RÁDIO CIDADE MATOSINHOS

domingo, 8 de março de 2020

MESQUITA DÁ TRIUNFO AO LAVRENSE EM JOGO INTENSO E EMOTIVO

Estádio do Lavrense
AF Porto Divisão de Honra Série 1 (Jornada 23)
Árbitro: Simão Santos
Lavrense 1-0 Pedrouços


Ao intervalo: 0-0
Marcador: Mesquita (53)
Disciplina: Amarelo para Pulga (23), Ramalho (47), Mesquita (62 e 75) e Padrão (90). Vermelho para Mesquita (75).


Lavrense: João Padrão, Diogo, Mesquita, Barreira, Luís André, Leandro, Zidane (Martins, 76), Barreira, Paulino (Ruizinho, 70), Leo (Mica, 70) e Hulk (Berto, 81).

Treinador: Nuno Gonçalves


Pedrouços: Mata, Folha, Ramalho (Fabinho, 81), Musa Sukuni, Machado (Fabrice, 54), Diogo, Hugo (Pedrinha, 81), Medeiros, Rafa, Pulga e Iago.

Treinador: Joca


O Lavrense conquistou um triunfo muito importante para as contas do campeonato, ficando assim a sete pontos do segundo, o Pedrouços e a uma possibilidade menos complicada de poder subir de divisão a faltar oito jornadas para o fim da prova.

Foi Mesquita quem desfez o nó aos 54 minutos para apontar o seu quinto golo da temporada, ele que está a realizar a melhor temporada desde que iniciou a sua carreira como sénior, filho de Pedro Mesquita, que foi jogador de Leça, Leixões e Rio Ave.

O Lavrense continua a não saber o sabor da derrota da casa, tendo apenas deixado cair quatro pontos no seu reduto, fruto de dois empates.

A classificação ditava à partida um jogo emotivo e equilibrado e isso não fugiu à regra, boas dinâmicas, características de uma equipa com experiência de campeonatos semi-profissionais como o Pedrouços e o Lavrense devido à irreverência dos jovens que compõem um dos plantéis mais jovens do campeonato.

Sem sinal da falta de algumas peças chave em ambas as equipas, o jogo esteve numa constante de parada e resposta com o Pedrouços a começar melhor a partida com Medeiros (ex-Leça e ex-Padroense) a comandar o meio-campo maiata no qual aos cinco minutos Musa Sukuni com a sua envergadura e elevada estatura a colocar em sentido o guardião João Padrão, como um lance aos 19 por parte de Medeiros.

Mesmo assim o Lavrense com alguma dificuldade no início em manter a posse de bola, teve lances de perigo como Mesquita (7), Zidane (9) e Hulk (22). A partir daqui o Lavrense tinha a noção de que tinha de ser muito forte técnico e taticamente.  

O Lavrense conseguiu ser uma equipa mais atrevida e mais aguerrida, não deixando a equipa do Pedrouços jogar à bola, o que tornou muito difícil a tarefa do Pedrouços, especialmente na primeira parte.

A surpresa do onze, Rui Paulino que fez o seu quatro encontro como titular, o seu décimo oitavo na temporada, facilmente terminou com as dúvidas que poderiam haver da sua qualidade, conseguindo criar jogadas com muita qualidade, movimentado por todas as alas do terreno, tratando a bola por tu e criar os lances que iriam originar 20 minutos de domínio do Lavrense na primeira parte.  

Aos 34 minutos um dos casos do encontro, jogada pelo flanco direito protagonizado por Mesquita ao qual cruza e Folha corta a bola para canto ao qual a formação da casa pediu grande penalidade por mão na bola do defesa, ao qual o árbitro interpreta que aquele braço era o único apoio que o central tinha para se levantar depois do corte.

Até final, o Lavrense esteve por cima do jogo com remates de Paulino (38) e Luís André (39).

Destaque no Pedrouços para o central Musa Sukuni, que travou com eficácia algumas iniciativas perigosas do adversário, com facilidade no cabeceamento ao primeiro e segundo poste devido ao seu porte físico e com boa visão de jogo era uma das peças chave da equipa de Joca.

Na segunda parte, mais equilíbrio, mas o Lavrense no primeiro lance de perigo consegue chegar ao golo, Paulino sorrateiro e desequilibrador nato, depois de ter sido castigado em vários lances, consegue ganhar o lance sobre o defesa do Pedrouços que faz falta no entender do árbitro.

Mesquita cara-a-cara com Mata não tremeu perante a oportunidade e colocou o Lavrense em vantagem no marcador.

A partir daqui o Pedrouços com a entrada de Fabrice para o lugar de Machado, jogava num sistema completamente diferente aos 54 minutos, passando a ter três defesas e a jogar em 3x4x3.

A equipa maiata fez com que o Lavrense nos últimos minutos tivesse de recuar e deixar jogar apenas em transições de contra-ataque e a partir daqui Hugo aos 60, Fabrice aos 72 criaram boas chances, mas aos 71 Diogo quase que borrava a pintura num corte que passa por cima da baliza de Padrão, o que deixa o guarda-redes preso no relvado quase sem reação.

Aos 75 minutos, contrariedade para o Lavrense, com Mesquita a ser expulso por acumulação de amarelos, deixando a formação de Nuno Gonçalves a jogar apenas com 10 jogadores os últimos 15 minutos.

Mesmo assim, quando se pensava que a formação jovem mas irreverente e destemida do Lavrense não fez anti-jogo e até teve os lances mais perigosos por Leandor aos 81 e por Mica aos 90+2 que estiveram perto de marcar.  

Com a sua qualidade, humildade, entrega o Lavrense conseguiu manter o seu estilo de jogo apesar das dificuldades que havia.

O Pedrouços com mais experiência teve duas oportunidades perigosas por Ramalho aos 80 e Iago aos 86.

Mérito para as duas equipas, num jogo que levou ao rubro as bancadas pela quantidade de lances de excelente qualidade. Quando assim é o povo agradece.

O Lavrense, quatro classificado com 44 pontos vai ao terreno do Custóias para um dérbi matosinhense, a 23 de março, às 15:00.  


Fonte das Fotos: DR e UD Lavrense


Diogo Bernardino

SIMÃO HOSPITALIZADO COM FRATURA DOS OSSOS DO NARIZ

O médio Simão do Aldeia Nova que saiu lesionado na primeira parte foi transportado ao hospital onde se ficou a saber que vai ser operado a uma fratura dos ossos do nariz, assinalou o clube hoje no facebook.

"O nosso atleta Simão que saiu lesionado durante a partida de hoje, deslocou-se ao hospital e depois de alguns exames ficou a saber que vai ter que ser operado ao nariz devido a fratura dos ossos", descreveu o comunicado.

A recuperação da fratura no nariz dura cerca de 7 dias a ser recuperada e pode vir a ser mais longo o processo de recuperação do jogador.

"A redução é necessária somente para fraturas que causam deformidade clínica visível ou obstrução da passagem de ar pelo nariz. O ponto final da redução é determinado pela aparência clínica ou pela melhora da passagem de ar.

Assim, a redução é feita 3 a 5 dias após a lesão para permitir que o edema diminua, mas deve acontecer 2 a 3 semanas após a lesão, antes da formação de calo ósseo. As fraturas nasais em adultos podem ser reduzidas após anestesia local", descreve o Manual para os profissionais de saúde.

Simão foi substituído por Martins.

O Aldeia Nova perdeu em casa do Sobreirense por 2-1.


Fonte das Fotos: Aldeia Nova


Diogo Bernardino

PADROENSE COM TARDE CINZENTA

Estádio do Clube de Futebol de Oliveira do Douro
AF Porto Divisão de Elite Pró-Nacional Série 1 
Árbitro: Simão Santos
Oliveira do Douro 3-0 Padroense

Ao intervalo: 1-0
Marcadores: Rúben (29), China (51) e Hélio (58)
Disciplina: cartão vermelho para Balito (52)


Oliveira do Douro: Luís Melo, Tiago Silva, Jorge Pereira, Hélio, Virgílio (Tiago Ribeiro, 81), Sardinha (Pereirinha, 70), Vítor China (Miguel Pedro, 81), Chico, Rúben Gonçalo, João Rodrigues e Bruno Teixeira (Sané, 39)

Treinador: José Alberto


Padroense: Moreira, Dani, Balito, Fábio (Jardel, 39), Lico (Cacheira, 59), Gorito (Jinho, 68), Mesquita, Xoura (Ricardo, 59), David Yoo (Nico, 68), Nuno Carvalho e Pedro Oliveira 

Treinador: João Costa


O Padroense teve uma tarde cinzenta, com um resultado que não compromete muito os objetivos da formação de Padrão da Légua, que ainda tem hipóteses de chegar ao terceiro lugar. 

Este é o quarto jogo consecutivo do Padroense sem uma vitória. 

O jogo começou mal para os de Matosinhos e aos 29 minutos o juiz assinala grande penalidade por considerar que houve falta dentro da área ao que Rúben converte para o primeiro do Oliveira do Douro. 

A partir daí o jogo ficou quezilento com muitas faltas com o jogo a ir para intervalo com os da casa a vencer por uma bola a zero.

No recomeço, aos 52 é Balito que vê o vermelho directo deixando o Padroense com dez elementos. 

Entre o minuto 51 ao 58, o Padroense sofre dois golos, primeiro aos 51 é China que aumenta a vantagem e aos 58 é Hélio quem faz o terceiro.

Até final, o Padroense tentou chegar ao golo e conseguir levar um ponto para Matosinhos, mas a formação da casa geriu bem o encontro e conseguiu os três pontos.

O Padroense recebe o Gondomar B em 22 de março às 15:00, pois na próxima semana são os quartos de final da Taça AF Porto.


Fonte da Foto: Jorge Peixoto


Diogo Bernardino

GABRIEL E EZEQUIAS SÃO REFORÇOS DO ALDEIA NOVA

Os brasileiros Gabriel e Ezequias que fazem parte dos sub-19 do Aldeia Nova passam agora a estarem disponíveis para representar a equipa sénior até ao final da temporada, anunciou o clube no Facebook.

O extremo direito de 18 anos Gabriel representa pela primeira vez uma equipa sénior, tal e qual como o defesa direito de 18 anos Ezequias.

O Aldeia Nova fecha assim o plantel nesta temporada, passando a ser constituído por 26 jogadores.


Fonte das Fotos: Aldeia Nova


Diogo Bernardino

SUB 13.2 DO LEIXÕES APURAM PARA SEGUNDA FASE DA PROVA

Os sub 13.2 do Leixões conseguiram o triunfo frente ao Nogueirense B por 1-0, passando assim à próxima fase da prova em conjunto com o Rio Ave B.

O Leixões ficou em segundo lugar da prova.

Os sub 13.1 triunfaram também vencendo em casa do Candal por 2-0 e na próxima jornada o quatro classificado com 43 pontos recebe o Oliveira do Douro.


Fonte da Foto: DR


Diogo Bernardino

VENTURA SOMA PONTOS PELA SEGUNDA JORNADA CONSECUTIVA

Parque Desportivo Vila Frazão
AF Porto 2.ª Divisão Série 1 (Jornada 25)
Árbitro: João Gomes
Frazão 1-1 Ventura


Ao intervalo: 0-0
Marcadores: Pedro Maia (Ventura) e Frazão


Frazão: Bruno Pacheco, Rui Gonçalves, Fernando Costa (Hugo, 62), Carlos Brandão, João Moreira (Carlos, 62), Jorge Leão, Hugo Sousa, Tiago Carvalho, Basílio, Diogo (Daniel, 50) e Jorge Ribeiro

Treinador: Ausente por motivos diversos


Ventura: Thales, Victor Gimba, Pedro Maia, Samuel Ribeiro, Marcelo Gonçalves, Francisco Ribeiro, Michel, José Briones, André Goulart (Leonardo, 55), João Pereira e Juliano.

Treinador: Adalto Silva.


O Ventura soma mais um ponto na sua caminhada no campeonato, com 24 pontos ao final de 25 jornadas.

No final da primeira parte empate 0-0, já na segunda parte marcou primeiro o Frazão e o Ventura empatou através de Pedro Maia. 

O resultado final foi de um empate a uma bola.

O Ventura é 14.º classificado com 24 pontos e na próxima jornada vai receber o  1.º Maio Figueiró.


Fonte da Foto: DR


Diogo Bernardino

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

D LEÇA DO BALIO

D LEÇA DO BALIO

OS LUSITANOS SCFC

OS LUSITANOS SCFC