RÁDIO CIDADE MATOSINHOS

segunda-feira, 29 de abril de 2019

VITÓRIA INGLÓRIA MAS COM A HONRA DOS BRAVOS DE MATOSINHOS


Estádio do Padroense FC – Padrão da Légua - Senhora da Hora
33ª Jornada da Divisão d´Elite série 1
Árbitro Miguel Ribeiro
PADREOSNE 1 CANELAS GAIA 0
Ao intervalo 0-0, golo Ricardo (90+2)

PADROENSE FC : Rui, Renato, Balito, Fábio, Carneiro (Hélder 83), Ricardo, Leitão, Jardel (Mesquita 69) Lindolfo, Pedro Oliveira (Gorito 83) Ivan (Guilherme 83) Treinado João Costa

CANELAS GAIA: João Matos, David, Samu (Bruno Costa 53) Miguel Gomes, Nando, Emerson, Penantes, Vitor Lopes, Pedrinho (Rafa 53) João Pereira (Macaco 73) e Vítor Fonseca. Treinador Tiago Margarido

A equipa do Padroense subiu ao relvado com a esperança ainda que ténue de poder se qualificar e disputar o play off de subida aos nacionais.
Não dependo apenas só de si a jovem equipa dos Bravos de Matosinhos encarou este jogo como uma autêntica final, pois como diz o ditado “ até ao lavar dos cestos é vindima”
Jogo muito equilibrado jogado de forma intensa as equipas defrontaram olhos nos olhos querendo chamar a si a conquista dos três pontos
Com os ouvidos no Valadares x SC Rio Tinto (encontro que ficou marcado por erros ou casos de arbitragem que levou o SC Rio tinto a terminar o jogo com 8 elementos tendo sido o seu guarda redes expulso e uma jogador de campo a substituir o colega) o Padroense chega ao golo da vitória frente ao líder Canelas já em período de descontos por Ricardo aos 92 minutos.
Vitória justa mas inglória pois a equipa do Padroense merecia pela excelente época que produziu uma vaga no play off de subida.

Foto Jorge Peixoto
  


ISAAC HERÓI MANTÉM ACESA A LUZ DA MANUTENÇÃO


Estádio do Leça em Leça da Palmeira
31ª. Jornada do CP Serie B
Árbitro Bruno Costa (Braga)
LEÇA FC 1 CINFÃES 0
AO INTERVALO, 0-0 Marcador Isaac Sissé (939
LEÇA: Cristiano, Joel, Materazzi, Max, João Pedro; Teles, Bruno Simões (Isaac Sisse´70), Jair; Zé Carlos, Miguel Ângelo (Pedro Prazeres 90+3) , Miguel Lopes  (Pedro Pinto 90+3). Treinador Domingos Barros

CINFÃES: Ivan, Laércio, Baldaia, Rui Cardoso, Everton, Fred, Erick (Pisco 85), Miguel Batista (César 75) Miguel Ângelo (Cacheira 70) Moreia e Sampaio. Treinador Luciano Ferreira

Num jogo nem sempre bem jogado o equilíbrio foi a nota dominante durante os primeiros 45 minutos e o resultado espelha bem o que se passou até ao intervalo
No segundo tempo o Leça apresenta-se com estranha acalmia quase que adormecendo os adeptos que se encontravam no estádio. O Cinfães como lhe convinha também não deu muito para que se invertesse a situação.
E foi já em período de descontos que Isaac  Sissé que vindo banco de suplentes de cabeça desfez o nulo quanto todos os presentes se preparavam para constatar mais um empate consumado em Leça da Palmeira
Vitória importantíssima que fez de Isaac Sissé o herói do jogo pois pode estar aqui a chave da manutenção, para os últimos dois encontro que faltam disputar, estando o Leça a 2 pontos acima da linha d`água  
Foto Leça FC

COM DERICK À BOMBA POSTES E RICARDO MOURA EVITARAM VITÓRIA DO LEIXÕES

31.ª Jornada da 2.ª Liga. 
 Estádio do Mar, em Matosinhos. 
Árbitro: João Malheiro Pinto (AF Lisboa). Leixões - Académica, 1-1. 
Ao intervalo: 1-0.Marcadores: Derick, 35 minutos. Fernando Alexandre, 49. 

 Leixões: Tony, Jorge Silva, Pedro Monteiro, Matheus Costa, Derick (Filipe Ribeiro, 82), Ceitil (Amine, 56), Zé Paulo, Luís Silva, Erivaldo (Camara, 72), Evandro Brandão e André Clóvis. Treinador: Jorge Casquilha. 

Académica: Ricardo Moura, Traquina, Zé Castro, Yuri Matias, Nélson Pedroso, Dias (Reko, 46), Fernando Alexandre, Romário Baldé, Ki (Brendon, 46), Jonathan e Hugo Almeida (Diogo Ribeiro, 69). Treinador: João Alves. 

 O Leixões permanece na luta pela manutenção, contabilizando 40 pontos, que o mantêm provisoriamente no nono lugar. O Leixões quem mais procurou o golo na primeira parte, que alcançou por Derick, aos 35 minutos, enquanto a Académica respondia com contra-ataques, quase sempre conduzidos por Romário Baldé, tendo só conseguido a igualdade na segunda metade, por Fernando Alexandre, aos 49. O onze de Matosinhos ficou perto de marcar aos 10 minutos, num lance confuso culminado num remate de Zé Paulo ao lado do poste direito da baliza da formação de Coimbra, respondendo a Briosa, 10 minutos mais tarde, com uma combinação entre Ki e Romário Baldé, que o sul-coreano concluiu com um remate 'enrolado'. Confinado ao meio-campo, o jogo ameaçava com um 'nulo' ao intervalo, quando Jorge Silva galgou terreno pela direita, cruzou tenso para um alívio que ficou curto, surgindo à entrada da área Derick, de pé esquerdo, a fazer um golo candidato aos melhores do ano, fazendo a bola entrar no ângulo superior direito da baliza adversária. 

O recomeço trouxe outro golo bonito, desta feita apontado por Fernando Alexandre, aos 49, com um 'tiro' à entrada da área, a passe de Hugo Almeida, que reequilibrou o resultado. O empate trouxe mais animação ao jogo e depois de Jonathan (53), num remate cruzado, ameaçar com a reviravolta, Zé Paulo (57 e 67) acertou em postes das duas balizas. Aos 76, Evandro Brandão, na pequena área, viu o golo ser-lhe negado por duas vezes pela valentia de Ricardo Moura, seguindo-se no capítulo do desperdício mais um remate de Zé Paulo, aos 82, ao lado. 

 Próxima jornada pode ser decisiva no que diz respeito à garantia da manutenção por parte da equipa de Matosinhos com a deslocação à Covilhã

Foto Duarte Rodrigues 

terça-feira, 23 de abril de 2019

VÍTOR OLIVEIRA - Efectivamente não há outro igual, no que respeita a treinador(es) de futebol.


Ele é português, nascido em Matosinhos a 17 de Novembro de 1953, seu nome é Victor Manuel Oliveira, antigo futebolista, que no inicio da sua carreira, começou por representar o clube da terra onde o viu nascer, que foi o Leixões Sport Clube, corria o ano de 1970,e onde esteve até ao ano de 1975; seguiu-se na época seguinte o União Sport Clube Paredes, continuando a sua carreira, defendendo na época d 1976/79 o Futebol Clube Famalicão, de 1979/81, representou o Sporting de Espinho, tendo acabado a sua carreira como futebolista ao serviço do Portimonense Sporting Clube.

Entretanto na época de 1978/79, inicia a sua longa carreira como treinador de futebol, ao ter sido jogador/ treinador do Futebol Clube de Famalicão, seguindo-se por esta ordem, em 1985 a 1987, o Portimonense; Maia; Paços de Ferreira; Gil Vicente; Vitória Guimarães; Académica de Coimbra; União Leiria; Sporting Braga; Os Belenenses; Rio Ave; Gil Vicente; Académica de Coimbra; Moreirense; Leixões, União Leiria; Leixões, Trofense; Desp. Aves; Arouca; Moreirense; União da Madeira, Desportivo de Chaves; Portimonense e Paços de Ferreira.

Do seu longo percurso como treinador, (não deverá haver por este planeta do futebol, nenhum treinador que tenha alcançado, tantas subidas, como Victor Oliveira, no total são onze subidas de divisão, no seu currículo, e somando quatro títulos de campeão Nacional da II Divisão ou II Liga. Em 1990/91, com o Paço de Ferreira; em 1997/98 com União Leiria; em 2006/07, com o Leixões e em 2013/14, com o Moreirense.

MSJ – dnoticias.pt

PADBOL (a nova modalidade que apaixona quem a pratica) ESTÁ EM VOGA NO NOSSO CONCELHO


Mitchfoot depois de tanto ouvir falar em PADBOL e para satisfazer a curiosidade própria e dos nosso leitores foi ao encontro dos responsáveis da secção da nova modalidade que se pratica no Pavilhão do Leça.
Descobrimos também que o Leça FC já faz parte da história (ainda curta) do padbol em Portugal , pois o clube já se sagrou campeão e vice campeão  nacional em apenas 3 anos decorridos após a sua inauguração

Mitchfoot - O que é o Padbol?
Tiago RF - O Padbol é um desporto fusão entre o desporto mais popular do mundo, o futebol, com o padel e ténis, envolvendo na sua dinâmica movimentos típicos do squash e do vólei. Nasceu na Argentina em 2008, quando Gustavo Miguens procurou dar mais dinamismo ao já famoso futvólei, e chegou a Portugal pelas mãos de Jorge Amaral, antigo guarda-redes da seleção nacional, e de Gregoor Van Dijk, ex-jogador holandês de vários clubes na Europa.

M  - E como apareceu e pela mão de quem, esta modalidade em Leça da Palmeira?
TRF - A modalidade começou a estabelecer-se em Portugal, sendo em 2016 que o ex-jogador do Leça Futebol Clube e Leixões SC, Álvaro da Silva Lopes, decide trazer a modalidade para o Norte do País, abrindo dois campos em Leça da Palmeira.

M -Aos poucos a evolução e o crescimento da modalidade tem vindo a subir?
TRF - Desde então, a evolução dos jogadores locais é notória e marcante, com o clube de Leça da Palmeira a ter o seu nome marcado na história do Padbol. Em 2017 (1 ano após a sua inauguração) deslocaram-se a Odivelas onde se sagraram campeões nacionais, e em 2018 vice-campeões nacionais da modalidade.

M - Padbol apesar de actividade desportiva recente, já tem adeptos incondicionais da modalidade e ex profissionais de futebol já praticam com regularidade.
TRF - Este desporto está em constante evolução no nosso País, fazendo com que alguns ex-jogadores do futebol profissional voltem a "calçar as botas" e a fazer do Padbol o seu novo "vício", sendo o exemplo de Raúl Meireles, José Bosingwa e Domingos Paciência, que já são jogadores assíduos e de extrema qualidade dentro da quadra.

M - Aqui em Matosinhos onde podemos praticar esta modalidade, visto ainda não ser muito conhecida pelos matosinhenses ?
TRF - No pavilhão Custódio Antunes (Pavilhão do Leça Futebol Clube) existem 2 campos de Padbol, com balneário e estacionamento privado, onde se pode praticar esta recente modalidade a um preço bastante acessível.


segunda-feira, 22 de abril de 2019

MAIS UM PONTO E A PERMANÊNCIA ALÍ TÃO PERTO!

Estádio Municipal José Martins Vieira, na Cova da Piedade. 
30.ª jornada da 2.º Liga. 
 Árbitro: Vítor Ferreira (AF Braga). 
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Cele (20), André Clóvis (45+2), Erivaldo (54) e Stanley (70). Cova da Piedade-Leixões, 1-1. 
 Ao intervalo: 1-0. 
 Marcadores, Hugo Firmino, (23) Evandro Brandão, (90+8). 

 Cova da Piedade: Moreira (Anacoura, 88), Pedro Coronas, Allef Nunes, Willyan, Evaldo, Sori Mané, Boubakary Diarra, Cele (André Carvalhas, 62), Sami (Rodrigo Martins, 72), Hugo Firmino e Stanley.Treinador: Miguel Leal. 

 Leixões: Tony, Jorge Silva, Pedro Monteiro, Matheus Costa, Derick Poloni (André Ceitil, 83), Amine Oudrhiri (Felipe Ribeiro, 66), Zé Paulo, Luís Silva, Erivaldo (Gastón Camara, 72), Evandro Brandão e André Clóvis.Treinador: Jorge Casquilha. 

 Um golo de Evandro Brandão, aos 90+8 minutos, valeu esta sexta-feira ao Leixões um empate 1-1 no reduto do Cova da Piedade 
Foi um ponto quase 'caído do céu' para a equipa de Jorge Casquilha, que só se conseguiu acercar da baliza piedense quando os da casa decidiram entregar a iniciativa de jogo, na segunda parte, acabando duramente castigados por um adversário que não construi uma ocasião flagrante de golo até ao último lance. 
 Ao invés, pelo Cova da Piedade, Hugo Firmino já tinha feito um remate violento à trave (14 minutos) antes de inaugurar com justiça o marcador (23), a finalizar um bom entendimento na direita entre Stanley e Sori Mané, que assistiu o melhor marcador dos grenás para o seu sétimo golo no campeonato. 
 Porém, além de um remate acrobático de Cele (57 minutos), que passou rente ao poste de Tony, os piedenses também não criaram mais ocasiões de perigo no segundo tempo, parecendo confortáveis a gerir uma vantagem mínima que acabou por se revelar insuficiente. 
 Já o Leixões, teve muita posse de bola na segunda parte, mas 'pecou' no último passe e rematou pouco para o ascendente que teve nesse período. 
 O ponto amealhado acabou por ser um mal menor para ambas as equipas, que continuam envolvidas na luta para evitar a despromoção. 

No próximo Sábado, pelas 11 horas, a Académica de Coimbra, visita o estádio do Mar num jogo de capital importância, pois em caso de vitória, praticamente o Leixões garante a permanência. 

Lusa 
Foto Duarte Rodrigues

DERROTA INJUSTA COLOCA LEÇA NA ZONA DE DESPROMOÇÃO


Estádio do Bolhão (Fiães - Santa Maria da Feira)
Árbitro: Carlos Pizarro (AF Braga).
Ação disciplinar: Cartão amarelo para João Ricardo (12), Max Lapushenko (27), Jair (59), Materazzi (65) e André Luís (90).
Ao intervalo, 1-0 Golo Paulinho (38)
ESPINHO: Vítor Braga, Vitinha, João Ricardo, Gil Dias, Gonçalo Cardoso, Edgar Abreu, Leo Cordeiro (André Luís, 85), Wilson Rodrigues (Luka, 85), Paulinho, Gustavo Moura (Carlitos, 78) e Jaime Poulson.

LEÇA: Cristiano, Joel (Alexandre Sá, 86), Materazzi, Max Lapushenko, João Pedro, Samuel Teles, Landry (Jair, 55), Bruno Simões, Miguel Angelo (Pedro Prazeres, 75), Miguel Lopes e Zé Carlos. Treinador Domingo Barros

Num duelo com história no futebol nacional, Espinho e Leça mediram forças com objetivos diferentes
Jogo muito disputado com o Leça em nada a ser inferior aos tigres da Costa Verde que a jogar em casa emprestada, permitiram mesmo que os leceiros fossem os primeiros a criarem perigo. 34 minutos Penalty para o Leça que o Sr. Pizarro não dá (Canto para a cabeça de Teles Vitor Braga guarda redes espinhense a devolver e Zé Carlos quando se preparava para faturar é derrubado). Minuto 38 e contra a corrente de jogo o Espinho através de Paulinho marca o único golo da partida tirando partido de uma desatenção defensiva da turma leceira . Antes do descanso Miguel Ângelo tem soberana oportunidade para levar as equipas empatadas para as cabines mas desperdiçou.
No segundo tempo os leceiros aparecem de novo por cima do jogo, crias grandes dificuldades  ao Espinho que contaram com um inspiradíssimo Vítor Braga que se revelou neste encontro intransponível .Mais um lance dentro da área do Espinho para penalti e expulsão do infractor e de novo sobre Zé Carlos. O Leça fazia de tudo para empatar a partida , Materazzi já jogava na frente de ataque mas o resultado não se alterou e o Leça FC regressa a casa com uma derrota (injusta) que o coloca novamente abaixo na zona de despromoção

Próximo confronto Leça vs Cinfães no Estádio do Leça 

Fotos Leça FC


sábado, 20 de abril de 2019

INCRÍVEL ESTE FEITO DO MEU CONTERRÂNEO E AMIGO VITOR OLIVEIRA


JÁ ESTÁ! A vitória diante do Académico de Viseu (2-1) valeu a subida do Paços de Ferreira à Liga, mais uma que entra no currículo de Vítor Oliveira. É a 11.ª da carreira do técnico de 65 anos. 

🏆🏆🏆🏆🏆🏆🏆🏆🏆🏆🏆
INCRÍVEL ESTE FEITO DO MEU CONTERRÂNEO 
Parabéns mister Vitor Oliveira! 

 Obs: Vítor Oliveira o treinador mais injustiçado em Portugal, como é possível um homem que conseguiu a décima primeira subida nunca ter tido uma oportunidade num grande clube português.Que mais precisa este homem mostrar, sempre que há chicotada num grande nunca se fala neste homem. Caso estranho no futebol, leva á entender que é mais fácil chegar ao topo com amigos do que com qualidade.

segunda-feira, 15 de abril de 2019

ATÉ O LAVAR DOS CESTOS É VINDIMA


Estádio Cidade de Rio tinto- Gondomar
32ª. Jornada AF Porto Divisão de Elite Série 1
Árbitro: João Gonçalves
SC RIO TINTO 2 PADROENSE 0
Ao intervalo, 0-0 Golos, Cláudio (65) Russo (78)

SC RIO TINTO: Matos, Hugo, Jorge Pereira, Adrézinho, João Alves, Cláudio, Guil (Tinaia 80), Carlos Sousa (Rúben 69) Russo, Kakuba e Hugo Reis (Tiago Ribeiro 80). Treinador Vasco Oliveira

PADROENSE FC: Rui, Lico, Pereira, Barny (Lutchindo 78), Taipa, Guilherme, Ricardo, André, Ivan (Carneiro 78), Leitão, Mesquita (Jardel 78). Treinador João Santos  

Jogo de capital importância para a equipa do Padroense.
Jogado em ritmo intenso com ambas as equipa a disputar com fervor a conquista dos três pontos. A equipa da casa a puxar dos galões de anfitrião no segundo tempo e a fazer dois golos sem resposta, a equipa do Padroense bem tentou e pressionou na procura do golo mas teve pela frente uma guarda redes seguro dentro os postes e hábil fora destes
Com este resultado a equipa do Padroense que sempre esteve a um nível bastante a cima dos demais durante uma época inteira, sempre postada no lugar que lhe permitisse sonhar com o regresso aos nacionais, vê assim fugir entre os dedos soberana oportunidade para confirmar esse regresso tão almejado pelos Bravos de Matosinhos
Faltam apenas duas jornadas (6 pontos em disputa e 3 pontos separam o Padroense do Valadares Gaia) para o Padroense resta-lhe lutar e acreditar que ainda é possível…já dizia um ex selecionador Nacional de futebol “Deixem-me sonhar “   
Próximo confronto e penúltima jornada…grande jogo no Padrão frente ao líder Canelas Gaia

Foto Jorge Peixoto


EMPATE COM SABOR A TRIUNFO


30ª. Jornada do CP Série B
Estádio do Leça FC em Leça da Palmeira
Árbitro: Carlos Macedo (Braga)
LEÇA 2 MARÍTIMO B 2
Ao intervalo, 0-0, Marcadores: André Mesquita (54) e Teles (62) Max (71) Zé Carlos (90+4)

LEÇA: Cristiano, Joel, Max, Materazzi, Paulo Lopes (Pedro Prazeres 78), Samuel Teles (Jair 58), Bruno Simões (Miguel Ângelo 58) Landry,  Isaac, Miguel Lopes e Zé Carlos. Treinador Domingos Barros

MARÍTIMO B: Mateus,  Tentugal, Bonera, Aloísio, Nando, Gustavo, Genésio, Milson (Shoya 90+4), André Mesquita (Jonhson 64), Tiago Nunes (Miguel Sousa 81) e Teles. Treinador Ludgero Castro .

O Leça soma mais um ponto na tabela, ponto esse que pode ser decisivo nas contas finais da classificação no que diz respeito à manutenção. Domingo Barros técnico leceiro decidiu-se por não mexer no onze que tão boa conta de si deu na jornada anterior

O primeiro tempo foi jogado a bom ritmo com equilíbrio a fazer-se notar e em que os dois conjuntos criaram algumas situações para finalizar com êxito  

O segundo tempo os insulares entram com a disposição de tomar as rédeas ao encontro, tirando partido de alguma intranquilidade leceira motivada talvez pela importância do jogo (pois para os leceiros os jogos são autenticas finais ), com naturalidade chega à vantagem. Domingos Barros resolve e bem mexer no onze leceiro , fazendo entrar Miguel Ângelo e o brasileiro Jair . O Marítimo aproveitando algum desacerto leceiro, tira partido de um erro defensivo e dilata a vantagem…quase sentenciando a partida.
Domingos Barros não desarma e injeta mais uma vez frescura na equipa com a entrada de Pedro Prazeres, o Leça começa a dar sinais que esta vivo e com ganas de mudar o rumo aos acontecimentos. Livre para a favor do Leça, Miguel Ângelo dispara o guarda redes insular defende para a trave e Max na recarga reduz a vantagem. O Leça insiste na tentativa de chegar ao empate, aposta no futebol mais direto, cruzamentos sucessivos para a área do Marítimo e vê o seu esforço compensado já perto do final do jogo (em período de descontos) já com Materazzi integrado no ataque e na sequencia de um livre, Zé Carlos nas alturas penteia o esférico para fundo das redes empatando o jogo a duas bolas

Próxima jornada (mais uma final) em Espinho, uma equipa candidata à play off de subida

Foto Leça FC




RICARDO FERREIRA " Vestir a camisola sénior do Leixões será um orgulho"


Ricardo Couto Ferreira (17 anos) atleta do Leixões sub 19
Só conheceu a camisola Leixonense e o seu sonho é ser Profissional da clube Matosinhense
Esta época nos sub 19 e recordo que Ricardo Ferreira só tem 17 anos completados em dezembro ultimo, já fez 11 golos, revelando uma veia goleadora que deus nas vista ao ponto de ter já contrato profissional com a Leixões SAD

MITCHFOOT- Tudo tem um principio e um motivo para se começar, como tu não foges à regra, diz-nos como tudo começou?

RICARDO FERREIRA  - Sempre adorei jogar futebol. Pratico este desporto desde criança, na rua, na escola e em casa (embora a minha mãe não gostasse muito da ideia). Por isso, o meu pai levou-me a treinar na Escolas João Faneco e foi aí que tudo começou. Depois, continuei a dedicar-me e fui evoluindo.

MITCHFOOT - Sempre jogaste com o emblema do Leixões ao peito, presumo ser esse o teu clube do coração, diz-nos o que perspetivas na vida do velhinho do Mar, e na tua visão o que mudarias ou não para o engrandecimento do Leixões

RF – Penso que, ultimamente, o Leixões tem estado mais atento e dado mais oportunidades aos jogadores das camadas jovens. E isso eu não mudaria, uma vez que a formação é e sempre foi uma parte importante do clube.

MITCHFOOT - André Vilas Boas quando chegou ao FC Porto, disse e passo a citar “Estou na minha cadeira de sonho”, sei que O TEU SONHO é vestir a camisola do Leixões ao nível sénior, quando isso acontecer o que vais dizer ou sentir?

RF – É verdade, sempre joguei no Leixões e é, por isso, o clube do meu coração. Claro que vestir a camisola, a nível sénior, será um orgulho, pois representa a concretização de um sonho que tenho desde pequenino.

MITCHFOOT - 17 anos, 11 GOLOS esta época, são pode-se dizer o teu cartão de visita e isso despertou a cobiça de alguns emblemas, A Leixões SAD não perdeu tempo e fez contigo um contrato profissional, sentes que ESSE SONHO está mais perto?

RF – Claro que o contrato simboliza uma pequena conquista para mim. No fundo, é o reconhecimento do meu esforço e trabalho enquanto atleta. No entanto, não tenho nada garantido.

MITCHFOOT – Como é natural a quem encara o futebol como uma atividade de futuro em termos profissionais, diz-me tens algum agente de carreira desportivas (vulgo empresário)?

RF – Sim. Neste momento estou ligado à 4450 Gestão de Carreiras Desportivas.

MITCHFFOT -  Diz-nos como te defines com jogador e quem é o Ricardo Ferreira fora do futebol?

RF – Como jogador, sou muito focado e trabalhador. Procuro sempre melhorar e aprender a cada dia que passa. Fora da minha atividade profissional, sou um rapaz descontraído. Adoro estar com a minha família e com os meus amigos.

MITCHFFOT – Por último queres deixar alguma mensagem a alguém em especial, um agradecimento que sabe? 

RF – Gostaria de agradecer à minha família, em particular aos meus pais e ao meu irmão, que sempre me apoiaram e acreditaram em mim, e aos meus colegas que jogam comigo desde sempre.

Fotos Leixões SC 
Mário Mitch 

ESCREVEU-SE DIREITO POR LINHAS TORTAS



29ª .  Jornada da II Liga (LedmanLigapro)


Estádio do Mar, em Matosinhos.

Árbitro: Fábio Melo (AF Porto).
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Ventosa (17), Ruca (79), Luís Silva (87) e Evandro Brandão (89). 
Leixões-Mafra, 1-0.


Ao intervalo: 0-0.

Marcadores: André Clóvis, 56 minutos.



Leixões: Tony, Jorge Silva, Bura, Pedro Monteiro, Derick, Amine, Zé Paulo (Ceitil, 75), Luís Silva, Erivaldo (Matheus Costa, 90+3), Magno (André Clóvis, 46) e Evandro Brandão. Treinador: Jorge Casquilha.

Mafra: Godinho, Rúben Freitas, Miguel Lourenço, Ventosa, Gui Ferreira (Flávio, 58), Cuca, Pedro Ferreira (João Paredes, 78), Bruno (Gonçalo, 59), Ruca, Harramiz e Zé Tiago. Treinador: Nuno Capucho.




Embora com mais posse de bola, o Mafra nunca incomodou Tony, aproveitando-se disso o Leixões para ficar perto do golo, num canto cobrado por Zé Paulo (35), em que Godinho sacudiu a bola com os punhos perante a ameaça de Erivaldo.

A crescer no jogo, a equipa de Matosinhos criou mais duas ocasiões até ao intervalo, primeiro por Derick (41), num remate da meia-lua que passou sobre a barra e, aos 45 minutos, num cruzamento de Zé Paulo que Godinho afastou com uma palmada, antecipando-se à emenda de Magno.

Entrado ao intervalo, André Clóvis abriu o marcador aos 56 minutos, num cabeceamento a passe de Luís Silva (Grande jogada ofensiva da equipa de Matosinhos) 

O 'convite' ao Mafra para assumir o jogo, fez com que a bola passasse a ser jogada a meio-campo, sem que nenhuma das equipas, durante largos minutos, tenha sido capaz de criar ocasiões de perigo, até que um remate de Zé Tiago (89), na área, foi desviado no corpo de Erivaldo, e o árbitro assinalou penálti. Chamado a converter, Harramiz (90) atirou para a direita de Tony, mas o guardião 'adivinhou' o lance e desviou para canto, assegurando os três pontos para o Leixões. 


Mal a equipa de arbitragem que teve a coragem, de marcar penalty num lance perfeitamente normal e dentro das leis de jogo. O árbitro auxiliar do lado da bancada (onde esta o camarote presidencial) deixou passar 3 foras de jogo claros a favor do CD Mafra, o mesmo auxiliar que no primeiro tempo marcou e bem fora de jogo a Pedro Monteiro, tendo este feito golo e também ter anulado um lance por pertenço arco da bola para lá da linha de fundo, lance que Erivaldo atirou ao poste

Foto de Duarte Rodrigues

quinta-feira, 11 de abril de 2019

CONSELHO DE DISCIPLINA DA AF PORTO DECIDE ACABAR COM A ÉPOCA DE MOREIRA


Expulsão com contornos polémicos

Moreira acabou expulso no jogo com o Lavrense cujo contornos ainda estão por explicar. Após desentendimentos dentro da área do Padroense, que envolveram quase todos os jogadores de ambas as equipas, Moreira foi o único a receber ordem de expulsão, que terá sido dada não pelo árbitro mas sim por um dos fiscais de linha que se encontrava no lado oposto, que a julgar pela distância, teria menos percepção do lance do que a restante equipa de arbitragem.
O Padroense fica assim sem poder contar com o guarda-redes Moreira para o que falta do campeonato.

O jogador foi suspenso por quatro jogos pelo Conselho de Disciplina da AF Porto, fruto da sua expulsão na 30ª jornada da Divisão de Elite, e deixa de ser opção para o treinador João Costa numa fase em que os matosinhenses lutam com o Valadares por uma presença na Fase de subida.

OBS: Conheçemos muito bem o Moreira, guarda redes que acompanhamos desde muito jovem…embora a nossa missão é de não tecer qualquer comentário, mas sim divulgar a noticia, não ficariamos de bem connosco se não disse-se-mos que achamos uma tremenda injustiça…talvez uma decisão com contornos não muito claros, bastante prejudicial para o jovem atleta que já foi considerado o MELHOR GUARDA-REDES DO FUTEBOL MATOSINHOS e para o clube de Matosinhos


fonte BANCADA DISTRITAL

terça-feira, 9 de abril de 2019

JANTAR DE GALA D0 97º. ANIVERSÁRIO DO PADROENSE FC



Padroense FC apagou 97 velas na passada sexta Feira

Como é apanágio desta direção presidida pelo Sr. Germano Pinho o receber com carinho e lealdade todos os que se dignaram participar, o Jantar de Gala de aniversário  serviu também para distinguir todos aqueles que ao longo ano se destacaram com o emblema do Padroense ao Peito.

Foi mais um momento único na história dos Bravos de Matosinhos que decorreu na Quinta do Gestal em Leça do Balio, numa elegante e bem organizada gala, num evento com a sala a rebentar pelas costuras.

Nos discursos há que destacar o enaltecer da história da coletividade, mas principalmente os projetos e ambições para o futuro do clube

Uma palavra especial para o seu Presidente, Germano Fernandes Pinho, que continua, ao fim de quase vinte anos de dirigismo, a manter a alegria contagiante com que começou há duas décadas atrás!

segunda-feira, 8 de abril de 2019

HATTRICK DE MESQUITA EM JOGO DE TOPO


Estádio do Padroense FC – Senhora Da Hora
31ª. Jornada da Divisão d´Elite série 1
Árbitro: Fábio Melo
PADROENSE 4 AVINTES 3
Ao intervalo, 3-1 golos Mesquita (7, 26, 61) Ricardo (19), Bruno Sousa (25) Ruben (80, 86)

PADROENSE: Rui, Renato, (Hélder 78) Lindolfo, Fábio e Balito, Carneiro, Guilherme  e Lutchindo, (Pedro Oliveira 68) Ricardo (Estebainha 78) Mesquita (Jardel 68) e Leitão. Treinador João Santos

AVINTES: Humberto, Carlos Pinto (Diogo 65) Ricardo, Renato, Pedro Sá (Ruben 65) Bruno Sousa, Tiago, Freixo (Santana 31), Rui Silva, Bruninho (Sacy 46), Luís (Tiago Carvalho 65). Treinador João Ferreira.

Chuva e golos num grande espetáculo de futebol.
O Padroense embala para a subida ao derrotar em casa uma das melhores equipas desta competição.  Em dia de chuva, Mesquita (Hattrick) foi o sol dos Bravos de Matosinhos, tornando-se na principal figura do encontro.
Logo aos 7 minutos Lutchindo cobra um pontapé de canto e Mesquita abra o ativo.
 Ricardo quis imitar o companheiro e coloca o Padroense a vencer por duas bolas a zero. Como grande equipa que é, o Avintes reduz por Bruno sousa à passagem do minuto 25. O intervalo não chegou sem que Mesquita fizesse de novo gosto ao pé recolocando a vantagem de dois golos para os Bravos de Matosinhos, que dois dias antes festejaram a passagem do 97º. Aniversário.

No segundo tempo o equilíbrio foi a nota dominante, o desequilíbrio aconteceu ao minuto 61  e outra vez por Mesquita que sela assim uma tarde memorável.
João Ferreira técnico gaiense resolve colocar em campo Ruben e acertou na mucha pois o jogador viria a revelar-se importante na recuperação, obteve dois golos em cinco minutos (80 e 86) pondo em sentido a turma do Padroense que quase se deixava surpreender.

Foto Jorge Peixoto

LEÇA CONFIRMA EXCELENTE MOMENTO COM EMPATE EM SÃO JOÃO DA MADEIRA


Estádio Conde Dias Garcia – São João da Madeira
29.ª jornada da Série B do Campeonato de Portugal
Árbitro: Tiago Pinto (AF Leiria).
Ação disciplinar: Cartão Amarelo: Miguel Lopes (15), Max Lapushenko (24), Vítor Bastos (32) e Ken (37).
Ao intervalo 0-0 Glos Matheus (56) Materazzi (88)

SANJOANENSE: Fábio Santos, Vítor Bastos, Castro, Júlio (Matheus Roldan, 46), Ken, Cauê, Coulibaly, Rafa (Almeida, 84), Daniel, Kay Kay e Ká Semedo (Martin, 46). Treinador Flávio Neves

LEÇA FC: Jorge Cristiano, Joel Mateus, Max Lapushenko, Daniel Materazzi, Paulo Lopes, Samuel Teles, Landry Nkolo, Bruno Simões (Miguel Angelo, 64), Miguel Lopes (Pedro Prazeres, 75), Zé Carlos (Jair, 88) e Isaac Cissé. Treinador Domingos Barros

O Leça atravessa o melhor momento desde que se iniciou esta época desportiva. 4º. Jogo consecutivo a pontuar (3 vitorias 1 empate)
O Leça apresentou-se forte e personalizado neste encontro, fruto do bom momento que atravessa, e liderado por Landry (grande jogo) foi capaz de em momentos do jogo ser superior ao 4 º - classificado desta série. Miguel Lopes primeiro e Isaac depois tiveram boas chances de abrir o marcador. O intervalo chegou com o nulo verificado mas com a equipa do Leça por cima do jogo.    

No segundo tempo a Sanjoanense uma das boas equipas deste campeonato, entrou melhor (como lhe competia), e chegaram ao golo à passagem do minuto 56 por intermédio de Matheus aproveitando um bola devolvida pelo poste na sequencia de um pontapé de canto. Os comandados de Domingos Barros equilibram as coisas, sempre com os olhos postos na baliza contrária à procura do golo do empate.
Nos últimos 20 minutos do encontro os leceiros aumentam a pressão sobre o último reduto defensivo dos da casa e oportunidade atras de oportunidade, uma bola aos ferros e uma grande penalidade cometida sobre Zé Carlos fica por marcar.
De tanta insistência os leceiros viram o esforço premiado já perto do final do jogo, Miguel Ângelo marca um pontapé de canto ao segundo poste onde aparece Materazzi mesmo agarrado, de cabeça a confirmar o empate 

Foto Leça FC 

JOGO EMOTIVO NO MAR COM MINHOTOS A LEVAR OS TRES PONTOS



Estádio do Mar, em Matosinhos.
28 ª Jornada da II Liga
Árbitro: Hélder Malheiro (AF Lisboa).
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Pathé Ciss (42), Evandro Brandão (45+1), Luís Silva (60), Ricardo (68), Feliz (78), Hocko (87), André Clóvis (90) e Jorge Silva (90+6).
Leixões - Famalicão, 2-3.
Ao intervalo: 1-1.Marcadores: Walterson (12 ,59) Erivaldo, (33) Anderson, (55) Evandro Brandão (65).

LEIXÕES: Tony, Jorge Silva, Bura, Pedro Monteiro, Derick, Amine (Filipe Ribeiro, 70), Zé Paulo (Roniel, 85), Luís Silva, Magno (André Clóvis, 62), Erivaldo e Evandro Brandão. Treinador: Jorge Casquilha.

FAMALICÃO: Defendi, Garcia, Ricardo, Rocha, Jorge Miguel, Capela (Hocko, 84), Pathé Ciss, Feliz (Ângelo, 90+1), Walterson, Fabrício e Anderson (Fabinho, 72). Treinador: Carlos Pinto.

Belíssimo espetáculo protagonizado por ambos os conjuntos
Aproveitando a alguma desatenção com que o Leixões começou a partida, o Famalicão abriu o marcador na primeira vez que atirou à baliza, com Walterson (12), sem marcação, a conseguir um arco perfeito no seu remate de fora da área, fazendo a bola entrar junto ao poste esquerdo. Anderson, cujo irmão gémeo, Clóvis, estava no banco do Leixões, surgiu isolado aos 25 minutos, mas o remate do avançado do Famalicão, acabou por passar sobre a barra, numa conclusão seguida no minuto seguinte por outra tentativa de Pathé Ciss que Tony segurou à segunda. Com Zé Paulo como 'motor' da reação, o Leixões mostrou argumentos aos 30 minutos quando na área Jorge Silva cruzou tenso para um desvio na pequena área a que ninguém chegou, acabando a equipa da casa por ter a sorte procurada quando, a metros da linha de baliza, Erivaldo (33) aproveitou um ressalto para fazer o empate.
Na segunda parte, Anderson (55) aproveitou uma iniciativa de Fabrício para, num ressalto, desviar a bola para a baliza, de nada valendo o esforço de Derick, após o que Walterson (59), assistido por Feliz que aproveitou um mau passe em zona proibida de Bura, bisou na partida. Animada, a partida ganhou outro protagonista quando Evandro Brandão (65) correspondeu, de cabeça, a um cruzamento da esquerda de Derick para reduzir e fixar o resultado final.
O Leixões segue no 10.º posto com 35 pontos, a quatro pontos da zona de descida e volta ao estádio do Mar desta vez para defrontar o Mafra clube que tem mais um ponto que os matosinhenses. 

Foto de Duarte Rodrigues 


segunda-feira, 1 de abril de 2019

LEIXÕES EMPATA EM BRAGA (SAD DO LEIXÕES CRITICA SC BRAGA)


Estádio 1º de Maio, em Braga.
27.ª Jornada da 2.ª Liga
Árbitro: André Narciso (AF Setúbal).
Ação disciplinar: cartão amarelo para Yvan (03 e 90+2), Makouta (30), Crespo (46), Evandro Brandão (68), Bura (78), Inácio (78). Cartão vermelho para Yvan por acumulação de amarelos (90+2).

Sporting de Braga B - Leixões, 1-1.
Ao intervalo: 0-1.  Golos, Zé Paulo, (32`g p). Denisson, (68).

Sporting de Braga B: Tiago Pereira, Casimiro, Bruno Wilson, Inácio, Simão, Yvan, Makouta (Tavares, 57), Crespo, Denisson (Tiago Dias, 80), André Ribeiro e Henry (Pedro Martelo, 57). Treinador: Rui Santos.

Leixões: Tony, Jorge Silva, Pedro Monteiro, Bura, Derick, Oudrhiri, Zé Paulo (Ceitil, 63), Luís Silva, Evandro Brandão, Erivaldo (Câmara, 86) e Roniel (Magno, 73). 
Treinador: Jorge Casquilha.

Mais um ponto para o Leixões, equipa de Matosinhos continua sem vencer fora (o último triunfo foi obtido há mais de seis meses), mas continua relativamente tranquila, ainda que na segunda metade da tabela.

O Leixões entrou melhor e Zé Paulo e Erivaldo criaram perigo (no primeiro e 15.º minutos), mas a melhor ocasião pertenceu a Luís Silva, que, já bem dentro da área, viu Bruno Wilson, com um grande corte, impedi-lo de marcar, aos 21.
O Sporting de Braga B quase não existiu na primeira parte e seria mesmo o Leixões a chegar ao golo, num penálti que castigou uma falta de Makouta sobre Luís Silva, aos 32 minutos. Os minhotos responderam de imediato, com André Ribeiro, após bom passe de Crespo, a desperdiçar na cara de Tony, aos 36.
A segunda parte pertenceu à equipa da casa e, aos 66 minutos, Pedro Martelo desperdiçou grande oportunidade para empatar. Dois minutos depois, contudo, os bracarenses marcaram mesmo, com Denisson a concluir uma boa jogada, que passou pelo cruzamento de Simão e um toque decisivo de Pedro Martelo.

SAD do Leixões critica SC Braga:
A SAD do Leixões emitiu um comunicado a lamentar o facto de o Sp. Braga ter colocado "a bandeira do Leixões a meia haste" no encontro entre a formação do Mar e a equipa B dos arsenalistas, para a 2ª Liga.
A acusação de que os minhotos terão "ignorado completamente o protocolo da Liga" assenta ainda no facto de não terem sido cedidos "os cinco bilhetes a que o Leixões teria direito para o Camarote Presidencial do Estádio 1º Maio.

foto Duarte Rodrigues 


MAIS 3 PONTOS PARA O LEÇA (ISAAC SISSÉ COM 2 ASSISTÊNCIAS E UM GOLO FOI O HOMEM DO JOGO


Estádio do Leça FC em Leça da Palmeira
28ª Jornada do C De Portugal Série B
Árbitro: José Vale (Braga)
LEÇA 3 SP MÊDA 0
Ao intervalo, 2-0 Golos Miguel Lopes (17`) Zé Carlos (21`) Isaac Sissé (55`)

LEÇA: Cristiano, Joel, Mas, Materazzi. Paulo Lopes, Pedro Pinto, Bruno Simões (Marcos 75`), Miguel Lopes (Jair 60`) , Pedro Prazeres, Isaac Sissé e Zé Carlos (Miguel Ângelo 60´). Treinador Domingos Barros

SP MÊDA: Valter, Marco (Cristiano 25`), Edgar, Prata, , Pimenta, Flávinho (Dinis 80`) Elvis, Filipe Diogo Domingues (Bruno Morgado 65`), Bryan e Rui Santos. Treinador Rogério Afonso
Terceira vitória consecutiva alcançada frente ao último classificado.

Foi o SP Meda a criar a primeira oportunidade para abrir o marcador, logo no inicio Diogo Domingues esteve mesmo muito perto de marcar. Mas cedo se esfumou as intenções forasteiras, o Leça chama a si o comando do jogo e com naturalidade marca aos 17 minutos por intermédio de Miguel Lopes (2º golo consecutivo), a superioridade leceira era de tal forma que não espantou a obtenção do 2º golo desta feita por Zé Carlos… Isacc Sissé teve participação nos dois golos leceiros, ambos foram assistidos pelo avançado camaronês.
No segundo tempo os leceiros entram fortes e decididos a acabar com o jogo e aos 55 minutos Isaac Sissé faz o terceiro da partida, o décimo da sua conta pessoal.
Com a vitória no bolso, a equipa do Leça baixa o ritmo de jogo, passando a controlar o adversário e o resultado.
Com esta vitoria os leceiros continuam quatro pontos acima da linha d´água agora mais perto do décimo primeiro (U Madeira) que dista apenas dois pontos 
Próxima Jornada vem co a deslocação A São João da Madeira (AD Sanjoanense)

Foto Leça FC 

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

D LEÇA DO BALIO

D LEÇA DO BALIO

OS LUSITANOS SCFC

OS LUSITANOS SCFC