RÁDIO CIDADE MATOSINHOS

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

DECLARAÇÕES DO TÉCNICO LEIXONENSE APÓS A DERROTA FRENTE AO PORTO


 Pedro Correia 
 "Esta partida ficou marcada pela nossa grande atitude, que merecia um resultado diferente. Acho mesmo que merecíamos ter ganho, porque tivemos várias oportunidades e o Porto, além dos dois golos, só teve mais uma boa ocasião. Mesmo com dez homens, jogámos sempre de igual para igual, pelo que os meus jogadores estão de parabéns. Saímos tristes porque merecíamos muito mais, mas vamos continuar a batalhar para ganhar jogos. Ainda há 33 jornadas pela frente e temos ainda muito para evoluir. Com estes jogadores, vamos chegar longe. Quero apenas deixar uma nota para o facto de, num jogo desta importância, com a rivalidade que existe destas equipas, ter sido nomeada uma equipa de arbitragem, que não digo se é boa ou má, mas que não está nada habituada a este nível. Não foi por esse motivo que perdemos, mas todas as equipas devem ser o mais profissional possível."

LEIXÕES COM DEZ PERDE PELA PRIMEIRA VEZ EM CASA ESTA ÉPOCA


9ª JORNADA DA LIGA 2 CABOVISÃO 
Estádio do Mar
Árbitro: Carlos Espadinha (Portalegre)
LEIXÕES 0 FC PORTO B 2
Ao intervalo, 0-0, golos Kléber (80) Vion (90+

Leixões: Jorge Batista, João Viana, Materazzi, Zé Pedro, Huguinho, Anderson, Moreira, Cadinha, Rui Coentrão (Novais, 83'), Ruben Saldanha (Nuno Silva, 30' e Kizito, 83') e Talles Treinador: Pedro Correia

FC Porto B: Bolat, Ricardo, Reyes, Tiago Ferreira, Quiño, Pedro Moreira, Mikel, Kelvin (Vion, 21'), Carlos Eduardo (Leandro, 75'), Tozé (Tomas, 88') e Kléber Treinador: Luís Castro


Ação disciplinar: Cartão amarelo para Zé Pedro (19' e 23'), Anderson (36'), Moreira (42'), Bolat (42'), Pedro Moreira (56'), Huguinho (63'), Cadinha (67') e Carlos Eduardo (69')Cartão vermelho para Zé Pedro (23')

 Leixões, perde pela primeira vez esta época em casa, e sofre também os primeiros golos no seu reduto. Durou 80 minutos a resistençia leixonense, quebrada por Kléber aos 80 e selada por Vion aos 90+3…recorde-se que a equipa de Matosinhos, jogou desde os 22`com 10 elementos. 

Zé Pedro por duplo amarelo, recebeu ordem de expulsão. A equipa do Mar jogou durante 68 minutos reduzida a dez elementos, e enquanto teve forças, em nada foi inferior aos portistas, que apresentaram 7 jogadores do plantel principal. 

 Na primeira parte a turma do Mar foi protagonista da melhor oportunidade, quando Moreira, isolado pela esquerda do ataque, atira para fora. 

No segundo tempo e, aos 52 minutos, Nuno Silva, quase chega ao golo, através e na sequência de um ponta pé de canto. A defensiva portista, revelou-se algo desconcentrada, e o Leixões quase tirava partido disso, criando alguns lances de perigo…Kadinha ainda ameaçou de fora da área. Adez minutos do fim, e com os portistas instalados no meio campo leixonense, Kléber, que já não marcava há muito de tempo, de cabeça abriu o marcador. O Leixões ainda tentou chegar à igualdade, mas em cima do minuto 90+3, Vion pelo corredor direito isola-se e faz o segundo.

ENTREVISTA A LUÍS FERREIRA ( responsável futebol veteranos do FC Infesta)

Luís Ferreira conquistou títulos inéditos para o Infesta, numa só temporada. 
É o responsável pela equipa de veteranos do Infesta, que brilhantemente conquistaram o campeonato e a taça da Associação de Atletas Veteranos do Norte na temporada transacta. Luís Ferreira, 43 anos, tinha o sonho de criar a equipa de veteranos, não só conseguiu como no ano de estreia, venceu tudo o que havia para ganhar. Acumulou durante a temporada passada, o cargo de treinador dos benjamins onde também venceu a Taça Complementar da AF Porto. 

Filipe Dias: Como é que surgiu esta oportunidade de criares uma equipa de veteranos no Infesta? 

Luís Ferreira: Em 2010/11 e 2011/12, estive como jogador e treinador-adjunto no Custóias, no qual na última época, fui campeão. Nos finais de 2011, vi no facebook do Infesta que o nosso ex-presidente, Sr. Manuel Ramos, ia dar uma entrevista ao site do clube e então, lembrei-me de perguntar se seria possível criar uma equipa de veteranos no Infesta, porque o Infesta nunca teve uma equipa inscrita no campeonato de veteranos e havia uma série de jogadores, que passaram por cá e que estavam espalhados por vários clubes, que estavam interessados em representar o clube. E a resposta do Sr. Ramos foi afirmativa, dizendo que as instalações estavam à disposição e que era uma questão de conversarmos e assim foi. No início da época passada, 2012/13, reuni-me com a direcção, expus o projecto e eles aceitaram. 

 

FD: Como é que foi chegar à fala com todos estes atletas? 

LF: Depois das condições propostas pela direcção, a primeira pessoa com quem falei foi com o meu irmão Rui Pedro, que me ajudou e muito psicologicamente para que este projecto avançasse e depois falei com o professor José Manuel Ribeiro que era o treinador dos seniores, que conhecia muita gente que passou por cá e a partir daí, houve o natural contacto entre os jogadores, do tempo dele, do meu tempo e até mais antigos. 

FD: Conseguiste formar um grupo de campeões…

 LF: Eu sempre disse que não sou pessoa de andar a brincar ao futebol. Gosto de vencer e nesse propósito, consegui formar um grupo de atletas que não só a nível juvenil, mas principalmente como seniores, deram muito a este clube e têm bem vincada a palavra vitoria. O Sérgio Nora para mim foi o expoente máximo como jogador, o Bruno que na baliza foi inexcedível e depois o Moura, Cândido, Formoso, Nelson o Zé Manel e os outros todos que mesmo com menos qualidade futebolística foram muito importantes. 

FD: Como foi a tua passagem pelo Infesta enquanto jogador ou treinador? 

LF: Eu joguei no Infesta, desde 1980 até 1989. Percorri todas as camadas jovens, joguei ainda no escalão de reservas pelo mister Augusto Mata, depois cheguei a jogar a nível sénior, mas por questões profissionais, deixei de jogar aos 25 anos. Em 1995 regressei ao Infesta como treinador nas camadas jovens e saí em 2001. Por fim, voltei o ano passado com este projecto que me orgulho e acabei também por ficar como treinador dos benjamins onde fizemos uma excelente, senão mesmo a melhor temporada de sempre deste escalão, onde vencemos a Taça Complementar e terminamos o campeonato em 4º lugar, atrás das sempre fortes equipas do Rio Ave, Padroense e Leixões. 

FD: E que diferenças existem da equipa do ano passado para a deste ano? 

LF: Este ano, saíram três ou quatro jogadores, onde destaco o Sérgio Leite que foi aproveitado para os seniores do Infesta, penso que também é uma vitória dos veteranos, pois é um rapaz com bastante qualidade. Os restantes saíram por questões pessoais. Quanto a entradas, entraram para já alguns atletas que vieram colmatar essas saídas e onde também tenho de realçar o ingresso do Miguel que foi dos melhores defesas centrais que jogaram neste clube e isto só prova que as pessoas, depois de tantos anos afastados, ficaram com o clube no coração. 

FD: E objectivos para esta temporada? 

LF: Queremos para já ganhar a supertaça. Já vencemos tudo na temporada passada e este ano, é tentar vencer não só a supertaça mas também revalidar os títulos de campeão e da taça. Vai ser complicado, pois ficamos inseridos no campeonato, no grupo da morte onde das oito equipas, pelo menos seis são claras candidatas á passagem á fase seguinte.

 FD: E quais são em teu entender, as favoritas? 

LF: Claro que o Nogueirense, que foi finalista o ano passado, reforçou-se muito, é uma equipa a ter em conta, depois o Canidelo, que foi finalista da taça e vai disputar a supertaça connosco. O Paços de Ferreira tem sempre uma boa equipa, o Lavrense e o Vilanovense. Depois há os outsiders que são o Racing e o São Pedro da Cova. 

FD: Depois de uma temporada de grande sucesso, como te estás a sentir? 

LF: Senti-me bastante realizado, primeiro porque foi um sonho meu ao concretizar a criação da equipa de veteranos do Infesta, vencendo tudo e em termos de benjamins, ganhamos vários torneios, tendo inclusive vencido a Taça Complementar da AF Porto e o 4º lugar no campeonato. 

FD: Queres aproveitar para agradecer a alguém? 

LF: Quero agradecer aos jogadores pela fantástica campanha do ano passado, principalmente a um núcleo de cinco ou seis atletas que fizeram parte do melhor Infesta de sempre, como o Sérgio Nora, Moura, Bruno, o Cândido, entre outros e em particular ao meu irmão pois foi ele que me ajudou muito no início com este projecto. Também quero agradecer ao Zé Manel que me ajudou a captar estes jogadores pelos seus contactos. Para esta temporada, tenho que realçar o professor José Ferreira e a Dª Ana que eram os nossos adeptos número 1 e este ano estão a ajudar no sentido organizacional e espero que já no próximo sábado, consiga trazer mais uma taça para o clube. 

Filipe Dias FC infesta

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

D LEÇA DO BALIO

D LEÇA DO BALIO

OS LUSITANOS SCFC

OS LUSITANOS SCFC