segunda-feira, 2 de maio de 2016

ESTÁ DIFICL PARA O LAVRENSE MAS NADA ESTÁ PERDIDO!


ESTE O GOLO QUE NÃO CONTOU... 

29ª Jornada da Divisão de Honra AF Porto 
Estádio Municipal da Póvoa de Varzim 
Árbitro Tiago Loureiro 
BALASAR 2 LAVRENSE 1 
Ao intervalo, 2-0, Golos, Paulinho (25) Ebongué (35) Abílio (70). 

BALASAR: Júlio, Luciano, Kita, Pedro Alexandre, Paulinho, Mauricio, Zé Miguel, João Vítor (Gia 90), Joel (Gavina 75), Ebongué, Simão (Rui Moreira 75). Treinador Augusto Neves. 

LAVRENSE: Bruno Monteiro, Dany (Postiga 40), Fradinho (Crespo), Palheira, Abílio, Nuno Costa, Amilcar (Grilo 70), Zé Campos, Wendel (Evandro 55), Taigo Carvalho e Káká. Treinador Leandro Cunha. 

Jogo de grande importância para ambos os lados…se do lado dos anfitriões, fogem da zona de despromoção, do lado visitante o objectivo é a subida. 

Tirando partido de um forte vento que se fez sentir os visitados levaram a melhor no primeiro tempo…mas não fosse uma arbitragem infeliz e carregada de erros sucessivos e sempre para o mesmo lado, bem que a história poderia ter sido outra. 
 Aos 15 minutos o Lavrense chega ao golo, que não chegou a ser pois a equipa de arbitragem considerou que o a bola não tinha transporto a linha de baliza. 
 Aos 18 minutos de jogo, mão na bola dentro da área de rigor e o árbitro não dá penalti para o Lavrense. 
Aos 25 minutos golo do Balasar, na sequência de um livre que nos pareceu não ter existido motivo para falta do jogador Lavrense. 
Aos 35 minutos o veterano ponta de lança camaronês Ebongué fez o 2-0 resultado com que se atingiu o intervalo.
 
APOIO NÃO FALTOU! 

No segundo tempo e com uma desvantagem injusta para recuperar, a equipa de Leandro Cunha, bem que tentou de várias formas e feitios anular a vantagem dos anfitriões, mas estes conscientes de que era precioso segurar a vantagem, usaram e abusaram do anti-jogo ao ponto que só se jogaram praticamente 15 minutos dos 45 existentes. 
Com todo este “esquema” montado, o melhor que os lavrenses conseguiram foi reduzir a vantagem ao minuto 70, de canto direto marcado por Abílio. 

No final do jogo foi bem patente nos rostos dos jogadores Lavrenses, a tristeza por não terem conseguido um resultado que lhes permitissem encarar o próximo jogo dependendo só de si próprio para atingir a subida à Elite, neste particular Bruno Monteiro o guarda-redes, deitado no relvado não conseguiu conter as lágrimas. 

Mesmo assim é seguro que a equipa orientada por Leandro Cunha não se vai desviar do objectivo, acreditando sempre até que seja possível concluir a prova com o passaporte carimbado. Próxima jornada e última a equipa de Lavra recebe no seu reduto a equipa do Vila Caiz domingo dia 8 de Maio.

domingo, 1 de maio de 2016

SAIBA QUEM VENCEU OS PRÉMIOS MITCHFOOT 2016


Clique na foto para ampliar

Chegou ao fim mais uma eleição para os melhores do futebol de Matosinhos, regozijo-mo pelo facto da eleição ter corrido dentro do fair play que se imponha, de facto a mesma desenrolou-se dentro da normalidade o que me faz ficar muito satisfeito e orgulhoso pelo comportamento dos eleitores. 

Aos vencedores pretendo endereçar os parabéns pela conquista, desejar-lhes a melhor sorte desportiva e dizer-lhes que nos encontramos no dia 26 de Maio, para aí lhes entregar o prémio correspondente. Os parabéns são também extensivos a todos os nomeados, pois em meu entender, vocês também são uns vencedores, pois num universo que por só já é muito grande, terem merecido uma nomeação é muito positivo, principalmente para as vossas carreiras desportivas. 

Pretendo também agradecer publicamente a toda a equipa de agentes desportivos que participaram nas nomeações. 

Bem hajam!!! Conto com todos na VI Gala Mitchfoot que como sabem vai ser realizada no dia 26 de Maio, no complexo Desportivo de Lavra. 

GLÓRIA AOS VENCEDORES, HONRA AOS VENCIDOS! SOMOS FUTEBOL DE 
MATOSINHOS

Mário Mitch

sábado, 30 de abril de 2016

DUAS FINAIS PARA A MANUTENÇÃO

 
44.ª Jornada da LEDMAN LIGA PRO 
Estádio do Mar em Matosinhos 
Árbitro: João Capela (Lisboa) 
LEIXÕES SC 0 FC FAMALICÃO 0

LEIXÕES: Ricardo Moura, Rateira, Pedro Pinto, Wellington, João Pedro, Bruno China, Abalo (Pedras 71), Caio (Malafaia 87), Bruno Lamas, Slim (Ricardo Barros 66) e Cássio. Treinador Pedro Miguel 

FAMALICÃO: Chastre, Silvério, Diogo Santos, Vilaça, Medeiros (Lenadro 62), Daniel, Jorge Miguel, Vítor Lima, Mauro (Chico75), Lengoualama (Feliz 62), Amessan. Treinador Daniel Ramos. 

Foram muitos os que não quiseram perder o jogo entre Leixões SC e FC Famalicão. 
O Mar não encheu por completo, longe disso, mas teve a melhor assistência da época, 4538 espectadores, os adeptos leixonenses responderam ao apelo da direcção. 

 Num embate em que os dois conjuntos protagonizaram um jogo muito tático, com mais cautelas do que ambição, o resultado espelha o equilíbrio reinante, e serve melhor as ambições do Leixões, na fuga aos lugares de despromoção. 

Os forasteiros até tiveram a primeira oportunidade do encontro, quando aos três minutos, após um canto, Vilaça rematou à baliza, o guardião Ricardo Moura não segurou e, em cima da linha de golo, Wellington afastou o perigo. O Leixões reagiu pouco depois e, aos 17 minutos, Bruno Lamas, num remate audaz, falhou por pouco o alvo. Ainda antes do intervalo, aos 32 minutos, aconteceu a melhor ocasião de golo para o Leixões, na sequência de um lance de bola parada. Rateira cruzou para China que desviou de cabeça obrigando Chastre a uma defesa incompleta, com a bola sobrar para João Pedro que, na recarga, tentou a sorte mas deste feita com Chastre a segurar. 

No segundo tempo, repetiu-se a tendência do jogo, com o equilíbrio a manter-se, e com ambos os conjuntos a sentirem dificuldades no capítulo ofensivo, adiando as situações de golo. Destaque, ainda assim, para um remate do leixonense João Pedro, ao lado, aos 52 minutos, e, pouco depois, para uma iniciativa de Lengoualama, do Famalicão, que Ricardo Moura defendeu com os pés, arrastando o nulo até ao final. Depois do empate sem golos na receção ao Famalicão, o Leixões tem duas jornadas para carimbar a permanência nesta emocionante Ledman LigaPro. 

Próximo compromisso o Leixões recebe em casa o Olhanense.

segunda-feira, 25 de abril de 2016

ANTIGAS ESTRELAS DO LEÇA EM CONFRATENIZAÇÃO


Patrocinado pela União das Freguesias de Matosinhos e Leça da Palmeira e integrado nas comemorações do 25 de Abril em Matosinhos, decorreu esta tarde um jogo de futebol que reuniu uma autêntica parada de estrelas do futebol do Leça FC. 

 O complexo Desportivo da Bataria, serviu de palco para revermos a classe de jogadores de outrora do emblema leceiro…sobe a arbitragem de um “ gatuno que por lá apareceu” Diogo Pedras, capitão goleador do time leceiro, as equipas terminaram empatadas com um rol de golos para cada lado, neste particular Constantino não deixou o seu crédito por mãos alheias. 

 
Serifo explica ao presidente como se faz

Com o pontapé de saída a ser dado pelo presidente Pedro Sousa e a glória leceira Serifo, as equipas alinharam: 

Brancos: Tiago oliveira, David, Couto, Miguel, Zé Soares, Pedro Mesquita, Monteiro, Domingos, Vítor Gandarela, Noverça e Arnaldo. Treinador Desapareceu… 

Vermelhos: Dourado, Alécio, Franco, Slagalo, Vasco, Abílio Novais, Miguel Lima Pereira, Cristóvão, Constantino, Álvaro e Jorge Leça. Treinador Serifo. 

Tempo ainda para a terceira parte do encontro, que foi jogado com grande apetite e satisfação entre todos, um magnifico e apetrechado assador serviu febras para os participantes neste grande desafio que serviu também para recuperar dos esforços

Sem duvida uma excelente iniciativa por parte da União de Juntas em Dia da Liberdade

VITÓRIA EM MARVILA TIRA PARA JÁ LEIXÕES DA ZONA DE DESPROMOÇÃO


 43.ª Jornada - Ledman LigaPro 
Campo Eng. Carlos Salema. Marvila, Lisboa 
Árbitro: Cosme Machado (Braga) 
Cartão vermelho a Alemão (51)
Oriental 0 Leixões SC 1  
Ao intervalo 0-0 
Golo (Bruno China, 60') 

Oriental: Rafael Veloso, João Varudo, Daniel Almeida, Diego Tavares, Hugo Grilo (Cajú, 64), Tiago Mota, Bruno Aguiar, Leonel, Fernando (Tom, 54), Simões e Peter (Pedro Mendes, 78). Treinador: Jorge Andrade. 

 Leixões: Ricardo Moura, Gonçalo Graça, Pedro Pinto, Wellington, João Pedro, Abalo (Caio, 66), Bruno China, Bruno Lamas (Banjai, 90+2), Alemão, Rateira e Cássio (Ricardo Barros, 75).Treinador: Pedro Miguel. 

 Destaque para os adeptos leixonense que se fizeram deslocar a Lisboa com um numero (400) bastante significativo. 
 A equipa da casa foi a primeira a criar perigo e, logo aos 02 minutos, esteve à beira de inaugurar o marcador, por intermédio de Fernando. Um centro largo de João Varudo para o interior da área descobriu o avançado brasileiro livre de marcação, que, num remate de primeira, permitiu uma excelente intervenção ao guardião Ricardo Moura. 
Na resposta, a equipa forasteira quase desfez o nulo, após um ataque rápido e de dois remates perigosos. Primeiro por Cássio, que Rafael Veloso defendeu, e, na recarga, Bruno Lamas atirou para fora (10). 
Apesar do Oriental ter entrado mais forte no jogo, o Leixões era quem controlava e dominava a partida, com Cássio e Bruno Lamas a serem os jogadores mais inconformados, depois de vários remates ao lado.

   

O segundo tempo começou com a equipa de Matosinhos mais forte e, novamente, perto de marcar, aos 50 minutos. 
Na sequência de um livre batido do lado direito, e de um mau alivio da defensiva de Marvila, Bruno Lamas rematou com ‘estrondo’ à barra da baliza de Rafael Veloso. 
Com o Leixões reduzido a dez elementos, devido à expulsão de Alemão, o conjunto orientado por Pedro Miguel não se deixou abalar e abriu o marcador à passagem do minuto 60. Depois de uma jogada de insistência e de vários ressaltos dentro da pequena área, a bola ficou presa e Bruno China limitou-se a encostar para o fundo das redes. 
Até final, o jogo esteve bastante partido e ambas as equipas podiam ter marcado por diversas ocasiões. No entanto, os dois guarda-redes mostraram-se seguros entre os postes. 

Conferência de imprensa 

Jorge Andrade (Treinador do Oriental): "Um jogo como muitos casos, anti-jogo, mas é normal. Com 10 elementos, o Leixões até conseguiu marcar o golo. Não conseguimos tirar partido da vantagem numérica e não tinha muitas opções para mexer com o jogo. Não conseguimos impor o nosso futebol”. 

 Pedro Miguel (Treinador do Leixões): "Vitória justa da melhor equipa, que peca por escassa. Voltámos a falhar na finalização, mas felizmente fizemos um golo e conseguimos três importantes pontos. Vai ser uma luta difícil até final e acredito que vamos ser felizes". Fotos Facebook do Oriental de Lisboa

domingo, 24 de abril de 2016

EMPATE EM LAVRA DEIXA TUDO NA MESMA

 
28ª Jornada Divisão de Honra AF Porto 
Complexo Desportivo Lavra. 
Árbitro João Pereira 
UD LAVRENSE 0 GONDIM MAIA 0 

UDL: Bruno Monteiro, Dany, Fradinho, Palheira e Abílio; Nuno, Zé Campos, Wendel; Postiga (Káká 55), Tiago Carvalho e Evandro (João Luís 55). Treinador Leandro Cunha 

GONDIM: Rui, Lucas, Rafa, J.P., Fabinho, Leão, André, Alex (André Moura 76) Manel (Fabi 70), Renato e Jordan. Treinador Amério Soares

   

O público Lavrense respondeu à chamada dos seus guerreiros, enchendo por completo a bacada central do complexo desportivo de Lavra. Jogo começa e desenrola-se em toada de equilíbrio, mas o primeiro sinal de perigo foi dado pelos maiatos, quando recuperam uma bola à entrada da área e de pronto de meia distância tentam alvejar a baliza à guarda de Bruno Monteiro. À passagem do primeiro quarto de hora, Abílio através de um livre lateral envia o esférico à trave da baliza de Rui. Pouco mais há a acrescentar, apenas registar que o Gondim teve mais bola, jogando a equipa da casa em transições, neste particular Zé Campos foi o mais esclarecedor do conjunto Lavrense. 

 

 Segundo tempo, o cariz do jogo alterou-se ligeiramente, sendo a gora a equipa de Lavra a detentora de mais posse de bola, tendo inclusive ameaçado mais a baliza de Rui. Em suma: boa partida de futebol, muito jogada sobre o meio campo em que o perigo não foi uma constante em ambas a balizas. Resultado que serve melhor as pretensões lavrenses, que mantem distância sobre o segundo classificado de igual forma. 
Esperava-se mais do conjunto maiato, que só a vitória lhe interessava, mas pelo que demonstrou no embate, pareceu sair satisfeita com a divisão de pontos. 
 Arbitragem bem conduzida por João Pereira, que esteve à altura do que lhe era exigido, sem casos fazendo uma actuação, quanto a nós irrepreensível.

segunda-feira, 18 de abril de 2016

DE VOLTA À TERRA…LEIXÕES TEM DE ARREPIAR CAMINHO

Estádio do Mar, em Matosinhos. 
Árbitro: Artur Soares Dias (Porto). 
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Robson (18), Eridson (80) e Fausto (90+2). 
LEIXÕES 0 FREAMUNDE 2 
Ao intervalo: 0-1. Golos Iván Pérez, (10 e 63)minutos 

LEIXÕES : Ricardo Moura, Gonçalo Graça, Pedro Pinto, Wellington, João Pedro, Abalo, Malafaia (Rui Cardoso, 67), Bruno Lamas, Alemão, Slim (Pedras, 62) e Cássio (Ricardo Barros, 53). Treinador: Pedro Miguel. 

FREAMUNDE: Rui Nereu, David Bruno, Rocha, Luís Pedro, Rainho, Robson, Pedrinho (Eridson, 79), Iván Pérez, Celeste (Anderson, 46), Fausto e Mauro Dalla Costa (Diogo Ramos, 74). Treinador: Lúcio Pereira. 

 Dois golos de Iván Pérez deram este domingo a vitória ao Freamunde na visita ao Leixões, em jogo da 42.ª jornada da 2.ª Liga, num desfecho que afunda os locais e reforça a candidatura dos visitantes à subida. O avançado argentino foi a figura do jogo, ao marcar um golo em cada parte, primeiro de cabeça (10 minutos) e depois num remate em força (63), recolocando o Freamunde na rota dos triunfos, apóes três jogos sem ganhar. 
Com o Leixões em busca dos três pontos, o Freamunde optou por uma toada de contenção e chegou ao golo na primeira vez que criou perigo. Fausto entrou na área pela esquerda e cruzou para o cabeceamento certeiro de Iván Pérez, que se antecipou aos centrais contrários. Mal batido no lance anterior, Ricardo Moura redimiu-se aos 24 minutos, oferecendo o corpo ao remate de Celeste, que acorreu na área a uma solicitação de Pedrinho, para procurar do segundo tento. 
A persistência dos locais quase lhes valeu o empate aos 31 minutos, com Cássio, à meia-volta, a rematar uma bola colocada na pequena área por Gonçalo Graça, mas esta acabou por embater no poste e foi afastada por um defesa dos capões. Iván Pérez ampliou a vantagem aos 63 minutos, concluindo uma jogada de Anderson com um forte remate à entrada da área, respondendo os locais com dois tiros sobre a barra: Alemão (65) e Bruno Lamas (73). 
Com a derrota, a equipa de Matosinhos voltou a cair para os lugares de despromoção, enquanto o Freamunde está no quarto lugar a dois pontos do terceiro posto. 

Lusa

domingo, 17 de abril de 2016

FEZ-SE HISTÓRIA - DESPORTIVO LEÇA DO BALIO É CAMPEÃO

 
A F Porto 1ª Divisão serie 1 - Jornada 27 
Parque de jogos Fernando Pedrosa (At Rio Tinto) Gondomar 
Árbitro: Bruno Nogueira 
 D LEÇA DO BALIO 1 FC AVINTES 1 
Ao intervalo: 0-1 Golos, Avelino (44) Braga (60) 

DL BALIO: Miguel Mota, João Pinto, Duarte, Cardigos, Nelson (Carlitos 55), Guil (Gonçalo 66), Carlos Diogo, Félix, Pedro Gomes (Rafa 55), Hugo e Braga (Grade 66). Treinador Mário Heitor. FC 

AVINTES: Faria, Telmo Pedrosa, António, Renato, Kiko (João Pereira 69), Silva (Sérginho 69), Viana, Freixo, Rafael, Avelino (Tiago 69) e Zázá (Djaló 58). Treinador Guilherme Baldaia.

   

Dado a importância do desafio, as equipas entram algo receosas uma da outra. Primeiro sinal (8´) de perigo, pertenceu aos matosinhenses, quando Hugo e depois Pedro Gomes perdem o duelo com o guardião Faria. Jogo muito equilibrado, jogado sobre o meio do campo, respondem os gaienses com um livre marcado do lado esquerdo, por Viana, mas bola sai rente ao poste sem que ninguém a empurra-se para dentro. As equipas muito encaixadas, não produziam lances de perigo, excepto ao minuto 44, numa jogada de transição os balienses perdem o esférico, e Zázá isola-se pelo corredor esquerdo, cruza e sem oposição Avelino de cabeça dá o melhor seguimento ao esférico e este anicha-se nas redes de Miguel Mota que nada podia fazer.

   

No segundo tempo, o jogo muda de figura e o perigo começa a ser constante em ambas as balizas, primeiro o Avintes que vê a equipa de arbitragem invalidar um golo, por fora de jogo, logo no inicio da etapa complementar, decisão que nos pareceu certa. Praticamente na resposta Pedro Gomes de meia distancia atira forte, junto ao relvado e a bola a cantimetros do poste direito da baliza de Faria. Ao minuto 60, o golo do empate, Félix cruza com conta peso e medida e Braga de cabeça iguala a partida. Até ao fim, os balineses conscientes da importância do jogo (“hoje é o nosso dia” dizia Mário Heitor antes do inicio do jogo aos seus “meninos” ) foi jogar com grande coração com grande raça, para alcançar o resultado que lhe permitisse conseguir o titulo de campeão e consequente subida à Honra, como se veio a verificar…no final e porque o Leverense perdeu em casa frente a outro clube de Matosinhos os Lusitanos, o Titulo já estava no bolso dos balienses. Depois, bem depois veio a festa a alegria dos adeptos, que se fizeram deslocar em grande numero axaltando o nome do DLBalio gritando sem parar CAMPEÃO, NÓS SOMOS CAMPEÕES!!!! 

sábado, 16 de abril de 2016

ESTÁ APRESENTADA A OBRA LITERÁRIA DE GERMANO PINHO

 
Numa Sala completamente cheia, composta por individualidades do desporto, politica e do associativismo, foi lançado a obra literária com o título “ MARCAÇÃO CERRADA – “Avida de um dirigente” de Germano Pinho. 

Dr. Lourenço Pinto deu as boas vindas seguindo-se a apresentação de um vídeo composto por passagens da vida de Germano Pinho 
Os oradores da cerimónia (Dr. Lourenço Pinto presidente da A F Porto, Dr. Luís Pires representante da editora Chiado. Prof. Dr. Manuel Sérgio, Dr. Narciso Miranda) começaram por elogiar o homem concluindo as suas intervenções com o elogio a obra que acabava de ser apresentada. 
Neste particular o destaque do Prof. Dr. Manuel Sérgio, que conseguiu com o bom humor que o caracteriza, arrancar largos sorrisos a todos os presentes na plateia. 
 Germano Pinho, encerrou a sessão de discursos com agradecimentos a todos aqueles que fizeram parte desta realização, elogiando e agradecendo à sua família, cumprimentando todos os que estavam na sala, acabou por revelar que todos os presentes passariam a partir de hoje «meus amigos íntimos» deixando também um conselho para os mais novos, inclusive para os seus filhos «vale a pena ser sério» por ultimo agradeceu a presença do Prof. Dr. Manuel Sérgio, que fez 300 km para estar presente, dizendo que «o Prof. Dr. é um estudioso do saber», pedindo-lhe um autografo publicamente. 
Seguiu-se depois uma sessão de autógrafos, acompanhada por um Porto de Honra 
Neste evento que foi realizado no auditório da sede da A F Porto, contou com muita figuras ligadas ao desporto particularmente ao futebol: Alexandre Morgado (presidente Cons. Arbitragem da A F Porto, Carlos Oliveira, (Leixões SC) Prof. Henrique Calisto, Arménio Santos (UD Lavrense), Vasco de Carvalho (SCS Hora), Arnaldo Tasca (Leça do Balio), entre outros…treinadores, jogadores, árbitros, dirigentes, onde destacamos a presença o Presidente do Sertanense que ofertou Germano Pinho com um quadro c/ a capa do Livro e que referiu apenas «a amizade não se compra, conquista-se»

quinta-feira, 14 de abril de 2016

DLB ESTÁ A 90 MINUTOS DE FAZER HISTÓRIA

 
O Desportivo Leça do Balio, pode muito bem já fechar as contas do campeonato da 1ª Divisão serie 1 da A F Porto época 2015/2016. 

De facto a turma orientada por Mário Heitor (Treinador do Ano do Futebol de Matosinhos), está a noventa minutos de fazer história, pois o Desportivo Leça do Balio, popular clube do concelho de Matosinhos, nunca em momento algum dos seus 52 anos de existência, os balienses estiveram tão perto de subir à Divisão de Honra, e mais…”os meninos de Mário Heitor” podem sagrarem-se Campeões de Serie da 1ª Distrital pela primeira vez na sua história. 

Para se concretizar um sonho, jamais tão desejado, os belienses necessitam de pelo menos empatar o próximo jogo, que é de grande dificuldade, frente ao Avintes, 2º classificado a 10 pontos de distância, para carimbarem o passaporte que lhe dá direito a jogar na Honra na próxima época desportiva…se vencerem com é o objectivo, apesar de jogarem em casa emprestada (At. Rio Tinto), vai daí dificuldades acrescidas, o DLB sagra-se Campeão a três jornadas do final da competição. 

Mitchfoot vai acompanhar a par e passo a última caminhada rumo à Divisão de Honra e consequente título de Campeão, desde a partida do autocarro em Leça do Balio até à chegada ao terreno do Atlético de Rio Tinto – Gondomar e de regresso a Matosinhos que esperemos seja em apoteose.

quarta-feira, 13 de abril de 2016

DE REPENTE A LUZ VOLTA A ACENDER (vitoria importante!)


Ledman LigaPro - 41.ª Jornada 
Caixa Futebol Campus - Seixal 
 Árbitro: João Pinheiro (Braga)
BENFICA B 0 LEIXÕES 2
Ao intervalo, 0-1, golos Bruno Lamas (33) Ricardo Barros (90+2)

Benfica B: Miguel Santos; Benítez, João Nunes, Rúben Dias e Yuri Ribeiro; Pawel Dawidowicz, Pedro Rodrigues (Dálcio Gomes 74) e João Carvalho; Diogo Gonçalves, Sarkic (Francisco Vieira 62) e Saponjic. Treinador Hélder Cristóvão 

Leixões: Ricardo Moura; Rateira Pedro Pinto, Wellington e Abalo; Bruno China, Malafaia (Caio 70) e Bruno Lamas; Gonçalo Graça, Slim (Alemão 64)e Cássio (Ricardo Barros 78). Pedro Miguel 

Depois dos resultados das últimas jornadas, o Leixões não podia falhar e frente a um excelente equipa, a formação de Matosinhos soube mostrar que está viva e que vai lutar com todas as forças pelo objetivo da época. 
Com muitas mexidas no onze inicial, o Leixões entrou bem no Seixal e, depois de suportar um início forte dos jovens benfiquistas, deu claros sinais que queria trazer os três pontos para casa. Slim rematou cruzado para uma boa defesa de Miguel Santos (16’), Cássio não chegou a um livre de Lamas por pouco (19’) e Rateira desperdiçou uma ocasião flagrante, isolado, acertando nas pernas de Miguel Santos quando tinha tudo para inaugurar o marcador (29’). 

Estávamos no melhor período leixonense, pelo que não estranhou que o golo acontecesse: Slim cruzou da direita e a bola sobrou para a entrada da área, onde o aniversariante Bruno Lamas aplicou um forte disparo de pé direito no ângulo da baliza encarnada e embrulhou a própria prenda de anos. 
 O Benfica B começou então a carregar por todos os lados, mas pela frente teve um intransponível Ricardo Moura, que brilhou a grande nível com uma mão cheia de defesas extraordinárias. Numa exibição perfeita, até um penálti o guarda-redes leixonense travou (66’) que diga-se muito duvidosa 
Faltava entrar um contra-ataque nas costas da defesa encarnada, muito subida no terreno, para que o Leixões acabasse com todas as dúvidas. E foi isso que aconteceu, já nos descontos, com o 12.º golo de Ricardo Barros no campeonato a matar de vez qualquer hipótese ao Benfica B de reentrar no jogo e a fazer estalar a festa no banco leixonense. 
Com estre três pontos, o Leixões fugiu aos lugares que ditam a despromoção, embora continue sem qualquer margem e envolvido numa luta titânica pela sobrevivência com mais dez equipas.

terça-feira, 12 de abril de 2016

RESCALDO DA JORNADA - FUTEBOL SÉNIOR DE MATOSINHOS

 
Assim vai o futebol sénior de Matosinhos 

LEDMAN LIGA PRO 40ª JORNADA 
A equipa do Mar recebeu o Santa Clara (adversário direto) em Matosinhos e quase dava um passo atrás na luta pela manutenção, esteve a perder por duas bolas a zero, mas Cássio, já no segundo tempo e em quatro minutos empatou o jogo. Os Leixonense situação em 22º lugar com 45 pontos, os mesmos que os açorianos, vendo agora a primeira equipa (AC Viseu) acima da linha d´água a três pontos de distancia, quando faltam cumprir seis jornadas para o final da competição. 

 ELITE A F PORTO 30ª JORNADA 
O Leça, clube de Matosinhos melhor classificado (10º), recebeu no seu reduto o Barrosas, e não foi além de um empate a uma bola. A perder desde o inicio da etapa complementar, o empate surgiu já perto do fim (minuto 85 através de uma grande penalidade) por Pedras goleador e capitão verde e branco que já leva 14 remates certeiros. 
Padroense, que vem perdendo gás de jogo para jogo, receberam o candidato Valadares Gaia e empatando a zero, posicionando-se no 14 posto da tabela com 35 pontos. Não podem descurar que os lugares de descida estão ainda perto, os Bravos de Matosinhos estão a penas cinco pontos apenas a cima do penúltimo classificado. 
Perafita, recebeu os maiatos do Pedrouços (treinado por Joca) e empatou a uma bola. Num jogo de pobre os perafitenses estiveram a perder, mas empataram logo de seguida por Nandinho. Os Perafitenses, que só ainda venceram por três vezes esta época continuam a segurar a lanterna vermelha 

DIVISÃO DE HONRA 
Lavrense escorregou em casa, empatando em casa com um dos últimos classificados o Gulpilhares. Empate a uma foi seguro por Bruno Monteiro guarda redes Lavrense, que defendeu uma grande penalidade. A equipa de Leandro Cunha, apesar do empate inesperado, mesmo assim conseguiu aumentar para dois pontos a diferença para o terceiro classificado. Quatro jogos para terminar a competição os matosinhenses estão bem colocados para atingir a Elite na próxima época. 
Infesta que vem recuperando na tabela classificativa foi até Alfena arrancar um empate muito saboroso, pois os infestistas recuperam uma desvantagem de duas bolas. Os azuis e brancos de São Mamede, estão colocados confortavelmente no 8º lugar. 

1ª DIVISÃO SERIE 1 AF PORTO 
Em Perosinho - Gaia a estrela de campeão apareceu no último minuto do encontro, os balienses já reduzidos a dez fizeram o golo por Nelson somando mais três pontos na tabela. O Leça do Balio, fica 90 minutos de fazer história na sua existência (52 anos) pois os “Meninos do Heitor” estão perto de alcançar a Divisão de Honra, para isso bastará o empate na próxima jornada frente ao Avintes, em casa emprestada (por castigo federativo) Atlético de Rio Tinto. A vitoria neste jogo confirmará o DLB como Campeão . 
O Custóias ( 1-0 ao Castelo da Maia) e Lusitanos ( 0-1 com o Sp S. Vítor), continuam a cumprir calendário, estando ambos confortavelmente instalados distante dos lugares de despromoção. 

2ª DIVISÃO SERIE 1 AF PORTO 
Os senhorenses perderam uma das três finais que faltavam, por 3-1 no terreno do CD Torrão que os alcançou na tabela, ficando mais longe (6 pontos) do lugar que lhe permitisse voltar à 1ª Divisão. Num jogo em que os senhorenses foram manifestamente prejudicados por uma arbitragem infeliz, apontaram o seu único golo por Branco (10) que colocava a turma de João rosas na frente do marcador.

segunda-feira, 11 de abril de 2016

ESTRELINHA DE CAMPEÃO CHEGOU NO FIM…


Estádio do Perosinho (Quinta da Pena) Gaia 
Árbitro: David Silva
Cartão Vermelho a Miguel cunha (86) 
PEROSINHO 0 LEÇA DO BALIO 1 
Ao intervalo, 0-0, Golo Nélson (90+3) 

PEROSINHO: Zé Tó, Guedes, Ruben, Cláudio, Mário, Dominguez, Emanuel, Diogo (Vasco 80), Gasosa (Tiago Costa 46), Pedro (Resende 80), Gomes (Amaral 31). Treinador António Lobo. 

LEÇA DO BALIO: Miguel Mota, João Pinto, Nélson, Miguel cunha, Félix (Grade 82), Guil, Pedro Gomes (Malta 58) Carlos Diogo, Braga, Rafa (Carlitos 58), Hugo. Treinador Mário Heitor 

Leça do Balio soma e segue, rumo à liderança, rumo à Divisão de Honra. 
No entanto encontraram um adversário pela frente que muito complicou e tiveram mesmo de se aplicarem com alma para levar de vencida a turma de Gaiense. Em cima do apito final e reduzidos a dez elementos por expulsão de Miguel Cunha, com o golo apontado por Nelson na seqência de um livre os balienses alcançaram a felicidade da conquista dos três pontos que lhe permite já na próxima jornada (Frente ao Avintes em Rio Tinto) festejar a subida ou mesmo o titulo de campeão da Serie 1

BRUNO MONTEIRO SALVA LAVRENSE DE DERROTA CASEIRA


26ª Jornada da Divisão de Honra 
Complexo Desportivo de Lavra 
Árbitro: Ricardo Ferreira 
Cartão vermelho a Rato (67) 
LAVRENSE 1 GULPILHARES 1 
Ao intervalo, 1-1, golos Zé Campos (14 gp) e Rato (29 

LAVRENSE: Bruno Monteiro, Dany, Fradinho (Amilcar 68) Nuno Costa, Abilio, Zé Campos, Wendel, Miguel Ângelo, Tiago Carvalho, káká (Crespo 42) e Postiga (Gonçalo 66), Treinador Leandro Cunha. 

GULPILHARES: Faria, China, Valente, Pacheco (Serginho 89), Leandro, Cambiasso, Velha, Gerson, Joel (Hugo 89), Vidal (Alverenga 62), Rato. Treinador Alfredo Mendes

 O Lavrense postado no 2º posto da Tabela classificativa, entrou na partida com a corda toda e muito naturalmente, adiantou-se no marcador por intermédio de Zé Campos através de uma grande penalidade. Minutos depois o mesmo jogador, este ano nomeado para revelação do futebol de Matosinhos, atirou ao poste da baliza à guarda de Faria, mas seria o Gulpilhares em joga de contra ataque a fazer a igualdade iam decorridos 29`minutos de jogo. 

No segundo tempo, os Lavrenses que realizaram talvez uma das piores exibições em sua casa, viram o Matosinhense Joel, ele que também já vestiu as cores Lavrense, desperdiçar soberana oportunidade de se adiantar no marcador, grande penalidade que Bruno Monteiro. Na parte final do encontro e em superioridade numérica, os homens comandados por Leandro Cunha, carregaram no acelerador, mas o melhor que conseguiram foi uma bola na trava enviada por Crespo.

4`MINUTOS APENAS SALVAM HOMENS DO MAR DO NAUFRÁGIO


40ª Jornada da Ledman Liga Pro 
Estádio do Mar, em Matosinhos. 
Árbitro: Luís Ferreira (Braga). 
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Cássio (02), Gil Barros (19), Tiago Ronaldo (20), Rúben Saldanha (50), Hugo Santos (90) e Gonçalo Graça (90+3). 
LEIXÕES 2 SANTA CLARA 2 
Ao intervalo: 0-1. Golos Hamdou, (32 e 52) Cássio (74 e 78) 

LEIXÕES: Ricardo Moura, Rateira (Gonçalo Graça, 75), Wellington, Pedro Pinto, João Pedro, Bruno China, Caio (Slim, 54), Bruno Lamas, Alemão (Rui Cardoso, 70), Pedras e Cássio. Treinador: Pedro Miguel. 

SANTA CLARA: Pedro Freitas, Rui Silva, João Dias, Accioly, Gil Barros, Carraça, Tiago Ronaldo, Rúben Saldanha (Hugo Santos, 75), Pacheco (Jimmy, 63), Hamdou e Rúben Batatinha (Clemente, 79).Treinador: Carlos Pinto. 

 Hamdou, na primeira parte, abriu o marcador para os açorianos e repetiu a finalização no início da segunda metade, após o que Cássio imitou o avançado do Santa Clara e bisou em quatro minutos. Num duelo entre aflitos, na primeira parte foram os locais quem mais fez pela vida mas quis a sorte que os açorianos marcassem na sequência de um erro do jogador mais experiente do Leixões. Ao minuto 32, Bruno China fez um atraso defeituoso e que Rúben Batatinha intercetou, aproveitando para, após entrar na área e atrair a si guarda-redes e defesas contrários, assistir para a finalização de Hamdou. 

O Leixões não se deixou abater e continuou no mesmo ritmo, ficando perto do empate num remate de João Pedro (40') em que o golpe de vista de Pedro Freitas quase o traiu, com a bola a embater na base do poste da baliza antes de ser afastada para longe. Sensivelmente do mesmo local, e depois de arrancar da esquerda, Hamdou bisou na partida no início da segunda parte, atirando rasteiro e fazendo a bola entrar junto ao poste mais afastado.

Os locais reduziram num desvio de cabeça de Cássio (74'), após canto da direita cobrado por Rateira, acabando o avançado brasileiro por fixar o resultado da partida quatro minutos depois, novamente após um pontapé de canto, agora cobrado por Slim.

sexta-feira, 8 de abril de 2016

PARA QUANDO O REGRESSO DE GAITEIRO ÀS QUATRO LINHAS?

Em conversa com o mister António Gaiteiro, ficamos a saber de que o seu regresso “está para breve”

Já lá vai ano e meio que o treinador Matosinhense, deixou o comando técnico da AR São Martinho, daí para cá muito se tem especulado sobre o treinador sendo apontado a vários clubes da A F Porto. 

Mister a que se deve esta paragem que podemos considerar já um pouco longa? ...”Bem, em parte muito se deve a mim próprio, pois recusei alguns convites logo no início, mas por opção resolvi reservar um tempo de descanso e passa-lo mais com a família” Mas por certo esse tempo já se esgotou, diga-me o que tem feito ultimamente?...” Tenho participado em alguns colóquios sobre o futebol, com o propósito de enriquecer os meus conhecimentos, visto também muitos jogos, aproveitando para observar jogadores e conhecer um pouco das equipas que eventualmente possa vir a treinar” Mister, já tem clube para a próxima época desportiva?...” O único que te posso garantir é que vou treinar na próxima época (risos..) tenho alguns convites que estou a ponderar e na altura certa saberás o meu próximo clube” Por certo tem em mente alguns jogadores que muito provavelmente irão trabalhar consigo?...”Há de facto atletas que já foram, outros gostariam de ser treinados por mim, tenho um bom leque de opções com experiencia e qualidade, mas para já prefiro deixar isso lá mais para frente, debruçando-me nessa vertente apenas quando tiver o meu futuro resolvido” Apesar de não desvendar muito sobre o seu futuro, obrigado mister por estas pequenas declarações…” Obrigado eu pela oportunidade…abraço a todos!”

quarta-feira, 6 de abril de 2016

LEIXÕES COM DEZ EMPATA NA SERRA


39 ª Jornada da Ledman LigaPro
 Estádio José Santos Pinto. Na Covilhã 
Árbitro: Duarte Oliveira (AF Braga). 
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Wellington (05), Traquina (10), Ricardo Barros (19 e 33), Diarra (45), Bruno China (60), Elenilson (80), João Pedro (90+3) e Diogo Ribeiro (90+3). Cartão vermelho, por acumulação de amarelos, para Ricardo Barros (33). 
COVILHÃ 0 LEIXÕES 0

COVILHÃ: Igor Araújo, Tiago Moreira, Massaia, Joel Vital, Soares (Elenilson, 66), Gilberto, Diarra (Medarious, 46), Zé Tiago, Traquina (Mateus, 88), Diogo Ribeiro e Eder Diez. Treinador: Francisco Chaló. 

LEIXÕES: Ricardo Moura, Rateira, Pedro Pinto, Wellington, Diogo Nunes (José Pedro, 55), Bruno China, Malafaia (Rui Cardoso, 75), Caio, Bruno Lamas, Alemão (Pedras, 81) e Ricardo Barros.Treinador: Pedro Miguel. 

Um empate sem golos e a expulsão de Ricardo Barros, aos 33 minutos, marcaram a deslocação do Leixões à Covilhã Numa primeira parte pouco emotiva, o lance mais perigoso surgiu aos 30 minutos, quando Ricardo Barros, de longe, atirou ao lado do poste, jogador que, volvidos três minutos, acabou expulso, ao somar o segundo cartão amarelo do jogo. 
 No segundo tempo, o técnico anfitrião Chaló reforçou o ataque, enquanto o emblema orientado por Pedro Miguel baixou o bloco. O empate sem golos não ajuda o Leixões a sair do lote de equipas em posição de descida e para o Covilhã é o segundo jogo seguido apenas a soma um ponto.

terça-feira, 5 de abril de 2016

GERMANO PINHO APRESENTA A OBRA “ MARCAÇÃO CERRADA – A VIDA DE UM DIRIGENTE”

Germano Pinho, presidente do Padroense FC, clube que lidera há 14 anos, com uma equipa de direcção, capaz e minuciosamente competente, fez de um clube de “bairro” um clube respeitado a nível nacional. Mitchfoot foi ao encontro do Sr. Germano Pinho, dias antes de ver lançado uma obra escrita, que tem por titulo “ Marcação Cerrada – A vida de um dirigente” este livro, será apresentado no próximo dia 15 de Abril, pelas 21h30 na sede (auditório) da Associação de Futebol do Porto. No Estádio do Padroense, como é apanágio do Senhor Presidente recebeu-nos com toda a simpatia em sua “casa” que é também o local onde por inerência é o seu cotidiano

   
 MITCHFOOT (M): Depois destes anos todos de exposição pública, motivada pela sua participação no fenómeno desportivo, em especial como Presidente do Padroense F.C., surpreendeu-nos a todos, a sua iniciativa de publicar um livro, que, penso ser autobiográfico. Porquê este seu desafio? Algum motivo especial? 

GERMANO PINHO (GP): Meu querido amigo Mário, sou por definição um saudosista, naquilo que a palavra tem de mais bonito e carinhoso. Frequentemente, dou por mim a visitar locais que tenham alguma coisa a ver com o meu passado, rever documentos ou outras alusões com tempos que já não voltam. Não sei se será por essa forma de ser ou sentir a vida que, num determinado momento, achei que deveria fazer esta viagem pelo tempo passado. Assim sendo, peguei no papel e na caneta, fiz um apelo à memória e deixei conduzir-me pelas emoções de acontecimentos que poderão parecer simples aos outros mas, para mim, são os condimentos de uma vida rica e preenchida e que me fazem recordar, reviver e, porque não, voltar a sentir algumas emoções passadas. 

 M: Essa narrativa que vai agora publicar refere-se só aos seus longos anos no desporto ou a toda a sua vida? 

 GP: Obviamente, que se referem a toda a vida. Recuo em memória, até aos meus 5 ou 6 anos de idade, poderei até dizer-lhe que, sem qualquer dúvida, esses primeiros anos de vida, são a parte mais terna e carinhosa da minha trajectória. Fui um afortunado, porque vivi sempre rodeado de muito amor e carinho e reviver esse período, é para mim uma enorme satisfação. Desde os meus tempos de menino como seminarista no Convento de Tomar, passando à adolescência, entrando depois na fase adulta, até terminar nos tempos atuais, todos os momentos são detalhados e fazem parte das minhas memórias, obviamente tendo consciência que a parte da ligação ao desporto em geral e ao futebol em particular é aquela que mais me expõe e procuro, dentro do possível, detalhar as situações e momentos relacionadas com esse período e certamente que quem tiver a oportunidade e o interesse de ler irá achar curiosas e esclarecedoras algumas narrativas que faço. 

 M: Muitos segredos do futebol partilhados Senhor Germano Pinho?

  GP: A única coisa que posso garantir é que tudo o que escrevo é verdade. Naturalmente que algumas situações que descrevo, pelo seu interesse e pela sua originalidade, poderão parecer grandes segredos desvendados mas, nada disso, são apenas situações que vão acontecendo no dia-a-dia, ficando apenas no conhecimento dos intervenientes e pareceu-me que alguns deles deveriam e mereciam ser publicados. 

M: Qual a fase da sua vida que mais gosta de relembrar? 

GP: Todas. No entanto sem dúvida que as mais emocionantes têm a ver com os sonhos e as frustrações enquanto criança e as ilusões e a magia da adolescência, no entanto, todas as épocas tem a sua beleza e o seu encantamento. 

M: O livro serviu para algum a certo de contas com alguém? 

GP: De forma alguma. Serviu, como já disse, para me deliciar com o meu trajeto de vida, mas serviu também para enterrar alguns fantasmas de criança. Depois de acabar de escrever, senti um estranho mas compreensivo sentimento de tranquilidade, que entendo bem mas não consigo explicar. 

M: Toda a gente o conhece como homem do futebol, mas se calhar, poucos sabem como apareceu nesse mundo, quer falar sobre isso? 

GP: Eu nasci no meio do futebol. O meu pai foi um dos fundadores do C. U. D. Leverense e toda a minha vida convivi com o enredo e com a magia desse desporto, por isso, ou também por isso acabei por me ligar intensamente a esse desporto e se mais nenhum motivo tivesse, a homenagem que presto ao meu pai seria o suficiente para justificar essa opção. 

M: Quer focar algum momento especial neste livro? 

GP: Não. Como já disse, o livro é um todo ao qual não é insensível o prefácio do meu amigo Narciso Miranda e o posfácio do igualmente meu amigo Dr. Lourenço Pinto, como tal, não dou nenhum relevo especial a nenhum momento, porque todos eles foram importantes na minha formação como homem mas, se me pedisse para apresentar o momento mais importante de todos eu responderia sem hesitar, que os mais bonitos foram a relação com a minha companheira de sempre e o nascimento dos meus filhos, sendo que os mais tristes e dramáticos foram o falecimento do meu pai e da minha mãe. 

M: Este livro é o primeiro ou o único? 

GP: Sinceramente, acho que será o único, mas a vida, por vezes, surpreende-nos e como sou um homem de causas e afetos, deixo, muitas vezes conduzir-me pela emoção e assim sendo não posso dizer nada ou nunca em coisa alguma. Mas, posso afirmar, com certeza, que escrevi o que queria e encerrei essa parte da minha vida. 

M: Agora na pele de escritor quer deixar alguma mensagem? 

GP: Não tenho essa pretensão, mas aos mais jovens apenas um conselho e uma conclusão: vale a pena ser honesto, vale a pena ser sincero, vale a pena ser solidário, porque um dia, inevitavelmente iremos olhar para trás e é reconfortante verificar que o percurso foi o adequado e a nossa postura é reconhecida como meritória. Vale a pena ter coluna e vale a pena ser honrado, porque no momento de fazer o balanço não necessitamos de esconder nada e teremos com certeza muito para mostrar.

segunda-feira, 4 de abril de 2016

LAVRENSE VENCE COM CATEGORIA E ISOLA-SE NO 2º POSTO

 
25 jornada da Divisão de Honra 
Complexo Desportivo de Lavra 
Árbitro João Teixeira 
LAVRENSE 4 D SANDINENSES 2 
Ao intervalo, 3-0 golos Postiga (2) Zé Campos (15) Tiago Carvalho (37), Pedro Ferreira (61) Wendel (79) e ivan (90+4) 

LAVRENSE: Bruno Monteiro, Dani, Fradinho, Miguel Duarte e Abílio, Nuno Costa, Zé Campos, Wendel, Postiga (Grilo 70), Tiago Carvalho e káká (Gonçalo 58). Treinador Leandro cunha 

DRAGÕES SANDINENSES: Xavi, Vitinha (Preto 35) Rogério, Pedro Ferreira (Zé Luís 78) João Alves, Oliveira, André (Pedrito 35), Hélder, Ivan, Zezinho, Gomes. Treinador José Almeida

A equipa da UD Lavrense, recebeu no seu reduto uma das boas equipas deste campeonato. Com a forte disposição de atingir o objectivo que aos poucos vem ganhando mais consistência, recordo que a equipa comandada por Leandro Cunha, apontava para a concretização de um campeonato tranquilo. Entrou como se diz na gíria, com a corda toda e aos 15 minutos já vencia por duas bolas a zero, com golos de Postiga e Zé Campos, sob o comando deste jovem jogador nomeado para revelação do ano do futebol de Matosinhos os lavrenses embalaram para uma exibição de Gala, e Tiago Carvalho outro dos nomeados para jogador do ano, fez o terceiro ainda antes do intervalo 

Na segunda metade os visitantes ainda tentaram reagir, reduzindo o marcador ao minuto 61`por Pedro Ferreira, mas a turma da casa está de facto a praticar um futebol de grande nível, tornando-se praticamente imparável e Wendel repõe a diferença atingida no primeiro tempo. Já em período de descontos dado pelo árbitro os Dragões de Sandim voltaram a marcar, premio para os visitantes que nunca deixaram de acreditar. Com este resultado a UD Lavrense isola-se no segundo posto, perseguindo o canela 2010, tirando partido do empate entre os maiatos Gondim e Maia lidador.

domingo, 3 de abril de 2016

PERAFITA E LEÇA NÃO FIZERAM O GOSTO AO PÉ


AF Porto Divisão de Elite - Jornada 29 
Estádio do FC Perafita 
Árbitro: Valter Gouveia 
Cartão vermelho a Alex 
PERAFITA 0 LEÇA FC 0 

PERAFITA: Mata, Tiga, André Rocha, Morgado, Tiago Moura, Ricardo, Queimado, Marco Fafiães , Mesquita (Couto), Nandinho, Maravalhas (João Paulo) Treinador Paulo Gentil 

 LEÇA FC: Diogo, Micael, Bruno Freitas, Noura, Alex, Turé, Hugo, Marcos, Paulo Lopes, Pedras (Álvaro), Ruben Pedrosa (Mesquita). Treinador Nuno Costa 

Jogo muito disputado a meio campo e pautado pelo equilíbrio em que o perigo andou muito longe das balizas, tarde descansada para os guarda redes, excepção feita ao minuto 45, quando Diogo defende com grande classe uma grande penalidade apontada por Tiga lateral esquerdo perafitense.

No segundo tempo, mais do mesmo, embora com ligeira supremacia dos homens equipados de verde e branco, os perafitenses jogando com mais um elemento em campo por expulsão de Alex, não tiram partido desse facto e mesmo reduzida a dez, foi mesmo a equipa da Leça a tentar a sua sorte num remate de meia distancia que levou o perigo à baliza de Mata. 

Foto David Ferreira


LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

D LEÇA DO BALIO

D LEÇA DO BALIO

OS LUSITANOS SCFC

OS LUSITANOS SCFC