RÁDIO CIDADE MATOSINHOS

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

LEÇA EMPATA E JÁ NÃO VENCE HÁ DOIS MESES


III DIVISÃO SERIE B 15ª JORNADA
Estádio do Leça FC
Árbitro António Silva
LEÇA 1 VILA MEÃ 1
O intervalo, 0-1, marcadores, Areias (20`) e Zé Soares (55`)

LEÇA:Fábio Silva, Zé d'Angola, Tiago Madalena, Zé Soares, Ernesto (Sérgio Vasconselos), Rui Ramos, Ricardinho (Magno), Moura, Cerejo, Tiago André e Pedro Gomes (João Alves) Treinador Armindo Machado

VILA MEÃ: Trocato, Magalhães, Daniel, Miguel e Pinheiro; André, Mica (Artur) Hélder Calvino, Areias, Mário (Mesquita) Jonas (Couto) Treinador Paulo César.



A equipa do Leça ainda não conseguiu vencer em 2012, saldo muito negativo (2 derrotas e 1 empate).E já não vence desde 27 de Novembro de 2011, altura em que venceu em Leça da Palmeira a equipa do Grijó por uma bola a zero. Os leceiros protagonizaram uma fraca exibição, muito por culpa da bem organizada equipa do Vila Meã.


A primeira parte foi disputa a um ritmo baixo, com as equipas encaixadas uma na outra. Os lances ofensivos de ambas as equipas não criavam qualquer perigo junto às balizas, até que ao minuto 20`, Areias jogador matosinhense, abre o activo para a equipa do vila Meã, cinco minutos depois a equipa leceira, fica reduzida a dez elementos por expulsão por acumulação de Cerejo (duplo amarelo por simulação ) excesso de rigor do árbitro, que penaliza os leceiros. Até ao intervalo, nada mais houve digno de registar.


Na segunda parte o ritmo de jogo não se alterou, a equipa do Leça, chega ao empate iam decorridos 47`minutos por Zé Soares de cabeça, a responder a um cruzamento de Moura. Com a igualdade obtida logo no reinício do jogo, pensava-se que a equipa do Leça, assumisse as despesas do jogo, e partisse em busca do golo que lhe permitisse vencer este desafio, mas a equipa não está bem, está deserta de ideias, sem velocidade, e mesmo facto de aos 55`minutos as equipas ficassem equilibradas com dez para cada lado, por expulsão, também por acumulação de Areias, que segundo o entendimento do árbitro, simulou uma falta. A equipa do Leça não aproveitou, e seria a equipa visitante a estar muito perto dos três pontos, quando Mesquita, depois de passar pelo guardião Fábio, atira incrivelmente ao poste. Resultado final, igualdade a uma bola.

A equipa do Leça recebe na próxima jornada o líder Cesarense , encontro de capital importância para as hostes leceiras

BRUNIGOOL POKER NA VITÓRIA DO PADROENSE

II DIVISÃO ZONA CENTRO 16ª JORNADA

Estádio Municipal de Anadia
Árbitro Paulo Bráz
ANADIA 3 PADROENSE 4
Ao intervalo, 1-1, marcadores, Rafael (11´), Bruninho (31´51´76´79´) Hélder Ferreira (60`) e Roberto (68`)





ANADIA: Manuel Gama, Fachada (Ivan), Nelson Reis, Nuno Cruz e Vitor Hugo; Paulo Adriano, Roberto e Rosas (Diogo), Alberto, Hélder Ferreira (Alan) Rafael. Treinador Amândio Barreiras

PADROENSE: Marco, Paulinho, Daniel, Armando e Vitor Lobo; Mariano (Batista), Miguel e Seabra, Benvindo, Penantes (Andrade) e Bruninho (Gazela). Treinador Augusto Mata.

A equipa do Padroense, viajou até à zona da Bairrada para defrontar o Anadia, equipa que se encontrava na tabela classificativa em igualdade pontual (17 pontos) e 12º e 13º respectivamente. Jogo em que o grau de dificuldade para os BRAVOS, se apresentava muito elevado.

Jogo que teve uma primeira parte, algo amorfa, mal jogada, que valeu pelos golos, primeiro para os da casa, aos 11`minutos por intermédio de Rafael. Responde a equipa que viajou de Matosinhos com o golo da igualdade, através de BRUNINHO, aos 31` minutos, o primeiro do POKER do jogador matosinhense.

JOGO ELECTRIZANTE, COM ALTERAÇÕES NO MARCADOR

A segunda parte, foi disputa com um ritmo alucinante e uma dinâmica muito positiva, facto que não é alheio a marcha do marcador. BRUNINHO marca aos 51`minutos e põe o Padroense pela primeira vez à frente no marcador. Aos 60`minutos é a vez do Anadia marcar e chegar à igualdade põe intermédio de Hélder Ferreira. Estava encontrado o caminho das balizas, e aos 68`minutos a equipa da Bairrada volta para frente no marcador, golo de Boberto. Mas BRUNINHO estava com acorda toda e com a veia goleadora muito activa, empata de novo o jogo aos 76` minutos, para aos 79`minutos fixar o resultado em 3-4 através de uma grande penalidade, consumando o POKER, e consequente vitória (importante) neste encontro.


Em suma, num jogo com constantes aletrações no marcador, os BRAVOS DE MATOSINHOS, que não fizeram uma grande exibição, mas tiveram o discernimento necessário para contornar este adversário que se previa, com se veio a verificar muito complicado. O destaque vai inteiro para o dianteiro BRUNINHO, pois concretizar POKER num jogo de futebol, não é para qualquer um, mas sim para quem tem muita qualidade futebolística.

FOTOS DOMINGOS LOBO

FRENTE À NAVAL LEIXÕES AFUNDA-SE NO MAR


Jogo no Estádio do Mar, em Matosinhos.
Leixões - Naval, 0-2.
Ao intervalo: 0-2.Marcadores:0-1, João Pedro, 16 minutos.0-2, Júnior Pereira, 36.
Árbitro: Olegário Benquerença (Leiria).

Leixões: Waldson, Paulinho, Nuno Silva, Joel, Florent (Luís Silva, 45), Marcelo (Fangueiro, 63), Paulo Tavares, Hernâni (Fausto, 45), Pedro Santos, Moisés e Jumisse. Treinador Litos

Naval: Taborda, Carlitos, Júnior Pereira, Leomar, Williams, Sandro, Giuliano (Godinho, 64), Edivaldo, João Pedro (Previtali, 90), Hugo Santos e Roberto (Fabiano, 81). Treinador Daniel Ramos

MALDITAS BOLAS PARADAS


Na abertura da segunda volta da Liga Orangina, o Leixões Sport Club sofreu uma derrota frente à Naval 1.º de Maio, num jogo em que a turma leixonense não efectuou uma actuação positiva e acabou batida por 0-2.
O primeiro quarto de hora do encontro foi mal jogado e, sem que nada o justificasse, a Naval marcou aos 16 minutos, num livre direto apontado por João Pedro e que parecia inofensivo, não fosse Waldson ter dado uma ajuda preciosa. O guarda-redes leixonense estava adiantado e já era tarde quando procurou recompor-se, tendo a bola seguido para a baliza perante a surpresa geral. O golo perturbou claramente o Leixões, que sentiu crescentes dificuldades nas saídas para o ataque e não foi capaz de organizar minimamente o seu jogo, não criando qualquer situação de perigo junto à baliza adversária. Ao contrário, os visitantes estabilizaram o seu futebol e chegaram ao 2-0 em mais um lance de bola parada, um livre frontal cobrado pelo central Júnior Pereira, que rematou forte e bateu Waldson, que desta vez não teve hipótese.

DESCER À TERRA


A exibição do segundo tempo foi bem melhor, embora a Naval tivesse gerido confortavelmente o encontro, o Leixões muito lutou na procura de obter o golo que pudesse relançar tudo. O ataque leixonense, ficou em branco pela terceira vez na época e, com este desaire, interrompeu uma série de quatro jogos seguidos sem perder, e que deixa um pouco mais longe do topo, mas bem dentro dos objectivos delineados para esta temporada. Nada há a apontar aos atletas rubro-brancos, que correram até ao limite das forças na tentativa de inverter o rumo dos acontecimentos.
Para a semana, o Leixões desloca-se aos Açores, para defrontar o Santa Clara

fotos DUARTE RODRIGUES

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

D LEÇA DO BALIO

D LEÇA DO BALIO

OS LUSITANOS SCFC

OS LUSITANOS SCFC