oportunidades que levassem de vencido o Aliança da Gandra Num jogo praticamente dominado pelos verde e brancos sem com tudo criarem lances de grande perigo junto à baliza à guarda de Rica guarda-redes forasteiro. Nem a expulsão de Nando (Aliança da Gandra) fez com que a defensiva paredense se desmoronasse, o Leça em superioridade numérica durante 30`minutos não foi capaz de violar as redes do adversário. Com este resultado os leceiros caiem para zona perigosa (foram ultrapassados pelo vizinho Padroense e estão apenas a dois pontos dos lugares de descida) prevendo-se uma luta renhida com os demais para evitar a despromoção.

JAKSON FOI VER O AFILHADO VIAFARA DO LEÇA


Enquanto grande parte dos companheiros do FC Porto partiram ontem para as selecções, Jakson Martinez teve uma tarde diferente. 
O atacante colombiano assistiu ao jogo do Leça frente ao Aliança da Gandra, encontro da 27.ª jornada da Divisão Elite AF porto. Fê-lo na companhia da esposa, do presidente do Leça, António Pinho e do amigo e empresário José Vieira, com o intuito de ver jogar o compatriota Jhoan Viafara também ele um goleador, Jakson é uma espécie de padrinho e conselheiro do futebulista de 25 anos, que esteve prestes a ser reforço do Leixões mas acabou por assinar pelo Leça

ADEPTOS EXIGEM SAÍDA DE CARLOS OLIVEIRA



Adeptos queixam-se que "os jogadores não recebem há três meses" e que a SAD tem " destruído todo o nosso património" do clube de Matosinhos. Perto de cinco dezenas de adeptos leixonenses juntaram-se neste domingo em protesto nas imediações do Estádio do Mar, pedindo o afastamento de Carlos Oliveira, atual presidente do clube e acionista maioritário da SAD. 
"Organizámos este protesto ordeiro para nos manifestarmos contra a gestão danosa que tem sido feita na SAD. Basta analisar as contas do Leixões para se perceber isso. Temos uma pessoa agarrada ao poder que tem deixado o clube completamente isolado", queixou-se João Silva, um dos dinamizadores do protesto, que decorreu antes do encontro frente à Oliveirense, a contar para a 36ª jornada da II Liga de futebol. 
Sócio dos 'bebés do mar' há 18 anos, João Silva aludiu ainda ao impasse relativo às alterações na SAD do clube. "Para mim isto é um embuste. Na prática, vai ficar tudo igual", lamentou, para depois voltar a apontar o dedo a Carlos Oliveira: "Tem destruído todo o nosso património: os adeptos, os terrenos, até o estádio está penhorado. 
Os jogadores não recebem há três meses, há atletas que não podem jogar porque não têm equipamento e jogadores a serem despejados", acusou. 
A 12 de dezembro, o Leixões anunciou que o presidente Carlos Oliveira tinha chegado a acordo para a cedência da posição maioritária que detém na SAD (56%) à empresa brasileira J Winners, mas, mais de três meses depois, a operação continua por concretizar. 

Fonte DN

GOLEADA EM 45 MINUTOS

 
36.ª jornada da II Liga 
Estádio do Mar, em Matosinhos 
Árbitro: Artur Soares Dias (Porto). 
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Roberto Sousa (52), Leonço (59) e Zé Pedro (73). 
Leixões 4 Oliveirense 1 
Ao intervalo: 0-0.golos: Leonço, (58) Mendes,( 62) Yero,( 64 g p) Enoh, (87) Novais, (90+4). 

LEIXÕES: Ricardo Moura, Gonçalo Graça, Alabi, Zé Pedro, João Pedro, Bruno Lamas (Hugo Monteiro, 80), Orlando, Roberto Sousa (Novais, 70), Mendes (Chiquinho, 90), Leonço e Enoh. Treinador: Horácio Gonçalves. 

OLIVEIRENSE: João Pinho, Carela, Ângelo, Sérgio, Mário Mendonça, Bru (Rafa, 81), Zé Pedro Freitas, Renan (Pedro Moreira, 65), Rui Lima, Yero e Carlitos (Ivan Santos, 51).Treinador: Artur Marques.

Pela primeira vez quatro golos num só jogo, todos na segunda parte, resultam em 4-1 à Oliveirense.Tiago Leonço, Mendes, Enoh e João Novais assinaram a goleada, respondida apenas com golo de penálti discutível. Quatro são também os pontos que faltam para atingir a fasquia dos 50. A permanência está praticamente assegurada. 
Numa primeira parte com oportunidades para ambos os lados, a equipa forasteira foi a primeira a criar perigo, por Rui Lima (12 minutos) e Zé Pedro Freitas (18). Do outro lado, o conjunto de Horácio Gonçalves respondeu com um cabeceamento por cima de Alabi, na sequência de um canto (30 minutos), e com um grande remate de Leonço, de fora de área, que foi travado por uma defesa vistosa de João Pinho (36). 

No segundo tempo, a equipa da casa entrou com a corda toda, e já depois de Bruno Lamas ter atirado a rasar o poste (49), Leonço respondeu da melhor forma a um cruzamento de Gonçalo Graça da direita, fazendo o primeiro do encontro. Quatro minutos depois, Mendes arrancou um remate de belo efeito à entrada da área, e faz a o segundo. A Oliveirense reduziu, por Yero, na sequência de uma grande penalidade que suscitou muitos protestos por parte dos leixonenses, mas, até ao final, só o Leixões voltaria a marcar. Aos 87 minutos, Enoh aproveitou uma perda de bola de Sérgio em zona proibida para fazer o terceiro e, já em tempo de compensação, Novais desferiu um grande remate do meio da rua que ditou o 4-1 final. 

Conferência de imprensa 
Horácio Gonçalves: “A equipa vem em crescendo e a confiança começa a apoderar-se dos jogadores. Tivemos dificuldades na primeira parte, mas depois fizemos uma segunda parte de gala. O resultado não deixa dúvida e os jogadores estão de parabéns. Temos agora 15 dias para recuperar e preparar a reta final do campeonato. Acredito que nos falte apenas uma vitória para atingirmos os objetivos”

Foto: Duarte Rodrigues

quinta-feira, 19 de março de 2015

CHASTRE "DEIXAR O LEIXÕES NÃO FOI UM DECISÃO FÁCIL"


 José Chastre quebra silêncio e fala ao blog "O Mundos dos Guarda-redes" 

A 2 meses do final da Segunda Liga, José Chastre rescindiu o seu contrato com o Leixões e, em declarações exclusivas a O Mundo dos Guarda-Redes, o guarda-redes descreveu o ponto da situação. 

Chegado ao Leixões com 14 anos, o guardião assumiu que esta "não foi uma decisão fácil, mas algo teria de ser feito visto que o atraso salarial era uma constante e as promessas nunca foram cumpridas", revelou ao nosso projecto. 

Grato ao clube que o formou, aguentou "durante muito tempo" o processo e, com "metas bem definidas", junto do seu representante, avança que vai "tomar a decisão acertada", para, na próxima época continuar a sua evolução, pretendendo não "queimar etapas". 

Depois da rescisão com o clube Leixonense, Chastre irá treinar-se com um clube fora das ligas "por uma questão de ética profissional", concluiu.

quarta-feira, 18 de março de 2015

PEDROUÇOS AC, O LÍDER DA HONRA TEM ADN MATOSINHENSE


A EQUIPA DA SEMANA 
PEDROUÇOS AC (equipa com ADN matosinhense) 
Pedrouços Atlético Clube é um clube maiato fundado em 1929, o seu natural habitat é no Complexo Municipal de Pedrouços - Maia 

Liderado por Carlos Alberto Moreira Caseira (presidente), tem como director desportivo (pasta do futebol) Carlos Pinhal, o comando técnico da sua equipa sénior está entregue a Jorge Marinho (Joca). 

É líder incontestado da divisão de honra da AF Porto, quando estão cumpridas 24 Jornadas, com 49 pontos fruto de 14 vitórias, 7 empates e apenas 3 derrotas, leva 4 pontos de vantagem sobre o segundo classificado (Barrosas) quando faltam precisamente 10 jornadas para o final da competição. 

Sendo ela uma equipa de um concelho vizinho, o facto ganha para nós, grande motivo de destaque, quando verificamos que o seu ADN é matosinhense. 

 

Se não vejamos: Carlos Pinhal (director desportivo) Joca (treinador principal) Pedro Vinhas (treinador Adjunto), os atletas; Rui Pereira, João Ferreira, Tiago Miguel, Vítor Barros, Bruno Vieira, Joel, sem nos esquecermos de outros que começaram a época em Pedrouços e que por diversos motivos já não se encontram nos “Blau-Grana” da Maia. Para alem destes briosos que estão de facto a realizar uma época extraordinária, acrescentamos outros, tanto ou mais importantes, como são os casos de Jorge Ramalho, Paparradas, Postiga, Pulga um ex Lavrense, Rafael Rezende (brasileiro ex Senhora da Hora) premiado como jogador do ano (2012/2013). 

No próximo domingo dia 22 de Março, em Pedrouços, um jogo de capital importância, que algo pode decidir em relação às contas finais no que diz respeito à subida à Divisão d´Elite PEDROUÇOS vs BARROSAS, que muito provavelmente contará com a presença do Mitch, administrador deste espaço informativo.

terça-feira, 17 de março de 2015

DL BALIO REFORÇA CANDIDATURA COM UMA REMONTADA

1ª Divisão Associação de Futebol Do Porto, jornada 23. 
Complexo Desportivo de Leça Do Balio, em Matosinhos. 
Arbitro: Alberto Costa.
Cartão Vermelho: Guedes (82) e Estrela (88).
LEÇA DO BALIO 2 ARCOZELO 1
Ao intervalo: 0-1. Golos: Guedes (12 gp), Rafa (70 gp) e Miguel Cunha (90).

LEÇA DO BALIO: Miguel Mota; Cardoso (João Pinto, 29), Miguel Cunha, Cardigos e Hélder (Ivo, 46); Carlitos, Diogo e Quaresma (Soberano, 65); Rafa, Edú (Nandinho, 29) e Pedro Gomes. Treinador: Mário Heitor. 

ARCOZELO: Miguel; Guedes, Marques (Fábio, 85), Vitó e Hedinhas; Hélder, Bruno e Nico (Rui, 65); Valter (Pedrinho, 85), Nelson (Nuno, 85) e Ruizinho (Estrela, 46). Treinador: Allen.

O Desportivo Leça do Balio venceu este domingo, o Arcozelo por 2-1, na partida referente à 23º jornada da 1º divisão da associação de futebol do Porto, no seu complexo desportivo, em Matosinhos, num jogo em que os Balienses estiveram longe de serem brilhantes, mas conseguiram o mais importante que foi os três pontos. O Arcozelo entrou na partida praticamente a ganhar através de uma marcação de uma grande penalidade aos doze minutos, após suposta mão de bola do lateral direito João Cardoso. Guedes enganou Miguel Mota e fez o 0-1, castigando a apatia da equipa da casa na fase inicial do jogo. Mas como já é habitual na equipa de Mário Heitor, mesmo quando as coisas não correm bem, trabalha sempre no limite, nunca baixando os braços, correndo atrás do prejuízo. Muito interventivo no jogo o técnico Baliense, fez a leitura correta e mexeu no seu onze, fazendo entrar João Pinto e o experiente Nandinho, melhorando nitidamente a qualidade de jogo Baliense, criando oportunidades de golo.

Chegou o intervalo com a equipa da casa em desvantagem no marcador apesar de ter sido mais dominadora, perante um Arcozelo muito lutador e bem posicionado no terreno de jogo. No segundo tempo, o meio campo Baliense finalmente apareceu no jogo, após um primeiro tempo com nota negativa, e foram lançando Gomes e o recém entrado Ivo nas alas, que puseram a defesa do Arcozelo em sentido. A equipa visitante ia contra atacando sempre com um futebol direto, mas a defesa Baliense foi sempre resolvendo os problemas com grande eficácia. Aos 70 minutos Rafa faz o empate na marcação de um penalti, após Nandinho sempre muito esforçado ter sido derrubado na área visitante. Após o empate, a equipa Baliense com o apoio fantástico dos seus adeptos, carregou ainda mais no acelerador e ao minuto 90, o central Miguel Cunha que tem estado em bom nível faz o golo da vitória após uma defesa incompleta do guarda redes do Arcozelo, a um livre apontado por Rafa, dando os três pontos aos da casa. Vitória muita suada e sofrida do Leça do Balio, que mesmo não fazendo uma exibição como tem sido habitual conseguiu conquistar o mais importante que foi a vitória. A equipa orientada por Mário Heitor, mantém-se assim a um ponto do segundo lugar, continuando na luta por um lugar na história do clube. Na próxima jornada o Leça do Balio desloca-se a Águas Santas, num jogo que se prevê bastante complicado para a equipa de Matosinhos, visto o bom desempenho da equipa Maiata dentro de portas.lançado no segundo tempo pelo estreante técnico Ernesto Faria. Uma transição ofensiva bem conseguida por parte da equipa visitante, que após um passe de Vitinha que isola Alvarenga, que à saída de Miguel Mota finalizou com êxito. Nova mudança de marcador no jogo e quando desta vez já parecia tudo decidido, os Balienses tornaram a não baixar os braços e aos 80 minutos numa confusão na área o defesa esquerdo Hélder faz novamente o empate e deixa tudo outra vez em aberto! Hélder que superou uma lesão no menisco do joelho esquerdo, regressou à equipa em Janeiro e marcou pelo segundo jogo consecutivo, pois na semana anterior tinha marcado no terreno do Senhora da Hora. Aos 86 minutos numa boa jogada colectiva Baliense é assinalado penalti a favor da equipa da casa e Rafa mostrou grande frieza e marcou o quarto tento que carimbou os três pontos e levou ao delírio os adeptos da equipa da casa. Destaque ainda para a entrada do central Berto no jogo, que após um ano de ausência por lesão, que o levou à sala das operações, voltou aos relvados. Uma vitória muita sofrida da equipa de Mário Heitor que ainda não perdeu no seu estádio esta temporada, tendo encontrado pela frente um Gulpilhares, líder do campeonato que mostrou argumentos que comprovam a liderança. 

O Desportivo de Leça do Balio colou-se novamente no segundo lugar da tabela classificativa com 39 pontos a seis pontos do líder Gulpilhares, o que é um feito notável para uma equipa que subiu da segunda distrital na temporada passada.

MISTER GAITEIRO ESTÁ DE CONSCIÊNCIA TRANQUILA

Sobre o caso que tem vindo a lume na comunicação social (através de diversos sites na rede social) Mitchfoot foi ao encontro do técnico visado, que nos recebeu com a amabilidade que o caracteriza, e apesar de preferir remeter-se ao silêncio sobre o assunto, deixou escapar que está totalmente tranquilo e consciente de que não cometeu nenhuma infracção. Mister António Gaiteiro, confia nos dirigentes do São Martinho, e em quem compete julgar este processo. 

Em relação às suas habilitações técnicas, apenas nos informou que está devidamente autorizado para exercer funções na Divisão d´Elite até ao final da época corrente, e que vai tirar o segundo nível através do RVCC (Agentes Desportivos), e até ter a conclusão do curso e o nível II em carteira, António Gaiteiro, far-se-á acompanhar por um técnico habilitado, com o propósito de poder ser inscrito por qualquer emblema e dar continuidade à sua carreira que como todos sabemos, tem um excelente curriculum desportivo.

domingo, 15 de março de 2015

LEIXÕES QUEBRA JEJUM DE MÊS E MEIO COM VITÓRIA GORDA

 
34.ª jornada da II Liga 
Estádio do Mar, em Matosinhos. 
Árbitro: Jorge Sousa (Porto). Ação disciplinar: Cartão amarelo para Cadinha (45+1) e Tiago Duque (90+3). Cartão vermelho direto para Gregory (35) 
LEIXÕES 3 ATLÉTICO 0. 
Ao intervalo: 1-0.Marcadores: 1-0, Mendes, 35 minutos (grande penalidade). 2-0, Enoh, 57. 3-0, Leonço, 64. 

LEIXÕES: Ricardo Moura, Gonçalo Graça, Pedro Pinto, Zé Pedro, João Pedro, Roberto Sousa, Orlando, Cadinha (Bruno Lamas, 63), Mendes (Hugo Monteiro, 76), Leonço e Enoh (Alemão, 67).Treinador: Horácio Gonçalves. 

ATLÉTICO: Igors, Pedro Almeida, Gregory, Roberto, Tiago Duque, Jorge Gonçalves (Manuel Liz, 46), Ibrahim, Silas (Jota, 84), Kiki, Palacios (Dady, 69) e Bata. Treinador: Lázaro Oliveira. 

 Numa partida em que a equipa da casa foi sempre mais forte, o emblema de Matosinhos deixou o primeiro aviso aos 2', quando Leonço chegou atrasado a um cruzamento venenoso de Mendes. O extremo estaria envolvido nos principais lances de perigo do Leixões na primeira parte: aos 32', fez o cruzamento que quase levou Gregory a introduzir a bola na própria baliza e, aos 34', desferiu o remate que deu origem à grande penalidade, com Jorge Sousa a considerar que Gregory cortou com o braço, dando-lhe, por isso, ordem de expulsão. Na conversão, Mendes abriu a contagem. 

No segundo tempo, começou melhor a formação do Atlético, mas a boa vontade dos homens de Lázaro Oliveira, rapidamente se esgotou e seria o Leixões a voltar a marcar.Aos 57', na sequência de um canto, Leonço deixou a bola para Enoh, que encostou para o fundo da baliza. Dois minutos depois, Mendes esteve perto de voltar a marcar, mas seria Leonço a consegui-lo, aos 64', quando o central Roberto lhe permitiu o desarme em zona proibida: só com Igors pela frente, o brasileiro não vacilou e fez o 3-0. 

HORÁCIO GONÇALVES  "Jogo com grande qualidade do Leixões, que foi superior e um justo vencedor. O resultado possibilita maior tranquilidade. Estamos a três vitórias do nosso objetivo. Esperemos que os problemas que temos se resolvam o mais rapidamente possível, por forma a dar maior estabilidade à equipa" 

FOTO Duarte Rodrigues

CHEGOU AO FIM O "PAI" DO MITCHFOOT



Este é daqueles posts que mais custaram a fazer mas, algum dia, teria de acontecer e hoje chegou o momento. 
 Nascido a 28 de junho de 2008 com o objetivo de dar a conhecer mais sobre o mundo daquilo que é e era o Leixões surgiu o blog Leixões. Fomo-nos adaptando às novas realidades da internet com a própria inclusão desta plataforma em várias redes sociais. Hi5 - foi há bem pouco tempo mas já quase ninguém se lembra -, Twitter, Facebook, Google+ ou mais recentemente Instagram. 
 A realidade hoje é outra e surgiram várias (muitas) páginas a falar do clube fundado a 28 de novembro de 1907. 
 Hoje despedimo-nos, quem sabe com um até já, mas ninguém nos tira as mais de 3 milhões de visualizações ao longo dos últimos anos, as mais de 8400 publicações, os seguidores que fomos tendo no próprio blog e, já agora, nas redes sociais. A todos, obrigado. 
Obrigado por terem confiado no blog Leixões que surgiu do nada mas que no final apareceu nos jornais O JOGO, RECORD ou site da Rádio Renascença. 
 Fomos a base do trabalho dos jornalistas. Fomos ponto de discórdia e de discussão mas também de entendimento e concordância. 
Fomos Leixões e continuaremos a sê-lo ainda que de uma outra forma. Falámos de voleibol, de futebol em todas as suas vertentes, de karaté, de boxe, de bilhar sem esquecer a história. Demos conta de campeonatos conquistados mas também das derrotas. 
Nesses momentos nunca baixámos os braços mesmo contra as adversidades que foram surgindo. O blog Leixões manter-se-á ativo porque faz já parte da história do clube e outra coisa não faria sentido. Continua a ser local de pesquisa aberto a todos, como sempre o foi. 
 A história do Leixões Sport Club continua a ser feita diariamente por todos aqueles que se interessam pelo clube e que dão o máximo por esta instituição que já conta com 107 anos de existência. 

 Hugo M Alves 

 Mitchfoot Futebol de Matosinhos, vai fazer 5 anos de existência online, e por ser verdade, a sua criação foi inspirada, baseada e suportada no Blog Leixões, no qual eu me instrumentava em relação às noticias do universo leixonense. Tudo tem o fim como tu o dizes, mas certamente será um até já...seja qual for o motivo que te levou a tomar esta atitude, estou solidário contigo! Forte abraço solidário! 

Mário Barbosa Mitch

sábado, 14 de março de 2015

PADROENSE VENCE DERBI COM JUSTIÇA

 
Divisão D´Elite AF Porto 27ª jornada 
Estádio do Padroense – Padrão da Légua – Senhora da Hora 
Árbitro Filipe Brito 
PADROENSE 1 LEÇA 0 
Ao intervalo, 1-0, Marcador Murillo (37`) 
 
PADROENSE: Humberto, Simão, Bruno Cunha, Porto, Bruno Gomes; China, Paulinho, Sérgio Nora (Rui Carvalho 60), Tiago Carvalho (Cuco 85), Sousa (Jorge 85`) e Murillo. Treinador Augusto Mata
   
LEÇA: Tiago Oliveira, Ruca (Guylherme 85`), Meneses, Turé (Lico 85`), Bruno Vaz (Pedras 46`); Marcos, Marcelo, Bruno João (Hugo 65`), Mesquita, Viafara e Pablo. Treinador Jovanovic (por impedimento de Óscar Nogueira que assistiu ao encontro no Camarote) 

Final de tarde com um sol ainda brilhante mas com muito frio a mistura, as equipa sobem ao relvado às 17:00, hora marcada para o encontro. As equipas muito receosas uma da outra, não arriscavam nada em busca do golo, excepção feita ao minuto 5`, quando Tiago Carvalho do lado esquerdo do ataque do Padroense faz um cruzamento remate, em direcção à baliza de Tiago Oliveira que encandeado pelo sol, quase comprometia, lance que intranquilizou o jovem guarda redes, que não se revelou muito seguro à imagem do que nos habituou, mas com o avançar do tempo manteve-se atento evitando mesmo o segundo golo dos da casa nos minutos finais. O jogo continua numa toda sonolenta e sem grandes lances de perigo, até que Bruno Gomes à passagem do minuto 37`pelo lado esquerdo, resolve executar um cruzamento com conta peso e medida direccionada à cabeça de Murillo, que finaliza para o golo sem hipóteses para Tiago Oliveira.

   
No segundo tempo, o jogo de certa forma mudou de cariz, com as equipas a colocarem mais velocidade de processos, arriscando mais um bocadinho em busca de lances ofensivos que lhes permitissem chegar ao golo, neste particular, como lhe competia, arriscou mais a equipa leceira, a equipa do Padroense, jogou mais na espectativa recuando as suas linhas, espreitando o contra golpe, criando mesmo chaces para poder aumentar. Ao minuto 79` o Leça fica a jogar em inferioridade numérica, por expulsão de Pedras (duplo amarelo). Minuto 80´ Rui Carvalho que entrara na partida para o lugar de Sérgio Nora, á entrada da área e numa recarga, desperdiça atirando por cima da baliza leceira. Minuto 90`já com luz artificial, lance duvidoso na área do Leça, Porto é derrubado por um defensor do Leça, árbitro nada assinala, mostrando mesmo a amarelo ao jogador da casa, os quatro minutos de descontos dados pelo Sr Filipe Brito, praticamente não se jogou coma equipa da casa a fazer passar o tempo e o Leça a bombear bolas para a baliza de Humberto, que viu também o cartão amarelo por demora da reposição de bola em jogo. Em suma um espectáculo de futebol muito pobre, valendo mesmo o golo de Murillo após excelente cruzamento de Bruno Gomes.

segunda-feira, 9 de março de 2015

A EQUIPA DO LEÇA QUEBRA JEJUM DE VITORIAS

 
A primeira na era ÓSCAR NOGUEIRA 
Leça recebeu a equipa do Gens SC, para a jornada 26 do campeonato maior da AF Porto. 
Estádio do Leça FC, em Leça da Palmeira 
Árbitro: Rui Fangueiro. 
Ação disciplinar: Cartão Vermelho a Bruno Fernandes (30`) 
LEÇA FC 2 GENS SC 1 
Ao intervalo, 0-1 golos Maciel (30`), Viafara (64`) Pablo (70`) 

LEÇA FC: Tiago oliveira, Bruno Fernandes, Meneses, Bruno João (Noura 85), Marcos, Viafara, Touré, Mesquita, Bruno Vaz (Marcelo 65`), Pablo (Hugo 85`), Pedras (Ruca 85`). Treinador Óscar Nogueira. 

GENS SC: Moura, Joel (Beça 85`), Tiago, Emerson, Maciel, Daniel, Hélder, Emanuel, Vitinha, Coelho e Raul (Cafu 65`) Treinador Paulo Silva 

Os gondomarenses até estiveram a vencer e a jogar cerca de uma hora em superioridade numérica, por expulsão do defesa leceiro Bruno Fernandes, mas a equipa do Leça sempre acreditou que era possível vencer o desafio e no segundo tempo conseguiu a REMONTADA, primeiro VIAFARA recente reforço, e depois PABLO de grande penalidade fizeram os golos da vitória leceira após sete derrotas consecutivas quebrando assim um longo jejum 

Viafara estreou-se como titular no conjunto leceiro, num jogo em que a equipa comandada por Óscar Nogueira, realizou o primeira parte paupérrima, quase sem alma a denotar alguma intranquilidade, mas no segundo tempo tudo foi diferente, sob o comando de Pablo ele que viria a marcar o golo decisivo e que valeu os três pontos ao Leça, e com Viafara a desequilibrar em termos ofensivos o colombiano fez um golaço de bicicleta, 4 assistências para golo (neste partícula Mesquita esteve perdulário) e um bom remate que Moura parou com mestria. Tudo somado vitória justa de uma equipa que sempre acreditou e protagonizou uma excelente reviravolta.

domingo, 8 de março de 2015

NINGUEM DESATOU O NÓ!

 
Segunda Liga Portuguesa 2014/2015 -Jornada 32 
Estádio do Mar, em Matosinhos. 
Árbitro: Ricardo Baixinho (Lisboa). 
Ação disciplinar: Cartão amarelo para João Viana (18' e 37'), Tiago Leonço (24'), Gonçalo Graça (53'), Osuchukwu (60'), João Pedro (70' e 90'+3), Sana (76') e Didi (78'). Cartão vermelho por acumulação para João Viana (37') e João Pedro (90'+3). Cartão vermelho direto para Osuchukwu (90'+3). 

Leixões - Sp. Braga B, 0-0. Leixões: Ricardo Moura, Gonçalo Graça, Pedro Pinto, Orlando, João Viana, Roberto Sousa, Tiago Lenho (João Pedro, 40'), Cadinha, Enoh, Leonço (Mendes, int) e Hugo Monteiro (Rui Cardoso, 80'). Treinador: Horácio Gonçalves. 

Sp. Braga B: Tiago Sá, Oto'o, Monteiro, Gonçalo, Núrio, Didi (Fortes, 79'), Sana, Osuchukwu, Nuno Valente (Ailton Silva, 72'), Fábio Martins (Erivaldo, 83') e Agdon. Treinador: Abel Ferreira. 

 Num jogo que fica marcado por regresso de Oto’o ao Estádio do Mar, o Leixões defrontou este sábado o SC Braga B num encontro que viria a terminar sem qualquer golo mas com vários cartões (amarelos e vermelhos) mostrados pelo árbitro Ricardo Baixinho que não se coibiu de ir ao bolso…O Leixões queria dar sequência ao desempenho conseguido na Trofa, os pupilos de Horácio Gonçalves mas o adversário mostrou-se coeso e sabia ao que vinha. Bem disputado, o encontro não teve grandes ocasiões de golo mas as melhores pertenceram aos bracarenses que viram Pedro Pinto negar o golo mesmo em cima da linha de baliza que voltou a ser atribuída a Ricardo Moura e já na segunda metade viu o árbitro anular dois golos aos arsenalistas. 
Tiago Leonço, aos 16’, e Enoh, aos 53’, tiveram as oportunidades leixonenses nos pés de tirar um outro resultado do encontro. O encontro acaba por ficar ainda marcado pelas expulsões de João Viana e de João Pedro (duplo amarelo). 

CONFERENCIA DE IMPRENSA
Horácio Gonçalves, sobre o jogo desta tarde que acabou com a repartição de pontos “A jogar reduzido a dez, temos de jogar de forma inteligente, e o importante é não perder, quando não se consegue vencer o importante é não perder, no somar é que está o ganho e os jogadores estão de parabéns”

Blog Leixões

SENHORENSES PREJUDICADOS EMPATAM POR ENCOMENDA


AF Porto 1ª Divisão Série 1 2014/15 - Jornada 22 
Complexo Desportivo do SC Senhora da Hora 
Árbitro João Nogueira 
Acção disciplinar: Cartão Vermelho, Bruno (60`) Tiago (75`) 
SENHORA DA HORA 1 AVINTES 1 
Ao intervalo, 0-1, golos Djalo (45`) Freire (53`) 

SENHORA DA HORA: Moreira, Fabinho, Bruno Carvalho, Tiago, André Fernandes (Káká 62`); Cabral (Serrão 46`), Rochinha, André Carvalho (Joquinha 62`), Joel (cap) Freire e Bruno Pereira. Treinador Albino Guerra. 

AVINTES: Ruben, Tiago silva (Rafa 70), Alexandre, António (cap), Djalo, Leonardo (Costa 70), Telmo Pedrosa, Sousa, Bruno, João e Hélder. Treinador Miguel Rampinha

   
Jogo de capital importância para as hostes senhorenses na luta à fugida à despromoção. A turma orientada por Albino Guerra, não foi feliz neste encontro, para alem de contar pela frente como um forte e bem organizado adversário, teve também de se haver com uma arbitragem do Sr, João Nogueira, que mais não fez do que empurrar a turma verde e branca para trás, utilizando uma dualidade de critérios gritante, em desfavor dos senhorenses. Os visitantes até começaram melhor, tendo inclusive introduzido a bola nas redes de Moreira à passagem do minuto 15`, mas o lance foi bem anulado pelo árbitro auxiliar. Aos poucos a turma do Senhora da Hora, foi tomando conta do jogo e aproximando-se com perigo perto da baliza contrária, esteve perto do golo por algumas vezes, Rochinha de bola parada assustava Ruben guarda- redes da terra da Broa bem conhecida dos portugueses, Capitão Joel atirou ao poste depois de uma jogada individual, Freire na recarga, de calcanhar quase surpreende o guarda-redes forasteiro…mas quem não marca sofre! Lá diz o ditado! Os visitantes chegaram ao golo em cima do intervalo, Djalo finaliza um canto marcado ao primeiro poste.

   

No segundo tempo, o Senhora da Hora, chega ao golo do empate por Freire. Bruno Pereira marca um livre do lado direito, direccionado para a cabeça do avançado que finaliza de belo efeito. Os jogadores da casa, ganham alento e sobem no terreno em busca do golo, mas o Sr. árbitro do encontro, permite jogo bastante duro por parte dos visitantes, não marcando inclusive faltas com acção disciplinar prejudicando nitidamente os senhorenses, o canto do cisne, ou melhor…a “encomenda “ quase se concretizava, quando ao minuto 79` consegue marcar uma grande penalidade, que só ele viu…contra a equipa da casa, mas João quase que a redimir-se do árbitro atira para fora. Serrão ao minuto 82` Isolado, na cara do golo, deixa-se antecipar por António que tira o pão da boca ao avançado veterano. Em cima do apito final aos 90+4, é a vez de Joel desperdiçar o golo que valeria três precioso pontos para o SC S Hora.

Um olhar feminino sobre o jogo em dia internacional da Mulher Anabela Delgado, conhecida cantora matosinhense e adepta do SC Senhora da Hora “Confesso que nunca fui grande apreciadora de futebol, mas como sou uma pessoa que se interessa por vários temas e de alguma forma ligada ao Associativismo há já alguns anos. Hoje fiquei desiludida com a forma de arbitragem deste jogo, ficando o Senhora da Hora penalizado, caso contrario não ficaria pelo empate, com tanta falha por parte do árbitro. O senhor ou foi muito bem pago ou era daltónico e confundia quem praticava as faltas, Assim como os jogadores de Avintes, pareciam estar num campo de batalha e não a jogar futebol, mas enfim este é apenas um olhar feminino sobre o futebol. Cada qual tem o seu ponto de vista, este é o meu e corrijam-me se eu estiver enganada...”

terça-feira, 3 de março de 2015

BEM QUE O RESULTADO PODERIA SER OUTRO (Leça estreia Viafara)

DIVISÃO D´ELITE AFP JORNADA 25 
Estádio do Azevido Rebordosa – Paredes 
Árbitro, Vítor Ribeiro 
REBORDOSA 2 LEÇA 1 
Ao intervalo, 1-0, golos Filipe Carvalho (37), João Mesquita (72) Oliveira (80) 

REBORDOSA: Vasco Viana, Brandão, Batista, Paulo Monteiro (Tiago 85), Rui Alves, Fábio Jorge (Oliveira 46), Quim (Telmo 70), Filipe Carvalho, Cafú, Bock (Rui Miguel 46) e Dany. Treinador Pedro Monteiro. 

LEÇA FC: Tiago Oliveira, Fernandes, Moisés, Bruno, Hugo (Viafara 46), Marcos, Turé, João Mesquita, Bruno Vaz, Pablo e Guylherme (Pedras 46). Treinador Óscar Nogueira. 

Sem conhecer a vitória há 7 jornadas a equipa leceira apresentou-se em Rebordosa, um dos candidatos à subida, com o recente reforço, Viafara (começou no banco), vindo o vizinho Leixões. 

Encarando o adversário olhos nos olhos, a equipa de Óscar Nogueira, nunca em momento algum foi inferior ao adversário, mesmo a perder os verdes e brancos de Leça da Palmeira criaram bastantes dificuldades ao Rebordosa e realizaram um segunda metade do desafio, simplesmente notável, fazendo jus a outro resultado. 
 Com um futebol bem gizado e com grande consistência ofensiva, o Leça ainda chegou à igualdade por Mesquita, mas na parte final, recuou um pouco e permitiu que os locais fizessem um assalto à baliza à guarda de Tiago Oliveira (regressou à titularidade com um exibição convincente) e em cima do minuto 80 Oliveira deu os três pontos à sua equipa que persegue o líder São Martinho.

FRENTE AO CANDIDATO BAIÃO, LAVRENSE MERECIA MELHOR SORTE


Divisão de Honra AF Porto, jornada 22 
Complexo Desportivo de Lavra 
Árbitro, Sérgio Ferreira 
U D LAVRENSE 0 A D BAIÃO 1 
Ao intervalo, 0-1, golo, Luis Pedro (36) 

LAVRENSE: Toni, João Magalhaes (Ferreira 56) Fradinho, Grilo, Diogo (Dany 46), Couto, Amilcar, Wendel, Postiga, Botelho e Ivo (Káka 76). Treinador Leandro Cunha 

BAIÃO: Ernesto, Luis Pedro (Miguel Angelo 55), Seixas, Vítor (Ricardinho 55), Rui, Batata, Miranda (Pedro Almeida 90+2), Mica (Hugo 55), Pedro Vieira, Flávio, Márcio e Jorge. Treinador Carlos Monteiro. 

Grande jogo, aliada a uma excelente exibição que só não deu os seus frutos por manifesta falta de sorte da equipa comandada por Leandro Cunha, de facto os lavrenses poderiam ter vencido este jogo, pois criaram mais e melhores oportunidades para vencer do que o seu antagonista, que de uma forma eficaz aproveitou praticamente o único lance em que poderia ter marcado, através de um excelente cabeceamento de Luís Pedro que resultou no único golo da partida. Antes mesmo o avançado da equipa da casa (Ivo) na cara de Ernesto desperdiçou soberana oportunidade, o mesmo Ernesto na parte final do desafio, segurou os três pontos para o Baião, que persegue o líder Pedrouços, com três excelente intervenções.

   
NOTA: No intervalo do jogo da equipa sénior entre a UD Lavrense e o A.D. Baião, a entrega dos diplomas e medalhas aos atletas do mês de FEVEREIRO 2015 dos vários escalões da UD Lavrense.

D. LEÇA DO BALIO TEM CORAÇÃO DE CAMPEÃO

QUE GRANDE CORAÇÃO

1ª Divisão Associação de Futebol Do Porto, jornada 21. 
Complexo Desportivo de Leça Do Balio, em Matosinhos. 
Arbitro: Fábio Melo.
LEÇA DO BALIO 4 GULPILHARES 3 
Ao intervalo: 1-2. Golos. Batata (20), Pedro Gil (29), Cardigos (38, gp), Hugo (70), Alvarenga (72), Hélder (80) e Rafa (86, gp).

LEÇA DO BALIO: Miguel Mota; Hélder, Miguel Cunha, Carlitos e João Cardoso; Carlos Diogo, Soberano (Rafa, 46) e Edú; Hugo (Berto, 88), Gomes (Nandinho, 69) e Cardigos. Treinador: Mário Heitor. 

GULPILHARES: Faria; Fábio Duarte, Valente, Maté e Leandro; Cambiasso, Cláudio (Vitinha, 46) e Batata; Pedro Gil, Rooney, (Alvarenga, 63) e Nuno Veha (Tiago, 79). Treinador: Ernesto Faria. 

 O Desportivo Leça do Balio venceu este domingo, o líder Gulpilhares por 4-3, na partida referente à 21º jornada da 1º divisão da associação de futebol do Porto, no seu complexo desportivo, em Matosinhos, num grande jogo de futebol completamente improprio para cardíacos.
 Não faltou golos, emoção, bom futebol entre o primeiro e segundo classificado desta serie, com uma boa assistência onde ninguém deu o seu tempo como perdido. Logo no inicio da partida uma grande penalidade marcada a favor do Gulpilhares por mão de Miguel Cunha na área, mas penalidade essa falhada pelo líder do campeonato. 
O Leça do Balio reagiu, aproximou-se da área visitante, mas ia faltando encontrar o caminho para o golo. O Gulpilhares aos vinte minutos numa transição muito rápida, com um bom futebol faz o golo inaugural por Batata, após uma assistência do lado esquerdo do ataque, não dando hipótese de defesa a Miguel Mota. Passados nove minutos um erro da equipa da casa na primeira fase de construção de jogo, em que perde a bola, possibilita o remate de Pedro Gil, a fazer o segundo golo da equipa visitante. Quando o jogo já parecia decidido ainda no primeiro tempo, a equipa da casa não baixou os braços e continuou a desenvolver o seu bom futebol, sempre com o apoio fantástico do seu público. Aos 38 minutos na conversão de um penalti bem assinalado, o central Pedro Cardigos a ser mais uma vez decisivo e a fazer o golo Baliense no primeiro tempo. 

No segundo tempo o técnico Mário Heitor mexeu no onze mudando a estrutura da equipa, entrando Rafa para o lugar de Soberano, que veio a ser decisivo no jogo com uma exibição de classe. 
A equipa da casa em desvantagem no marcador, sempre com muita alma, muito esforço continuou na procura do golo e conseguiu através de um golpe de cabeça do avançado Hugo simplesmente fenomenal, que levou ao delírio os adeptos Balienses. Passados dois minutos o Gulpilhares que mostrou grande classe e ser sem dúvida a melhor equipa deste campeonato, faz o o seu terceiro golo por intermédio de Alvarenga, que tinha sido lançado no segundo tempo pelo estreante técnico Ernesto Faria. Uma transição ofensiva bem conseguida por parte da equipa visitante, que após um passe de Vitinha que isola Alvarenga, que à saída de Miguel Mota finalizou com êxito. 
Nova mudança de marcador no jogo e quando desta vez já parecia tudo decidido, os Balienses tornaram a não baixar os braços e aos 80 minutos numa confusão na área o defesa esquerdo Hélder faz novamente o empate e deixa tudo outra vez em aberto! Hélder que superou uma lesão no menisco do joelho esquerdo, regressou à equipa em Janeiro e marcou pelo segundo jogo consecutivo, pois na semana anterior tinha marcado no terreno do Senhora da Hora. 
Aos 86 minutos numa boa jogada colectiva Baliense é assinalado penalti a favor da equipa da casa e Rafa mostrou grande frieza e marcou o quarto tento que carimbou os três pontos e levou ao delírio os adeptos da equipa da casa. Destaque ainda para a entrada do central Berto no jogo, que após um ano de ausência por lesão, que o levou à sala das operações, voltou aos relvados. 

Uma vitória muita sofrida da equipa de Mário Heitor que ainda não perdeu no seu estádio esta temporada, tendo encontrado pela frente um Gulpilhares, líder do campeonato que mostrou argumentos que comprovam a liderança. O Desportivo de Leça do Balio colou-se novamente no segundo lugar da tabela classificativa com 39 pontos a seis pontos do líder Gulpilhares, o que é um feito notável para uma equipa que subiu da segunda distrital na temporada passada.

domingo, 1 de março de 2015

SEIS JORNADAS DEPOIS LEIXÕES QUEBRA JEJUM

31.ª jornada da 2.ª Liga. 
Estádio do CD Trofense, na Trofa. 
Árbitro: Vasco Santos (Porto). Ação disciplinar: cartão amarelo para Zé Pedro (64). 
Trofense - Leixões, 0-2. 
Ao intervalo: 0-1.Marcadores: 0-1, Hugo Monteiro, 5'. 0-2, Enoh, 65'. 

Trofense: Diogo Freire, André Teixeira, Eduardo Enrique, Cláudio, André Pires (Tiago Martins, 87), Tiago, Hélder Sousa, Micael Babo (Simãozinho, 58), Serginho, Rafael Silveira e Dário (João Pedro, 73). Treinador: Vítor Campelos. 

 Leixões: Ricardo Moura, Gonçalo Graça, Pedro Pinto, Zé Pedro, João Viana, Roberto Sousa, Cadinha (Bruno Lamas, 74), Orlando, Hugo Monteiro (Mendes, 62), Tiago Leonço (Moedas, 86) e Enoh. Treinador: Horácio Gonçalves. 

 Um Leixões intranquilo, após uma semana agitada com a ameaça de saída do treinador e o anúncio de novos investidores, foi aquele que se apresentou na Trofa para defrontar um aflito Trofense.

O primeiro golo dos matosinhenses acabaria por surgir cedo, aos cinco minutos, e muito graças a um erro do central Eduardo Enrique, que permitiu que Hugo Monteiro finalizasse bem uma combinação com Enoh. Seguiu-se depois um período de grande equilíbrio, mas foi o Leixões a acabar melhor o primeiro tempo, sendo o guardião da casa Diogo Freire quem teve oportunidade de brilhar, ao protagonizar duas grandes defesas, a remates fortes de de Tiago Leonço, aos 16 e 27 minutos.

Na segunda parte, o Trofense entrou apostado em inverter o resultado, mas foi Mendes, que entrara para o lugar de Hugo Moreira a isolar Enoh, que fez o segundo golo, aos 65 minutos para os matosinhenses. Leixões regressa assim às vitórias(2ª esta época fora de casa) após seis jornadas de jejum.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

SAIU A FAVA AO LEIXÕES, CAPÕES LEVAM A VITORIA PARA CASA

30ª jornada da Segunda Liga 
Estádio do Mar, em Matosinhos 
Árbitro: Nuno Almeida (Algarve) 
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Mendes (21'), João Pedro (53'), Gonçalo Graça (70') e Leandro (79') Leixões 0 Freamunde, 1
Ao intervalo: 0-1 Marcadores: 0-1, Rocha, 38 minutos 

Leixões: Chastre, Gonçalo Graça (Hugo Monteiro, 74'), Pedro Pinto, Zé Pedro (Alemão, 60'), João Pedro (João Viana, 55'), Roberto Sousa, Cadinha, Orlando, Mendes, Leonço e Enoh Treinador: Horácio Gonçalves 

Freamunde: Marco, Tiago Mesquita, Rocha, Luís Pedro, Huguinho, Pedrinho (Rainho, 85'), Barbosa, Robson, Djim (Dally, 73'), Ansumane e Fausto (Leandro, 65') Treinador: Filipe Rocha 

Eficácia 100%. Assim se pode resumir o jogo por parte do Freamunde que venceu esta tarde, no Estádio do Mar, o Leixões SC em nova jornada disputada no Estádio do Mar. Um canto, aos 38', e um cabeceamento de Rocha deu à equipa visitante a vantagem no marcador que viria a subsistir até ao final da partida que não teve praticamente oportunidades de golo para ambas as formações. Um empate era merecedor de bom desempenho e o SC Freamunde depois de ter apontado o golo inaugural fechou-se e limitou-se a defender cabendo aos pupilos de Horácio Gonçalves assumirem o comando de jogo. Mas não conseguiram e nova derrota caseira surgiu. 

Conferência de imprensa 

Horácio Gonçalves, treinador do Leixões SC 
"Nós perdemos o jogo às 11h00 da manhã porque não é fácil. Eu amanhã tenho que tomar definitivamente uma decisão porque não posso vir para um jogo com um jogador que foi despejado. Eu já venho a falar há um mês que os problemas estão a ter gravidade tal que isto não pode acontecer. As pessoas não decidem o assunto que têm que decidir. Lutei e luto pelo Leixões. As pessoas não querem ajudar, paciência. Infelizmente não foi por falta de vontade minha mas isto não é vida. Estas coisas não podem acontecer no clube. Espero que de uma vez por todas isto se resolva. Há um mês atrás não pude convocar um jogador porque não tinha camisola. Isto não pode acontecer. Não é pelos resultados mas eu tenho que dar pelos meus jogadores e pelo meu grupo... é o meu desejo. Amanhã vou tentar resolver a situação porque custa muito". 

Filipe Rocha, treinador do SC Freamunde 
"A primeira foi mais bem jogada. Os atletas enquanto tiveram mobilidade física, o Freamunde esteve melhor que o Leixões. Um jogo com poucas ocasiões de golo. Aproveitámos um canto e sabíamos que na segunda parte o Leixões ia arriscar tudo. A fadiga do acumular de jogos está a fazer efeitos nas equipas que não permitiram uma melhor disputa na segunda parte." 

BLOG LEIXÕES

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

D LEÇA DO BALIO

D LEÇA DO BALIO

OS LUSITANOS SCFC

OS LUSITANOS SCFC

PUBLICIDADE DE MATOSINHOS

PUBLICIDADE DE MATOSINHOS