RÁDIO CIDADE MATOSINHOS

segunda-feira, 25 de novembro de 2019

LEIXÕES AFASTADO DA TAÇA DE PORTUGAL


Estádio do Mar, Matosinhos.
4ª Eliminatória da Taça de Portugal
Árbitro: Nuno Almeida
Disciplina – cartões amarelos: Thiago Santana, 36’, Luís Silva, 43’, César, 54’, Pedro Pinto, 58’ e 89’, André Claro, 64’, Carlos Júnior, 85’. Vermelhos: Pedro Pinto, 89’.
LEIXÕES SC 1 CD SANTA CALARA 4
Ao intervalo: 0-2 Golos : Zé Manuel, 32’, Zaidu, 44’, Carlos Júnior, 49’ e 80’, Pedro Pinto, 86’.

LEIXÕES: Ivo, Rui Silva, Bura, Pedro Pinto, Vítor Bruno; Amine, João Graça (Poloni, 60’), Luís Silva, Braga (Júnior Sena, 45’); André Claro, Enoh (Harramiz, 45’). Treinador, Carlos Pinto.

SANTA CLARA: André Ferreira; Zaidu, César, João Afonso, Rafael Ramos; Rashid (Bruno Lamas, 64’), Francisco Ramos, Nené; Carlos Júnior, Zé Manuel (Ukra, 53’) Thiago Santana (Schettine, 74’). Treinador, João Henriques.

Num duelo entre treinadores que já estiveram nos bancos opostos, a primeira parte mostrou um Leixões mais aguerrido, mas um Santa Clara letal aproveitamento quando parecia adormecido. Assim surgiu uma vantagem açoriana de dois golos ao intervalo. O terceiro golo, logo no reatamento, seria sapatada cruel nas aspirações do Leixões. Mas isso seria bem depois de um filme que não parecia adivinhar um 0-3 no marcador antes da hora de jogo. Do minuto 50. Tudo porque o Leixões entrou mais ativo, a ocupar mais o meio campo ofensivo. O Santa Clara foi mais expectante, porém perigoso nas aproximações à baliza contrária. Indício disso foi a ocasião de Carlos Júnior ao minuto quatro: um remate mais colocado bateria Ivo, que se opôs em bom plano. O Leixões não sentiu o susto e respondeu ao ataque. Sobressaíram as incursões dos laterais, sobretudo pela direita: Rui Silva dobrou os trabalhos a Zaidu e ao central mais próximo, João Afonso. A povoação à frente valeu quatro cantos nos primeiros 17 minutos. Faltou tirar dividendos. Apesar de várias vezes encostado atrás, o Santa Clara espelhava confiança e tranquilidade. Como quem sabe o momento certo para ferir o adversário. O aviso foi deixado por Thiago Santana ao minuto 25, num remate a rasar o poste. Depois, na sequência do primeiro canto a favor, Zé Manuel apanhou a bola num remate soberbo à meia volta e bateu Ivo. O marcador mexeu pela primeira vez ao minuto 32 e precipitou, em parte, o que aí vinha. Em parte, porque foi na desvantagem que o Leixões acentuou perigo. Para negar o empate surgiu um até então escondido André Ferreira: enorme o guardião do Santa Clara, única novidade em relação ao jogo com o Benfica, a parar o remate de Vítor Bruno e um desvio para golo certo de Luís Silva ao segundo poste. Do primeiro, surgiu o lance mais polémico: Rashid pareceu cortar com o braço um remate de André Claro, mas o árbitro Nuno Almeida mandou seguir. Antes do intervalo, o Santa Clara fez por respirar melhor no descanso: Zaidu arrancou um cruzamento com tudo a que Rashid teve direito para carimbar o segundo golo açoriano.

A verdade é que se a plateia do Mar esperava uma reação ao rombo da primeira parte, o Santa Clara, apoiado por cerca de 20 adeptos nas bancadas, fez questão de tirar chama à expectativa da decisão do apuramento: Carlos Júnior lançou-se pela esquerda do ataque e Ivo foi batido pela terceira vez. Carlos Pinto tinha lançado Júnior Sena e Harramiz para o segundo período e colocou depois Poloni, mas o 0-3 amaciou a estratégia do Leixões, travado, sobretudo, na capacidade de antecipação dos centrais João Afonso e César e também em André Ferreira: antes da hora, voou para impedir André Claro de reduzir. João Henriques geriu o jogo como quis com a vantagem e a nota mais preocupante foi mesmo a saída de Zé Manuel, agarrado à coxa esquerda. A primeira parte corajosa e positiva do Leixões esfumou-se com o tempo e o Santa Clara, com total harmonia entre setores – nota para o entrosamento de Ramos, Rashid e Nené ao meio - ainda teve tempo para o quarto golo e o bis de Carlos Júnior, ao minuto 80. O Leixões ainda reduziu por Pedro Pinto aos 86, mas até o bem veio com mal: o central seria expulso ainda antes do apito final.

Foto DR 


LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

D LEÇA DO BALIO

D LEÇA DO BALIO

OS LUSITANOS SCFC

OS LUSITANOS SCFC