RÁDIO CIDADE MATOSINHOS

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

DERBI MATOSINHENSE TERMINA EMPATADO


Campeonato Distrital 2.ª Divisão Série 01 – 1.ª fase – 2.ª Jornada.
Jogo: Lusitanos F. C. Sta. Cruz vs G. D. Aldeia Nova
Campo: Lusitanos F. C. Sta. Cruz – Sta. Cruz do Bispo.
Árbitro: Sandra Santos.
Resultado ao intervalo: 0 – 1
Golos: 0–1 Morais aos 40’ e 1–1 Xuxa aos 90+2’.

Lusitanos F. C. Santa Cruz: Tiago, Sérgio Coelho, Guerra, Teixeira e Xuxa; Carlos Manuel, Meneses, Miguel; Ricardo Silva, Ricardo Lopes e Paulo Substituições: Paulo por Costinha ao intervalo, Meneses por Tó aos 68, Sérgio Coelho por Nuno Silva aos 75’ . Treinador: Marco Aleixo

G. D. Aldeia Nova:Vilaça, Igor, Manu, Ivo, Barros, Mesquita, Diogo, Gouveia, Daniel, Pinto e Natal.Substituições: Morais por Daniel aos 34’, Tomás por Igor aos 72’,Pedro por Mesquita aos 87’.Treinador: Eduardo Silva.

O bastante público que se deslocou esta tarde a Santa Cruz do Bispo para assistir ao jogo entre o Lusitanos e o Aldeia Nova não deu o tempo por mal empregue. O jogo foi emotivo de princípio ao fim, com ambas as equipas a procurarem a vitória.
O Lusitanos, a jogar em casa, começa como lhe competia, ou seja, a ter mais atitude e a crer mandar no jogo. No entanto, é o Aldeia quem tem a primeira boa ocasião de golo, quando aos 10’, Natal, em rápido contra-ataque e descaído pelo lado direito, cruza para a área onde os seus colegas avançados não aparecem para fazer golo. Quatro minutos depois, é vez de Gouveia o imitar, rematando cruzado do lado direito, com a bola a passar a escassos centímetros do poste direito da baliza à guarda de Monteiro. O Lusitanos na resposta, e na sequência de alguma confusão dentro da área do Aldeia, Ricardo Lopes remata forte. Contudo, o remate apanha pela frente um colega seu e depois a defesa do Aldeia Nova desvia a bola pela linha de fundo. Aos 40’, rápido contra-ataque do Aldeia em que Gouveia serve de bandeija Morais que à saída do redes, remata cruzado inaugurando o marcador. Pouco depois chega o intervalo indo o Aldeia Nova para os balneários a ganhar por uma bola a zero.

A segunda parte começa de novo com o Lusitanos a crer mandar no jogo. No entanto, só chega à baliza de Vilaça através de alguns cruzamentos para a área onde este, com maior ou menor dificuldade, ia evitando o empate. Aos 65’, o Aldeia fica reduzido a dez jogadores por expulsão de Ivo, após este ter discutido com o Árbitro assistente. Minuto 68, para muitos o momento do jogo, a substituição de Igor por lesão. Se de facto já estava a ser difícil para o Aldeia Nova jogar com dez, mais difícil se tornou com a saída do seu Central. O Lusitanos a ver estas contrariedades dos visitantes, acentua mais pressão e, aos 90+2’, Santos, na cobrança de livre e ao ver o redes um pouco adiantado, remata colocado, com a bola a passar por cima de Vilaça, ficando este mal na fotografia, fazendo o empate. O jogo chega ao seu final com as equipas empatadas a uma bola.

Fonte: José Cunha. http://www.gdaldeianova.blogspot.com/

À TERCEIRA FOI DE VEZ, INFESTA VENCE!


FC INFESTA VENCE O VILA RELA PELA DIFERENÇA MINIMA

José Manuel Ribeiro partiu para este jogo com três ausências muito importantes no onze inicial. Rui Jorge cumpria o ultimo jogo de castigo, enquanto que Paulinho e Miguel, expulsos no ultimo jogo em Grijó, também cumpriam castigo. Por isso, o treinador do Infesta teve de escalonar um onze diferente para suprir as ausências destes três atletas e deu-se bem, com a inclusão de Victor Pádua, Tiago Dias e Carvalho.

TIAGO DIAS SOUBE APROVEITAR O ERRO DEFENSIVO

O jogo iniciou em ritmo alto e a equipa do Vila Real, foi a mais perigosa nos primeiros 25 minutos da partida. Apesar disso, o primeiro sinal de perigo foi do Infesta. Num lance ganho de Carvalho a Abreu, à entrada da área, a bola sobrou para Pedro Nuno que joga de cabeça e o mesmo Abreu, joga a bola com a mão à entrada da área. No livre, Vitinha I atira contra a barreira, a bola sobra para Pedro Pereira que de primeira, atira ao lado da baliza de Cabreca. A partir dai, o Vila Real criou várias oportunidades de golo. Aos 7 minutos, num livre perigoso à entrada da área, Schuster atira para grande defesa de Victor Pádua. Aos 18', contra-ataque rápido do Vila Real, Schuster joga na esquerda para Bessa, este ganha espaço e atira para outra grande intervenção de Pádua, que esteve muito seguro em todo o encontro. Aos 26 minutos, livre muito perigoso descaído para a direita a favor do Vila Real, mas Peixoto atira contra a barreira. O Infesta só aos 28' é que voltou a criar perigo. Vitinha II em jogada individual, passa por dois adversários e atira em jeito para defesa com os punhos de Cabreca. Dois minutos depois, livre da direita do ataque do Infesta, Pedro Pereira cruza para a área e Jonas, na pequena área atira de cabeça, mas Cabreca faz uma grande intervenção. O Infesta tomou conta do jogo e aos 36 minutos, chegou à vantagem. Canto batido da esquerda por Vitinha I, a bola é aliviada ao primeiro poste, sobra para Schuster que à entrada da área atira contra Vitinha II, este passa para a direita onde aparece Tiago Dias que com todo o tempo do mundo, atira em jeito para a baliza, inaugurando o marcador. O Infesta ainda teve a oportunidade de aumentar o marcador na primeira parte quando aos 43 minutos, Vitinha I de livre, cruza para a área onde Jonas de cabeça atira à barra.

ESTREIA POSITIVA DO GUARDA-REDES VITOR PÁDUA

A segunda metade do encontro foi bastante disputada e com o Vila Real à procura do empate. Aos 61 minutos, Vitinha II em jogada individual pela direita, passa pelo adversário, cruza rasteiro para Pedro Nuno que de primeira, atira rasteiro e colocado ao segundo poste mas Cabreca consegue defender. Vitinha II teve duas oportunidades para marcar. Primeiro atira em jeito ao lado da baliza e pouco depois, tentou fazer o chapéu a Cabreca, mas a bola saiu por cima. Aos 85 minutos, o Vila Real dispôs da melhor oportunidade para empatar quando num cruzamento da direita, Mico de cabeça atira fraco à figura de Pádua. Na jogada seguinte, no contra-ataque do Infesta, Pedro Nuno isola-se e atira rasteiro para o 2º poste, mas Cabreca volta a defender. Já em período de descontos, livre para o Infesta, Vitinha I joga curto para Oliveira, este cruza para a área onde Jonas de cabeça, atira por cima. Nos últimos 10 minutos, o Vila Real teve duas expulsões de dois atletas por acumulação de cartões amarelos, Fred aos 82 e Castanha aos 93 minutos.

O Infesta vence o Vila Real por 1-0 e passa a somar 4 pontos subindo ao 5º lugar da tabela, tendo a companhia de Vila Meã, Lamego e Cesarense. No próximo domingo, o Infesta desloca-se ao Complexo Desportivo de Azevido em Rebordosa, num jogo marcado para as 15h00.

SITE OFICIAL FC Infesta

LEIXÕES VENCE E DIVIDE LIDERANÇA


LIGA ORANGINA
Jogo no Estádio do Mar, em Matosinhos
Árbitro: André Gralha (Santarém)
Marcadores: 1-0, Jumisse, 4 minutos

Leixões: Waldson, Tiago Costa, Nuno Silva, Joel, Florent, Paulo Tavares, Capela, Jumisse (Luís Silva, 52’), Feliciano (Wesllem, 71’), Fausto (Moisés, 82’) e Pedro Santos

Sp. Covilhã: Nuno Santos, Dani Coelho, Gegé, Ricardo Rocha, Joel, Gabi, Idris (Amian, 79’), Milton (Wang Gang, 46’), Zezinho (André Sousa, 69’), Pedro Ribeira e Fofana

Assistência: cerca de 2.000 espectadores.

O Leixões venceu este domingo o Sp. Covilhã, por 1-0, em jogo da quinta jornada da Liga Orangina, e alcançou a liderança, contabilizando os mesmo 10 pontos do Atlético.
A história da partida foi simples, com o Leixões a dominar por completo, falhando apenas na concretização, o que explica o resultado curto para a equipa de Matosinhos.
A turma do entra em jogo de pé no acelerador e antes de Jumisse inaugurar o marcador, com uma emenda oportuna na área, já Fausto tinha acertado no poste da baliza do Covilhã. Os serranos partiram depois em busca de um golo que relançasse o jogo, mas a equipa Leixonense, soube defender com acerto e até podía ter sentenciado o encontro, em jogadas de contra-ataque. Feliciano e Wesllem, falharam oportunidades claras só com o guarda-redes pela frente e permitiram ao adversário continuar a acalentar esperanças de evitar o desaire e ir pregando alguns sustos junto à baliza defendida por Waldson. O triunfo Leixonense, é inteiramente justo e quando o árbitro deu por concluído o encontro, era visível um sorriso de satisfação nas caras das gentes do Mar.

A equipa do Leixões SC, tem na próxima jornada uma difícil e desgastante deslocação ao Algarve, para defrontar o Portimonense. Um jogo importante antes de uma paragem de três semanas da Liga Orangina para dar lugar aos jogos das selecções e à terceira eliminatória da Taça de Portugal.

DECLARAÇÕES

José Nuno Azevedo (treinador -adjunto)
"Esta foi mais uma vitória do querer e da determinação, é esta imagem que queremos continuar a mostrar ao longo do campeonato. Era importante ganhar. É esse o nosso objectivo em casa jogo que participamos. Entrámos bem na partida, embora não tivéssemos tido o desempenho que desejávamos pois o nosso relvado não está em grandes condições e nós queremos jogar bem, jogar bom futebol. Conseguimos concretizar e depois fomos eficazes em termos defensivos. Estamos nos lugares cimeiros mas ainda faltam muitos jogos e este campeonato altera-se todas as semanas. Temos de continuar humildes, crentes e com a atitude que temos incutido na equipa, entrando em qualquer jogo com o objectivo de alcançar os três pontos."

Manuel Tulipa treinador do SP Covilhã
"Precisávamos de ter entrado mais fortes. Nos primeiros quinze minutos tivemos muitas dificuldades. Estou contente pelo desempenho dos meus atletas, mas não posso estar satisfeito com a derrota. Foi imerecida. Apostámos tudo para tentar inverter o resultado."

FOTOS: Carlos Ferreira

PADROENSE PERDE EM CASA


II Divisão Zona Centro
Estádio do Padroense FC- Matosinhos
Árbitro: João Laranjeira (AF Coimbra)
Ao intervalo: 0-2, marcadores, Amílcar, aos 02, Batista aos 27 e Penantes aos 58.

PADROENSE: Marco, Tonel, Armando, Sérgio Carvalho (Carlitos Seidi) e Miguel; Daniel, Mariano, Mário Costa (Penantes); Nuno Paulo (Biscoito), Marcão e Bruninho. Treinador Augusto Mata.

S JOÃO DE VER: Nuno, Márcio, Xavier, Cancela, Bino e Batista; Rúben Gomes (Leonardo), Machadinho, Fredi, Américo (Zé Tó), Amílcar (Rui Silva). Treinador Francisco Batista.

O campeonato parece não estar a correr de feição para os Bravos de Matosinhos, em nove pontos possíveis para conquistar, a equipa de Matosinhos, só conseguiu amealhar dois. Sendo que em três jornadas disputas a equipa do Padrão da légua já realizou dois jogos em casa.

Na primeira parte, assistiu-se a um jogo equilibrado, pautado pela mediocridade exibicional de ambas as equipas. Num jogo nem sempre bem jogado, a equipa forasteira (líder da competição, com pleno de pontos conquistados), aproveitou bem, dois erros defensivos da equipa do Padroense, e com eficácia, em sete minutos, pôs o placard em dois a zero a seu favo. Melhor resultado não podia esperar, a equipa visitante, que foi para as cabines a vencer por 0-2.

Na etapa complementar, já com Penantes no lugar de Mário Costa que ficou nas cabines, a equipa do Padroense, tomou conta do jogo e já se viu alguma da muita qualidade técnica e táctica que este plantel tem. Penantes reduziu para 1-2 iam decorridos 58 minutos de jogo. O Padroense, com algumas alterações feitas no seu xadrez, a medida que o jogo ia avançando, criou muitas oportunidades para chegar à igualdade, mas não foi bafejado pela sorte, que é necessária nos momentos mais precisos e que protegem os campeões. O Resultado até ao fim, não se alterou, levando os três pontos para casa, a equipa de São João de Ver, que líder da competição.

FOTOS: Domingos Lobo.

MERECIA MUITO MAIS A EQUIPA LAVRENSE


I DIVISÃO SERIE 1 AF PORTO
Complexo Desportivo da UD lavrense
Árbitro: José Costa Moreira

UD Lavrense 1 Alfenense 1
Ao intervalo, 1-1, golo do Lavrense, marcado por Heldinho aos 40m

UD LAVRENSE: Miguel Mota, Dani, Cuca, Filipe Sousa e Grilo; Wilson, João Pedro e Freitas; Tiago Pulga, Heldinho e Pedrinho. Treinador, Hugo Reis

A equipa Lavrense que vinha de um empate fora, queria brindar os seus adeptos com vitória no 1º jogo em casa. Cedo se percebeu que a equipa de Lavra, era manifestamente superior ao seu adversário. Jogando permanentemente no meio campo defensivo do Alfenense, a equipa Lavrense criou várias oportunidades para desfeitear a baliza adversária, mas sorte não quis nada com os lavrenses. Aos 15 minutos numa das poucas investidas atacantes, a equipa de Alfena (Ermesinde), chegou ao golo. A equipa Lavrense incrédula com o que se estava a passar, parte em busca do golo, que viria a surgir aos 40 minutos, por Heldinho na sequencia de um pontapé de canto.

A segunda parte, mais do mesmo, só Lavrense procurou a vitória, que diga-se era inteiramente justa, mas contou pela frente um adversário, que usou do anti-jogo sistemático para levar um ponto de Lavra. De referir também que a equipa de arbitragem foi bastante permissiva no desenvolvimento desta “táctica” posta em campo pelo Alfenense, realizando uma péssima prestação na condução do jogo em claro prejuízo Lavrense.

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

D LEÇA DO BALIO

D LEÇA DO BALIO

OS LUSITANOS SCFC

OS LUSITANOS SCFC