RÁDIO CIDADE MATOSINHOS

domingo, 25 de setembro de 2011

CUSTOIENSES REDUZIDOS A DEZ, CONSENTEM EMPATE JÁ NOS DESCONTOS


DIVISÃO DE HONRA DA AF PORTO
Estádio do Custóias FC
Árbitro: Miguel Machado

Custóias FC 2 FC Pedras Rubras 2

Ao intervalo, 1-1, marcadores, Domingos aos 13m, Eduardo aos 34 e 76, Tó aos 90+1.

CUSTOIAS: Meneses, Pessoa, Noura, Nuno Ribeiro e Adérito; Eduardo, Magalhães e Joel; Nuno Santos (Paulo Lopes), Gandarela (João Dias) e Danny (Mário Rui). Treinador Paulo Silva

PEDRAS RUBRAS: Humberto, Márito (Santa Cruz), André, Alex, Oliveira, Carlitos II, Ricardinho (Carlitos I)Tó, Abilio, Fernando e Domingos (Diogo). Treinador Mozer.

GRANDE JOGO PROTAGONIZADO POR AMBAS AS EQUIPAS

Quem se deslocou ao Estádio do Custóias, para assistir a esta partida, não deu como perdido o seu tempo, pois assistiu a um excelente jogo, coroado com quatro golos, dois para cada lado.
Inicio bastante prometedor por ambas as equipas, o que viria a confirmar-se durante o desenrolar do jogo. Futebol jogado com muita intensidade, com jogadas de perigo nas duas áreas, seria o FC Pedras Rubras a abrir o marcador, quando numa jogada de insistência, a bola sobra para Domingos, que de trivela de fora da área, bate Meneses que nada podia fazer, a bola descreveu um arco e foi anichar-se junto aos poste direito do guarda-redes da casa. O jogo baixa de intensidade, com o equilibriu a ser a nota dominante, até que aos 28 minutos, Alex, não contando com tamanha oferta da defensiva custóiense, desperdiça excelente oportunidade de ampliar a vantagem. O canto do cisne para o Pedras Rubras, pois a partir deste momento, só deu Custóias. Danny aos 30 minutos chega atrasado e permite a defesa de Humberto que saiu muito bem a pontapé. Aos 34 minutos, livre descaído pelo lado esquerdo, à entrada da área, Eduardo chamado a converter, atira forte e colocado, batendo Humberto que nada podia fazer, restabelecendo a igualdade. Aos 40 minutos, Gandarela remata forte e em volei, a bola passa rente a trave da baliza forasteira, cinco minutos volvidos, Nuno Santos, de cabeça, quase marca, encontrando um defensor pela frente, já com o guarda-redes batido. Ao intervalo o 1-1 era o resultado justo.

INFERIORIDADE NUMÉRICA NÃO SE FEZ NOTAR.

A etapa complementar, tem inicio com uma contrariedade para a equipa do Custóias, Magalhães, tem uma entrada mais ríspida, sem com tudo tocar no adversário, o árbitro assim não entendeu e admoesta com o segundo cartão amarelo e consequente expulsão. A Jogar com dez elementos desde o minuto 49, a equipa custóiense não se fez rogada e com os ajustes realizados, equilibrou a contenda, sendo mesmo superior em períodos do encontro. Aos 53 minutos, Mário Rui, recentemente entrado na partida, dispara de fora da área, proporcionando a defesa da tarde a Humberto. Praticamente na resposta, Meneses nega o golo à equipa do Pedras Rubras. Minuto 59, Alex cabeceia em boa posição, mas a bola passa ligeiramente ao lado da baliza de Meneses. Numa toada de parada e resposta, Eduardo tira as medidas à baliza de Humberto, com um excelente remate. Em inferioridade numérica a equipa do Custóias acreditou sempre que era possível adiantar-se no marcador e aos 76 minutos, num livre bem de fora da área (a cerca de 30 mts)na zona frontal, Eduardo, que é muito forte na meia distancia, dispara forte e põe a sua equipa em vantagem no marcador (Humberto, não fez tudo para evitar o golo). A equipa do Custóias, junta as linhas para trancar as investidas da equipa do Pedras Rubras, Meneses evita nova igualdade aos 84 minutos. Até que já quando nada fazia prever a equipa forasteira chega ao empate a dois, minuto 90+1. Tempo ainda para Paulo Lopes repor a vantagem para a equipa do Custóias, mas o avançado custóiense permite a antecipação de um defensor, quando tinha tudo para marcar, aquele que seria o golo da vitória para a sua equipa.

A FIGURA: Eduardo, médio defensivo, 33 anos, é com o Vinho do Porto…!
Sempre bem posicionado, defende com poucos e é detentor de uma magnifica meia distancia, foi dele os dois golos custóienses.

LEÇA VENCE FOLGADAMENTE E ESTA NA LIDERANÇA


III DIVISÃO SERIE B
Estádio do Leça Futebol Clube
Árbitro: Hélder Ferreira (AF AVEIRO)

Leça 3 Alpendorada 0

LEÇA FC: Cláudio, Zé Angola, Tiago Madalena, Zé soares e Ernesto; Rui Ramos (Tiago Neto) Ricardinho, Tiago André (Paiva); Moura, Vitor Hugo (Sérgio Vasconcelos)e Nogueira. Treinador Armindo Machado

ALPENDORADA: Muller, João Luis, Ruben, Marco Alves, André; Artur, Tiago (Rafael), Flávio; Rochinha, Ricardo e Moura. Treinador Moura da Costa.

Ao intervalo, 1-0, marcadores, Vítor Hugo aos 20m, Nogueira aos 83m e Sérgio Vasconcelos aos 86m.

Inicio bastante prometedor da equipa do Alpendorada, que teve um período de 15m com bastante acutilância ofensiva, chegou mesmo a ameaçar a baliza de Cláudio, por duas ou três vezes. Ao melhor período dos forasteiros, responde os leceiros com o golo inaugural, iam decorridos 20m, livre descaído do lado direito, apontado por Moura ao segundo poste, que encontra Vitor Hugo, sem marcação a cabecear a contar. Até ao final da primeira parte, a equipa do Leça, soube controlar o jogo, não permitindo que o adversário cria-se novamente perigo, ao intervalo 1-0, para os da casa.

A segunda parte foi de cariz diferente, avisado desde o inicio da reacção da equipa visitante, a equipa do Leça, não vacilou e foi à procura de dilatar a vantagem, que podia muito bem ter acontecido quando nogueira cabeceia à trave, logo no inicio desta segunda parte. Aos 55 minutos o Alpendorada fica reduzido a dez elementos por expulsão do lateral direto João Luís. O mesmo Nogueira, isolado na cara do guarda-redes desperdiça, minutos depois é a vez de Paiva a imitar o companheiro, desperdiçando também. Até que, depois de tantas oportunidades desperdiçadas a equipa do Leça chega ao golo da tranquilidade por Nogueira aos 83 minutos, canto marcado por Moura, Muller a falhar a intercessão, a bola a sobrar para Paiva, que cruza novamente e Nogueira a encostar. Foi já com Sérgio Vasconcelos em campo que o Leça viria a confirmar a Vitória, canto outra vez marcado por Moura e o mesmo Sérgio Vasconcelos a cabecear para o golo, sem marcação. Resultado final, 3-0. Com este resultado a equipa do Leça, fica a dividir o comando com a equipa do Sousense, com 7 pontos.

RESULTADOS DESPORTIVOS DAS EQUIPAS DE MATOSINHOS

Resultados desportivos das equipas de Matosinhos

LEIXÕES 1 COVILHÃ 0
PADROENSE 1 SÃO JOÃO DE VER 2
FC INFESTA 1 VILA REAL 0
LEÇA 3 ALPENDORADA 0
CUSTÓIAS 2 PEDRAS RUBRAS 2
VILA CAIS 1 PERAFITA 2
LAVRENSE 1 ALFENENSE 1
SOBRADO 1 LEÇA DO BALIO 3
FC FOZ 1 SCS HORA 1
LUISTANOS 1 ALDEIA NOVA 1

DIFICIL, SUADA MAS MUITO JUSTA A VITÓRIA PERAFITENSE


AF Porto 1ª Divisão Série 1 2011/12 Jornada 2
Vila Caiz 1-2 Perafita
Campo D. Amália Mota, Salvador do Monte – Amarante
Árbitro: João Guimarães

Numa tarde com sol encoberto, num pelado de boas dimensões, mas a precisar de alguma manutenção ao nível do terreno de jogo, muita pedra e algumas ervas, que viriam a dificultar o desenrolar da partida. Os predicados para esta segunda jornada estavam lançados, juntamente com o factor do primeiro jogo fora do FC Perafita, adivinhava-se um jogo de muita luta e muito empenho, como se costuma dizer “um jogo de fato-macaco”, e assim foi. No entanto verificaram-se alguma intervenções, da equipa de arbitragem, que somente podem ser explicadas pela muita poeira que sempre acompanhou todo o encontro, no entanto a dualidade de critérios foi sempre prejudicial ao FC Perafita .

O jogo iniciou-se com o Vila Caiz, embora a jogar em casa emprestada, mais habituado ao pelado, a tentar pressionar o último reduto do FCPerafita. O FCPerafita, iniciou o encontro com a sua imagem de marca, muita posse de bola, mas logo corrigiu para um nível mais físico, tendo em vista o adversário e o próprio terreno de jogo, equilibrando assim a contenda e até começando a superiorizar-se ao seu adversário. Logo aos 10’m, Carinhas, numa jogada característica deste “pequeno grande jogador”, sofre uma lesão que o impossibilitou de continuar a dar o seu contributo à equipa sendo substituído por Gualter. O encontro decorria em toada morna, sempre com um maior empenho por parte do FCPerafita, até que, ao 35’m, numa jogada sem perigo eminente decorrida pelo flanco esquerdo dos visitados, a bola chega ao estremo que encostado ao defesa do FCPerafita, agarrando este, consegue entra na grande área, controlando a bola na direcção da bandeirola de canto tropeça em si próprio e cai estatelado na área, sem qualquer duvida o juiz da partida assinala grande penalidade, facto que gerou total estupefacção de todo o público que presenciava o encontro. Este lance assume uma importância vital, pois Marco P. foi admoestado com o cartão amarelo, que viria a ser preponderante para o desenrolar da partida. Penalti marcado, inaugurando o marcador, primeiro golo sofrido pelo FCPerafita. Diga-se, o Vila Caiz, até ao momento não tinha criado nenhuma situação, sequer, de pretenso perigo nas imediações da área. No seguimento deste episodio, aos 41’m, marco P., vê o segundo cartão amarelo e consequente vermelho por uma falta supostamente cometida sobre um atacante dos visitados, quando o que realmente se verificou, foi que o avançado agarrou, prendeu o defesa do Perafita e rodou deixando-se depois cair iludindo o juiz da partida, mas mais uma vez, o juiz sem qualquer duvida expulsou o defesa do Perafita.

No inicio da segunda parte, o Perafita surgiu com uma alteração, entrando Cheta para a linha avançada, que viria a ter importância determinante no desfecho da partida. Verificou-se logo para que vinha, nesta segunda parte a equipa do Perafita, muito mais afoita, com as linhas muito mais juntas, mesmo com menos um elemento em campo nada o fazia transparecer, assim, ao 46’m, num cruzamento muito bem delineado por Gualter, encontrou Cheta a desviar o esférico para o segundo poste, onde surge Nandinho a desferir o remate indefensável, fazendo assim o empate e conferindo, na altura, alguma justiça ao marcador. Logo após o reatar da partida, numa jogada viril, mas longe de ser agressiva para com o adversário, Gualter vê u cartão Vermelho directo, mais uma vez o juiz da partida não teve dúvidas no seu acto deixando assim o Perafita com 9 elementos em campo. Sem poder respirar e até festejar o golo do empate o Perafita vê-se uma vez mais ainda em mais dificuldades, mas são nestes jogos que as verdadeiras equipas se constroem e se evidenciam, e neste sentido, todos os nove elementos do Perafita tornaram-se em verdadeiros heróis, pois não é fácil jogar futebol nestas circunstâncias, muito mais fazer o que viriam a fazer. Dando a posse de bola aos visitantes, mas nunca deixando de atacar e contra atacar a baliza dos visitados, por sua vez os visitados, nunca conseguiram perceber como ultrapassar todo o empenho das linhas do Perafita, nunca conseguiram criar uma situação que fosse de perigo para as redes de Mata, por sua vez, quer Nandinho, quer Cheta, quer Paulinho, quando podiam iam incomodando os defesas dos visitados, deixando-os sempre de sobre aviso, nunca deixando que estes se adiantassem em demasia, podendo fazer o desequilíbrio para a sua defensiva. Foram ganhas muitas faltas pelos dianteiros do Perafita anteriormente mencionados, decorria o 80’m, quando mais uma falta foi cometida sobre Cheta, Paulinho pegou no esférico e colocou-o na marca assinalada pelo juiz da partida, a mais ou menos 25Mts da baliza dos visitados, tomou balanço, partiu para a bola e rematou com força, a bola no seu percurso sofreu um desvio que a levou a entrar no ângulo superior esquerdo da baliza dos visitados, fazendo assim um golo de alguma sorte, mas que nesta altura era já justificável pela equipa de 9 elemento do Perafita. O Perafita conseguia um feito heróico, não por se encontrar em vantagem, mas sim pela forma como foi conseguida, com muito empenho e muito querer. Faltavam agora dez minutos para o final do encontro, fruto da sua maior experiência, o Perafita conseguiu, fazer baixar o ritmo de jogo, transportando-o sempre para longe da sua área, para assim não vir a ser surpreendido depois deste esforço valoroso. Neste período que se viria a alongar por mais 6’m dados pela equipa de arbitragem, presenciou-se a vários lances que merecem evidência, numa jogada de posse de bola do Perafita, Cheta e barbaramente agredido por um adversário, que somente viu o cartão amarelo, Raimundo depois de conseguir desfeitear um adversário é agredido com uma pisadela na coxa, nos olhos de um dos juízes de linha, nem cartão viu o adversário. A partida terminou aos 96’m coma as hostes do Perafita a exultarem a união da equipa e o esforço dos elementos que conseguiram ficar em campo.
Fica para a história a vitória do Perafita, num terreno muito difícil, por todos os aspectos, a equipa do Vila Caiz, denotam alguma qualidade, mas também alguma inexperiência
Uma palavra para a equipa da arbitragem, que já fez melhores actuações, esperando-se que isso volte a acontecer.

Perafita alinhou: MATA; MARCO P.; TRAJANO; HELDER MAIA; RAIMUNDO; MARCO MOREIRA; CARINHAS (GUALTER); TINAIA (IVO); NANDINHO; PAULINHO; LUTCHINDO (CHETA)
Golos : PAULINHO E NANDINHO

Fotos Feliciano de Lima

VITÓRIA NO MAR PARA OFERECER A FELICIANO

O médio-ala Feliciano completou ontem 30 anos e hoje quer repetir a façanha do último jogo: marcar e vencer a partida. O Leixões espera festejar a vitória e se for com um golo do aniversariante juntam o útil ao agradável.

Em notória subida de rendimento, os leixonenses começam a olhar para o topo da classificação, objectivo estabelecido no arranque da temporada. Hernâni, Fangueiro e Tiago Cintra, a contas com lesões, não entram nas contas de Litos para a recepção a um Covilhã que, com a vitória alcançada sobre o Arouca na última jornada, poderá ter ganho um novo alento para o encontro no Estádio do Mar. Com a moral em alta e um contra-ataque venenoso, os serranos vão obrigar o Leixões a uma maior preocupação defensiva. Afinal, o primeiro lugar começa a avistar-se.

Equipas prováveis

Estádio do Mar

Árbitro André Gralha (AF Santarém)

Leixões Fonseca; Paulinho, Nuno Silva, Joel e Florent; Paulo Tavares, Luís Silva e Jumisse; Feliciano, Pedro Santos e Fausto

Outros convocados: Waldson, Zé Pedro, Wesllem, Moisés, Tiago Costa, Diego Mourão e Capela

Treinador Litos

covilhã Nuno Santos; Zezinho, Gegé, Ricardo Rocha e Joel; Idris, Milton e Gabi; Wang Gang, Pedro Ribeiro e Fofana

Outros convocados: Igor Araújo, Dani Coelho, Aníbal Capela, Dani Matos, André Sousa, Gui e Amian

Treinador Tulipa

O JOGO

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

D LEÇA DO BALIO

D LEÇA DO BALIO

OS LUSITANOS SCFC

OS LUSITANOS SCFC