RÁDIO CIDADE MATOSINHOS

sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

CONFRONTOS HISTÓRICOS QUE TIVERAM INÍCIO EM 1940 ( 79 ANOS)


LEIXÕES E FC PORTO
Vão medir forças para a taça de Portugal a 15, 16 ou 17 de Janeiro 2019 para os 14 final no Estádio do Mar em Matosinhos

Histórico de confrontos entre os dois clubes que fundaram a AF Porto

Leixões e FC do Porto já se defrontaram por 8 vezes para a Taça de Portugal

2 vitórias para o emblema Matosinhense e 6 vitorias para os Portistas

3-2  que não valeu seguir em frente pois no jogo da 2ª Mão foi goleado por 4-0 nos 1/16 de final em outubro de 1963

Vitória por 0-2 na final da Taça de Portugal realizada em casa do FC Porto (Estádio das Antas) em Julho de 1961  

Ainda em 1963 (Maio) nos 1/8 final duas vitórias portistas por 0-2 no campo de Santana e 1-0 no Estádio das Antas

Em Maio de 1940 mais 2 vitórias portistas 10-3 no Porto e 1-12 em Matosinhos 

Mais recente Em Maio de 1992 no estádio do Mar e para as meias finas os portistas levaram a melhor por 0-2

27 anos depois o Leixões volta a receber o FC porto para a Taça de Portugal

Sorteio das 6.ª e 7.ª eliminatórias (quartos de final e meia final) da Taça de Portugal
Leixões-FC Porto, 15, 16 ou 17 de janeiro de 2019 (datas previstas em calendário para os quartos de final)
Se o Leixões passar às meias-finais, joga em Matosinhos com o vencedor do Aves-Braga a 5, 6 ou 7 fevereiro (datas previstas em calendário para a 1.ª mão dos meias finais) e fora a 2, 3 ou 4 de abril (datas previstas em calendário para a 2.ª mão das meias finais)

quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

PEDRO HENRIQUE REVOLUCIONOU E RONIEL CARIMBOU O PASSAPORTE


OITAVOS FINAL DA TAÇA DE PORTUGAL
Estádio do Mar
Árbitro: António Nobre (AF Leiria).
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Delgado (45), Bruno Monteiro (83), Roniel (85) e Luís Silva (90).
LEIXÕES 2 TONDELA 2 (4-2 GP)
Ao intervalo, 1-2 golos Roniel (1) Delgado (20) Tomané (25) Pedro Henrique (78)

Leixões: Luís Ribeiro, Jorge Silva, Pedro Monteiro, Bura, Stéphane (Evandro Brandão, 74), Amine (Ceitil, 91), Luís Silva, Bernardo, Erivaldo (Lawrence, 74), Roniel e Kukula (Pedro Henrique, 62). Treinador Filipe Gouveia

Tondela: Cláudio Ramos, David Bruno, Ricardo Alves, Jorge Fernandes, João Reis, Bruno Monteiro, João Jaquité, Sérgio Peña (João Mendes, 67), Delgado (Xavier, 59), Murilo (Arango, 83) e Tomané (Patrick, 115). Treinador Pepa

A corrente começou e acabou por embalar o Leixões, com Roniel como ponto de partida e chegada. O autor do penálti que cedo deu vantagem aos homens do Mar bateu o decisivo no desempate para recolocar a equipa de Matosinhos nos quartos de final da Taça de Portugal, dois anos depois. Os ventos do apuramento ainda viraram para Tondela com reviravolta, mas havia bilhete de volta a casa e tradição acentuada após os duelos das últimas duas épocas.
Impor-se-ia um «não há duas sem três» para um Leixões que afastou a equipa de Pepa em 2016 e 2017. Ou seria à terceira que os beirões sairiam do Mar com o alimento necessário para sustentar a caminhada até ao ambicionado Jamor. Imperou a primeira.
Começou por ser bonança para os de Filipe Gouveia. Ainda não estavam decorridos 20 segundos, quando João Reis derrubou Erivaldo para um penálti que Roniel não desperdiçou, apesar de Cláudio Ramos quase ter defendido.
Dois minutos, um golo e emoção a explodir de vermelho e branco na bancada. A equipa local entrou bem, confiante e ao ataque. O Tondela, meio perdido, só encontrou orientação à base da paciência e do tempo. Assim instalou-se aos poucos no Mar. E criou ali tempestade ao anfitrião.
O mapa do golo era pela direita e com ar sul-americano. Foi por aí que as investidas de Murillo deram os primeiros avisos, até ao empate. Numa bola longa pelo ar na diagonal, Peña encontrou o domínio e o remate certeiro de Delgado para o 1-1: toque latino, do Peru ao Chile (20m).
Golo era sinónimo de confiança e foi mais aproveitado pelo Tondela, na sequência de um livre colocado na área ao qual Delgado, após defesa de Luís Ribeiro, teve olho para a bicicleta espetacular de Tomané na pequena área a dar a volta ao marcador (25m).
O Leixões entrou em maré de desconforto e só reagiu perto do intervalo, num lance em que Cláudio Ramos tapou o ângulo de passe a Bernardo, após investidas de Jorge Silva e Kukula. Tempo ainda para Erivaldo acertar no poste, mas em fora de jogo.
A segunda parte perdeu riqueza no futebol, mas ganhou expectativa com o tempo. E foi o Leixões a investir mais face à desvantagem, sobretudo em livres e cantos. De bola corrida, só Bernardo avisou num remate seco.
Mas não era em campo que estavam as soluções. O banco trá-las-ia.
Só quando Filipe Gouveia reforçou a embarcação com Ofori e Evandro Brandão – já após já ter lançado Pedro Henrique – é que o Leixões se acercou mais do ataque. Receita do empate vinda do banco, num cruzamento de Ofori para a cabeçada de Pedro Henrique. O Tondela ainda cheirou o golo na compensação, mas nada evitou o prolongamento.
Aí, houve vontade, algum engenho. Mas golos, nem vê-los. Jorge Fernandes e Arango de um lado, Roniel do outro. Ninguém deu com a baliza. Houve ainda Tomané, para uma grande defesa de Luís Ribeiro.
A decisão desta viagem estava mesmo nos penáltis. Cada guarda-redes defendeu um, mas o falhado por Xavier cedo fez pender a balança para o Leixões, que marcou por Bura, Evandro Brandão, Pedro Henrique e Roniel. Ricardo Alves e David Bruno fizeram os dos beirões, que não é desta que chegam a uns inéditos «quartos».

Declarações:
Filipe Gouveia (treinador do Leixões): "Quero dedicar esta vitória ao senhor Esteves [antiga glória do Leixões], que faleceu ontem [segunda-feira] e à massa associativa, que nos apoiou de principio ao fim.
O segredo está no grande grupo de trabalho que tenho, que trabalha de forma intensa e que hoje demonstrou aqui um grande jogo num relvado difícil e pesado.
Uma palavra para o Pedro [Henrique], que teve uma paragem muito grande e sei que não é fácil voltar, ainda por cima num jogo destes.
Fomos felizes nos penáltis, mas o grupo merece, pelo que trabalha. Nos quartos de final, gostava de jogar em casa, seria mais um prémio para a nossa massa associativa. O nosso desejo é ir ao Jamor."

Pepa (treinador do Tondela): "Parabéns ao Leixões por passar aos quartos de final. Na segunda parte, o Tondela não desapareceu do jogo, ambas as equipas tentaram ganhar.
O Leixões começou o jogo a ganhar, tivemos uma reação forte e podíamos até ter feito o 3-1, mas, ao não o conseguir, o Leixões fez o 2-2 e, com as duas equipas a bater-se com tudo, caiu para o Leixões.
Tínhamos a possibilidade de fazer história, mas não aconteceu. Só há uma coisa a fazer: reagir.
Acredito sempre no trabalho e na resiliência. Ninguém aqui se pode esconder, temos de encarar as coisas de frente."

segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

LEÇA EMPATA EM CINFÃES


Estádio Prof. Cerveira Pinto em Cinfães.
Jornada 14 do Campeonato de Portugal Serie B
Arbitro: Carlos Pizarro (Braga)
CINFÃES 0 LEÇA FC 0

CINFÃES: Andrey, Baldaia, Laércio, Sampaio, moreira, Rui Cardoso, Fred, Jumisse (Everton 51), Miguel, Jonathan  (Peterson 65), Bruno Costa, (Érick 53). Treinador Manuel Matias

LEÇA FC: Cristiano, João Pedro, Jair, Pedro Prazeres, (Medeiros 68), Joel, Max, Simões (Timur 77), Teles, Miguel Ângelo (Areias 83), Materazzi e Zé Carlos. Treinador Domingos Barros.

Zero zero foi o resultado final. Da deslocação a Cinfães, o Leça trouxe um empate com a naturalidade de um jogo equilibrado e com oportunidades repartidas em que o partícula destaque vai para o guardião leceiro que segurou o nulo ao defender uma grande penalidade
A equipa de Domingos Barros esteve segura em termos defensivos mas faltou-lhe um pouco mais de acutilância no ataque, denotando alguma falta de soluções atacantes.
Nota para a quase centena de adeptos que se deslocaram de Leça da Palmeira para apoiar os verde e brancos

foto Leça FC 
Mitchfoot

PADROENSE COM 10 TRAVA LÍDER CANELAS

DIVISÃO D´ELITE Série 1 16ª jornada 
Estádio de Canelas – Gaia 
Árbitro: António Alves
Cartão Vermelho a Lutchindo (48) 
CANELAS GAIA 2 PADROENSE FC 2 
Ao intervalo, 1-0 golos Miguel (6), Ricardo (59) Macaco (82) e Renato (90+3) 

CANELAS: João Matos, David, Nando, Moreira (Rafa 65), Miguel, Vitor Fonseca, Samu, Pedrinho (Macaco 80), Fábo Rola, Penantes e Vitor Borges. Treinador Milton Ribeiro 

PADROENSE: Moreira, Renato, Pereira, Crneiro, Ricardo, Mesquita (Lutchindo 46), Leitão, Jardel (Pedro Oliveira 46) Barny, Ivan e Taipa. Treinador João Costa

Frente a frente 1º e 2º da tabela classificativa

E quando se pensava que o Padroense claudica frente ao mais sério candidato à subida, eis que os Bravos de Matosinhos, puxaram dos galões e travaram o líder da competição na sua própria casa. 

Canelas e Padroense fizeram jus à condição de líderes da prova e protagonizaram um excelente jogo de futebol A formação comandada por Milton ribeiro entrou melhor na partida e logo aos 6 minutos abriu o marcador com um golo de Miguel. Logo de seguida os Bravos de Matosinhos quase chegaram à igualdade, não fosse a defesa da tarde do guarda redes João Matos (ele que jogava no Padroense a época passada)

 No segundo tempo a balança desequilibrou…rapidamente a equipa do Padroense ficou reduzida a 10 elementos por expulsão de Lutchindo logo no reatamento, mas surpreendentemente os matosinhenses chegam à igualdade com um golaço de Ricardo . O Canelas já com Macaco (Fernando Madureira) em campo coloca-se de novo na frente do marcador com o golo a ser apontado dois minutos depois de ter entrado no relvado. Já em período de compensação Renato fez justiça no marcador ao apontar o golo da igualdade com que se atingiu o final da partida

FALECEU ESTEVES (BEBÉ) UMA DAS PRINCIPAIS FIGURAS DO LEIXÕES


O futebol de Matosinhos está de luto.
Faleceu hoje o Sr. João Maria Esteves Galego, um dos bebés do mar, com um grande percurso na equipa do Leixões. Foi também treinador adjunto da equipa senior, para além de ter exercido várias funções ao longo da sua vida no clube de Matosinhos.

O corpo encontra-se a partir desta tarde no tanatório de Matosinhos, sendo o funeral realizado amanhã, terça-feira, pelas 11 horas.

Neste momento doloroso, o Mitchfoot apresenta as mais sinceras e sentidas condolências à família.

ZÉ PAULO EX ACADÉMICA É REFORÇO PARA O MEIO CAMPO LEIXONENSE


Zé Paulo chega para o meio-campo do Leixões
A Leixões SAD assegurou a contratação do médio brasileiro Zé Paulo (ex-Académica)
José Paulo de Oliveira Pinto, 24 anos, é um médio que conhece bem o futebol português, pois já está a jogar no nosso país há três temporadas.
Antes de jogar em Coimbra, Zé Paulo representou o Académico de Viseu em duas épocas: 36 jogos e 9 golos e 2016/17 e 34 jogos e 4 golos na época passada
Zé Paulo vem em definitivo para o Leixões, tendo assinado um vínculo por uma temporada e meia (até junho de 2020).

PROBLEMAS GÁSTRICOS CONDICIONAM EQUIPA DE MATOSINHOS


Estádio Municipal de Mafra, em Mafra.
2.ª jornada da 2.ª Liga
Árbitro: Hugo Miguel (AF Lisboa).
Mafra - Leixões, 1-0.
Ao intervalo: 0-0.Marcadores: Ruca, 90 minutos.

Mafra: Godinho, Ventosa (Rúben Fritas, 82), Gui, Juary, Gui Ferreira, Pedro Ferreira, Cuca, Zé Tiago (Mauro Antunes, 88), Bruno (Flávio, 77), Harramiz e Ruca. Treinador: Filipe Martins.

Leixões: Luís Ribeiro, Jorge Silva, Matheus Costa, Pedro Monteiro (Bura, 46), Stéphane (Poloni, 46), Ofori, Ceitil, Luís Silva, Bernardo, Kukula e Roniel (Erivaldo, 73).  Treinador: Filipe Gouveia.

A primeira parte foi marcada pelo equilíbrio entre os dois emblemas, que dividiram a posse de bola e criaram uma ocasião de golo cada logo nos primeiros minutos.
Aos nove minutos, o Mafra esteve perto de inaugurar o marcador por Bruno. Um ressalto na marcação de um canto pôs a bola nos pés do avançado, mas o remate encontrou a 'mancha' de Luís Ribeiro, que manteve o resultado a zeros.
O Leixões não demorou a responder, poucos minutos depois, numa jogada de combinação pelo flanco direito, em que criou espaço para o remate do capitão Luís Silva, já dentro da área mafrense, com a bola a sair bem colocada, mas o guarda-redes Godinho, atento, segurou o empate.
No recomeço do encontro, Godinho manteve o registo imaculado e, logo aos 47 minutos, voltou a evitar o primeiro golo do Leixões, defendendo com uma palmada o remate de Kukula.
Foi o último sinal de perigo da equipa de Matosinhos, pois a partir daí foi o Mafra a tomar conta do jogo. Com mais posse de bola e quase sempre a jogar no meio campo do Leixões, a equipa da casa foi crescendo no jogo e criou os melhores lances de golo já perto do final.
Aos 88 minutos, Flávio, que tinha entrado para reforçar o ataque na reta final do encontro, efetuou um remate colocado de fora da área para oferecer a defesa da tarde a Luís Ribeiro, que, com um voo espetacular, evitou o 1-0.
Contudo, a vitória do Mafra acabaria mesmo por surgir, já dentro do minuto 90, com Ruca a aparecer de forma oportuna ao segundo poste, após cruzamento da esquerda, e a desfeitear o desamparado Luís Ribeiro.

Nota para o facto de vários jogadores do Leixões terem tido problemas gástricos durante o dia de hoje, o que fez com que dois deles tivessem que ser substituídos ao intervalo e que outros tivessem passado mal, de tal forma que alguns vomitaram antes, durante e após o jogo

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

RESULTADOS


FUTEBOL SÉNIOR DE MATOSINHOS
   
II Liga Jornada 11
FAMALICÃO 1 LEIXÕES 0
   
Campeonato de Portugal Série B jornada 14
LEÇA 0 ESPINHO 1
   
Divisão d´elite 15ª JORNADA série 1
PADROENSE 4 SC RIO TINTO 0
BOAVISTA B 3 LAVRENSE 1
VARZIM B 2 INFESTA 0
   
DIVISÃO DE HONRA 12ª J -SÉRIE 1 AF Porto
NOGUEIRENSE 4 LEÇA DO BALIO 1
GULPILHARES 1 PERAFITA 0
CUSTÓIAS 0 MILHEIRÓS 0
   
1ª DIVISÃO SÉRIE 1 A F PORTO Jª 11
CRESTUMA 2 LUSITANOS 2
SENHORA DA HORA 0 RAMALDENSE 1
PASTELEIRA 0 ALDEIA NOVA 1
   
2ª DIVISÃO SÉRIE 1 A F PORTO Jª 12
MARCHAL G COSTA 3 PERAFITA 1

PADROENSE DESPACHA SC RIO TINTO COM GOLEADA

Estádio do Padroense FC – Senhora da Hora- Matosinhos 
 Divisão d´elite 15ª JORNADA série 1 
 Árbitro: João Carvalho (Porto) 
 PADROENSE 4 SC RIO TINTO 0 
 Ao intervalo, 2-0 Golos Jardel (34) Mesquita (46 gp) Ricardo (47) Gorito (88) 

PADROENSE FC: Moreira, Lico, Fábio, Lindolfo, Balito, Ivan, Guilherme (Carneiro 76), Leitão (Pedro Oliveira 69), Ricardo (Renato 76), Mesquita (Lutchindo 69)e Jardel (Gorito 69). Treinador João Costa 

 SC RIO TINTO:Matos, Hugo, Ivo, Jorge e Ruben, André, Tinaia (Keller 69), Fábio (Carlos 11) Ricardinho (Macieira 80), Bruno Teixeira (Sousa 80), Ismael. Treinador Vasco Oliveira 

 Jogo em que teve um vencedor justo e por números a condizer. Curiosamente foi o Rio Tinto a dispor da primeira oportunidade quando Bruno Teixeira de cabeça não atingi o alvo. Depois o Padroense assumiu o controlo do jogo e chega à vantagem ao minuto 34 com um remate cruzado de Jardel em cima do minuto 45, o árbitro apita para grande penalidade favorável ao Padroense (Ismael agarra por trás Ricardo e vê o cartão amarelo) Mesquita não enjeitou a possibilidade aumenta a vantagem. 

 O segundo tempo abre com o terceiro golo do encontro, Ricardo de cabeça poe cobro a qualquer veleidade do adversário. Golo que atira por terra a equipa do SC Rio Tinto, que mesmo com as alterações produzidas por Vasco Oliveira não conseguiram responder como desejariam excepto na parte final, quando de livre direto Macieira remata à barra da baliza à guarda de Moreira. Aos 88 minutos Gorito faz o quarto golo para logo a seguir Pedro Oliveira desperdiçar na cara de Matos mais um golo para a sua equipa Vitória justa dos Bravos de Matosinhos pois controlaram e bem os momentos do jogo. 

 Fotos Jorge Peixoto

REEDITADO DUELO ANTIGO COM VITÓRIA FORASTEIRA


Campeonato de Portugal Série B jornada 14
Estádio do Leça FC em Leça da Palmeira
Árbitro António Moreira (Vila Real)
LEÇA 0 ESPINHO 1
Ao intervalo, 0-0 golo Paulinho aos 57 minutos

LEÇA: Cristiano, Joel, Max, Materazzi, João Pedro, André Sousa (Tales 66) Jair, Bruno Simões (Pedro Prazeres 76) Miguel Ângelo, Zé Carlos e Areias (Timur 63) Treinador Domingos Barros

ESPINHO: Vítor Braga, João Ricardo, Zé Santos, Gil Dias, Gonçalo, Edgar Abreu, Luka ( Vitinha 88), André Lima, Paulinho, Jaime Poulson (Carlitos 71) Wilson (Gustavo 58). Treinador Rui Quinta

Leça e Espinho mediram forças pela 41ª Vez
Jogo em que os Tigres foram manifestamente superiores alcançando a 23 ª vitória nos duelos piscatórios
Jogo bem disputado em que os visitantes demonstraram estar uns furos à frente do Leça, que respondia como podia quase sempre em contra ataque mas sem resultados práticos. O Espinho fruto da sua mais valia, chegou ao golo por intermédio de Paulinho aos 57 minutos. O Leça que nunca virou a cara à luta , dispôs também de uma excelente oportunidade para empatar o jogo já perto do fim por Materazzi (2º jogo pelos leceiros)mas o Espinho também dispôs de oportunidade de aumentar a vantagem  


Foto Leça FC
Mitchfoot

JOGO EM FAMALICÃO FICA MARCADO POR CENAS DE VIOLÊNCIA


Estádio Municipal de Famalicão.
2.ª Liga, 11.ª jornada
Árbitro: Artur Soares Dias (Porto).
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Bernardo (43), David Luís (43), Koffi (67), Feliz (75), Filipe Oliveira (77), Roniel (79), Breitner (87) e Pedro Monteiro (89). Cartão vermelho direto para Tony (90+1).
Famalicão 1 Leixões 0
Ao intervalo: 1-0. Marcador:1-0, Fabrício, 12 minutos.

Famalicão: Defendi, Koffi, Hugo Gomes, Ângelo, David Luís, Phaté Ciss, Hocko, Fabinho (Filipe Oliveira, 70), Feliz (Anderson, 85), Walterson (Sylla, 67) e Fabrício.Treinador: Sérgio Vieira.

Leixões: Tony, Jorge Silva, Pedro Monteiro, Matheus Costa, Stéphane, Ceitil (Erivaldo, 46), Oudrhiri (Evandro, 87), Ofori (Breitner, 70), Bernardo, Roniel e Kukula. Treinador: Filipe Gouveia.

Jogo entre Famalicão e Leixões, da II Liga, ficou marcado este sábado por cenas de violência entre adeptos dos dois clubes, antes da partida, ainda fora do estádio.
Reação da Leixões SAD : Lamentável num clube onde as direções e os presidentes tem uma excelente relação. Lamentável a forma como os nossos adeptos foram recebidos por alguns adeptos do Famalicão, com arremesso de pedras as viaturas dos nossos adeptos e aí autocarro da claque, com 2 adeptos assistidos, Depois é fácil filmar e dizer que os adeptos do Leixões são arruaceiros. Violência gera violência.
Num jogo muito equilibrado, que foi mais disputado na segunda parte, o Famalicão chegou ao golo aos 12 minutos, com um cabeceamento de Fabrício, após canto de Fabinho, que ainda desviou em Ângelo.
Apesar de tudo terem tentado para voltarem à igualdade, os matosinhenses não conseguiram marcar, enquanto, do lado contrário, o Famalicão também não aproveitou as oportunidade que dispôs para ampliar.

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

LEÇA NA MADEIRA TRAÍDO NO FINAL DO ENCONTRO


13.ª Jornada da Série B do Campeonato de Portugal
Madeira (Funchal)
Árbitro: Márcio Silva (AF Lisboa).
SC MARITIMO B 1 LEÇA FC 1
Ao intervalo, 0-0 Golos Isaac (53) Bonera (88`)
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Everton (28), Miguel Sousa (31), Bruno Simões (33), Daniel Ramos (43), Rúben Ferreira (69) e Aloísio Soares (88).

MARITIMO B: Edgar, Rúben Ferreira, Shoya, Aloísio Soares, Bonera, Miguel Sousa, João Pedro, Diogo Firmino (Tiago Nunes, 64), Ibson (Marcelo, 54), Rudy (Cristiano David, 72) e Everton. Treinador Ludgero Castro 

LEÇA FC: Bruno Monteiro, João Pedro, Max ,  Materazzi, Joel , Jair, André Sousa,  Simões (Pedro Pinto, 60), Miguel Ângelo (Paulo Lopes, 72), Zé Carlos, Isaac  (Alex, 83). Treinador Domingos Barros 

Com uma primeira parte muito dividida mas sem grandes oportunidades de golos, o resultado ao intervalo espelhava bem o que se tinha passado durante os primeiros 45 minutos

No segundo tempo as equipas foram mais atrevidas em termos ofensivos, com pendor mais atacante o Leça vê coroado o seu esforço com a abertura do placard, 53 minutos num lance de insistência Isaac inaugura o marcador. Estava feita justiça ao desenrolar dos acontecimentos.
A trinta minutos do final do encontro o Leça que estreava Materazzi  no onze, começa a dar sinais de abrandamento, disso se aproveitou a equipa madeirense que sempre acreditou que era possível chegar ao golo e foi compensada já perto do final com o empate através de Bonera.

De referir também que o Leça fez-se acompanhar por uma massa adepta (entre eles o presidente da junta de freguesia Matosinhos/Leça da Palmeira Dr. Pedro Sousa) que não regateou esforços no apoio à sua equipa.
Próxima jornada a equipa Leceira joga em casa frente ao SC Espinho, duelo a fazer lembrar a passagem do Leça pela I e II Liga em tempos que já lá vão .

Fotos Leça FC



segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

RONIEL SALTOU DO BANCO PARA BISAR

Estádio do Mar, em Matosinhos. 
 Árbitro: João Pinho (AF Aveiro). 
 Cartão vermelho por acumulação de cartões amarelos a Luís Silva (90+2) 
 Leixões-Sp. Braga B, 
2-1 Ao intervalo: 0-0.Marcadores: Simão, (50) Roniel, (74. 89 ambos de grande penalidade) 

Leixões: Tony, Jorge Silva, Matheus Costa, Pedro Monteiro, Stephane, Luís Silva, Ceitil (Evandro Brandão, 67), Lawrence (Roniel, 57), Erivaldo (Amine, 90+1), Bernardo e Kukula. Treinador: Filipe Gouveia. 

 Sp. Braga B: Tiago Pereira, Inácio, Bruno Wilson, Lucas, Simão, Rafael Assis, Ibrahima, Crespo, Luther, André Ribeiro (Tiago Dias, 77) e Henry (Elias Emanuel, 81). Treinador: Wender. 

 Dois golos de Roniel, que começou o jogo no banco, deram este domingo a vitória ao Leixões por 2-1 na receção ao Sporting de Braga B, após reviravolta, em jogo da 10.ª jornada da 2.ª Liga. 
 As duas equipas, que procuravam regressar às vitórias, equilibraram forças durante a primeira parte, quando as ocasiões de golo foram escassas, acabando a baliza por estar em perigo apenas por uma vez, aos 43 minutos, com um cabeceamento ao lado da baliza de Kukula, correspondendo a um cruzamento de Stephane. 

 Sem ganhar há quatro jornadas, a formação de Matosinhos viu o Sporting de Braga B adiantar-se no marcador aos 50, quando Henry assistiu Simão na área para um remate cruzado que bateu o guarda-redes Tony. A equipa visitante explorou a ansiedade dos locais e André Ribeiro (60) e Henry (68), tiveram boas ocasiões para aumentar a vantagem, mas Tony defendeu a primeira e a segunda saiu por cima da baliza. 

O empate surgiu aos 74 minutos, por Roniel, na recarga a uma grande penalidade cobrada pelo brasileiro e defendida por Tiago Pereira. Este castigo máximo punia falta de Inácio sobre Bernardo. Luther (82) e Elias Emanuel (85) ficaram perto de desfazer o empate, mas acabou por ser Roniel (89), outra vez de penálti, desta vez a castigar alegada uma mão na bola de Bruno Wilson a consumar a reviravolta para o Leixões. Já a vencer, a formação de Matosinhos acabou por ficar em inferioridade numérica, com a expulsão de Luís Silva, aos 90+2, por acumulação de cartões amarelos.

fotos de Duarte Rodrigues

Lusa 

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

D LEÇA DO BALIO

D LEÇA DO BALIO

OS LUSITANOS SCFC

OS LUSITANOS SCFC