RÁDIO CIDADE MATOSINHOS

segunda-feira, 25 de novembro de 2019

LEIXÕES AFASTADO DA TAÇA DE PORTUGAL


Estádio do Mar, Matosinhos.
4ª Eliminatória da Taça de Portugal
Árbitro: Nuno Almeida
Disciplina – cartões amarelos: Thiago Santana, 36’, Luís Silva, 43’, César, 54’, Pedro Pinto, 58’ e 89’, André Claro, 64’, Carlos Júnior, 85’. Vermelhos: Pedro Pinto, 89’.
LEIXÕES SC 1 CD SANTA CALARA 4
Ao intervalo: 0-2 Golos : Zé Manuel, 32’, Zaidu, 44’, Carlos Júnior, 49’ e 80’, Pedro Pinto, 86’.

LEIXÕES: Ivo, Rui Silva, Bura, Pedro Pinto, Vítor Bruno; Amine, João Graça (Poloni, 60’), Luís Silva, Braga (Júnior Sena, 45’); André Claro, Enoh (Harramiz, 45’). Treinador, Carlos Pinto.

SANTA CLARA: André Ferreira; Zaidu, César, João Afonso, Rafael Ramos; Rashid (Bruno Lamas, 64’), Francisco Ramos, Nené; Carlos Júnior, Zé Manuel (Ukra, 53’) Thiago Santana (Schettine, 74’). Treinador, João Henriques.

Num duelo entre treinadores que já estiveram nos bancos opostos, a primeira parte mostrou um Leixões mais aguerrido, mas um Santa Clara letal aproveitamento quando parecia adormecido. Assim surgiu uma vantagem açoriana de dois golos ao intervalo. O terceiro golo, logo no reatamento, seria sapatada cruel nas aspirações do Leixões. Mas isso seria bem depois de um filme que não parecia adivinhar um 0-3 no marcador antes da hora de jogo. Do minuto 50. Tudo porque o Leixões entrou mais ativo, a ocupar mais o meio campo ofensivo. O Santa Clara foi mais expectante, porém perigoso nas aproximações à baliza contrária. Indício disso foi a ocasião de Carlos Júnior ao minuto quatro: um remate mais colocado bateria Ivo, que se opôs em bom plano. O Leixões não sentiu o susto e respondeu ao ataque. Sobressaíram as incursões dos laterais, sobretudo pela direita: Rui Silva dobrou os trabalhos a Zaidu e ao central mais próximo, João Afonso. A povoação à frente valeu quatro cantos nos primeiros 17 minutos. Faltou tirar dividendos. Apesar de várias vezes encostado atrás, o Santa Clara espelhava confiança e tranquilidade. Como quem sabe o momento certo para ferir o adversário. O aviso foi deixado por Thiago Santana ao minuto 25, num remate a rasar o poste. Depois, na sequência do primeiro canto a favor, Zé Manuel apanhou a bola num remate soberbo à meia volta e bateu Ivo. O marcador mexeu pela primeira vez ao minuto 32 e precipitou, em parte, o que aí vinha. Em parte, porque foi na desvantagem que o Leixões acentuou perigo. Para negar o empate surgiu um até então escondido André Ferreira: enorme o guardião do Santa Clara, única novidade em relação ao jogo com o Benfica, a parar o remate de Vítor Bruno e um desvio para golo certo de Luís Silva ao segundo poste. Do primeiro, surgiu o lance mais polémico: Rashid pareceu cortar com o braço um remate de André Claro, mas o árbitro Nuno Almeida mandou seguir. Antes do intervalo, o Santa Clara fez por respirar melhor no descanso: Zaidu arrancou um cruzamento com tudo a que Rashid teve direito para carimbar o segundo golo açoriano.

A verdade é que se a plateia do Mar esperava uma reação ao rombo da primeira parte, o Santa Clara, apoiado por cerca de 20 adeptos nas bancadas, fez questão de tirar chama à expectativa da decisão do apuramento: Carlos Júnior lançou-se pela esquerda do ataque e Ivo foi batido pela terceira vez. Carlos Pinto tinha lançado Júnior Sena e Harramiz para o segundo período e colocou depois Poloni, mas o 0-3 amaciou a estratégia do Leixões, travado, sobretudo, na capacidade de antecipação dos centrais João Afonso e César e também em André Ferreira: antes da hora, voou para impedir André Claro de reduzir. João Henriques geriu o jogo como quis com a vantagem e a nota mais preocupante foi mesmo a saída de Zé Manuel, agarrado à coxa esquerda. A primeira parte corajosa e positiva do Leixões esfumou-se com o tempo e o Santa Clara, com total harmonia entre setores – nota para o entrosamento de Ramos, Rashid e Nené ao meio - ainda teve tempo para o quarto golo e o bis de Carlos Júnior, ao minuto 80. O Leixões ainda reduziu por Pedro Pinto aos 86, mas até o bem veio com mal: o central seria expulso ainda antes do apito final.

Foto DR 


segunda-feira, 18 de novembro de 2019

DERROTA INJUSTA EM TONS DE VERMELHO


Complexo Desportivo Aldeia Nova em Perafita 
9ª. Jornada da 1ª Divisão AFP Serie 1 
Árbitro: Pedro Paula 
Cartão Vermelho a Leão, Filipe Figueiras (90+2) e Julio Sousa (90+4) Staff técnico do Aldeia Nova 
GD ALDEIA NOVA 0 ÁGUAS SANTAS 1 
Ao intervalo 0-1, Nando (10) 

ALDEIA NOVA: Pinheiro, Rosas (Vieira 80), Sérginho (Nélson 60), Batista, Martins (Filipe Campos 38), Zé Paulo, Pepo, Gonçalo Vieira, Freitas (Gonçalo 81) Peneda e Danillo. Treinador Leão 

ÁGUAS SANTAS: Simão, Diogo Pinto, Tavares, Delfim (Ricardo Silva 65), Souzinha, Paulo Rodrigues, Gui (Ribieiro 86), Nando (Bernardo 86), Mateus (André Santos 65) e Benny (Ferreira 65) Treinador Ricardo Vital. 

Derrota injusta em jogo de sentido único.
O Aldeia Nova entrou em campo com um único objectivo, garantir os três pontos, e desde início demonstrou a sua superioridade. 
O Aldeia Nova jogou quase sempre dentro do meio campo ofensivo, no entanto, nunca conseguiu concretizar as oportunidades de golo. 
O Aguas Santas aproveitou um contra ataque para se colocar em vantagem no marcador e a equipa de Matosinhos iria para o intervalo em desvantagem. 
A segunda parte começou conforme tinha acabado a primeira, o Aldeia Nova a mandar no jogo, a procurar o golo e a jogar em apenas meio campo, contudo o resultado não se alterou até ao fim da partida. 
Um resultado muito injusto em jogo de sentido único.

Fotos Teixeira 

JOGO MARCADO POR CONTRARIEDADES, LEÇA EMPATA EM PAREDES

Estádio da Cidade Desportiva Paredes 
11ª. Jornada do Campeonato de Portugal Série B 
Árbitro Edgar Batista (Porto)
Cartão Vermelho Joel Barbosa (90+2)
PAREDES 2 LEÇA FC 2 
Ao intervalo, 1-2. Golos Madureira (2 e 87) Isaac (18) Adilson (22) 

PAREDES: Danny, Tojó (Everton 75), Nuno, Ismael (Yaro 82), Jorginho, Henrique, Madureira, André, Marlon (Rúben 60), Diogo Pinheiro e Joel Barbosa 

LEÇA: Cristiano, ZéCarlos, Pecks, Cláudio, Paulo Lopes, Teles (Kevin 8) Nelsinho, João Paulo, Adilson (Van Zeller40), João Paulino, Isaac (Bruno Simões 89). Treinador Domingo Barros 

Nem tudo correr pelo melhor à equipa Leceira nesta deslocação a Paredes. 
Logo aos 2 minutos ve-sena condição de derrotada pela mão de Madureira que viria aser decisivo neste desfecho. 
Entrando praticamente a perder a turma Leceira logo se viu privada da contribuição de Samuel Teles, um jogador bastante influente na manobra do conjunto orientado por Domingos Barros. 
Mesmo com estes contratempos a turma do Leça arranca para uma excelente I parte consumando mesmo a reviravolta no resultado, antes do intervalo mais uma contrariedade, com a lesão de Adilson.
Na etapa complementar a turma da casa entra com tudo, entram mais fortes e dominaram até ao último quarto de hora fazendo mesmo a equipa Leceira sofrer para evitar o golo do empate. 
O último quarto de hora a equipa de Leça podia e teve oportunidade para isso, matar o jogo, mas não o fez e consentiu o empate já perto do final com Madureira a bisar, que diga se ser o resultado justo 

Domingos Barros técnico do Leça 
«Entramos a perder e depois, fomos forçados a efetuar 1ª substituição por lesão. A partir destes condicionalismo arrancamo para uma ótima primeira parte, já perto do final temos nova contrariedade com a lesão de mais um atleta.
Na segunda parte o adversário entrou mais forte, e nós não fomos compactos e coesos nos primeiros minutos, nesse momento do jogo sofremos um pouco.
O cansaço e o desgaste devido às condições do relvado era grande, contudo começamos novamente a tomar conta do jogo e poderíamos ter "morto" o jogo, mas não o conseguimos.
 Já na reta final numa perda nossa no meio campo ofensivo, o Paredes em transição chega ao empate. A partir desse momento voltamos a ter oportunidades para desfazer o empate, mas já não houve alteração.» 

Foto Leça FC 

segunda-feira, 11 de novembro de 2019

OS LUSITANOS VENCEM DÉRBI COM MUITOS GOLOS


Estádio do FC Perafita em Perafita
8ª Jornada da Primeira Divisão AFP Serie 1
Árbitro: Rui Moreira
FC PERAFITA 3 OS LUSITANOS DE SANTA CRUZ 4
Ao intervalo, 0-2 Golos de Mazola (6, 23 e 57) Paulinho (49) Zuca (51) Francisco (88) e Marcelo (90+2)

FC PERAFITA: Miguel, Lopes, João Pinto (Carlos 24) , Zuca, Leo, Rafa, Pedrilson (Bezerra 78), Branco, ( Francisco 70), Paulinho, Vieira (Alex 70) Zé Miguel. Treinador Vitor Andrade

OS LUSITANOS: Gabriel, Simeão (tiago 69) , Fernando, Diogo e Mazola, Ruben Queirós  Kevin (Zé Bina 46), Paulo (Marcelo 46), Ivo (Pina 46) Cavadas e Jota (Huguinho 88). Treinador Marco Aleixo

Jogo de muitos golos (7) repartidos de uma forma justa. O jogo resume-se à cronologia da obtenção dos golos e pouco mais. Jogado com a agressividade que é apanágio dos dérbis  concelhios, pois ambos os conjuntos queria vencer, dai o resultado mais certo seria de facto o empate entre as duas equipas
Os primeiros 45 minutos foram jogados  com um futebol direto em que a equipa visitante foi mais capaz na hora de rematar à baliza tendo como Mazola o seu grande protagonista
No segundo tempo teve um excelente inicio dos homens da casa que rapidamente chegaram à igualdade primeiro por Paulinho e depois Zuca. Só que Mazola estava em campo e o veterano jogador faz o Hattrick repondo a vantagem alvinegra  aos 57 minutos. O Perafita último classificado da prova, volta à carga e empata de novo o jogo por Francisco em cima do minuto 90. Nos descontos e quando se preparavam para dividir os pontos Marcelo marca e faz que o conjunto dos Lusitanos levassem 3 pontos para casa  



EMPATE NO OLIVAL DÁ LIDERANÇA AO GDAN


Centro de Estágio do Olival
8ª Jornada da Primeira Divisão AFP Serie 1
Árbitro: José Moreira
CRESTUMA 1 ALDEIA NOVA 1
Ao intervalo, 0-1 Golos, Rosas (45) António (71)
 
CRESTUMA: Fábio, Elói, Rochinha (Pedro 85), Didi, Vitinha, Garcia (Tarick 80), Paulo (João 90), Bruninho, António, Jorge e Lola. Treinador Vitor Moreira

GD ALDEIA NOVA: Pinheiro, Rosas, Serginho, Gonçalo, Martins, Zé Paulo (Filipe Campos 58), Pedro, Freitas (Batista 59), Peneda, Danilo (Ribeirão 78), Nélson (Frazão 78). Treinador A. Leão

Um excelente jogo de futebol.
Duas equipas com vontade de ganhar a partida, que lutaram do início ao fim pela obtenção dos três pontos.
A equipa do Crestuma com boas individualidades, começou melhor a partida, no entanto a união e a determinação da equipa do Aldeia Nova fez equilibrar o jogo.
Foram poucos os lances de finalização clara, pois ambas as equipas defenderam bem a sua baliza, mostrando assim que o jogo poderia ter que ser resolvido através de lances de bola parada, e assim aconteceu. O Aldeia Nova adiantou-se na partida em cima do minuto 45 através de Rosas que desviou o remate de Freitas na cobrança de livre.
A segunda parte foi um jogo mais agressivo por parte do clube de Gaia que por várias vezes utilizaram agressividade excessiva para parar os as investidas dos comandados de Leão, sem que fossem admoestados com qualquer tipo de cartão e por vezes mesmo sem marcação de falta.  O Crestuma acabaria por chegar ao empate através de pontapé de canto aos 71 minutos. 
Com este resultado, o Aldeia Nova é a única equipa que ainda não perdeu na competição, somando 6 vitórias e 2 empates, e é líder do campeonato beneficiando da derrota do Valonguense em Águas Santas.
Arbitragem contou-se com uma deficiente atuação, sendo mesmo a pior das equipas


LAVRENSE VENCE DÉRBI E MANTÉM 2º POSTO NA TABELA


Complexo Desportivo Municipal de Lavra
9ª Jornada da Divisão de Honra Serie 1
Árbitro: José Oliveira
UD LAVRENSE 2 CUSTÓIAS 1
Ao intervalo 1-0, Golos, Trivelas (35), Marlos (49) Zidane (75)

UD LAVRENSE: Padrão, Coelho, Fradinho, Trivelas, Mesquita (Leandro 90), Hulk (Barreira 74), Zidane (Diogo 90), Batista (Fábio 74), Leo, Noverça (Rui Paulino 90) e Luís André. Treinador Nuno Gonçalves.

CUSTÓIAS FC: Bruno, Santa, Zé D´Angola, Marlos, Artur, Diogo (Gonçalo 81), Igor, Menesses, Duarte (Alan 46), Buda e Paulo. Treinador Mário Rui

A equipa Lavrense dominou por completo o primeiro tempo. Motivados pelo bom campeonato que veem fazendo os homens comandados por Nuno Gonçalves apesar do domino, só de bola para é que conseguir marcar à bem organizada defensiva custóiense. Trivelas com um livre do lado esquerdo superiormente marcado abriu o marcador de uma forma justa
Na etapa complementar os Custóias reagiu e só de bola parada também conseguiu desfeitear o guarda redes Padrão, Pontapé da canto que Marlos aproveitou para finalizar restabelecendo a igualdade.
A equipa Lavrense melhor sobre o terreno foi de novo à procura do golo e aos 75 minutos Zidane coloca de novo em vantagem a turma de Lavra, resultado com que se atingiu o final da partida, mantendo  a equipa Lavrense a segunda posição (a dois pontos do líder Candal), agora isolado tirando partido da Derrota do Castelo da Maia e, Leça do Balio.

Próximo compromisso, os Lavrenses viajam até à Maia para defrontar o Gondim

Foto Filipe Sousa



LEÇA DE REGRESSO ÀS VITÓRIAS


Estádio do Leça FC em Leça da Palmeira
10ª Jornada do Campeonato de Portugal série B
Árbitro: Ruben Martins (Braga)
LEÇA FC 2 SC GONDOMAR 1
Ao intervalo, 1-1 Golos,  Nélsinho (34 gp) Fausto (42) e João Paulino (67)

LEÇA: Cristiano, Zé Carlos, Pecks, Cláudio e Paulo Lopes (Manuel Lopes 80) ; Teles, João Paulo e Nélsinho; Isaac (Prazeres 69), João Paulino (Van Zeller 69) e Adilson. Treinador Domingos Barros .

GONDOMAR SC. Ricardo Neves, Mica, Pedro Meneses, Rui Filipe, Huguinho; Fabinho, Digas, Yao (Miccoli 77), Fasto, Cai (Caleb 63), e Ângelo (Edelino Lé 63). Treinador Pedro Pinto.

Leça regressa às vitórias num duelo em que o empenho na conquista dos três pontos foi notória em ambas as equipas.
Primeiro Tempo muito disputado com ambos os conjuntos apostados em marcar. A linha mais avançada leceira foi criando mais trabalho ao guarda redes visitante, e à passagem do minuto 34 de grande penalidade indiscutível, Nelsinho dá vantagem à Turma do Leça. O Gondomar respondeu com o golo da igualdade apontado por Fausto em lance muito contestado pelo leceiros.

No segundo Tempo, Nelsinho teve soberana oportunidade para se adiantar de novo no marcador , mas Ricardo Neves adivinhou o lado e defendeu a grande penalidade, 2ª no encontro. O jogo era de parada e resposta, e num lance confuso na área do Gondomar João Paulino coloca o Leça de novo na condição de vencedor.
Condição essa que a equipa de Domingos Barros conseguiu levar até ao fim, mesmo tendo passado por alguma aflição.

Próxima Jornada a equipa do Leça que está na 4ª posição da tabela desloca-se a Paredes para defrontar o clube local

Fotos Leça FC


VITÓRIA SUADA COM REMONTADA À ESPANHOLA


Jogo no Estádio do Mar, em Matosinhos.
10ª Jornada da Segunda Liga
Árbitro: Diogo Gorjão (AF Setúbal).
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Coelho (04), Diogo Clemente (33), Bouldin (43), Michael Douglas (44), Vítor Bruno (50), Miguel Silva (66), Rui Silva (66), André Claro (66), Luís Silva (78) e Fabinho (90+3).
Leixões - Oliveirense, 3-2.
Ao intervalo: 1-1. Marcadores: Agdon,(16)  André Claro,( 45+2). Bouldin, (60), André Claro, (77). Harramiz, (85).

Leixões: Ivo, Rui Silva, Pedro Pinto, Bura, Vítor Bruno, Amine, Luís Silva, Braga (Derick, 62), João Graça (Júnior Sena, 62), Harramiz e André Claro (Pana, 87).Treinador: Carlos Pinto.

Oliveirense: Coelho, Alemão (Leandro, 85), Michael Douglas, Sérgio, Elízio, Oliveira (Filipe Gonçalves, 71), Diogo Clemente (Paraíba, 75), Fabinho, Miguel Silva, Bouldin e Agdon. Treinador: Pedro Miguel.

O Leixões ascendeu ao quarto lugar da 2.ª Liga, após derrotar a Oliveirense por 3-2, em partida da 10.ª jornada disputada no Estádio do Mar, em Matosinhos. A Oliveirense entrou melhor e adiantou-se aos 16 minutos, por Agdon, o Leixões igualou em cima do intervalo, através de André Claro, e permitiu ainda que os visitantes voltassem para a frente com um golo de Bouldon, aos 60. André Claro 'bisou', aos 77, antes de Harramiz, aos 85, operar finalmente a reviravolta no marcador. Surpreendido ao minuto 16 pelo golo da Oliveirense, por intermédio de Agdon, o Leixões demorou a encontrar o caminho da baliza adversária e só chegou ao empate nos descontos da primeira parte, num lance que começou numa assistência de Vítor Bruno para Harramiz, que cruzou para a emenda vitoriosa de André Claro. A equipa de Oliveira de Azeméis, que marcara no primeiro remate à baliza, manteve a pontaria na segunda parte, com Bouldin (60), de cabeça, a fazer o 2-1, após canto de Oliveira. 

Em desvantagem, o Leixões deu o tudo por tudo para tentar virar o resultado e André Claro (77) 'bisou' na partida, num golo esquisito, já que, após cruzar, o corte do defesa embateu-lhe na cabeça, acabando a bola no fundo das redes.
O Leixões que respira com saúde e que mantem o foco em discutir a subida até ao fim, lutou muito e sempre com cabeça nunca baixou os braços em busca da vitória apesar de encontrar pela frente um adversário que se limitava a não jogar e a usar o antijogo, contando também com a passividade do árbitro do encontro , consumou reviravolta aos 85 minutos, num lance em que, após um canto de Vítor Bruno, Harramiz, de cabeça, marcou levando os adeptos da turma de Matosinhos ao rubro.

Fotos de Duarte Rodrigues


segunda-feira, 4 de novembro de 2019

VANTAGEM NUMÉRICA FOI PREJUDICIAL AO PADROENSE

10ª. jornada Divisão D´Elite série 1 
Estádio do Padroense FC - Padrão da Légua - Senhora da Hora 
Árbitro: Miguel Fonseca 
PADROENSE 0 OLIVEIRA DO DOURO 1 
Ao intervalo, 0-0, golo Tiga (69) 

PADROENSE: Moreira, Li, Kang, Fábio, Balito, Xoura, Jinho, Ricardo (Estebainha 74), Pedro Oliveira, (Gorito 74) Mesquita e Cacheira (Jardel 74). Treinador João Costa 

OLIVEIRA DO DOURO: Hélder Costa, Ruizinho, Hélio e Jorge Pereira, Tiga, Chico (Bruno Teixeira 79), Tiago Ribeiro, China (Bonny 61) e Joazinho, Edi Valentim,  Pereirinha (Paulinho Teixeira 79) . Treinador Manuel Pinheiro. 

Jogo de fraco nível técnico, com as equipas a lutarem muito pelo pontos em disputa.
Entrou melhor a equipa do Padroense, com mais posse de bola e mais insistente no ataque, aos 13 minutos o caso do Jogo, Caheira é derrubado por Tiga dentro da área de rigor, penalti que fica por marcar a favor dos Bravos de Matosinhos.  O jogo entra numa fase de equilíbrio, disputado a meio campo e sem grandes lances de perigo. 
A etapa complementar começou praticamente com a expulsão de Ruizinho por duplo amarelo (53).
A partir deste momento Manuel Pinheiro reajusta a sua equipa recuando Chico para lateral direito e dando a iniciativa ao Padroense, explorando o contra ataque e o momento certo para atacar.
 O Padroense em superioridade numérica revelou alguma dificuldade no jogo ofensivo,sem grande discernimento errando muitos passes não foi capaz de tirar partido de ter mais um homem em campo. O Oliveira do Douro que soube manter a sua área livre de perigo, ao minuto 69 e na sequência de um pontapé de canto faz o único golo do encontro por Tiga beneficiando este de uma falha de marcação limitando-se a empurrar a bola para a baliza de Moreira. 
Os últimos 20 minutos o Padroense bem insistiu no ataque despejando bolas para a área ficando perto da igualdade quando Hélio desvia para a baliza de Hélder Costa que evitou o autogolo com uma soberba defesa que contou com ajuda do travessão 

AROUCA VENCE LEÇA DESINSPIRADO

Estádio Municipal de Arouca 
9ª Jornada do Campeonato Portugal Série B 
Árbitro: Carlos Macedo (Braga) 
AROUCA 3 LEÇA FC 0
Ao intervalo, 0-0, Golos, Fábio Fortes (56 e 73) Adilio (63) 

AROUCA: Victor Braga, Thales, João Basso, Benny, Assane Baldé, Marco Soares, Abdas Ibrahim, André Salvador (Henrique 90+2)Adilio (Valdo Té 81) Elísio (David 71), Fábio Nunes. Treinador Henrique Nunes. 

LEÇAFC: Cristiano, Zé Carlos, Pecks, Cláudio e Paulo Lopes, Samuel Teles (Kevin Lopez 69), Nélsinho, Bruno Simões (Vieira 81), Isaac Boakye, Pedro Prazeres (João Paulino 61) Adilson. Treinador Domingos Barros 

Os Locais venceram com justiça e confirmaram a liderança isolados, frente a um Leça deserto  de ideias e nada aguerrido fazendo o pior jogo da temporada. 
Primeira parte controlada pela equipa do Arouca frente a um Leça que praticamente não  incomodou o adversário. 
Na etapa complementar os Locais foram letais, sendo que o Leça entrou melhor equilibrando o contenda e criando mesmo a melhor oportunidade, o Arouca num resalto de bola aproveita e faz o primeiro da partida embalando para uma vitoria gorda frente a um Leça que apesar de ter mais bola nunca foi capaz de criar perigo. 

Domingos Barros no final do Jogo 

«O nosso pior jogo desde o início do campeonato, na primeira parte fomos inexistentes e poucos duelos ganhamos. Na 2ª entramos melhor no jogo , conseguindo manter o equilíbrio na partida, tendo sido nossa a oportunidade, contudo, num ressalto o Arouca chega ao golo, e a partir desse momento apesar de termos sempre mais bola, nunca fomos capazes de criar perigo.  O Arouca foi a única equipa neste campeonato que até ao momento foi superior em largos períodos do jogo. Temos de levantar a cabeça, trabalhar de forma competente para continuar a somar pontos, rumo ao nosso objetivo e concerteza iremos dar uma resposta positiva na próxima semana» 

Fotos DR. 

"REMONTADA" CONFIRMA ESTATUTO DE CANDIDATO

Estádio Municipal Dr. Jorge Sampaio, em Vila Nova de Gaia. 
9ª Jornada Segunda Liga (Ledman liga pro) Árbitro: David Silva (AF Porto). 
Ação disciplinar: cartão amarelo para João Pedro (37), Ferraresi (45+2), Marius (45+3), Rui Silva (49), Madi Queta (81) 
FC Porto B - Leixões, 1-3. 
Ao intervalo: 1-2. Marcadores, Vítor Ferreira, (12 g p), André Claro, (17), João Graça, (19). Harramiz,(66). 

 FC PORTO B: Mouhamed Mbaye, Tomás Esteves (Musa Yahaya, 46), Ferraresi, Gonçalo Brandão (Taddeus Nkeng, 76), Luís Mata, Afonso Sousa (Tony Djim, 61), Vítor Ferreira, Mor Ndiaye, Fábio Vieira, Madi Queta e Marius. Treinador: Rui Barros. 

 LEIXÕES: Stefanovic, Vítor Bruno, Pedro Pinto, João Pedro, Rui Silva, João Graça (Enoh, 84), Luís Silva, Amine, Braga (Poloni, 71), André Claro (Júnior Sena, 65) e Harramiz. Treinador: Carlos Pinto.
 
O Porto chegou cedo à vantagem através de uma grande penalidade, a punir falta sobre Madi Queta, que nos pareceu claramente ter sido fora da área. Vítor Ferreira não desperdiçou a oportunidade e inaugurou o marcador. 
Em desvantagem, os leixonenses intensificaram a pressão, que acabou por dar resultado. Em menos de dois minutos, a formação de Matosinhos deu a volta ao resultado, aproveitando da melhor forma um momento de desnorte do FC Porto. 
Aos 17 minutos, após um cruzamento de Braga na direita, André Claro, na pequena área, 'fuzilou' e repôs a igualdade. Quase dois minutos depois João Graça, ex-FC Porto, assinou a reviravolta, após um momento de desatenção da defesa 'azul e branca'. 
Ainda antes do intervalo, Fábio Vieira teve a oportunidade de repor a igualdade, com um excelente remate de primeira de fora da área, com a bola a bater na trave. 
No segundo tempo a partida ficou mais morna, com o Leixões a gerir da melhor forma a vantagem, conseguindo impedir que os 'dragões' revertessem a situação. O Leixões ainda voltou ao marcar, aos 66 minutos, desta vez devido a uma falha clara da defesa portista e do guarda-redes. Gonçalo Brandão atrasou a bola para Mbaye, que fez um mau alívio, permitindo a Harramiz fazer o terceiro. 

Fotos Duarte Rodrigues
 Mário Mitch

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

D LEÇA DO BALIO

D LEÇA DO BALIO

OS LUSITANOS SCFC

OS LUSITANOS SCFC