RÁDIO CIDADE MATOSINHOS

segunda-feira, 15 de abril de 2019

ATÉ O LAVAR DOS CESTOS É VINDIMA


Estádio Cidade de Rio tinto- Gondomar
32ª. Jornada AF Porto Divisão de Elite Série 1
Árbitro: João Gonçalves
SC RIO TINTO 2 PADROENSE 0
Ao intervalo, 0-0 Golos, Cláudio (65) Russo (78)

SC RIO TINTO: Matos, Hugo, Jorge Pereira, Adrézinho, João Alves, Cláudio, Guil (Tinaia 80), Carlos Sousa (Rúben 69) Russo, Kakuba e Hugo Reis (Tiago Ribeiro 80). Treinador Vasco Oliveira

PADROENSE FC: Rui, Lico, Pereira, Barny (Lutchindo 78), Taipa, Guilherme, Ricardo, André, Ivan (Carneiro 78), Leitão, Mesquita (Jardel 78). Treinador João Santos  

Jogo de capital importância para a equipa do Padroense.
Jogado em ritmo intenso com ambas as equipa a disputar com fervor a conquista dos três pontos. A equipa da casa a puxar dos galões de anfitrião no segundo tempo e a fazer dois golos sem resposta, a equipa do Padroense bem tentou e pressionou na procura do golo mas teve pela frente uma guarda redes seguro dentro os postes e hábil fora destes
Com este resultado a equipa do Padroense que sempre esteve a um nível bastante a cima dos demais durante uma época inteira, sempre postada no lugar que lhe permitisse sonhar com o regresso aos nacionais, vê assim fugir entre os dedos soberana oportunidade para confirmar esse regresso tão almejado pelos Bravos de Matosinhos
Faltam apenas duas jornadas (6 pontos em disputa e 3 pontos separam o Padroense do Valadares Gaia) para o Padroense resta-lhe lutar e acreditar que ainda é possível…já dizia um ex selecionador Nacional de futebol “Deixem-me sonhar “   
Próximo confronto e penúltima jornada…grande jogo no Padrão frente ao líder Canelas Gaia

Foto Jorge Peixoto


EMPATE COM SABOR A TRIUNFO


30ª. Jornada do CP Série B
Estádio do Leça FC em Leça da Palmeira
Árbitro: Carlos Macedo (Braga)
LEÇA 2 MARÍTIMO B 2
Ao intervalo, 0-0, Marcadores: André Mesquita (54) e Teles (62) Max (71) Zé Carlos (90+4)

LEÇA: Cristiano, Joel, Max, Materazzi, Paulo Lopes (Pedro Prazeres 78), Samuel Teles (Jair 58), Bruno Simões (Miguel Ângelo 58) Landry,  Isaac, Miguel Lopes e Zé Carlos. Treinador Domingos Barros

MARÍTIMO B: Mateus,  Tentugal, Bonera, Aloísio, Nando, Gustavo, Genésio, Milson (Shoya 90+4), André Mesquita (Jonhson 64), Tiago Nunes (Miguel Sousa 81) e Teles. Treinador Ludgero Castro .

O Leça soma mais um ponto na tabela, ponto esse que pode ser decisivo nas contas finais da classificação no que diz respeito à manutenção. Domingo Barros técnico leceiro decidiu-se por não mexer no onze que tão boa conta de si deu na jornada anterior

O primeiro tempo foi jogado a bom ritmo com equilíbrio a fazer-se notar e em que os dois conjuntos criaram algumas situações para finalizar com êxito  

O segundo tempo os insulares entram com a disposição de tomar as rédeas ao encontro, tirando partido de alguma intranquilidade leceira motivada talvez pela importância do jogo (pois para os leceiros os jogos são autenticas finais ), com naturalidade chega à vantagem. Domingos Barros resolve e bem mexer no onze leceiro , fazendo entrar Miguel Ângelo e o brasileiro Jair . O Marítimo aproveitando algum desacerto leceiro, tira partido de um erro defensivo e dilata a vantagem…quase sentenciando a partida.
Domingos Barros não desarma e injeta mais uma vez frescura na equipa com a entrada de Pedro Prazeres, o Leça começa a dar sinais que esta vivo e com ganas de mudar o rumo aos acontecimentos. Livre para a favor do Leça, Miguel Ângelo dispara o guarda redes insular defende para a trave e Max na recarga reduz a vantagem. O Leça insiste na tentativa de chegar ao empate, aposta no futebol mais direto, cruzamentos sucessivos para a área do Marítimo e vê o seu esforço compensado já perto do final do jogo (em período de descontos) já com Materazzi integrado no ataque e na sequencia de um livre, Zé Carlos nas alturas penteia o esférico para fundo das redes empatando o jogo a duas bolas

Próxima jornada (mais uma final) em Espinho, uma equipa candidata à play off de subida

Foto Leça FC




RICARDO FERREIRA " Vestir a camisola sénior do Leixões será um orgulho"


Ricardo Couto Ferreira (17 anos) atleta do Leixões sub 19
Só conheceu a camisola Leixonense e o seu sonho é ser Profissional da clube Matosinhense
Esta época nos sub 19 e recordo que Ricardo Ferreira só tem 17 anos completados em dezembro ultimo, já fez 11 golos, revelando uma veia goleadora que deus nas vista ao ponto de ter já contrato profissional com a Leixões SAD

MITCHFOOT- Tudo tem um principio e um motivo para se começar, como tu não foges à regra, diz-nos como tudo começou?

RICARDO FERREIRA  - Sempre adorei jogar futebol. Pratico este desporto desde criança, na rua, na escola e em casa (embora a minha mãe não gostasse muito da ideia). Por isso, o meu pai levou-me a treinar na Escolas João Faneco e foi aí que tudo começou. Depois, continuei a dedicar-me e fui evoluindo.

MITCHFOOT - Sempre jogaste com o emblema do Leixões ao peito, presumo ser esse o teu clube do coração, diz-nos o que perspetivas na vida do velhinho do Mar, e na tua visão o que mudarias ou não para o engrandecimento do Leixões

RF – Penso que, ultimamente, o Leixões tem estado mais atento e dado mais oportunidades aos jogadores das camadas jovens. E isso eu não mudaria, uma vez que a formação é e sempre foi uma parte importante do clube.

MITCHFOOT - André Vilas Boas quando chegou ao FC Porto, disse e passo a citar “Estou na minha cadeira de sonho”, sei que O TEU SONHO é vestir a camisola do Leixões ao nível sénior, quando isso acontecer o que vais dizer ou sentir?

RF – É verdade, sempre joguei no Leixões e é, por isso, o clube do meu coração. Claro que vestir a camisola, a nível sénior, será um orgulho, pois representa a concretização de um sonho que tenho desde pequenino.

MITCHFOOT - 17 anos, 11 GOLOS esta época, são pode-se dizer o teu cartão de visita e isso despertou a cobiça de alguns emblemas, A Leixões SAD não perdeu tempo e fez contigo um contrato profissional, sentes que ESSE SONHO está mais perto?

RF – Claro que o contrato simboliza uma pequena conquista para mim. No fundo, é o reconhecimento do meu esforço e trabalho enquanto atleta. No entanto, não tenho nada garantido.

MITCHFOOT – Como é natural a quem encara o futebol como uma atividade de futuro em termos profissionais, diz-me tens algum agente de carreira desportivas (vulgo empresário)?

RF – Sim. Neste momento estou ligado à 4450 Gestão de Carreiras Desportivas.

MITCHFFOT -  Diz-nos como te defines com jogador e quem é o Ricardo Ferreira fora do futebol?

RF – Como jogador, sou muito focado e trabalhador. Procuro sempre melhorar e aprender a cada dia que passa. Fora da minha atividade profissional, sou um rapaz descontraído. Adoro estar com a minha família e com os meus amigos.

MITCHFFOT – Por último queres deixar alguma mensagem a alguém em especial, um agradecimento que sabe? 

RF – Gostaria de agradecer à minha família, em particular aos meus pais e ao meu irmão, que sempre me apoiaram e acreditaram em mim, e aos meus colegas que jogam comigo desde sempre.

Fotos Leixões SC 
Mário Mitch 

ESCREVEU-SE DIREITO POR LINHAS TORTAS



29ª .  Jornada da II Liga (LedmanLigapro)


Estádio do Mar, em Matosinhos.

Árbitro: Fábio Melo (AF Porto).
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Ventosa (17), Ruca (79), Luís Silva (87) e Evandro Brandão (89). 
Leixões-Mafra, 1-0.


Ao intervalo: 0-0.

Marcadores: André Clóvis, 56 minutos.



Leixões: Tony, Jorge Silva, Bura, Pedro Monteiro, Derick, Amine, Zé Paulo (Ceitil, 75), Luís Silva, Erivaldo (Matheus Costa, 90+3), Magno (André Clóvis, 46) e Evandro Brandão. Treinador: Jorge Casquilha.

Mafra: Godinho, Rúben Freitas, Miguel Lourenço, Ventosa, Gui Ferreira (Flávio, 58), Cuca, Pedro Ferreira (João Paredes, 78), Bruno (Gonçalo, 59), Ruca, Harramiz e Zé Tiago. Treinador: Nuno Capucho.




Embora com mais posse de bola, o Mafra nunca incomodou Tony, aproveitando-se disso o Leixões para ficar perto do golo, num canto cobrado por Zé Paulo (35), em que Godinho sacudiu a bola com os punhos perante a ameaça de Erivaldo.

A crescer no jogo, a equipa de Matosinhos criou mais duas ocasiões até ao intervalo, primeiro por Derick (41), num remate da meia-lua que passou sobre a barra e, aos 45 minutos, num cruzamento de Zé Paulo que Godinho afastou com uma palmada, antecipando-se à emenda de Magno.

Entrado ao intervalo, André Clóvis abriu o marcador aos 56 minutos, num cabeceamento a passe de Luís Silva (Grande jogada ofensiva da equipa de Matosinhos) 

O 'convite' ao Mafra para assumir o jogo, fez com que a bola passasse a ser jogada a meio-campo, sem que nenhuma das equipas, durante largos minutos, tenha sido capaz de criar ocasiões de perigo, até que um remate de Zé Tiago (89), na área, foi desviado no corpo de Erivaldo, e o árbitro assinalou penálti. Chamado a converter, Harramiz (90) atirou para a direita de Tony, mas o guardião 'adivinhou' o lance e desviou para canto, assegurando os três pontos para o Leixões. 


Mal a equipa de arbitragem que teve a coragem, de marcar penalty num lance perfeitamente normal e dentro das leis de jogo. O árbitro auxiliar do lado da bancada (onde esta o camarote presidencial) deixou passar 3 foras de jogo claros a favor do CD Mafra, o mesmo auxiliar que no primeiro tempo marcou e bem fora de jogo a Pedro Monteiro, tendo este feito golo e também ter anulado um lance por pertenço arco da bola para lá da linha de fundo, lance que Erivaldo atirou ao poste

Foto de Duarte Rodrigues

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEIXÕES SC EQUIPAS DE SONHO

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

LEÇA FC EQUIPAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

FC INFESTA GRANDES EQUIPAS

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

PADROENSE FC EQUIPA QUE SUBIU Á II NACIONAL

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

SC SENHORA DA HORA EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

CUSTÓIAS FC AS SUAS EQUIPAS

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

UD LAVRENSE A MELHOR EQUIPA

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

FC PERAFITA AS SUAS EQUIPAS

D LEÇA DO BALIO

D LEÇA DO BALIO

OS LUSITANOS SCFC

OS LUSITANOS SCFC